Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 30 de junho de 2009

Que pena

A Pulga olhava para uma fotografia da mãe quando tinha um ano de idade.
Estava a pentear o cabelo.
- Sabes quem é? - pergunto.
- Sou eu?
- Não. É a tua mãe.
- Coi...ta...di...nha!!
Não sei porquê..., mas estava com um ar de pena.

Uma historia verdadeira

A sobrinha de uma amiga está grávida. Satisfação. Era a primeira gravidez na família.
O médico confirmou. Na segunda consulta fez ecografia. Dupla satisfação: gémeos.
Mais adiante soube que eram do sexo feminino. Em casa preparam-se os nomes, o quarto.
Mas, eis que noutra consulta "algo corre mal", diz o médico.
Um feto desenvolve-se, mas o outro não. Um pouco de tristeza começa a pairar sobre a família. "Mas não se aflija". " Vamos aguardar". A alegria já não é a mesma....
Pelo sim pelo não fez exames mais detalhados: "Tenho más notícias...." " o feto que não se desenvolve tem problemas, muitos problemas".
" motores", além de outras deficiências.....
A jovem chorou muito, mas mesmo assim continuou a gravidez. Na consulta seguinte só se ouve um batimento cardíaco. O outro feto não aguentou o crescimento do seu par."Está morto".
"E agora"? - pergunta a jovem.
- Tem de aguardar pelo parto - diz o ginecologista.
Neste momento, no útero tem um bebé em tamanho normal e um feto à espera do dia para nascer.....

Mas que duas!

Mas estas duas parecem ter a mesma idade.
A tia-bisavó e Pulga conversam......
Uma ri a outra ri também.

Espada

Hoje vi um carro. Mas que espada.....

Até a Pulga!

Quando vou buscar a Pulga à escola levo velhos e novos em pacote familiar.
Hoje ao chegarmos a casa minha tia queria sair do carro, mas sem tirar o cinto, que ainda estava colocado. Então dizia que "a porta não abre" e "não consigo sair".
Diz a Pulga.
- Titia, tira o cinto. E olhando para mim....- Ai titia, titia!!!......-Tchchch..... E meneava a cabeça.

Pensamento meu: Gravidez

Cada vez que olho para a mãe das Pulgas e veja a barriga ovalada, só me faz lembrar um ovo Kinder surpresa.
Claro, com o brinde e tudo.

Mas que surpresa!

Ontem quando fui deixar as Pulgas em casa, assim que a minha filha abriu a porta disse para a Pulga, referindo-se às obras para o quarto do Pulguito:
- Anda que eu tenho uma surpresa.
- Bombons? - E os olhos abriam de contentamento.
- Não!
- Chocolate?- A ver se acertava.
- Também não -  responde a mãe, a sorrir. É o quarto para o mano.
- Ah - disse desanimada.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Copy cat ou macaco de imitação?

A Pulga gosta de estar com o telefone móvel. E imagina longas conversas.
Imita o que ouve, pois resume-se a : "tu tás aí?" "Traz pão." " Vais a casa da avó? " Já vens?" " Vou ao shopingue!". "Eu tou aqui ". "Ah!" "Sim, sim". "Hã?"
Agora é a vez da Pulguinha.
Pega no telefone e imita a irmã.
As conversas não são tão longas, mas são engraçadas.
Como ainda só diz algumas palavras isoladas, só gesticula muito e esbraceja. Tal qual os adultos quando falam ao telemóvel.

Pensamento meu: Avó

Estava na cama com a Pulga.
Eu de braço esticado. Ela com a cabeça deitada no meu braço.
Veio-me ao pensamento lembranças/recordações.
E lembrei-me/recordei-me de que nunca, mas nunca, estive assim com a minha avó.

Avó/Abó/Afó

De um dia para o outro deixei de ser: abó.
Passei a ser: afó.
A Pulga descobriu o som vvvvvv. Que é parecido com ffffff.
Até ontem eu fui abó. Hoje sou afó.Da parte da Pulguinha continuo a ser vóóóó.

Andar em pé

Ao chegarmos a casa pergunto à Pulga:
- Queres andar de triciclo?
- Não.- Respondeu ela. - Quero andar em pé.
Claro, e com sapatos de salto alto, muito alto.

Motoqueira

A Pulguinha quando anda de triciclo parece uma motoqueira.
Senta-se e estica-se os braços, agarrada ao volante e com os pés vai arrastando.Parece que vai a bordo de uma destas .
Mas o mais engraçado é que o triciclo não faz ruído.
Então ela faz:
- Nham..nham...nham.... vruuuuuum....vruuuuuum

Avó de todos

Sempre que vou buscar a Pulga à escola surgem os meninos e meninas da sala. Correm todos para junto de mim.
E o mais engraçado é que me chamam... "avó".
Até para fazerem queixinhas da Pulga.
Das duas uma: ou tenho cara de avó ou é por ouvirem a Pulga chamar.
"Serei assim tão velha"?Terei cara de avó? "Será por começarem os cabelos brancos a despontar"? "Será por usar óculos? "Será que as avós dos outros meninos são mais jovens que eu?"
Hum.......
Fico-me com esta: é por ouvirem a Pulga a chamar!

De gancho

"Deixa meter o gancho". Pede minha tia ao andarmos na rua. Há muito que não ouvia.
Eu também andava de gancho quando namorava. E casei de gancho com o meu irmão.

domingo, 28 de junho de 2009

Pulga lapa

Andei toda a manhã com uma pulga agarrada às pernas.
Imaginem, mão esquerda dela na minha perna esquerda, mão direita na perna direita. Cabeça enfiada entre as minhas pernas.
Depois..... foi só coordenar os passos....
Ah, era uma Pulga pititia (pequenina).

