Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Detesto, mas detesto mesmo

Há cada uma!
O telemóvel toca. Olho para o visor. Penso e digo para mim mesma: "O que será que esta me quer!?"
Alguém que desde há muito, só no natal é que se troca uma mensagem (de Feliz Natal, das copiadas e pastadas, embora tivéssemos sido amigas, muito amigas, em adolescentes, mas irritava-me com ela por querer ter sempre roupa igual à minha).
Atendo, por educação. Logo a seguir aos olás, estás boa, sabes quem é, o marido, os filhos (ela nem sabe que tenho netos e continuará sem saber).
- Olha, é que a minha nora (ah tens nora! Nem sabia) vende aspiradores. (Hmmmmm, então era isso!!!).Ela vai a casa ( à minha? Penso que não) explicar como utilizar. Sabes, é sem compromisso(simmm, conversa de caca); só que ela precisa de fazer a demonstração a vinte pessoas(uote? Vinte pessoas na minha casa?), mas, é sem compromisso.
- Tenho imensa pena podes crer, mas já tenho um desses (ca mentira desgraçada!). Estou muito, muito bem servida. (Ora toma uma mentira, a ver se não me chateias mais durante uns tempos.)
"Ah era isso? Queres que eu compre um aspirador?Ai povo-enganado!!"
(Então.... até ao natal...)

FIim de semana, pois então!

Se eu não soubesse que em que dia da semana estamos bastava olhar para a rua e percebia logo.
Sexta-feira, pois então!!
Dia sem sol por conseguinte escuro. Não é sempre ao fim de semana que o bom tempo vai... de fim de semana?
Mas... para onde?

(este artigo foi escrito e publicado na sexta feira passada dia 23, e encaixa perfeitamente no dia de hoje.)

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Bom, bom, bom........

...Mas mesmo bom, é passar o dia com o Pulguito (neto com sete meses).
E o dia rende. Ainda eram quatro da tarde e já tinha feito taaaaaaaaanta coisa!!!
Nada! Não faço nada. Só brinco com ele, mas não importa. Ele diverte-se a puxar-me o cabelo, a brincar com as minhas bichinhas*. Eu divirto-me. Os dois passamos o dia na brincadeira.
E vivó velho!

*bichinhas =arrecadas, brincos das orelhas (em madeirense)

Olha, ouvi dizer....

...Que o David Beckham, ou como eu carinhosamente o chamo: David Beicon está a treinar umas ....5...6 vezes por dia ou até mais, mas noutra modalidade que não o futebol, e que já está farto?
Pudera rapaz, tu és jovem, mas as forças faltam ao fim de muito treino. Não treines muito. Olha para o monitor se estás a ler isto, ouve o que te digo, não, lê o que te escrevo, escrevo com experiência (empírica), basta um uma vez por dia e assim não te cansas. Cinco a seis vezes? já pareces o Gungunhana, ou o Idi Amim Dada!!!

Gente que cozinha

Se num artigo (ali no andar de baixo) falei acerca da boa comida da Nigella Bites, não devo deixar passar sem agraciar também as mulheres portuguesas que estão na lista de blogues "gente que cozinha"
Vejam deliciem-se e apreciem a boa mesa e as boas receitas de gente portuguesa.
Obrigado a elas por me aturarem.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Encontrar depois de encontrado

Se na semana passada a minha tia-velha (vejam à direita a idade) só pedia frango ou para comprar dois frangos para o jantar, nesta semana o disco foi outro: quando é que vou para casa? Quando é que vou para casa? Isto numa versão rock da pesada (com aquela matracada toda: pum-que-pum-que-pum, mais ou menos assim).
Hoje foi o dia. Arranjei um farnel para ela passar o dia (como quando as crianças vão para a escola) e disse-lhe que só ia buscá-la à noite.
Pelo caminho começa a "engalinhar" tal como uma galinha a cacarejar.
P:  Porque é que vou? R: Porque pediu para ir.
P: Mas o que vou para lá fazer?R:  Regar as flores.
P: E tu vais-me buscar? R: Sim.
P: E como posso fazer café? R: Não faz, vá à tasca.
P: Mas eu algum dia fui à tasca?R:  Sim, muitas vezes.
Em casa ficou a lamuriar-se. Ora se há uma semana que anda a pedir para ir para casa ...
Ao ir buscá-la
P: A chave de casa onde está?
R.  Não sei.
Valha-me Santa Aparecida dos Objectos Desaparecidos!!!
Não poderíamos regressar a casa sem trancar a porta. E procura. E ela procura e procuro eu e o meu senhor. De vez em quando perguntava-me o que procurava. Dizia-lhe: a chave de casa que eu deixei aqui e não está. Porque mexeu?
- Eu não mexi.
Aleluia. Depois de procurar e virar a casa do avesso (estivemos praí uma boa meia hora ou 45 minutos) eis que...
Encontrámos a diaba da chave (aliás foi o mê senhor quem a encontrou). Ele descansa-a em cima da mesa e...
Mando minha tia para a rua a fim de trancar a porta.
- Olha, a chave tá aqui. - diz ela.
- Não mexa. - Diz logo o meê senhor, agarrando na chave antes que....desaparecesse.
E não é que ficou contente por ter encontrado a chave?

