Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Beijos para todos

Sempre que fala comigo a minha tia manda beijos para o "mê bisalho".
Hoje não foi excepção.
- Dá muitos beijinhos ao... Noélio (nome do meu irmão).... Olhei para ela e disse.
- Noélio?
- Não é Noélio? Ah,...Idílio (o outro meu irmão)....
- Idílio?
Batia com a língua nos dentes e chupava, olhando para o outro lado já aborrecida ...
-Olha... p´ró teu filho.
- E como é que ele se chama?
- Não me lembra.

Recomendações, para quê?

Depois das recomendações do médico para andar bastante e não estar muito tempo sentada eis que ao esperar pela boleia, minha tia pergunta se vai demorar muito.
- Não. Mais um bocadinho só.
Ela estava ao meu lado, em pé na porta da Caixa .
- Posso me sentar ali?- diz-me apontando para os bancos...
- Não senhora. Não ouviu o que disse o médico?
- O que é que ele disse?- pergunta-me logo.
Parece mentira, mas é verdade...

Garrafas vazias não têm açucar

A enfermeira pergunta a minha tia se tem abusado do açúcar. Ela diz que não. Eu atrás rio-me e digo :"Senhora enfermeira a minha tia gosta muito de seven up."
-Ah dona Alice! Não deve beber isso. Tem muito açúcar e gás. Só lhe faz mal.
-Eu não bebo - responde ela.
E logo eu digo:
- Não bebe? Então tem tantas garrafas na cozinha!
- Hã? Vazias.....

Parece anedota, mas não é

Depois do pequeno almoço, fui ao telemóvel ver se havia chamadas. E havia...... 6 de minha tia.(É que por mais que lhe diga para me telefonar para o fixo, não há maneira).
Liguei-lhe.
Eram 11h e 30m.
Depois dos "bons dias, como tá" pergunto-lhe:
- Ligou-me?
- Hãããã? Não. Não me lembro!
- Olhe, então quando se lembrar, ligue-me.
- Ah, não era para ir à Caixa hoje?- perguntou
- Sim,quando for uma hora e meia. Ponha-se pronta.
- Mas já deu...
- Já deu o quê?-Comecei a levantar o tom de voz...
- Uma hora.
E de repente...
- Olha fica para outro dia - diz ela.
- Não fica nada. Ainda é meio dia. Comece a vestir-se...
Oiço-a estalar a língua nos dentes..
- Fica para outro dia. Tenho as pernas a doer...
Irritei-me. Ao mesmo tempo, pensava:" é tão difícil mudar ou cancelar a consulta...e esperar por outro dia...e medicamentos... não... é hoje".
-Vá já se vestir!!- Disse eu (falando acima do permitido por lei).
- Credoooooo! E desligou o telefone.
Já deve estar vestida. É preciso ter peciência ...de Job.

Desnaturada? Quem? Eu?

Ontem pela tarde, depois da escola, as Pulgas estavam a brincar, na casa da avó (que é onde podem extravasar) tão entretidas, sentadas: uma com uma tesoura grande de bicos redondos a cortar papel (a Pulga); outra com clips e ataches (a Pulguinha).
Bem, eu estava a supervisionar as brincadeiras, sentada em frente ao PC...
Há por aí um clube de avós desnaturadas? Se há, onde? Quero fazer parte...
Ai se a mãe lê isto... proíbe-me de :

1º- ir buscá-las à escola,
2º- ficar com elas, sozinha,3º- estar em frente ao PC.

E pede uma providência cautelar.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Realmente...

...Fiquei sem palavras.
O telemóvel toca e é a minha tia a lembrar-me que tem consulta amanhã.
-É que podias-te esquecer! - Disse-me ela - É só "pa" te lembrar.
Eu fico pasma... e digo eu que ela está esquecida? Não senhora, não está. Hoje não...

À uma da manhã era bem bom

Estava a dizer ao "mê senhor" que amanhã é a consulta no Centro de Saúde (Funchal) para a minha tia (no médico de família). Isto porque necessito de boleia (que para estacionar o carro no centro comercial e levar uma tia cambada de bengala a andar aos soluços é complicado).
Perguntava-me ele:
-A que horas é que precisas de boleia?
-À 1 hora- respondo.
- Da tarde?- pergunta ele.
"Olha lá, oh marido distraído!Se eu conseguisse que o médico me atendesse à 1 da manhã seria bom. Não iria necessitar de boleia que a essa hora haveria muito espaço para estacionar em frente ao Centro de Saúde."
Ai marido, marido!

Como...

...É possível que com tantos desodorizantes à venda no mercado: baratos, caros, (de marca/sem marca), ainda há mulheres a cheirar a estrugido, quando levantam os braços?
Credo, valha-nos Deus, por vezes é melhor estar com o nariz entupido...
Pfuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!

Um colar original

Hoje a Pulga anda com uma pen dependurada ao pescoço.
Nada de anormal para uma criança que adora "berloques" (pulseiras, colares, etc), e que fez da dita, um colar. Mas como estou nostálgica veio-me ao pensamento uma situação idêntica a esta, passada com a mãe das Pulgas.
Tinha ela 3 anos e no infantário fizeram uma demonstração dos produtos Johnson´s: talco, fraldas, creme, óleo, entre outros.
O mais caricato da situação é que junto com estes produtos vinha também tampões higiénicos.
Ora, no final da demonstração ofereceram uma embalagem a cada criança presente.
Em casa ela quis mostrar à família a prenda que tinha tido e dizia que era dela e para ela.
Ao chegar aos tampões disse-lhe que aquele produto era para mim.
- Não mamã. É meu, é meu- respondeu ela. E tirando do invólucro, puxou o "atilho" e....colocou ao pescoço.
- Ahhhhhhhhhhh! É um colhalhe (colar).

Pensamento meu

Esta data põe-me nostálgica...
E a nostalgia quando entra dificilmente sai...
O dia está a acabar...
E tenho Pulgas aqui que não me deixam ficar triste...
Obrigada à(ao) mãe/pai das Pulgas.

Para a minha mãe

29-09-1919

Data do nascimento da minha mãe.
Se fosse viva faria 90 anos.
Mas já partiu há 22 anos.
Mãe!
Onde estiveres, olha por mim.
Aconchega-me todas as noites.
Sempre.
Esta pequena homenagem é para ti.






segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Vou pensar amanhã. Hoje não.