O que se ouviu

O que mais se ouviu durante a manhã:

Abó, papa!
Aaaaaaaa....bóóóóóó??
Vóóóóóóóó.
Papa, papa.
Avó? Onde tais?
Bó, non teio êtes titapos! (não quero estes sapatos)
Bó, tão a doeiê. (estão a doer)
Bó, tauco. (colo)
Vó, papa, papa
Abóóóóóóó, anda tá!
Abóóóóóó, queio otos titapos.
Abó, bamos pó sauão.
abó, bamos pa tima.
Olá? olá?
Bó, bamos pá ua. (rua)
abóóóóóóóó...........? Anda tititai.(sentar)
Bó, anda ati!!
Bó, teio buacha.
Abóóóóó....? Onde tás?
Vóóó pépa, pépa´(pega)
Abó, eu teio pão.
Pão, pão, pão.
Abóóóóóó? poti não bamos pá ua?(porque não vamos para a rua)
Abó? O tê é ito? (o que é isto)
Abó eu teio bananaaaaa.
Papa....papaaaaa....
Abó oia a chu....va.
Abóóóóó??? Abóóóóóó???Abóóóóóó????
Vóóó.....vóóóó.
Agora repousam nas asas de Morfeu

Gritos e guinchos

Oiço gritos e guinchos bem altos (iguais àqueles dados pelos fãs) que me ferem os ouvidos.
Então grito eu:
- Eiiiiiiiii o que é isto?
Diz a Pulga.
- Não é euuuuuuuu! É a manaaaaaa.
E não é que era mesmo?
Mas que gritaria . Até estava vermelha. Tudo a brincar.

Biqueira

- "Hoje tá biqueira".- Dizia minha tia ao ver a Pulga a fazer fita para almoçar.
Pois, mas ao chocolate não fez bico.
Comeu-o todo e lambeu os dedos....

O eco

-Adoia não tá pouta. (agora não está chuva)
- Diz: chu....va. Chu.....va.
- Chu......va - e diz.
De seguida......
Oiço um eco.
- Tuuuuu...vaaaaa.
Era a Pulguinha a dizer também.
Este gorgomilho!

Se...

...Comeres a sopa toda o avô traz um chocolate (hoje deu-me para chantagear).
Pronto. E comeu-a toda.
E lá foi se sentar no cimo das escadas à espera da chegada do avô.
Chantagem??
Não.
Só uma condição sine qua non.

Chuva

-Vamos lá a dizer: chu.....va. - Teimava eu para a Pulga.
- Nããããão.- Dizia ela.
- Vá lá! Experimenta. Chu......va.
- Abó.... tauco (colo).
(Chantagem.....)
- Se disseres chuva, há colo.
- Não dito(digo).
-
Então não há colo!
- Há tim.
E como eu estava agachada para ficar do tamanho dela, agarrou-se ao meu pescoço.
Convencida esta.

Muito esperta esta Pulga!

Depois do pequeno-almoço pede-me a Pulga para irmos para o "salão"(lugar na parte de baixo da casa), brincar com os bonecos que lá tem.
Estávamos no "pátio"(que fica na parte de cima) , eu sentada, ela de pé. Isto faz com que tenhamos de descer escadas.
Como sempre lhe digo para descer com cuidado (principalmente se estiver de saltos altos) e como hoje queria levar os bonecos que estavam em cima, diz-me.
- Pimeio tu uevas êtes. - E deu-me um grupo de bonecos. - Popois vens tustai êtes!
- E tu o que levas?
- Nada!
E abriu os braços, mostrando as palmas das mãos...
E eu?
Lá desci carregada (como um burro ) de bonecos, com uma Pulga agarrada às minhas pernas.... porque estava de saltos altos!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Só de me lembrar...

.....e se a ouvir..... choro. Lembro-me da minha mana que foi a cremar ao som desta música. Era o seu desejo.

Pensamento meu: Mudar de cor

Julgo que o Michael Jackson era racista. Renegou a sua cor ao querer tornar-se branco.

Finou-se

O negro mais branco dos Steites. Uma vida de excessos sempre pautada pelos escândalos.
Mas deixou um legado de música.
Morreu ainda jovem (50 anos).
Teremos mais um Elvis?
A multidão já está em delírio.....

Sol, muito sol

Pela tarde esteve muito sol. Convidava a um mergulho nas águas do Atlântico. Calmo, o mar, tão diferente de outros dias. E eu...? Em vez de um mergulho apeteceu-me ........um prego no bolo do caco.
E ao "meu senhor".....? Uma francesinha.....

quinta-feira, 25 de junho de 2009

A Razão dos Avós

No último Natal recebi da minha filha o livro "A razão dos avós"de Daniel Sampaio. Tem sido o livro de mesa de cabeceira. Uma escrita singular, com exemplos vividos e que ao lê-lo sinto-me como se tivesse sido a autora do livro.
Eis uma passagem......."Um momento significativo ocorre quando os avós vão buscar os netos à escola. É curioso observar como fazem sem pressas, com tranquilidade, por vezes com excesso de gratificação. Contrastam com a ansiedade de alguns pais, que chegam a deixar o carro mal estacionado e se precipitam em recomendações e perguntas a que as crianças respondem como podem. Os avós chegam cedo, esperam a hora de saída e passam pela pastelaria da esquina, onde oferecem o lanche......."
Esta passagem é exactamente o que tem acontecido nestes dias em que a mãe das Pulgas está de baixa.
Hoje não foi excepção.
Chegámos à escola estava a Pulga a lanchar. Esperámos. A Pulguinha também lanchou e de seguida fomos à pastelaria tomar um café.

É jantar ou almoço?

Ontem à noite, ao jantar coloquei como de costume a caixa de medicamentos para a velhota tomar.
- Tem aqui algum de tomar ao almoço?- pergunta ela.
Como não estava a perceber olhei para ela.
- De tomar ao almoço?
- Sim.- E colocava as mãos na cara, num jeito enfadado.
- Mas estamos a almoçar ou a jantar? Olhe para a rua e diga se está de dia ou de noite?
- Ah, desculpa. Tava tonta!!
É sempre a mesma resposta...