Bogueria sofre!

Atão não é que fui sugerida a mudar de visual (pela kao)?!
E atão não é que, para satisfazer a vontade dela, mudei? E logo.
Diz ela e passo a copiar (aliás copiei e pastei):"porque não, mudares de visual no teu blogue?
Cores menos cinzentas, cores mais fortes, mais alegres, a combinar contigo, com o tempo e com a tua escrita.
Vamos nessa?"
Será que este visual lhe agrada?
Ai blogueira sofre!!!!(Ou será bloguista?) Agora fiquei com a pulga atrás da orelha!!!

Ontem...

...Estive a ver no canal SIC Mulher um programa de culinária da Nigella Bites. O que me espantou foi o facto de, assim que conclui o prato, em vez de mostrar para os telespectadores, ela come, mas com uma vontade com se não comesse há muito tempo.

Geralmente em programa deste formato ao concluírem mostram o prato feito e enfeitado, viram para o ecran com um arranjo de flores, como se isso fosse importante.
Ela não. Assim que acaba de fazer, deita na taça e a primeira colherada é dela.
Ontem foi um bolo de chocolate... (belhac, digo belhac por que não aprecio esta coisa castanha que dá a volta às mulheres e homens, mas "prontes" lambuzem-se com ele e lembrem-se de mim ao darem a primeira dentada, e que lhes faça bom proveito)...e claro, cortou; comeu uma fatia e deixou o restante em cima da mesa. Daí a pouco já em pijama foi à cozinha comer mais uma fatia. Ora isto é interessante. Ela cozinha para ela e aprecia o que faz, com prazer.
Vejam aqui quem ela é.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Um foufáveu

A Pulga (a mesma do artigo do andar de baixo) falava-me da festa de anos que tinha ido. Foi num hotel e tinha um foufáveu.
Dei voltas ao miolo para conseguir perceber o que raio era o foufáveu.
- Gelados?- perguntei.
- Não.
- Piscina?
- Nãããããããããão. Um fouf...á...veu, não sabes?
-Escorrega? Baloiço? Balancé?- nada, não era nada do que eu perguntava ao mesmo tempo que me interrogava o que num recinto de hotel, poderia ser? -É de comer?- alvitrei pensando que tinha acertado.
- Nãããããão. De berincar.
De repente lembro-me de um artigo que tinha lido num blogue e...
- Insuflável?
- Siiiiiiim. E eu berinquei muito. Faltava esta palavra para poder concluir as peripécias do domingo na festa de anos. E continuou a falar...a falar...do foufáveu.

Já não há avozinhas como as de antigamente!

A Pulga (a neta de 4 anos) contava-me "A História do Capuchinho Vermelho".
Aquela história de uma menina que andava sempre de capuchinho vermelho (não tinha outro) do verão ao inverno, da primavera ao outono. Aquela menina obediente, educada, responsável e dedicada cuja mãe pediu para atravessar a floresta com um canastro na mão (cheio de "brisol", poncha, broas de mel, bolo do caco, licor de maracujá), para a sua avozinha (de oitenta anos) que estava doente; e que pediu (para a menina) não falar com ninguém (mas logo que vê o lobo até lhe dá a morada da avozinha) e lá vai pela estrada fora. E o lobo (que era o único naquela floresta) corre, com as patas todas, antecipa-se, para comer a avozinha (que era um bom petisco) e estava na cama (com artrite, artrose, espondilose e bicos de papagaio nas costas); essa(avozinha) que era cegueta e na cama sem óculos não via nada, assim que bateram (na porta) ela manda entrar, pois pensava que era a sua netinha... (a mãe tinha mandado um pombo-correio com a mensagem a dizer que a menina ia lá levar o canastrinho)...E era o lobo mau...
Nesta parte ela toma fôlego (assim como eu) e diz... a cantarolar...
- A avozinha comeu o lobo mau.
AH!Ah!AH!
Alto lá! As avozinhas de hoje não são como as de antigamente...antes elas ficavam na cama à espera de serem comidas pelo lobo mau; agora elas reagem e ...é que comem o lobo mau.