Telefonei ainda há pouca a minha tia para lhe lembrar que tem médico na próxima quarta-feira.
Ao mesmo tempo disse-lhe para ver se precisava de algo do super.
Isto porque ela só vê que não tem quando precisa. Muitas vezes telefona-me e ...
" Já não tenho leite." (só quando deita o último pingo na caneca).
-"Já não tenho PH" (Papel Higiénico) (só qundo acaba de...enfim... já se sabe, abre o armário e...não tem.)
Claro que vou logo comprar, mas digo-lhe " veja sempre, para não me telefonar só quando não tem".
Então ainda há pouco pergunto:
- Já fez a lista das compras? (eu obrigo-a a escrever para que nunca se esqueça)
- Não. Vou pensar amanhã. Depois digo.
Quer dizer que hoje passa o dia sem pensar. E amanhã de certeza que se esquece de pensar. E só me vai ligar quando acabar...

Levei um pampolhão

Ainda vou falar de ontem, do passeio.
Algures nas serras da Calheta, comendo terra (que ainda não há lama), parámos o jipe para "juntar" peros, que estavam no chão.
Mas a gula e ganância foi tanta que ...
O "meu senhor" que é mais afoito subiu a ribanceira para apanhar os melhores (Sim, nós roubámos) directamente do pereiro.
(Porque só estávamos a guardar os do chão).
But, os melhores estão no alto da árvore. O "meu senhor" muniu-se de um pau (vara) para varejar e assim caírem aos nossos pés.
Ele varejava , caíam, agachavamo-nos (ai as costas) e o meu chapéu era o recipiente.
Ele num salto, agarra um galho e nós (os 3) em baixo, recebíamos os peros conforme ele ia jogando.
- Cuidado!- grita ele. (E aqui é que a porca torce o rabo).
Eu acabara de juntar um do chão. (Estou de costas voltadas para ele).
Joga o raio do pero e acerta-me numa omoplata.
(Ele diz que não foi de propósito mas tenho dúvidas...).
Agora por causa dum pero roubado (é mais barato roubar que comprar), se calhar tenho de ir ao "endireita" endireitar as costas . E vai custar uns eurozinhos, não?
Tudo por causa dum pero roubado...
(mais valia comprar um quilo de peros, era mais barato)

Porque ontem...

....Vi grilos, lembrei-me.
Quando era miúda havia uma vizinha da minha tia, uma mulher que eu não gostava, por ser "metida" na vida dos outros e carregá-la como se fosse sua.
E acima de tudo "peguelhava" com toda a gente.
Certo dia confrontei-a com determinado assunto.
Ela não gostou e: "Ah menina... vá caçar grilhos e não m´atente."
Em Português: "Vá dar uma volta e não me chateie."
Era a senhora Agostinha, casada com o senhor Agostinho (que falta de imaginação...)

(Hummmmm, dá mais jeito dizer" grilhos". Não dá?)
É que dizendo "grilos" parece que não somos nós...

Calaceira

Uma outra palavra que fazemos uso, e que tem o mesmo significado tal qual aparece no dicionario: (http://www.priberam.pt):

calaceiro
adj. s. m.
1. Mandrião; frascário.
E foi utilizado nesta frase:" Ela é muito calaceira. Não faz nada."

Morro. Mas contrariado

Ontem foi dia (e noite) de passeio pelas serras. (E que serras...lindas!)
Entre tantas coisas que falámos veio à baila o tema "morte". (Aliás português que se preza fala sempre deste assunto.)
E dizia um amigo: ..."E fiquem vocês a saber que eu vou morrer..."
Ao que eu respondi:"Nãããããããããão!... Tu és imortal...!
- Nãaãão...Eu vou morrer....mas morro... contrariado!

Imagens da...

Crena e a catrapilha.

Podemos visualizar vários exemplares de catrapilhas, aqui
A palavra "catrapilha" será devido à marca da escavadora "Caterpillar".
A crena não sei a origem talvez por ser composta de dentes. Ver aqui
crena (ê)
s. f.
2. Cada um dos espaços entre os dentes duma roda ou peça dentada. = entredentes

sábado, 26 de setembro de 2009

Filosofia de vida

...Segundo o meu irmão (mais velho que eu 13 anos).
" Esquecer o dia de ontem, viver o dia de hoje e esperar o de amanhã."
Gostei e por isso registo.
Espero que leias.

Porventura...

...Alguém me poderá dizer porque razão quando vou jantar a casa dos Pulguedo´s (e fui ontem), as Pulgas esquecem-se das boas maneiras à mesa?
E eis que desata o pai e a mãe a zangarem-se porque sabem comer sozinhas, (e os pais querem mostrar que sabem...) com etiqueta (sim, que esta família é exigente nisso) e querem que a avó lhes ajude a dar a papa.
Solução: fico, tipo galheteiro, com uma de cada lado e ...colher à esquerda...colher à direita..com ambas as mãos que não há tempo a perder.
E mais?... Quando acabam eu tenho de acabar também.
"Com licença aos presentes que faz-se tarde" e vou sentar-me no chão (ainda vou com os cantos da boca sovados), para a sessão de: saltos, pulos, correrias para cima de mim, abraços besuntados e beijos com sabor a frango.
E fico sentada a servir de "bumbo" enquanto os adultos conversam sentados à mesa.
Ai que estas Pulgas "arregoam-me"...

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Devo tar choné!

Até "tou alcançada"...
Preparo-me para vestir. (É que embora não trabalhe não ando de robe e camisa da noite todo o dia).
Tenho duas coisa em mente: dar labello pois tenho as "beiças" a arder e desodorizante na sovaqueira (pa não enjoar).
E agarro no desodorizante e dou... nas beiças.
Ainda tou "atarentada."
(Não é invenção, aconteceu...mesmo.)

