Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Um, dois, três, vamos lá outra vez

Tarde na rua, três crianças [1/3/84 ano(s)] cantavam.

Um, dos, tês
Ua io.ié.iê de cata tês
Uato, tinto teis
eia ua tóia de diôdo
Tóia de diôdo

Tóie a papa tuaia
Toie a papa

e repete
e repete e repete
e não sei onde foi buscar a "toia de diôdo"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...