Este pai de Pulga...

O pai das Pulgas é muito brincalhão. E gosta de "tirar minha tia a terreiro".
Dizia ela, referindo-se à tal festa de anos da Pulga.
- Amanhã vai haver festa?
- Vai - responde ele .-  Eu faço anos.
- Ah sim.... é de Julho. Não estamos em Julho?
- Sim. Mas faço anos em Março.

Esquecida e mentirosa

O meu genro perguntou a minha tia:
- E agora? Quando vai ser o outro olho?
- Para Agosto. - E virando-se para mim:
- Não é?
Risos. É que eu não me contenho com tantas "argoladas".
Para Agosto é a consulta.

Sem pensar

A Pulga fez anos em Janeiro , mas anseia por este dia que só virá para o ano.
Mas, coitada da pequena, todos os dias diz que vai fazer anos. Hoje dizia à minha tia.
- Eu faço anos amanhã!
- Ela faz anos amanhã? - pergunta-me a minha tia.
Não sei qual das duas estava mais ansiosa.

Já vê melhor

Hoje dizia-me que já via melhor.
- Óptimo foi para isso a operação.
Quando o meu genro veio buscar as Pulgas perguntou-lhe se estava melhor e se já via.
- Sim. Já vejo um coisinha.... Vejo que tem a barba picada.
E de manhã quando o meu marido perguntou se via melhor respondeu :
- Vejo que não tá mais gordo!

Catarata esquecida

Ontem a minha tia foi operada às cataratas que tinha no olho esquerdo. De manhã tomou os comprimidos para a tensão arterial com um único gole de água. E mais nada.
Hoje foi à consulta do pós operatório.
De manhã fiz-lhe o pequeno almoço e chamei-a para vir comer.
Estava sentada na sala. E diz-me: "mas eu não posso comer. Tenho de ir em jejum. Eu não vou ser operada?"
- Só se for à cabeça. É porque ontem foi às cataratas - respondi.
- Ah! - E ria-se de si própria.

Tarde com gargalhadas

Que bela tarde de sol!
No quintal, duas Pulgas conversam. Uma de 84 anos e outra de 3 anos e meio.
Não se percebem uma à outra.
Uma fala, a outra não a entende.
Só se ouve: hã?...hã....?
Mas riem-se uma para a outra.
E que gargalhadas dão.

Sinal rápido

Estava eu na passadeira de uma avenida com quatro faixas à espera do sinal verde dos peões. Começo a atravessar a avenida. Chego a meio, olho o sinal e....vermelho. - Poça! Que sinal mais rápido nem dá tempo a passar para o outro passeio...... -  pensei eu.
Mas......lembrei-me que o sinal não era rápido.
Eu é que levava uma carroça a passo de lesma agarrada à bengala, conseguindo ser ultrapassada pelos caracóis e tartarugas - a minha tia.

A senhora enfermeira

-Vá se sentar que eu já "lhe" chamo.- Disse a enfermeira para minha tia.
Hã? Já lhe chama o quê?!- Pensei eu para os meus botões...Vai chamar algum nome.....algum apelido.... ou simplesmente "a" vai chamar para ser atendida?
- Senhora enfermeira, deve dizer...."Sente-se que eu já "a" chamo.

Estrepela

"Este crianço é um estrepela". Dizia uma velhota hoje no hospital a mim, referindo-se a uma criança que não parava um instante sossegado

Asente-se

" Mandou vir m´assentar. Eu m´assentei aqui."

Uma senhora com aparência de campo. Saia rodada, larga, sem olhar a cores e padrões. Cabelo grisalho com um minúsculo cocozinho (carrapito) no alto da cabeça feito em trança, enrolado. Com um ar angelical: olhos azuis,pele tostada pelo sol, e rugas, muitas rugas. E nos olhos uns óculos enormes (como os de mergulho).

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Um bigode

Ao ler o blogue da minha filha deparo-me com esta frase tão, mas tão nossa:
"Não tinha piada nenhuma apanhar um bigode."
Referia-se a apanhar um choque eléctrico.

Pensamento meu: Esquecida, mas não tanto

Minha tia está muito esquecida, mas não se esquece do nome das Pulgas.

Pensamento meu: ser idoso é...

Temos de ter paciência e tolerância ao lidar com idosos, porque eles retornam à infância. Por esta razão os idosos e as crianças dão-se taãããããããããããããão bemmmmmmmm. Palavra de avó.

Pensamento meu: Má acção

Hoje estive para fazer uma má acção. Ainda bem que não a fiz.
Vou espera pela justiça divina, porque...."a justiça de Deus tarda, mas não falha".
Perdoai-me porque pequei......... em pensamento.

Trilhar

 Há dias o avô dizia para a Pulga:
- Cuidado para não trilhares os dedos.


Dicionário:(de entre outros significados...)
Magoar, contundir.

Recordar é viver

 Há dois anos atrás, em 2007, fomos em família fazer um cruzeiro pelas ilhas gregas e Croácia com início em Veneza.
A aventura começou no Porto. Avião para Roma (duas noites) para conhecer o Vaticano a cidade.
Depois, com uma carrinha de 9 lugares fomos para Piza (1 noite) e Florença até chegarmos a Veneza (mais 2 noites) de onde sairia o cruzeiro.
Início do cruzeiro: MYkonos, Atenas, Creta, Corfu e Croácia.
Regresso a Veneza num total de 7 noites de cruzeiro mais 4 noites em Itália.

Depois da aposentação

Logo pela manhã (7:30 ) fui ao hospital deixar a minha tia para a cirurgia da catarata.
Correu bem, graças a Deus.
Pela tarde tenho a Pulguinha aqui comigo.
Daqui a pouco vou buscar a Pulga à escola.
O meu dia é passado a cuidar de ascendentes e descendentes.
Durante 32 anos, 6 meses e 18 dias cuidei dos filhos e familiares dos outros (desculpem a expressão), agora cuido dos meus.
E não é que gosto?