O apagão

Esta noite. Bem de noite, (aí pelas 3 da matina), deu-se um apagão.
Eu tinha acabado de chegar à cama. E em frente ao meu quarto, há um candeeiro na estrada que faz claridade e ao estar na cama consigo percepcionar tudo: os móveis, a porta, porque a claridade é muita.
A última coisa que faço é olhar para o relógio e ver as horas (uma questão de controle de tempo).
Fecho e olhos, ainda a visualizar tudo e... de repente... abro-os. Não vejo nada. Credo que angústia! Ter os olhos abertos e só ver escuridão.
Pensei: tou cega. Não! Olho o relógio...nada (hummmm).
Abano o "meu senhor" (que embora estivesse a ressonar estava acordado, será possível?) (se ele lê isto tenho música pedida...)
Ele levanta-se movido por uma mola, e diz que tudo está escuro, não é só na rua.
E... (e aqui é que me estampo!), pasmem-se!(E riam-se de mim, riam que eu não oiço as gargalhadas nem os comentários). Eu a ligar a TV para ver as horas.
E ri-me (para dentro, para não demonstrar a minha burrice).
E não contei a ninguém.

A crena e a catrapilha

Nesta altura de eleições vêem-se tantas por aqui.
Uma loucura com as obras para acabar...
É bonito de se ver!
A "crena"... no ar, a "catrapilha"... no chão.
Geralmente andam juntas. Onde está uma está outra.

Gâmesse/Gânseme

Quando era pequena adorava mastigar....gâmesse.
Nós não sabíamos dizer de outra forma. Gâmesse... para cá... gâmesse... para lá. Mas havia quem dissesse...gânseme.
Depois... apareceram os gâmesses de "Gorila", mas nós dizíamos: "gâmesse de g´rilha", ou então abreviando pedíamos: um rilha. Esses sim eram bons. Faziam umas bolas enormes que chegavam até ao nariz.
E era vermo-nos (pequenas e os pequenos) em concursos a ver quem fazia a bola maior.
Ultimamente gosto mais dos de canela.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Saudosista

Hoje estou... assim....saudosista dos meus irmãos. Não tenho nenhum ao meu lado. A minha mana
partiu em Fevereiro. Restam-me três. Vejo as fotos de há vinte anos e gosto dela. Estamos a sorrir.

Este meu irmão!

O meu irmão (mais velho do que 10 anos) ligou-me:
-Mana. Is hot in Algarve.
-
Tás no Algarve?- pergunto eu, admirada pois não sabia que estava lá.- Porque não vieste à Madeira?
Meu irmão vive em Londres..
- Hã? Ir à Madeira? Sabes quanto é que aqueles ladrões da Tap e da Easy jet pediam? Olha, pelo mesmo preço tou na algarve num hotel de luxo com all incluid.
-
Pois...entendo...
- Olha... o bebé chama-se...Pulga?....
Desatei a rir.


Pensamento meu: amizade virtual

Realmente nunca pensei que a amizade virtual existisse. Mas existirá amizade virtual? Para mim a amizade cria-se no contacto físico com as pessoas à medida que nos vamos conhecendo, e não com a ausência física.
Estava errada. Completamente errada. Existe a amizade virtual.
Há pessoas que eu nunca as vi, nunca escutei o som da sua voz, mas que penso nelas no meu dia a dia.
Ainda ontem ao colocar a panela ao lume para o jantar, deito o azeite, o alho e .....lembrei-me de duas pessoas: a kelly e a Raquel (a propósito do estrugido). Nunca privei com elas, mas já fazem parte do meu quotidiano.
Se vou ao café, olho para todos os lados à espera de encontrar a Mrs Noris.
Estas três pessoas conheço-as do blogue.
Será possível? Será possível fazerem parte de mim? E gostar delas mesmo sem as ver? Mesmo sem as conhecer? E me lembrar delas?
Não importa se as amizades são virtuais ou reais o que importa é que sejam.... amizades.
Repito: a amizade é virtual, mas os sentimentos são reais.
Obrigada às três por fazerem parte da minha vida.

Crianças vs escola

As notícias dizem-nos que as crianças não devem ficar nas creches mais do que cinco ou seis horas por dia. Os psicólogos explicam que as crianças precisam do contacto com a família, que sentem este afastamento.Que mais do que cinco horas poderá ser traumatizante, levando-as até à depressão. Cinco horas por dia é o máximo.
Que poderão os pais das crianças fazerem se não têm um horário compatível com este tempo na escola?
Pergunto: Vão deixar de trabalhar para estarem em casa a cuidar dos filhos?
Ou trabalhar em part-time?
Vão deixá-los com um familiar (avó, bisavó, tia, etc)? E quem não tem um familiar por perto?
Eu também sei que há abusos: pais que deixam os filhos na escola e vão para o café, shopping e que nas férias vão colocá-los na escola.
Mas hoje em dia é tão difícil manter um emprego como é também satisfazer a entidade patronal. E quem sofre é a família.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Pensamento meu:devo tar pa ter

Hoje tenho uma ânsia, uma má-disposição que se não tivesse a idade que tenho diria que "tava pa ter".

Minha tia intemporal

Hoje levei minha tia a visitar o Pulguito. Quando o viu , além das palavras:" bonitinho", "parecido a...", "grande","rosadinho"; veio a pergunta:
-Quantos meses tem?... Dois?...
Olho eu para a minha filha e cruzámos o olhar.
- Titia... ele tem 12 dias!
- Ah! Então é grande!- remata ela.

A acrescentar...

(Não me venham dizer que têm inveja da minha reforma! Vá. Já tou à espera. Ahahahah. Queriam, mas não têm.)
Desculpem a rudeza das palavras, mas tou a "caçoar".
Não levem a peito o que eu digo no post anterior.
É que às vezes dá-me uma "reina"....

A bem dizer...!

É verdade. A bem dizer esta vida de reformada tá a dar cabo de mim. (eu já sabia que isto ia acontecer).
Não tenho organização nem método. Deito-me tarde... (bom) levanto-me tarde..(óptimo). O problema é que fico "espojada" no sofá. (Ai a moição nas costas!!)
Ok, eu sei , não me vou lamentar, chiça! Lá começam a pensar que eu passo o dia sem fazer nada. Hã? Digam lá! Foi isso que pensaram? (Suas tracistas!).
"Porta-me lá" que pensem. O qu´eu sei é que parece que o sofá tem "azougue". Ai tem tem, lá isso é que tem!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Foi no domingo passaso

Esta imagem merece um destaque especial por isso não estão juntas com as outras, mas pertencem ao mesmo passeio.

Pensamento meu

Esta vida de reformada está a dar cabo de mim...ra...ta...ra..ta...ra..ta..ra...ta..ra...ta...ra... ta... rim.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

"Comê-los com beijos"...