Moral da história e conselho aos lobos maus: Cuidados com as avozinhas de hoje. Elas não têm 80 anos, não têm bicos de papagaio, não usam coco na cabeça para segurar o cabelo e...se estiverem na cama não estão doentes...e, lobos, se não quiserem ser comidos...não entrem porta adentro.
Mas a quem sai esta peste de imaginação? Deve ser genético.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Agora...

...Não é preciso deixar de comer para emagrecer. Basta usar a cinta (adelgaçante, como dizem os espanhóis) e venham daí os enchidos, as chouriças, as alheiras vai tudo pelo cano (goela) abaixo.
Depois é só vestir a cinta e puxar bem para cima não vá o diabo enrolá-la e formar um pneu na barriga.

Adeus dietas, adeus fechar olhos à comida boa, adeus abanar a cabeça de um lado para o outro em frente àqueles petiscos bons. Venham os "fastefudes", as comida de plástico ou em plásticos.
Quinze (15) centímetros que a cinta reduz? Imaginam o que são 15 cm?

Já encomendei duas. Assim, quando uma estiver a lavar tenho a outra de recurso e não deixo de usar. Até na praia vou usá-la, qual fato de banho dos anos trinta sempre na moda.
Não há desculpas para aquele pneu que teima em sair das camisolas.
Aqui está ela: a cinta.

Hoje...

...Por favor não falem comigo, não olhem para mim, não me digam nada!!!!
Portanto só podem: escrever de boca fechada e de olhos fechados.
É que eu tou ursa, ursa não, pior que ursa, biursa. Tive insónia. Eram 4 da manhã e ainda não tinha colado as pestanas.
Apetecia-me levantar ir ao escritório (sim, por quê esse ar de espanto? Também tenho um escritório, eu tenho tudo, até dívidas) agarrar num tubo de cola UHU (publicidade de borla), mas de batom que a outra deita "fiapos" e colar os olhos, mas depois lembrei-me que com eles fechados não poderia ler os vossos comentários e os vossos blogues (quem é amiga, quem?).
Não dormi nada e para cúmulo aquilo dali de baixo (o ressono) até ajudou, uma suave melodia...!!
(Ainda bem que o mê senhor não lê o que escrevo. Ou lê? Agora fiquei sem saber...)

domingo, 25 de abril de 2010

Sélinho

1. Postar o sélinho no seu blogue;
2. Citar as três lembranças mais fofas da sua infância;

3. Indicar 6 blogues fofos.

A primeira regra já está.(O selo colocado)
2ª regra: três coisas boas da minha infância

- O cheiro da roupa lavada na água da ribeira
- O cheiro a café acabado de ser feito (café do bom com mistura de cevada feito num coador de saco)
- O cheiro do tabaco de cheirar da minha avó (rapé que ela colocava no nariz, mas antes batia na boceta para o rapé ficar ao centro só depois é que colocava no nariz e fungava)
portanto são os cheiro da minha infância o que me deixa mais saudosista, do que eu tenho mais saudades e lembranças.
Passo a numerar os escolhidos.(3ª regra)
Gisley EUA
Mary Turquia
Dora Ceará Brasil
Vera Brasil
Eve Alemanha
Calendas Portugal
Aos outros amigos que não foram lembrados neste selo serão todavia num outro. (Mas num anterior dei o selo a todos, remember?
Obrigada à Flor pelo selo. Fico agradecida.

Pensamento meu: ressonar


Qual é o denominador comum nas três fotos?

(Não me digam que é a almofada que eu uivo.)
 (Não me digam que é a mulher que eu mordo.)
 (Não me digam que é a cama que eu arranho.)

Reparem bem... se não é a almofada... se não é a mulher....se não é a cama...
 Acertaram, é o homem a ressonar. Eu sabia que iam acertar, vê-se logo que...só os homens ressonam. (Pelo menos estes três.)
 Porque é que não encontrei uma única foto com a mulher a ressonar? (se alguém tiver uma, mande-me)
Sim, vamos lá ver se sou a única que ...já experimentou estas três posições (as das fotos).