Crença popular

Depois da Ceia de São João era hábito, antigamente, as pessoas dirigirem-se até ao cais da cidade para verem a sua sombra.
Lembro-me de em criança ir com os meus familiares até lá. Diz a crença que: quem não ver a sua sombra na água morrerá antes do próximo São João.
Contava a minha avó que o seu filho, que morreu jovem, não viu a sombra na água do mar no ano que antecedeu à sua morte. Toda a gente via a sombra dele, mas ele não a via.
E o hábito ficou em mim. Todos os anos depois da meia noite (já no dia de São João) encho uma panela ou terrina com água e tento ver a minha sombra.
Este ano não foi excepção.

Atremar

Havia uma vizinha da minha tia que usava muito o verbo "atremar"
No fim de uma conversa (vulgo bilhardice) lá vinha: - A Srª tá atremando?... Atremou o que eu disse?... Eu não atremei nada!...

No dicionário:
Mad. Prestar ouvidos; dar atenção.
Só fico com uma dúvida ...julgava que era sinónimo de compreender, afinal é de: prestar atenção

Modilhos

 Quando era miúda fazia muitos modilhos. Hoje em dia ainda faço alguns.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Pensamento meu: Idoso

Fico triste quando vejo pessoas a tratarem os idosos como se eles já não existissem. É que para lá caminho...

No Puerto, carago

Há dois anos estive na cidade do Porto por esta altura.
Chiça, fiquei com a cabeça a doer de tanta martelada.
Mas adorei o espírito festivo, e acima de tudo o fogo de artifício.....20 minutos a olhar para o céu e para a Ponte de D. Luís. Aqui na nossa terrinha são só 10 minutos de fogo na passagem de ano e achamos um espectáculo grandioso. É sim, mas no Porto também o é.
Passa bem, Aranha, e dá umas martelados por mim, carago...

São João

Hoje é véspera de São João. É dia de tirar sortes.
Também eu quando jovem tirei a ver como ia ser a minha vida no futuro. Bem, só numa coisa não acertou, ou ainda não aconteceu.....
"Vai ser milionária..."- disse a senhora ao ler o ovo dentro do copo!
Não sou milionária, atendendo ao dinheiro. Sou milionária sim, porque tenho uma família que muito prezo e adoro, desde o mais idoso ao mais novo.
(Embora eu ande sempre à procura de mais qualquer coisa, mas não sei o que procurar.... por isso não encontro. Mas falta-me qualquer coisa....)

Pura negligência!

Outra notícia no diário : criança de 11 meses deixada dentro do carro do pai durante todo o dia. O pai esquecera-se de ir pô-la ao infantário. Isto na Bélgica.
Resultado: morte da criança.

A quantidade de casos iguais a este que actualmente tem sido notícia!
Negligência? Sim. E não me venham com a" treta" do stress dos pais para justificar o injustificável.
Mas, quando se sabe e se constata que nos nossos dias as crianças fazem parte de uma lista de bens a adquirir, tal como o carro, a casa, o telemóvel ....é nisto que dá: esquecimento. Tal como se esquece uns óculos dentro do carro, tal como se esquece um telemóvel.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Pensamento meu: Umbigo

Fico triste quando vejo à minha volta as pessoas girarem em torno do seu umbigo. E olho para a grandeza das crianças: tão simples, tão puras, tão sinceras, tão amigas, tão altruístas...

Patataio

 A Pulga hoje falava do papagaio (uma estatueta) que tenho em casa.
Aproveitei para a corrigir porque se consegue pronunciar "pa...." deve poder repetir o mesmo"pa" para completar "papagaio".
Comecei a soletrar e ela acompanhava: pa...pa...gaio....o.
Com a preocupação dizia muitas vezes: pa...pa...pa...pa...pa...pa...ta....ta.....iô.
Depois desistiu. E eu também.

O corte do papêuo

A Pulga tem um corte de cabelo a Verão, bem curtinho e diferente do habitual que ela costumava usar, tipo Beatriz Costa.
Hoje à saída da escola perguntei o que tinham dito os meninos (colegas) acerca do corte.
- Os meus meninos titeram que eu tou feia. Não dotam do meu papêuo.
Mas que canalha miúda, só desfazem....
Começam cedo...
"Quem sai aos seus....não bebe genebra...."

Nem só de TV vive o homem

Retalhos de um (bom) domingo: passear com as Pulgas, veranear, esplanar, correr atrás delas e dormir...



A vingança serve-se fria

A Pulguinha estava com a braço dentro do armário da cozinha. Vem a Pulga e fecha a porta.
Choro da Pulguinha. Repreensão para a Pulga.
Daí a pouco......Choro da Pulga.
Perguntei o que tinha acontecido.
-A mana fechou a gaveta e eu tinha o dedo dentro.
Andando e aprendendo.

A barrigona

 Estava sentada no chão com as Pulgas quando toca a campainha.- Quem é? - Pergunta-me a Pulga.
- Deve ser o pai e a mãe.
- E o mano.
Claro Pulga. Se a barriga fosse de desatarrachar, há muito que a tua mãe já a tinha posto de lado.

Domingo à tarde

"O que é que você vai fazer domingo à tarde?". Assim cantava o grande Nelson Ned, com os seus 50 centímetros de altura.
Eu respondo à pergunta: ver o Noddy e o Canal Panda.
Assim foi o meu domingo....
Depois de um almoço fora (na rua) debaixo do guarda-sol (tão, mas tão agradável!), eis que vamos para a sala ver TV.
- Abó. Põe nos desenhos animados.
Com esta ordem, digo - Hã? Como?
- Sim. Nos desenhos animados.
Que remédio......E lá me pus a ver o Canal Panda...brrrrrrrrrrrr e o Noddy com o seu carro amarelo.