...Disse Jerónimo de Sousa referindo-se aos seus netos, hoje no Gato Fedorento, quando Ricardo Araújo Pereira lhe perguntou que "idade tinha o pequeno almoço?".
Gostei da frase e da forma como disse: "Quando acabou o comício no Porto fui logo para casa dos meus netos para comê-los com beijos."
Não profetizo a sua ideologia política, é certo, mas transmitiu um carinho especial aos falar dos seus netos que eu me rendi ao homem.

O cangalho e a cangalha

Estas duas palavras do dicionário madeirense embora só difiram na terminação, (sendo que uma é masculina e a outra feminina) têm uma conotação bem diferente.
Vejamos:
Este carro é um "cangalho". (Obrigada Mrs. Noris)
Este homem tem uma "cangalha" bem grande.
A primeira frase refere-se a velho/estragado; a segunda refere-se a uns cornos/chifres.

Pensamento meu: exploração infantil

É ou não é exploração infantil colocar crianças a cantar até à uma hora da manhã?
Ou só é exploração infantil se essas mesmas crianças trabalharem nas obras ou na lavoura?
Lá vinham os fundamentalistas dos direitos das crianças se fosse...

domingo, 20 de setembro de 2009

Pensamento meu

Se...Se...Se...
Se eu fosse para a escola amanhã, certamente não estaria agora aqui!
Mas não vou. Pela 1ª vez.... não estarei desse lado.
Mas estou convosco.
Desejo a todos os meus colegas "Um Óptimo Ano Lectivo".
Estou triste por eles, pois não é um caminho fácil.
Enfim...

Exausta, mas feliz

Hoje foi dia de passeio TT pela serras.
Local de encontro: Ravioli
Saída pelas 12 depois do café. Direcção: Chão da Tabua.
Paragem na Ribeira Brava para compras: carne para espetada, ingredientes para salada verde, pão de casa, vinho (muito), fruta, sumos e batatas fritas, etc.
Além das bejecas que levámos de casa e a cesta para a Pulga (frutas, nectarinas, iogurte, sumo, passas, queijada), a cunhada levou semilhas cozidas com casca e uma amiga levou bolo de noz.
Chão da Tabua: lugar magnífico, temperatura óptima.
Um riacho com água fresquíssima. Nogueiras a deitar os seus frutos ao chão.
Fogareiro aceso. Entretanto as meninas e eu procurámos nozes. (É que as meninas da cidade nunca tinham visto uma noz no seu habitat).
De tarde (depois do almoço) rumámos aos Prazeres.
A poncha veio fazer companhia à mesa. As meninas e nós (adultos) fomos apanhar as vaginhas e feijão maduro num poio lá perto com autorização do dono.
A Pulga deliciou-se a desplantar semilhas.
- Avó! As semilhas estão debaixo da terra!- Exclamava ela extasiada.
Acabei de chegar a casa. Só tomei um banho quente para tirar o cansaço.
"Estou exausta, mas feliz."

sábado, 19 de setembro de 2009

Como...

...É possível viajar se o dinheiro escasseia?
"if I were a rich woman"...
"if I have the Midas touch..."

Porque...

...Razão quando chego à cama em vez de dormir só penso em: cruzeiros, viagens...?
Agora ando com a pancada do cruzeiro no Danúbio.

Porque....

...É que há pessoas tão teimosas?
Eu sei que sou, mas....há gente que abusa da teimosia.

Pensamento meu

A Pulguinha está "emantada": constipação e dores nos ouvidos.
Isto deve-se ao facto de ter ido para a escola (pela 1ª vez).
Ai... se ela tivesse ficado mais um ano com a avó... não adoecia!
E os miminhos eram só para ela, não tinha de mendigar um carinho na escola nem esperar a sua vez ...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Convívio

É, nem parece, mas é verdade. Já estamos no fim de semana. As semanas passam a correr, umas atrás das outras, sem dar tempo a relaxar.
E hoje é dia de convívio na casa da comadre.

Ementa: Entradas: Dentinhos (favas, queijo e outros)
Prato principal: milho cozido
Conduto: espada de "sabolada"( cebolada).
Cozinheiros: eu e amigo meu.
Cozinheiro-Chefe: dono da casa.

Só é pena este tempo (de cáca).
É que o convívo é no "terreiro"(quintal). E faz frio pa caramba.
Não se pode "afiuzar" no tempo.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

"Mabalarismos?"

Existe um novo vocábulo na Língua Portuguesa. Ou melhor dizendo, houve uma substituição.
Antes dizia-se: malabarismos
Agora diz-se mabalarismos.
Ainda não está na gramática, mas passará a estar se o PSD ganhar as eleições.
Entretanto habituem-se ao novo vocábulo, juntem-se à Drª. Manuela Ferreira Leite.

A mesma frase em...(2ª parte)

Português: Filipe, traz a mochila à Emília.
Madeirense: Filhipe, traz a mochilha à Emílhia. (a pedido da Kelly, lol)

Português: Vais à baixa?
Madeirense: Vás ir à cidade?

Português: Tenho as costas a doer. Estou cansada!
Madeirense: Tenho uma moínha na zarcas. Tou azoigada!

Português: Ai que bebé lindo! Tem umas bochechas vermelhas!
Madeirense: Ai que busico bonite! Tem umas queixadas bremãlhas!

Português: Vou à mercearia comprar palitos.
Madeirense: Vou ir à venda mercar palhetes.

Português: Tenho a barriga inchada. Estou cheia!
Madeirense: Tanho o pandulho inchado. Tou entujada!

Português: A criança estragou o brinquedo. Está em bocados.
Madeirense: O piqueno esfrancelhou o brinco. Tá todo esmigalhado, aos fanicos.

Português: Correu, tropeçou nos degraus e bateu com a cara no chão.
Madeirense: Andou às carreiras, trompicou p´las passadas e bateu c´as ventas no chão.

Português: Deu-me uma dor na perna.
Madeirense: Deu-me uma cangueira na canela.

O que...

...Será melhor: uma boa professora numa determinada escola ( porque a conhece e bem) ou ir para uma escola (sem conhecer a prof.) só porque os amiguinhos (do infantário) vão?

terça-feira, 15 de setembro de 2009

A mesma frase em português e madeirense...

(Hoje deu-me para isto, podia ter-me dado para pior.)

Português: Põe-te na fila.
Madeirense: Põe-te na felha.