Duma coisa tenho certeza, eu não oiço os meus roncos. ronc...ronc..ronc...ronc...alguém ouve?

sábado, 24 de abril de 2010

Verdadeiro prazer!

Não gosto nada de ler o Diário onelaine (fico mesmo irritada por isso). Não há como ter uma vintena de folhas à nossa frente e poder molhar o dedo para passar as páginas.
Não importa se outros já passaram o dedo molhado de cuspo, saliva, o que importa é que dá um sabor especial o nosso dedo na boca e rodá-lo na língua isto com a boca aberta para todos verem.
E por fim com o dedo a escorrer o cuspo colocá-lo na folha do diário e vê-la pegar-se a ele. Isso sim é um verdadeiro prazer. Coisa que o computador não nos dá.
Modernices!!!

(Este artigo é para os que molham o dedo ao virar as páginas que eu, verdade que gosto de ler o diário fisicamente, mas não molho o dedo, mas há quem molhe, não os condeno, cada um sabe de si e aprecia os seus modos; quem nunca, nunca, nem uma só vez molhou o dedo para passar as páginas que se acuse. Eu não!!!)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Quando cresscer muda de ideias

As Pulgas vieram para ficar a noite (como de hábito todas as sextas-feiras), mas a Pulga pediu ao pai para vir buscá-la cedo no dia seguinte (amanhã, sábado). Questionei-a por isso, qual a razão de querer ir cedo para casa (logo ao acordar).
-Porque gosto de chegar cedo a casa.
Fiquei a pensar na sua adolescência... e lembrei-me da música da Doris Day
Que sera...sera...whatever will be will be...
E...das duas...três...
Promete ser uma rapariga que em adolescente vai chegar a casa antes das Avé-Marias (se não mudar de ideias); ou então vai chegar antes dos pais acordarem, bem cedo, cedinho, logo ao acordar dos galos ou... os galos vão acordá-la... para entrar em casa e ainda ...vai continuar a gostar de chegar a casa mas não vai conseguir...
Ai Pulga cresce e aparece e não mudes de ideias!

FIim de semana, pois então!

Se eu não soubesse que em que dia da semana estamos bastava olhar para a rua e percebia logo.
Sexta-feira, pois então!!
Dia sem sol por conseguinte escuro. Não é sempre ao fim de semana que o bom tempo vai... de fim de semana?
Mas... para onde?

Os pipis

Ao ler alguns blogues por este mundo de Deus (de mães que falam dos seus meninos e das conversas e perguntas que fazem) apercebi-me que o "pipi" do Continente português não é o mesmo "pipi" da Madeira.
São homónimas (escrevemos e pronunciamos da mesma maneira, mas com significado diferente).

Ora bem vou continuar a minha lição de gramática.
Hã? Não era lição de gramática? Estão a fazer sinal que não? A abanar a cabeça? Era lição de ...? Ah pois, pipis... Perdi-me na escrita e nos pensamentos....
Retomemos o fio à meada.
O pipi (do Continente) não é o pipi (da Madeira).
No continente refere-se ao aparelho sexual feminino ou ao urinário, não chego a perceber; na Madeira refere-se ao chichi e ainda ao som feito pela buzina do carro.
Atentem na frase uma mistura de pipis: O pipi (do continente) faz pipi (da Madeira) e o popó (carro) faz pipi (buzina).
Agora a minha questão. Quando se ouve alguém dizer que vai comer pipis, a que se refere?
Se calhar ainda há outros pipis...?!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Pensamento meu: Avental

Um homem de avental na cozinha confere-lhe um ar de "chef" (em geral, os cozinheiros são comandados por um chef de cozinha). Um cozinheiro é sempre um chef. Mas se for uma mulher já a coisa muda de figura e dá-lhe um ar de cozinheira, já não é chef nem coisa nenhuma. É somente uma cozinheira.
Uma mulher de avental fica com um ar desgastado por entre tachos, panelas, colheres. Já o homem assim que coloca o avental fica com ar imponente. Ser cozinheiro é ter charme, ser cozinheira é... nem sei....