A rainha e a peste

A Pulguinha tem uma forma característica de dizer "adeus". Parece a rainha de Inglaterra a acenar aos seus súbditos.
Hoje ao se despedir da forma que lhe é habitual dizia eu.
- Parece a rainha!
- A rainha?- pergunta a Pulga sempre de orelhas arrebitadas a todas as conversas.
- A rainha, sim - replico
- E eu sou rainha?
- Também és, claro.
- Não sou não. Eu sou uma peste.- E ria, ria...

domingo, 21 de junho de 2009

Porque...

Porque hoje é Sábado
e amanhã é domingo
vou dormir com as Pulgas
que já aquecem o meu cantinho

Mal habituados

 Nós professores estamos mal habituados. Achamos que as acções de formação devem ser realizadas em período lectivo.
Isto a propósito do meu filho, "o aranha" ou o " mê Bisalho" ter tido uma acção de formação, hoje Sábado, todo o dia (das nove da manhã até às 18 horas).
É que o pobre do rapaz trabalha toda a semana desde o nascer do sol até o ocaso do mesmo. E ainda tem de frequentar acções ao sábado!!!
Pobre filho! Porque não foste para professor? Terias as acções de formação em pleno horário laboral!

sábado, 20 de junho de 2009

O Funchal é meu! (o Tontau é meu)

Esta tarde, depois de ir buscar a Pulga à escola, já dentro da carro a pergunta é sempre a mesma:
- Abó , nós onde tamos? (avó, nós onde vamos?)
- Ao Funchal- respondo eu
- Ao meu Tontau?
- Ao teu, ao meu , ao do pai, ao da mãe, ao do avô e ao da mana.
- Ah, mas é meu, o Tontau.
Ao passarmos pela marina diz ela.
- Mas este não é o meu! O meu Tontau é mais pa tima (o meu Funchal é mais para cima).
Hum, é que o Funchal da Pulga não é na Marina, nem à beira-mar, mas sim nas lojas.
Ora vejam lá esta besoira que já quer zunir...zzzzzzzzzzzz

Saudosista eu? Claro que sou!

Hoje fui jantar à Pizzaria onde costumávamos ir quando as "outras Pulgas" eram pequenas.
O meu filho adora(va) pizza e a irmã detesta(va). Isto, ele com 8 anos e ela com 12. Era hábito às sextas-feiras irmos à piza. Assim que chegávamos ele ia logo para dentro do balcão ajudar a confeccioná-las .
Para a irmã era um suplício estar lá: era o cheiro, era o ambiente, era o calor, etc. Então fazíamos assim: nós ficávamos na pizzaria e ela ia abaixo a um restaurante, um pouco distante, comer uma sopa. E ficava sozinha, comendo o que gostava enquanto que nós os três comíamos o que gostávamos.

Outros tempos, outras mentalidades.
Hoje em dia esta situação era impensável de se fazer.
E hoje relembrei velhos e belos tempos da meninice deles.
E claro, deu-me saudades!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Ainda quente

Tinha acabado de enviar uma mensagem para a minha filha, quando toca o telefone fixo. Vou depressa, julgando ser a resposta à mensagem. E geralmente o pai das Pulgas quando me liga para este telefone faz sempre uma voz "quente" tipo, conversas da linha dos adultos. Ao levantar o auscultador oiço uma voz suave, nasalada, mas com sotaque brasileiro.
- Ah, hoje não é voz quente e amaricada? Hoje é quente e brasileiro?
- Alôô senhooora, deve tar a fazer confusããão com outra pessooooa. Aquiiiii é da TVCabo.
- Hããããããããã?
E logo vi que que não era o pai das Pulgas!
- Jesus. Que vergonha! Inda bem que o homem não me conhece! Deve julgar que eu sou tarada.
Linha quente...voz amaricada...nasalada....suave.....brasileiro.....

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Tiéta Toume (quieta, dorme)

A Pulga estava com os bonecos alinhados no chão a simbolizar a hora do sono na escola. E claro, ela estava também deitada ao lado deles.
De repente levanta-se e ...- tiéta Nônônunes, toume.- E vai ao rabo de um boneco e pimba, uma palmada. Mais um pouco e... - tiéta Madanena, toume.- Bem, de uma forma tão imperativa que eu até fiquei a olhar para os olhos que pareciam que lhe saltavam. E levou um bom bocado a dar ordens e a dar palmadas nos bonecos.
Será imitação? Será um "dejá vu"?

Emantada

Continuo emantada. É a realidade. Há tantas razões para estar assim. Ou então deram-me olhado ou apanhei ar encanado. E como não gosto de tomar remédios....
Se for olhado tenho de me curar. Faço uma cruz de alecrim, e com ela à frente da minha cara, benzo-me, fazendo o sinal da cruz e rezando uma cantilena....
Giselda, foi este nome que te puseram na pia junto de Deus e da Virgem Maria e das três pessoas da Santíssima Trindade, eu te curo de olhado que te deram no teu vestir, no teu calçar, no teu andar..... para este mal te passar..........

Se está não resultar há ainda outra

Belém, Belém
que saia o Mal entre o Bem
assim como Nossa Senhora perfumou o seu bendito Filho para Ele cheirar
eu te perfumo Giselda para este mal te passar

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Making of .

take one:
A Pulguinha entra na casa de banho
take two:
Arregaça as mangas da camisola (mas com muito jeitinho...)
take three:
abre as torneiras do bidé
take four:
vai ao sabão
take five:
ensaboa as mãos juntando água
take six:
mexe e remexe no sabão, na água e na torneira
take seven:
vai com as mãos esticadas até à toalha
take eight:
sai da casa de banho feliz da vida a dar estalinhos com a língua
"Este gorgulhinho......"

Ando a chocar alguma

Ando com uma zoada na zorelhas. Deve ser da constipação. Até tou olheirenta. Onte apanhei uns peneiros. Eu nã tenho escramenta. Até me doi ei cachadas e tenho o focinho brumelho de tanto espilrrar.
Andei todo o dia às carreiras de um lado para outro e nã vi que tava a orrevalhar. Todo o corpo me doí a começar pelo carrolo e desce até às arcas. Parece que comi uma malha de correia! Credo abrenúncia.