Português: Comprei batatas.
Madeirense: Comprei semilhas.

Português: Quando eu saí de casa...
Madeirense: Quando eu caminhei de casa...

Português: Escorreguei numa casca.
Madeirense: Esvarei numa casca.

Português: Vai lá.
Madeirense: Vai lhá.

Português: Vamos ver.
Madeirense: Vai-se ver.

Português: Nós gostamos muito.
Madeirense: A gente gosta muito.

Português: Vai de autocarro?
Madeirense: Vai no horário? ou Vai na camionete?

Português: Alugar um táxi.
Madeirense: Afretar uma abelha.

Português: Vais levar uma palmada ou chapada.
Madeirense: Vais levar um carrolaço...

Português: Vou fazer cocó.
Madeirense: Vou arriba dos pés.

Português: Sopa de chuchu com abóbora e feijão verde.
Madeirense: Sopa de pimpinela com moganga e vaginha.

Estrugido

Dizia uma senhora fungando, cheirando, inspirando o ar.
Eu estava ao seu lado.
- Cheira-me a estrugido.- E continuava a fungar, a inspirar, a cheirar de nariz empinado, voltando a cabeça para um lado e para o outro, tentando localizar o foco de onde poderia vir o cheiro.
Ainda pensei " devo estar a cheirar mal".
Perguntei-lhe o que queria dizer a palavra pois não a conhecia.
- É a cebola com o tomate a ferver na panela.
- Ah! Refogado!
Acrescento que esta cena aconteceu no Porto.

Escanchada

A minha filha ainda anda "escanchada"!
Com o tempo vai melhorar.
Também, ainda só tem cinco dias. Que mais se pode pedir?

Murganhos muitos murganhos

Que sonho mais estapafúrdio. Sonhei com murganhinhos. Tantos! A sairem de caixas.
Brrrrrrr e eu que tenho medo.
Imagino os saltos que dei na cama, cada vez que se aproximavam de mim.

Fui roubada!

Sim, fui roubada. É ultrajante. Ainda por cima por um membro da família.
Não perdoo roubarem as minhas ideias, apoderarem-se do que é meu.
Passo a contar e vejam se não tenho razão.
O "meu senhor" fez anos. Disse à minha filha para comprar a prenda e dei as indicações certas.
Isto porque nestes dias tive Pulgas e não saía de casa sozinha.
Na loja referi a dita coisa e .... pagaríamos a meias.
Qual não é o meu espanto quando no dia de anos, a minha filha oferece a dita ao dadi e a mim.
E eu? Pois, e eu? Eu ofereci... uma cara de parva ao presenciar a cena e a frase:" por serviços prestados com as Pulgas". (bem feito, devia era de tar calada)
Não há o direito... (será possível!!)
Sinto-me roubada... de ideias.
Mas agradeço. E o dadi também. (oh se agradeço...poupei umas mocas.)

PS: não pago.
"Siga Freitas"

Como...

..É possível alguém afirmar que viu a minha foto na página dos mortos do Diário?
E andar a divulgar a notícias.
Só falta mesmo dar as condolências...à família. E a mim...também.
Ao ponto a que chega o ódio.

A verdade da mentira ou a mentira da verdade

A propósito deste poste.
Quando cheguei a casa da minha tia, uma vizinha chama-me.
-"Olhi". A sua tia pediu-me para comprar frango assado. Eu fui ao Modelo e trouxe-lhe um.
- E ela deu-lhe o dinheiro?
- Sim. Ela ia-me dar 10€, mas eu disse que 5 chegava. (Será que só deu 5...? Ou deu os 10 e dizes-me que foi só 5...?)
Entro em casa e faço por vir à baila o assunto.
- O frango assado tava bom?
- Qual frango assado?
- O que comeu. Aquele que pediu para comprar. Não pediu à sua vizinha para comprar frango?
- Há que tempos não como frango assado!
Bem... alguém está a mentir e eu não sei quem é...

Comunicar é preciso

"Aquintrodia" quando fui ao hospital ver a mãe das Pulgas, pelo nascimento do Pulguito, encontrei uma colega dos bancos de escola. Era a enfermeira de serviço.
Eu olhava para ela, mas não estabelecíamos contacto visual.
Eu olhava, ela não olhava.
Pensei...(esta, tá armada em fina...finge que não me conhece. Será que é ela? Tá tãããããããão gorda!)
Daí a pouco, depois de sair, ela pergunta à minha filha, se era eu a mãe dela.
-Ah, é que nós fomos colegas de escola. Mas ela não falou comigo. Sabe se calhar não me reconheceu. É que eu antes tinha um corpo de miss, agora sou uma vaca.
(Realmente ela tem o dobro da largura que tinha quando era minha colega.)
E eu a pensar que ela é que não queria falar comigo por ser... "peneirenta".

Conjuguemos o verbo vevar

Diz a Pulga:
- Podes vevá-lo...- referindo-se a um elástico de cabelo.
- Vevaste ontem no bosso- referindo-se a uma das mil e trezentas "prisões" (molas) de cabelo que me tinha dado.

Como...

...Posso acreditar naquilo que a minha tia diz se ela está esquecida e baralha tudo?

Porque...

... Me esqueço sempre de colocar o ponto final quando escrevo?

A surpresa surpreendida

O avô fez anos.
Houve jantar na casa das Pulgas. Foi na casa da família Pulguedo porque assim que se conclui o jantar as Pulgas deitam-se e nós (os adultos e o pequeno Pulguito) ficamos a conversar. Ainda antes do jantar já a Pulga divulgava ao avô.
- É uma máquina de café!- disse em surdina.
- Hã?- pergunta o avô que não tinha percebido bem.
- É uma máquina pa fazelhe café.
- Pois- digo eu.- É o resultado de comprar coisas à vista de "canalha"

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Frase do dia

"Tu nasceste para ser avó!...- disse-me um amigo de longa data ao ver-me andar com as Pulgas uma em cada braço, sentadas nas ancas.
"Podes crer que sim..." - respondi eu.
"E onde vais pôr o outro?"
" No pescoço"- respondi.
Mentalmente revi todas as partes do meu corpo que ainda estavam por ocupar: as pernas, os pés, a cabeça, os ombros, as costas, as mãos...
Por isso venham mais.......10?

Tem olhos...