Vai daí que só se fala em grandes chefs (nem se aplica a palavra cozinheiro) e não em grandes cozinheiras.
Vai daí que nem eu nem Moi-Même, se coloca avental na cozinha. Por isso nunca me verão, nós as duas, de avental nem que a vaca tussa, nem que a galinha tenha dentes, nem que eu me suje toda de respingos de gordura, jamé.
Abaixo o avental para as mulheres. Eles, os grandes chefs que o usem.
Mulheres de casa e cozinheiras gritem em alto e bom som: Abaixo os aventais! (Repitam 3 vezes)
Se algum dia receberem de prenda um avental... bem, nem aconselho o que me vai na cabeça!!

Prémio Dardos

O Prémio Dardos é um reconhecimento dos valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. No entanto que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.


O ganhador do "Prémio Dardos" deve fazer: 1. Você deve exibir a imagem do selo em seu blogue 2.Você deve lincar o blogue pelo qual recebeu a indicação. 3.Escolher outros quinze blogs a quem entregar o prêmio dardo. 4.Avisar os escolhidos.
O ganhador do "Prémio Dardos" deve fazer:

1. Exibir a imagem do selo em seu blogue
2.Colocar o link o blogue pelo qual recebeu a indicação.
3.Escolher outros quinze blogues a quem entregar o prémio dardo.
4.Avisar os escolhidos.


Obrigada minha amiga baixinha mas com garra de leão. Brasileira a viver nos EUA leitora assídua do meu blogue e comentadora também.

Espero que este espaço esteja dentro dos parâmetros do prémio. Farei intenção de continuar assim tal como sou.
Usando a frase dela da Gisley (brasileirinha baixinha a viver nos EUA): Agora vou ter que roer esta manga!"

o 1º item consigo fazer, o segundo também o 3º é deveras complicado e por isso deixo selo a todos os meus leitores e comentadores. Vá lá coloquem o selo no seu blogue, está oferecido. Considerem-se avisados (ponto quatro).

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Lenda de Machim

(Machico actualmente)

Antes da Madeira ter sido descoberta pelos portugueses: Tristão Vaz Teixeira, Bartolomeu Dias e João Gonçalves Zarco em 1419, por aqui já os ingleses haviam estado.

Reza a história que Robert Machim um cavaleiro inglês apaixonou-se por uma dama inglesa, Ana de Arfert, já comprometida. Resolveram fugir nas vésperas do seu casamento com o nobre.
A ideia era refugiarem-se em França, mas foram assolados por uma tempestade que os fez perder o rumo. Andaram à deriva até que ao longe percepcionaram uma grande mancha verde. Aproximaram-se, mas não ancoraram o barco que posteriormente desapareceu no mar.
Ana de Arfert já debilitada pela travessia do Atlântico e com saudades de sua casa e da sua vida faustosa acabaria por falecer.
Como todas a histórias de amor esta também acabou da pior forma. Machim acometeu-se de desespero e passado uma semana foi juntar-se à sua amada.
Machico uma cidade no lado este da ilha deve o seu nome a esta lenda.
Para saber mais.
Ver mais fotos

Endiabrada

A Pulguinha tinha na mão uma pulseira que eu estava a usar, mas devido à sua insistência dei-lhe (irra é melhor dar-lhe que ouvir os pedidos insistentes e esganiçados dela).
A brincadeira dela era jogar para o chão.
Tirei-lhe.
Mas logo pediu e disse-lhe.
- Não jogues para o chão. Se jogares, tiro-te.
Por esta é que eu não me esperava!
O "diacho-da-pequena" (diabrete) joga para o ar!
E eu? O que fiz eu?
Claro! Isso mesmo! Tirei-lhe da mão? Nã senhora. Ri-me com a esperteza dela.

Olha, ouvi dizer...

...Que o prédio que ardeu no Rossio (em Lisboa) tem projecto aprovado para hotel?
Coincidência ou talvez não?
Se calhar evitou-se muita burocracia na demolição e a obra( hotel) é... já a seguir.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Ah! Pois...!!

No carro, à vinda da escola, a Pulga pergunta para onde vamos. Respondo que vamos para casa.
- Para a casa da avó?-pergunta.
Digo que sim porque está na hora do Pulguito comer.
Oiço.
- Aaaaaaaaah! - a Pulguinha, (entendedora da situação: o mano tem de comer) - Poix! - (era mesmo isso: fome).
É que esta tem cada expressão que mais parece uma "mulher-velha" (como se diz por aqui para exprimir a ideia de adulta).
E continuava a olhar para fora através da janela do carro!!