A cantar em Pulgarês

Ora vamos lá cantar em pulgarês uma cantiga da minha infância. Deve ter aprendido na escola, pois há muito tempo que anda a trautear.
Aqui vai...

U pituó
U pituó

tex um bouo
E tomeu tó
Nã dê nada
aus teus detiiuos
tan tuosa a miia abó


Em português

Minha avó do Picoló
fez um bolo
e comeu só
não deu nada aos seus netinhos
tão gulosa a minha avó

Os papaios

Fui buscar a Pulga à escola. Durante o percurso para o café, fui fazendo as habituais perguntas do dia: o que comeu, a que brincou, com quem brincou...
Quando lhe perguntei o que fizeste na escola, respondeu: tantos papaios!
Bem, comecei a pensar a que se referia e o que poderia ser "tantos papaios". Como nesta altura se fazem balões de papel e enfeitam-se as escolas com bambolinas, fui perguntando. - Balões? Desenhos? Papagaios? E sempre a dizer: não.
Simples e claro como a água da nascente: O que se faz na escola senão..... TRABALHOS!

terça-feira, 16 de junho de 2009

Arruma/Desarruma

 Hoje levei o dia no (des)arruma. Eu arrumo, a Pulguinha desarruma. Sabemos que ela já comeu sabão e que a casa de banho é o seu reino. Lá passa alguns momentos em relax. Abre as portas dos armários e ... deita os cotonetes na sanita, se estiver com a tampa subida. E se não é com cotonetes que brinca é com escovas do cabelo. Mas as escovas seguem o mesmo caminho....sanita. E lá vai a mão da avó pela sanita adentro tirá-las. Mas hoje estava ela no seu reino tão, mas tão silenciosa que até estranhei. Lá fui e ....surpraise......era o papel higiénico: puxava/ rasgava/deitava na sanita? Não, puxava/rasgava e deitava no chão, aos bocadinhos bem pequeninos. E como diz a Pulga: Ai, eta mana.......!!

Vamilhá e acabou!

  E assim se passou uns dias fantásticos pela nossa terra.
Muito se viu e muito há para ver. Espero que a visita guiada e explicada tivesse sido profícua. Desejo voltar a vê-los aqui, na minha terra.



Mais uma vez....vamilhá a passear

 Desde a ponta oeste até a ponta este não ficou nada para ver.


Vamilhá a ver

 Subindo e descendo "varedas"
Vendo ao longe as ribanceiras
onde o sol se espreguiça
Na" baboginha" do mar
Lá levámos a família
A passear.



Vamilhá

1º dia 10 de Junho de 2009.

Vinda dos familiares do "projecto-nora" à ilha das Madeira.
Para eles foi baptismo de voo e baptismo de visita.


Ribanças e varedas

Nestes dias andámos a mostrar o que de bom temos na nossa terra. E que é muito, diga-se em abono da verdade.
Além das "varedas" e das ribanceiras temos os "furados". É que esta ilha mais parece um queijo suíço. Claro que se formos pelos túneis não se aprecia a paisagem...., mas..., apreciamos a evolução a nível de infraestruturas que se tem feito (bem ou mal) na nossa terrinha.
Aqui fica o registo de umas mini-férias.

Cada terra com seu uso

 Nestes dias fiquei a saber que:

as camélias são japoneiras
as maravilhas são mimosas
as malvas são sardinheiras.

As maçarocas são espigas
as mogangas são abóbora-menina
o milho é farinha milha
e claro as abóboras verdes, as pimpinelas e a vaginha não são comestíveis pelos lados de Ponte de Lima.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Dentes

A Pulguinha anda "semenas". Tem dois "queixais" a nascer.
Deu-lhe da "chorrica" e ardia em "ferve". Foram muitas as "faldras" gastas.

Da tua ausência

Faz hoje quatro meses que partiste, minha mana. Ainda não acredito que não te verei e ouvirei mais.

-Giseldaaaaaaaaaa, tudo baim? - Era como dizias ao atender o telefone.
-Adeus, meu amor, vou-te deixar. Era como te despedias de mim.
Obrigada,
por tudo o que fizeste sem eu pedir,
por tudo o que me deste sem saberes,
por tudo o que me ensinaste sem quereres.
Adeus sisse.
Que encontres no Céu o Amor que não encontraste na Terra!

De regresso

Regressei ao mundo do blogue.
Estive de férias, na Madeira, juntamente com a família do Projecto-Nora. Fomos de vale à montanha e do mar à serra. O tempo ajudou e muito. Ontem regressaram ao norte do país, sua terra de origem. O "aranha" também foi. Lá é o seu posto de trabalho.
O dia esteve triste e sombrio, como eu. Cada vez que ele regressa ao Porto leva um pouco da família com ele. Ontem levou o sol e o bom tempo. Até as nuvens choraram com a sua partida. Havemos de nos encontrar brevemente, assim o espero.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O meu querido

Pergunta-me a empregada, sim, a doméstica que vem a minha casa fazer as limpezas.
- O seu querido está em casa?
- Hum... empregada? O teu papel é limpar, não é saberes se o meu querido está em casa.
Mau Maria!

Ai estas Pulgas!

Hoje pela tarde fomos onde sempre costumamos ir: à padaria.
Depois da dose habitual de: café (para mim), Epá (para a maiveilha), meia torrada, meia sem manteiga, (para a Pulguinha) quando vou pagar ao balcão, eis que a Pulguinha vê PÃO. E não parava de dizer: PÃO. Eu a tentar disfarçar, mas a palavra é tão bem pronunciada e com o apontar do dedo para a vitrina que não passou despercebida.