Ao mostrar as fotos do Pulguito a minha tia, mostro-lhe também as das Pulgas.
Ao ver as da Pulguinha diz.
- Esta tem olhos daquilo que é!
Bem que dizem que "os olhos são o espelho da alma".

Comer a sopa ao lanche

Fui a casa da minha tia fazer uma sopa.
Depois de pronta digo-lhe: "já está feita".
- Já se vai comer?
Bem, a sopa era para ela e não para mim, mas de qualquer forma para não fazer a desfeita, lá tirei duas taças e...sentei a fazer-lhe companhia e a comer também.
Isto não tem nada de anormal senão o facto de serem 17:15 m.

Caíram...

...As primeiras chuvas.
Psssst! Pssst!...Ó senhor...?
...Sim, é consigo...senhor... São Pedro!
Então?
Ainda falta uma semana e meia para o Outono. Hã? Era necessário?- dizes tu. Hum, mas poderias esperar uma semana e meia....
É que eu saí de casa sem o "regedor". Sim senhor São Pedro! Não sabia que ia "peneirar".
Tás-te a rir? De quê? Do meu cabelo?
Ai, ai, ai. Não acho piada nenhuma apanhar uns "peneiros".

domingo, 13 de setembro de 2009

Pensamento meu

Pela primeira vez, as aulas começam no fim do Verão.
Era no Outono que acontecia.

Esta minha Pulguinha!

Não me canso de fazer registos desta bisalhinha.
Ainda há pouco subiu e desceu as passadas (refiro-me às escadas), não de joelhos, mas em pé.
E eu a ver a cena, no fim das escadas.
Dou-lhe a mão nos últimos degraus...e ela agacha-se, toma balanço e...dá um salto.
Credo, é que ela já tem mais mazelas nas pernas, na boca e na cabeça de tanto se aventurar nestas andanças que mete dó.
Ah, esqueci-me de dizer que também anda às voltas como um pião e por fim cai no chão de estonteada que fica.
Levanta-se diz. "aaau!" ou "aaaai!", esfrega...sacode e...parte para outra.
Tem o corpo cheio de "medalhas de bom comportamento".

Alô, alô

Pulguinha pega no telemóvel e coloca-o no ouvido.
- Tou. Tou.
- ......... (Claro que ninguém lhe responde...)
- Olá pai!...A mãe?
Juro e não minto que peguei no telemóvel a ver se ela tinha ligado (sem querer, obviamente ) ao pai, tão natural e sentida que era a expressão dela.
E eu fico estarrecida e perplexa com ela.

Ontem no café

Para que a mãe possa desfrutar do seu novo rebento e descansar um pouco sem algazarras e a algaraviada de duas Pulgas sem tino, cá a gente (nós) temos ficado com elas. Então ontem no café sai a ementa de sempre: um gelado Epá para a Pulga, pão fresco e quente para a Pulguinha, um sumo de laranja natural para mim, uma bica descafeinada (cheia) para o avô.
Depois de pedido, chega o sumo (e note-se que a Pulga já tinha o gelado). E uma coisa que era para mim (todinho) toca a dividir com Pulgas que não paravam nem davam descanso às laranjas acabadinhas de serem espremidas.
Solução: duas palhinhas, um copo.
E mais um sumo para mim.
Mas Pulguinha que não é tola, aproveitou que a mana estava distraída a beber o sumo e, "alá que faz-se tarde" pega no gelado e... pum, come-o.
Pulga que é pulga manhosa, de repente dá por falta do gelado e tira-lhe da mão.
Solução: duas colheres, um gelado.


quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nasceu

A família Pulguedo conta desde hoje com mais um membro no seu habitat.
Nasceu o Pulguito às 14:53. Três quilos e quinhentas gramas de gente que vão fazer as delícias dos familiares. Com cabelo negro aos caracóis e muito rosado vem juntar-se às suas irmãs Pulgas que já o viram.
"Ele é gilho, não é feio" disse a Pulga ainda antes de o ver.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Aí vem mais uma Pulga

Melhor dizendo um Pulgo/Pulguito.
Já se encontra numa cama do CHF a mãe das Pulgas, desde as 19h e 30 m.
O Pulguito rebentou com o aquário e fez transbordar a água que lá se encontrava.
Nada mal. Agora está seco, mas sossegado.
Está a levar soro e tem de esperar pelo nascer do dia.
Será que não há obstetras à noite?
Ok, eu sei que precisam de descansar, mas se o Pulguito resolver nascer de noite?
Hã? Como vai ser? Vão dizer-lhe para esperar que o(a) senhor(a) doutor(a) só vem de manhã?
De qualquer forma só amanhã teremos notícias.
Inté lá....agardemos.

Esqueci-me...

...de dizer que a beldade number one era....esse mesmo... o CR7.
Que distraimento.
Nem me perdoo por ter olvidado tamanha informação...

CR7

Estive a ver "Os homens mais sexy do desporto"., no canal E! (75 na grelha da zon).
E surprise. De entre 25 beldades, másculos, bem delineados, com bíceps e tríceps, lá estava ele:" o semilhinha"(como os madeirenses/emigrantes o chamam).
Os epítetos: máquina portuguesa de golos, português indisciplinado, o solteiro mais cobiçado.
Não é todos os dias que temos um português/madeirense na lista dos bonitões.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cantadeira a minha Pulga

No shopping a Pulga comeu um gelado de bolacha (cone), mas ia com ideias de comer uma queijada, mas por azar não havia em nenhum café na área da restauração.
Ao sairmos, fomos à Padaria onde costumamos comprar o pão (Sésamo).
Então cantava ela.
-Is...to...a...qui...tem...ge...la...dos..,mas...já...co...mi...um.A...go...ra...vou...co...mer...u...ma...quei...ja...da.

Avô erudito

Ontem fomos passear com a Pulga enquanto os pais foram com a Pulguinha à consulta dos 18 meses.
Fomos ao shopping.
No elevador dizia ela:
-O avô faz anos. Já pompei uma prenda.
- já?- perguntei - O que compraste?
- Um livro.
Nada de mal, até de bom, mas a julgar pela quantidade de livros que o avô lê...!
(Acho que o último foi...há... em... 1978...ou antes.)

