Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quando...

...A mulher diz ao marido: "Quando puderes chega aqui"
Isto significa que o marido só levanta a cesta da cadeira quando quer, quando puder, quando lhe der na gana, quando acabar o que está a fazer. Em suma, "quando ele puder". Certo?

Mas...
Quando o marido diz para a mulher a mesma frase, isto quer dizer que:
a) a mulher tem de se levantar antes dele acabar a frase,
b) a mulher tem de voar para chegar antes da frase acabar,
c) a mulher já tem de estar ao lado dele quando começa a dizer a frase,
d) a mulher tem de já saber  que ele vai precisar dela,
e) a mulher não pode fazer nada porque ele pode precisar dela,
f) a mulher tem de estar ao lado dele pois ele pode precisar dela.

A mesma frase quando dita pelo homem à mulher significa: deixa tudo e vem cá já, imediatamente.

Quando dita pela mulher ao homem significa: espera, primeiro vou acabar o que estou a fazer só depois ao acabar tudo o que tenho para fazer e de não haver mais nada para fazer e de não poder inventar mais nada para fazer é que vou. Certo?

22 comentários:

  1. Nop!

    As relações são como as crianças! Tem que ser logo desde o inicio educadas! :)

    ResponderEliminar
  2. Ahah... isso queriam eles.
    E eu confesso que lá por casa é mais o contrário :P

    ResponderEliminar
  3. Sem tirar, nem pôr...
    Mas... eu sou muito reaccionária...

    Parabéns pelos 400 seguidores, reparei agora.
    Bjns

    ResponderEliminar
  4. Não é assim Avogi. Quando a minha mulher me chama digo logo:
    - Sim meu amor, um pedido teu é uma ordem para mim...
    (Estas telenovelas andam a dar cabo de mim)

    ;)

    ResponderEliminar
  5. Cara amiga. Obrigado por ter passado pelo meu blog, assim descobri o seu, que acho muito interessante e muito regionalíssimo. Gostei e prometo vir mais vezes por aqui, tornei-me seu seguidor. Bem haja.

    ResponderEliminar
  6. É mesmo. Mas eu acho que quando for assim comigo, quando eu tiver o meu homem, quero tentar "equilibrar" essa tendência. Afinal isso assim não é justo!!

    ResponderEliminar
  7. Ah AVOGI, só vc mesma!

    Beijos

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  8. Minha amiga:
    Cá em casa somos os dois surdos (a sério, eu há muito tempo e o meu marido actualmente, para não fazer pouco de mim ;-))
    Está a ver qual é o nosso dialogo:
    Marido vem cá!
    QUÊ?!!!
    Mulher chega aqui!
    Onde?!!!
    Portanto aqui é tudo democrático :-))

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Lembras-te daquele casamento que quando estavam a sair à porta da Igreja, o marido convidou a mulher montar nas costas dele? Ela disse que naquela ocasião não o faria.
    Então se não fazes agora, nunca mais farás, respondeu ele.
    E assim viverem felizes eternamente.

    ResponderEliminar
  10. Nem mais...

    Gostei mt do seu blog... bigada por ter passado no meu (=

    *

    ResponderEliminar
  11. Querias mais dióspiros? Ainda os há. Vem buscá-los, pois se os enviar chegam muito machucados e, tu não os comes, gulosa.

    No diospireiro pequenino ainda tem um agarrado mas, as folhas estão todas no chão.

    ResponderEliminar
  12. hmmm... depende. Por vezes não funciona dessa forma.

    ResponderEliminar
  13. Avogi,



    Li vários dos teus posts e amei chegar até aqui, conhecer teu blog!


    Aqui em casa as coisas são equilibradas, mas prevalece o quando ele chama... (rs)



    Um abraço, Marluce

    ResponderEliminar
  14. Os homens continuam exercendo o pátrio poder e nós mulheres,fingimos que acreditamos...

    ResponderEliminar
  15. Bem, há muitas desvantagens, mas essa é uma das vantagens de morar sozinha: quando eu digo pra mim:Levanta! eu levanto e pronto!
    Abraço

    ResponderEliminar
  16. bem, pelos comentários é bom de ver que há casos e casos

    por aqui, e não por acaso, a experiência da frase está mais relacionada com um contexto específico: o marido ouve o famigerado "quando puderes chega aqui" precisamente no momento em que se afundou no sofá com o computador ao colo a equilibrar também a chávena do café e alguns livros e revistas, aliás poucos minutos após ter estado junto à mais que tudo a fazer isto e mais aquilo

    é que o "quando puderes chega aqui" é aquela exacta expressão exactamente vaga e precisamente imprecisa que motiva a maior perplexidade quando, desfeito o difícil equilíbrio, entornada a chávena e nódoa de café na camisa, pelo menos, afinal era para apenas para obter, uma vez mais, opinião sobre os sapatos que ficam melhor no conjunto - mas por acaso vais agora a algum lado? - para depois se decidir pela opinião contrária

    será a isto que se refere?

    eh eh ...

    ;_)))

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...