A senhora então deu um naco de um papo-seco. Ainda disse que já tinha comido, e a tentar justificar que ela adora pão e sempre que vê um saco da padaria pede, e ... obrigada, até logo, já vamos....., mas a Pulguinha não saía do balcão. Lá aceitou e comeu-o como se não tivesse comido nada . "Soube-lhe pela vida". Entretanto pergunta à mais velha e...não é que também aceitou o naco de pão? E já tinha comido o gelado e duas fatias da torrada!

Os tempos mudaram!

 Ouvi hoje esta frase, referindo-se à Pulguinha, "olha....cinco tostões de gente."
Lembro-me de minha avó dizer..."cinco réis de gente."
Será que agora se deverá dizer ...."cinco cêntimos de gente"?

domingo, 7 de junho de 2009

Inçao

A minha avó usava muito este termo. Hoje ouvi-o. A minha tia referia-se à Pulguinha.

"Este inção não pára um instante"

E existe no dicionário. Eis o significado:

inção

adj.
Madeira- Pequeno.

Satisfação

Hoje tive uma satisfação. A minha tia acertou no dia de hoje: Domingo. Uau, disse eu. - Acertou.
Mas foi "sol de pouca dura".
Na hora o almoço "caldo entornado". Houve a desfeita.... o que parecia ser bom, voltou a ser o que era ao perguntar, apontando para a Pulga. - Hoje não houve escola para ela?

Pulguito

 As Pulgas vão ter um mano.
Nasce em Setembro, diz o médico. Hum.....mas parece que vai nascer antes. Palavra de avó.

sábado, 6 de junho de 2009

Ovelha

 A minha tia falava com a Pulga. Ela não percebia e dizia: Hã? Hã?
A tia dizia: Lã....? De ovelha.
- Odeia? (ovelha)
Eu aproveitei e perguntei: - Então quem dá a lã?
- A odeia.- responde a Pulga.
- E o carneiro o que dá?
- ueite. (leite)

Ouvido de passagem

 Duas vizinhas encontram-se no caminho da minha casa.
Esta foi a conversa que eu ouvi.

- Pssssssssssssssst, boua-tarde! Tá boua...?
- Saim.... E lhá?
- Olhi, más ó menes. Nã se pode ir melhore!

Prima

Ainda dizem que a Madeira é pequena?
Hoje vi uma prima (por afinidade) que não a via há...... séculos? Não. Vi-a no século passado.
Mas há muito tempo que a não via. E então toca a pôr a "bilhardice" em dia.
Falámos de filhos,de mães e irmãs e netos (que ela não sabia que eu já tinha). E a cara dela ao dizer. -Tu....? Avó....?
-Tu....? - olhando para o primo. - Avô...!?
E a boca não lhe fechava.

Hoje não tenho Pulgas...

Mas para a semana tenho a casa cheia delas.
Pulgas importadas e pulgas imigrantes.
Vou ter pulgas para me coçar...

Vasilha torta

Ouvi-a da boca da minha tia agorita mesmo referindo-se ao meu filho e ao trabalho.

"Ainda bem que ele não foi uma vasilha torta" e acrescenta... "Nem ele nem a irmã".
 Tenho aprendido umas coisas.
Não há como viver com gente de outros tempos.

Rectificação

 Por vias de dúvidas fui ao dicionário e, claro, não se escrever tratoário, mas sim tratuário.
Estepilha ou estapilha? como não há esta palavra fica a dúvida. De qualquer forma ouço mais vezes o "estapilha".

tratuário
(francêstrottoir)
s. m.
Madeira Popular: Parte da rua destinada aos peões. = passeio

"Obrigada Mrs-Noris por estar atenta e por seguir o meu blogue".

sexta-feira, 5 de junho de 2009

As Pulgas têm garras?

Hoje pela tarde a Pulga cá do sítio mostrou as suas garras juntamente com os seus "bofes". Tudo porque queria um chupa-chupa e eu não lhe dei.
Armou um escândalo com gritos e saltos (à pulga). Parecia que estava a bailar o Bailinho da Madeira. Ficou vermelha de chorar, cansada de saltar. Só se calou quando peguei no telemóvel e fingi que falava com a mãe. Foi um regalo. A boca fechou-se, os gritos acabaram-se e ....não teve aquilo que queria.
Siga, andando e aprendendo. Com birras não há nada.

Treçol/Treçolho e afins

Estava a dizer a minha tia que parece que vou ter um terçol no olho,obviamente, (desculpem o pleonasmo).
Diz-me ela para passar a aliança no olho, três vezes.
O problema é que nem ela tem aliança ....nem eu...nem o meu senhor.
Desaliançados é o que somos.

Topetada

Hoje caminhei de casa e fui à cidade. O "meu senhor" deu uma topetada no tratoário. Estapilha, doeu. Ele ficou meio trompicado.

No dicionário:


topetada
s. f.
1. Cabeçada.
2. Encontrão; marrada.

Se fosse com a cabeça seria pior. Foi com o pé.

O bisalho e o busico

Uis bisalhinhos qu´eu tenho em casa são a modos que pequenos.
E o meu busico é tão busiquito......É um cusiquita mai grande qu´os bisalhos.


bisalho
nome masculino
1. regionalismo pequena porção de qualquer coisa; biscato
2. antiquado saquinho de trazer jóias e outras preciosidades
(Do lat. *bisacùlu-, por *bisaccùlu-, dim. de *bisaccu-, de bis+saccu-, «saco duplo; alforge»)

Mas busico não existe no dicionário.
Bisalhos são pintainhos(realmente são uma pequena porção de.......galinha)


quinta-feira, 4 de junho de 2009

Entre putitas e putitos

Além das Pulgas que andam e saltam todos os dias na minha casa, agora apareceram muitas putitas e putitos. São, e ainda bem, pititias/pititios. Se fossem an...iês, a Pulga havia de ter receio, mas não.
Estes putitos e putitas não têm uma esperança de vida longa assim que pousam no quintal.
A Pulga adora-os, principalmente quando os apanha e os emborracha com as mãos.
Coitados destes putitos e putitas.