Ti-Ti-Ti-Ti

A Pulguinha é um pião em movimento, sempre.
Não pára. Senta-se e logo se levanta.
Mas o que realmente tem piada é a sua linguagem
É tão giro ouvir:
-Ti-ti-ti-ti-tai (Sentar) ou ti-ti-ti-ti-tão (televião).
Já a irmã (que tenta verbalizar melhor) ultrapassou esa fase do ti-ti-ti
agora é :
pompar (comprar) fufar (levar).
Tanto uma como a outra são umas palradoras natas.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

38 semanas e 1dia

Estava a ver TV quando num programa uma enfermeira dizia que o termo de uma gravidez é às 37 semanas (normalmente).
Isto para dizer que a minha filha vai nas 38 semanas (e um dia) e não há maneira do Pulguito nascer.
Porque será?
Está bem, a nadar no aquário?
Sabe que este mundo é uma perdição?
Não tem vontade de conhecer a família?
Que motivos encontra para se manter na barriga?
Será que ele sabe que já estamos impacientes à espera?

Estará traumatizada? Ou simplesmente não gosta do cheiro?

Na última vez que a Pulga dormiu comigo, assim que chegou à cama perguntou:
- Tu xtás a cheialhe bem ou mal?
A pirralha deve ter ficado traumatizada com o cheiro que saía da minha boca por ter comido cebola ao jantar, numa outra vez.
Tanto que agora pergunta sempre que dorme comigo.
Lá tenho eu de comer três sabonetes Lux (a marca das estrelas) depois de ingerir cebolas.
Para poder dormir com a Pulga.
Mas cebola é tão bom...

O meu bisalho

Tenho saudades do meu bisalho.
Ele é ainda pequeno.
Embora já tenha saído da casca há muito tempo, ainda vem procurar o calor das asas da mãe.
Volta bisalhinho.
As minhas asas estarão sempre ao teu dispor.
Assinado: Mãe galinha

domingo, 6 de setembro de 2009

Televisão...usa-se

Depois de virmos do aeroporto encontramo-nos com a família Pulguedo.
É que, com o aproximar do nascimento do Pulguito, queremos oferecer algo de "memorável" pela ocasião. (Temos feito sempre isto e vamos continuar a fazer).
Fomos a uma loja no Caniço-rural, ver LCD´s.
Fiquei a entreter as Pulgas, enquanto o resto da família escolhia o melhor (em todos os aspectos).
A Pulguinha saltava, corria, fazendo jus ao seu nome.
A Pulga, que é mais sossegada, conversava comigo.
- O que nós tamos aqui a fazêlhe? - perguntava ela.
- Estamos a escolher uma televisão.- Disse-lhe.
- Palha quê?
- Para ti, a mãe, o pai a mana e o mano.
- Mas eu não uso!
Pois.. ela que é tão vaidosa, para que quer uma TV, se não for para a usar?
"Onde"?- perguntei a mim mesma...
E logo surgiu no meu pensamento a resposta...
"Ao pescoço! Para acrescentar aos muitos colares que hoje tinha".

Ai se era no Domingo passado!!!

Hoje em Santa Cruz estava um vento muito forte, o que dificultava a aterragem dos aviões.
Ainda vi uns que quase que passavam com a asa na pista.
Até alguns foram estavam atrasadose um foi para o PS.
Isto para dizer o quê? Ah, já me lembrei.
O avião da Binter, (a companhia que usamos para ir e vir nas férias) também aterrou pela hora em que lá estávamos.
O avião fez-se à pista e quando devia colocar as rodas no chão, levanta e vai dar uma volta.
Eu, que sofro cada vez que viajo...ao ver aqule cena do baixa e levanta....disse.
- Meu Deus! Se era no Domingo passado.... eu teria de colocar o saco para los mareos (enjoos), não na boca, mas... na cadeira.
E logo fui a correr para o WC....

Ouvido no aeroporto

Estava eu mais o meu senhor no aeroporto a nos despedirmos do Aranha quando oiço esta conversa.
- Olha, é uma gaija que leva o avião!
Olhei. Vi um casal...
...Apetecia-me dizer-lhe....."gaija não, grande mulher, com Big Balls...coisa que tu não tens, seu .....escaravelho da semilha.

É por isso que nós vamos ao Modelo

É...vamos lá buscar sacos grandes para irmos ao Pingo Doce fazer as compras.
É que no Pingo Doce os sacos são pagos e no Modelo não.

sábado, 5 de setembro de 2009

Adenda ao anterior

Os pais das Pulgas foram cedo para casa porque o Pulguito estava a mexer-se muito e a causar disturbio lá no seu aquário.
-Será que vai nascer no dia de anos do avô?
É dia treze...próximo domingo...

Três da manhã é...bem-bom

Ontem foi dia de festa. Entre amigos do Aranha e amigos dos pais e familiares cá estavam umas 30 pessoas.
A festa durou até às tantas como sempre, pois havendo sangria, cerveja e comer...
As Pulgas adoraram todo o convívio e tiveram colo e brincadeiras com a camada mais jovem.
Eram três e meia da matina ainda as Pulgas andavam a correr, a saltar, a comer e a brincar.
Os pais foram cedo para casa (depois de cantar o Happy Birthday) e as Pulgas ficaram.
Antes, ainda o pai tentou meter a Pulguinha na cama, mas o barulho era tanto que ela gritou e seguiu a sua avante, voltou para o arraial.
Toda a gente se admirava com a genica e as correias da "pirralhinha" e acima de tudo pela forma como se exprime. Houve tempo ainda para cair e bater com a cabeça no chão (devido ao sono, se calhar), mas para ela nada de grave, levanta e segue.

Ui, se a mãe sabe!...

A Pulga tentava virar o volante do triciclo, mas este não virava.
Eu armada em mestre cheguei-me ao pé dela e com uma faca tentava rodar um parafuso a ver se com isto ele mexia.
Nada.
Ela observava o meu jeito (ou falta dele) e depois de algum tempo olha para mim e...
- A minha mãe vai bigalhe com tu. Ela não quelhe que mexa nisso. Ela não tosta.
Fazer coisas à vista de canalha dá nisto...
Resta dizer que não consegui pôr o volante a virar e só quando o avô se levantou é que me mostrou que não era necessário desatarrachar nada, mas sim levantar o volante para desengrenar...

Conversa que não é c*g*da..

