Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 17 de junho de 2009

A cantar em Pulgarês

Ora vamos lá cantar em pulgarês uma cantiga da minha infância. Deve ter aprendido na escola, pois há muito tempo que anda a trautear.
Aqui vai...

U pituó
U pituó

tex um bouo
E tomeu tó
Nã dê nada
aus teus detiiuos
tan tuosa a miia abó


Em português

Minha avó do Picoló
fez um bolo
e comeu só
não deu nada aos seus netinhos
tão gulosa a minha avó

Sem comentários:

Enviar um comentário

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...