Rebendita

Nova palavra, nova pesquisa no dicionário.
Não existe.
Bem, existir existe que eu já a ouvi muitas vezes, mas é só na minha terra.

Fazer a rebendita - fazer de propósito, vingança
Rebenditeira- diz se de(a) pessoa que faz a rebendita, ou seja, vingativa

Avó - mana

A avó-mana é a minha mãe. Era assim chamada pela minha filha em pequena, porque ouvia a tia-avó chamá-la de: mana.
Infelizmente não viveu o tempo suficiente para ouvir agora a Pulga também chamá-la de "avó-mana".

A minha filha, até ir para o infantário, ficou com a minha tia (sua tia-avó), irmã da minha mãe. E por ouvir "mana" começou a identificar a avó desta forma. Expliquei-lhe que era a avó, mas não entendia o porquê de eu chamar mãe e de outra pessoa chamar mana.
Como ficava com as duas durante o dia e a noite (vivíamos todos na mesma casa), continuou, mas aplicando a palavra avó antes. Ficou avó-mana.

A minha mãe faleceu quando ela tinha seis anos, mas o tratamento carinhoso ficou.
Hoje em dia é a Pulga que olha para o retrato da bisavó e diz: olá avó-mana!
 
Mãe, havias de gostar destas Pulgas tal como gostaste dos teus netos!

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Corrupio

"Esta menina anda sempre num corrupio".

Novamente fui ao dicionário e eis o significado: Roda-viva



corrupiar
v. tr.
Rodopiar; fazer andar às voltas.

Expedir

"Eu espero aqui até vocês expedirem acolá em cima"

Fazer partir (para destino e fim determinado).

Lenta

Mais um termo usado por minha tia.

"Esta roupa tá lenta".


adj.
1. Vagaroso; moroso; ronceiro; que dura ou parece durar muito mais do que seria para desejar.
2. Espaçado.
3. Um tanto húmido.

Que comparação!

E não é que a Pulga assim que chega a minha casa, sobe as escadas a quatro patas, e sem parar vai a correr logo buscar os "titapos"?
Faz-me lembrar quando se abre a porta do galinheiro às galinhas ou quando se tira a coleira ao cão que ele corre, salta e pula desenfreadamente.

Quarta-feira

Hoje de tarde fui buscar a Pulga à escola e levei a descendente (neta) e a ascendente (tia). A Pulga assim que entrou no carro perguntou pelo avô.
Eu disse-lhe que o avô estava nos carrinhos (karts).
Pergunta minha tia.
- Hoje há corridas?
E eu respondi com uma pergunta.- Hoje que dia é?
- Quinta....? Sexta...? Sábado...? Domingo...?
De cada vez que ela perguntava, olhava para mim em sinal de aprovação e eu meneava a cabeça.
-Então não sei. - Diz-me ela. E nem se importou saber que dia era hoje.

Enchombrado ouenxombrado?

Ontem de tarde o dia estava"enxombrado "Lá vou eu ao dicionário e procuro estas duas palavras.
Não existem.
Existe sim,

ensombrar
v. tr. e pron.
1. Cobrir de sombra.
2. Fazer sombra a.
3. Fig. Tornar triste.
Deduzi que devido ao dia estar escuro estava ensombrado e não enxumbrado ou enchumbrado.

Apatanhar

Outro termo que ela usa muito é o "apatanhar".
"Não apatanhes isso", "cuidado para não "apatanhares" ..., olha que já "apatanhaste", ou abreviando não "patanhes", "patinhaste"

Novamente vou ao dicionário e a tradução é o que já esperava:
verbo transitivo
1. pisar com as patas
2. espezinhar
(De a-+pata+-anhar)

Acanalhar


Minha tia (ainda) usa muitos termos madeirenses nas suas conversas.
Então ontem dizia-me que certo dia tinha ficado "acanalhada" com uma conversa que a vizinha lhe fazia. Fui ao

http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal
Acanalhar e surpreendo-me com o significado da palavra.
É que pelo contexto da conversa não era este o sentido, mas sim o facto de ficar envergonhada ou ruborizada.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Mas que duas...

Esta tarde, duas pulgas e uma tia velha conversavam. Cada uma usava o seu "dialecto". A Pulga dizia para a tia-bisavó, mostrando-lhe um papel.
- Titia, isto é um papéu!
- Não, não é um chapéu. É um papel.

"Os amigos são para as ocasiões"

Não, desta frase não gosto. Parece que só precisamos deles nas ocasiões.
Prefiro esta."É nas ocasiões que se conhecem os amigos" ou "são as ocasiões que fazem os amigos".
E hoje estiveram lá para me defenderem, incondicionalmente.
Obrigada Duarte, Filipa e Dona Bernardete:
por serem AMIGOS,
por estarem ao meu lado,
por me defenderem,
por me oferecerem um ombro amigo,
por me secarem as lágrimas.
Um obrigada também ao mê senhor por estas razões e por outras.

Não há terra como a nossa

Max tinha razão
Ilha de contrastes

A minha ilha: Madeira

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Gabarolice

Tive uma colega que muito se gabava.....
Certo dia estava ela a se gabar ao meu filho, ainda pequeno, mas muito atrevidote....
- Tenho três pianos, três violas, três cachorros, três carros, três filhos...
- E tens três maridos? - pergunta ele.
Por vê-la hoje, lembrei-me deste episódio. É que continua igual na gabarolice....
Hoje gabou-se dos seus netos: tenho cinco e são tão lindos!.....
Gaba-te, gaba-te. Eu tenho duas e são tão lindas...

Dia Mundial da Criança

Perguntei à Pulga o que queria de presente por ser o Dia Da Criança.
Resposta pronta na ponta da língua.
- Uns titapos.
E lá fomos neste dia comprar os sapatos. E porque a Pulguinha ainda não pede o que quer, comprei-lhe uns papaos=titapos.