...Não é conversa, não é nada. Lá diz o ditado.
Isto a propósito de estar eu e a Pulga no WC. Ela tentava fazer cocó, mas como é muito "dureira", lá se espremia, mas o cujo não saía. E dizia "já tou a sualhe" (suar) .
E era verdade. Estava vermelha do esforço e as gotas de suor já estavam na testa.
Eu batia nos seus joelhos a ver se saia alguma coisa, mas nada.
Depois a conversa virou de assunto e disse que "o rabinho era a casa do cocó".
- Então abre a porta para ele sair...
- O meu rabinho não tem pota! O teu tem?
Hum, conversa de circunstância dá nisto.
Pensando bem....

Ai que a Pulga cresce...

A Pulga esta manhã olhava para as suas maminhas e dizia.
- Avó! As minhas maminhas tão a ficalhe glhandes.
- Estão... muito grandes...-dizia eu
- Tenho de pompalhe um estian (tenho de comprar um soutien)
Credo Abrenuncia. Esta Pulga...

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

ET

Aqui há dias estava a Pulguinha no colo da mãe. O avô, em frente, oferecia-lhe um bocado de bolo.
Esticava o braço com o bolo na mão para que chegasse à boca da Pulguinha.
Ela demonstrava não querer. E dizia continuamente: "NÃO"
Até que....
O avô estica o braço e ela com o dedo esticado, como o ET, empurra o naco de bolo para trás.
O avô empurra...Ela também...
E assim estiveram um bocadinho a brincar.
Ela como se fosse o ET...

Posso comer.....? ...Não?

A Pulga tem uma forma engraçada de falar ou melhor de perguntar algo.
É que ela faz a pergunta e já dá a resposta.
- Posso comer um gelado...?...Não?
- Posso vestir o casaco...?...Não?
- Vamos passear...?...Não?
Isto tudo com o menear de cabeça.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Festa no rural

Amanhã é dia de festa cá no rural.
O Aranha fez 25 anos, um quarto de século, no passado dia 18 de Agosto, mas como nós não estavamos juntos, resolvemos comemorar amanhã dia 4 de Setembro.
Aliás o rapaz sempre me perguntou porque nasceu em Agosto?
- E porque não? perguntava eu.
- É que em Agosto estou de férias escolares e não posso convidar os amigos, nem ter festa de anos na escola.- Respondia ele no pico dos seus 6 anos.
Durante muitos anos a pergunta era a mesma:" porque nasci em Agosto?"

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Então?...

...Essas feriazinhas já acabaram? Ou estão a acabar? Hã? Coitadinhos...
Tenho pena, imensa pena...
Toca a trabalhar que se faz tarde...
Hã? Pensam que as férias duram sempre?
Não...nã, nã, nã, um mezinho e é o bastante.
Estão chateados?
Eu é que não estou.
Vá lá... é preciso trabalhar...produzir...reproduzir...

Carta ao mês de Setembro

Meu querido mês de Setembro
Espero que estejas bem de saúde, mas a olhar para este tempo parece que não estás. Tens-te mostrado carrancudo, olheirento e sem cor.
Julgo saber a razão. Queres que te diga?
Aqui vai. É por minha causa. Pela primeira vez não vou estar preocupada com o início do ano escolar.
É por isso que estás mal-humorado? É por isso que não deixas o sol aparecer? Olha meu querido mês de Setembro, se é porque eu não regresso às aulas, tem paciência, mas não te faço a vontade. Isso querias tu! Não vou não. Por muito que te custe não me teres com o nervoso miudinho do início do ano lectivo, tás muito enganado. Pela primeira vez vou ficar de fora a assistir à entrada na escola.
Não, meu querido mês de Setembro....eu nem vou estar perto da escola...Nem quero saber quem está de novo, nem quem saiu para outra escola, nem quero saber de nada.
Hã? Tás admirado? Nem pareço eu? Pois não. Mas uma coisa vou-te dizer. Sim, a ti, meu querido mês de Setembro. Eu sei... ainda tenho coisas na escola... numa gaveta...mas quero lá saber...deitem no lixo....Sim, não ponho lá os pés...
Ok. Então? Tás satisfeito? Já disse o que tinha a dizer...
Agora faz-me um favor, meu querido mês de Setembro.... deita mais umas gotinhas de chuva, mas não deites toda num dia. É que a tua chuvinha regou as alfaces.
Ah, já disse tudo.
Agora recebe um abraço apertado e vê lá não fiques zangado comigo por não ir para a escola. É que durante trinta e dois anos eu fui.
Agora deixa-me gozar a aposentação.
Da tua amiga...avogi.

Canhotas: eu e a Baixinha

Na minha família há duas pessoas canhotas: eu e a minha irmã.
Mas parece que vai aumentar...
Os meus filhos não sairam a mim.
São ambos parecidos ao pai.
A Pulga é parecida à mãe e por conseguinte parecida ao avô.
A Pulguinha é parecida ao pai, mas a sua lateralidade já está definida: é canhota sim senhor.
Bem-vinda, pirralhinha, ao "mundo ao contrário": dos esquerdos, dos canhotos, dos tortos.
Não sei porquê, mas estou contente.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Pulguinha rebelde e mão leve

Ontem à noite as Pulgas vieram dormir a casa da avó.
O pai precisa de descansar pois trabalha e com Pulgas em casa é certo que não descansa.
A mãe também precisa de descanso pois com uma barriga prestes a rebentar é difícil ter duas pequenas: uma extrovertida, rebelde e mexida e uma mais comedida, mas nem por isso sossegada.
De manhã, logo que o galo canta as Pulgas levantam para brincar.
Estavamos na cozinha.
A Pulguinha ao meu lado e a Pulga mais distante, sentada no triciclo, não parava de chamar pela irmã!
-Anda cá - dizia.
A Pulguinha de todas as vezes dizia: "NÃO".
A outra não se cansava de chamar e como resposta ouvia: NÃO.
Até que...
Pulguinha vai correndo....chega junto da irmã e....zás. Uma lambada no braço com toda a força de um gorgulho de 17 meses e um sonoro : NÃO.
E vem correndo refugiar-se nos meus braços...

Irrita-me

Irrito-me quando leio isto:

"Este blogue está aberto apenas a leitores convidados.Parece que não foi convidado para ler este blogue. Se pensa tratar-se de um erro, deverá contactar o autor do blogue e solicitar um convite."

É certo que não solicito convite e é certo que esqueço.
Bah
!