Robalo frito ou frigido?

Hoje para o jantar fritei, não, frigi (porque foi na frigideira e não na fritadeira) robalos e sempre que frijo faço-o na rua num fogão (tipo industrial) que uso para este efeito (para nao deixar cheiro de fritos/frigidos) na cozinha. Mas antes de começar as frituras deitei comer aos cachorros (ração que os meus cachorros só comem isso).
Estavam eles a comer a sua pratada quando o cheiro a peixe lhes chega às narinas e começam cada um à vez a levantar o focinho e snif, snif, snif a snifar aquele smell tão bom e intenso.
Mas ficaram-se com o cheiro.
Mal-empregado! (Expressão para substituir "bem-feito")
Queriam?
Oh cachorrinhos da casa, eu sei que merecem, mas eu também. E nem as espinhas tiveram direito a chupar.
Olarilha.

Sabia que...

Rene Willians tornou-se a mulher mais gorda do mundo a se submeter a uma cirurgia de redução de estômago. Com 29 anos ela chegou a atingir 508 quilos - seis vezes o peso de uma mulher normal na sua idade - e ficou tão gorda que seus dois filhos não conseguiam mais abraçá-la.

A operação foi bem sucedida e Rene chegou a perder cerca de 30 quilos, mas morreu repentinamente de um ataque cardíaco fulminante cerca de duas semanas depois.

Vamso ao enigma

Um homem rico, podre de rico, às portas da Morte pediu um papel e um lápis para escrever um bilhete, delegando toda a sua fortuna. Morreu antes de fazer a pontuação!
Eram quatro os candidatos: o sobrinho, a irmã, o padeiro e os pobres.
Eis a frase:
" Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres"
Ajudem (fazendo a pontuação) resolvendo o enigma: a quem deixa a fortuna?

Melar

Com esta chuva julgo que nós todos vamos "melar".

melar - apodrecer pela raiz devido a excesso de água.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Chapéus há muitos, cabeças à medida é que não!

«Vamos juntos reconstruir aquilo que falta reconstruir», diz Sócrates na Madeira

O primeiro-ministro afirmou hoje no Funchal existir «uma forte colaboração e empenhamento» por parte dos governos Regional e da República para concretizar a reconstrução a Madeira o mais rápido possível.
Se bem vejo enquanto que o chapéu do AJJ (presidente do Governo Regional da Madeira) está com o nome Madeira virado para a frente (e que bem que lhe acerta!!!) o do nosso primeiro-ministro está...onde está? O raio do homê nem reparou que o chapéu estava "de canelas pó ar"? Ou será que a Madeira está como sempre esteve, nas costas?
E... oh senhor, nem um sorrizinho? Não é o seu melhor perfil?
E o chapéu? Já dizia Vasco Santana: "Chapéus há muitos seu..." e foi agarrar num que nem reparou que era maior do que a sua cabecinha! Ou alguém julgou que o senhor era...cabeçudo?

Hoje...

...Assim que acordei coloquei a roupa que estava na máquina de lavar no estendal a secar.
A secar?
Não. A molhar!
É que chove a potes.
Senhor São Pedro, será que me podes mandar uma mensagem a dizer, e basta só isso: "Avogi, vai chover". Podias? Poder podias, mas não fazes, seu atentareu!

Resolução da adivinha

"Tu namatentes, seu atentareu."

Tradução: tu não me atentes (de atentar= pôr à prova)
seu atentareu (aquele que aborrece que insiste até conseguir)

"Não me ponhas à prova, seu impertinente." (em português fino)
ou: não me chateies, seu empecilho.(em português brejeiro)

Obrigada pelo esforço. Fica registado.

domingo, 18 de abril de 2010

Pensamento meu: emigrar

Eu sou filha de emigrantes. Começou com o meu pai a emigrar para a Antilhas Holandesas (Curaçau). Anos mais tarde os meus irmãos, depois a minha mãe e avó. Fiquei só com a tia-velha.
Julguei que a emigração tinha acabado por aqui, mas não, o meu bisalho é emigrante.
E claro emigração=despedidas=chorar=lágrimas.
Que sina a minha.
E....de cada vez que o avião descola da pista, a torneira abre-se...

Da festa

A minha filha fez 30 anos e para festejar esta data reunimos família e amigos. Houve surpresas, mas a surpresa das surpresas foi a presença do mano (o meu bisalho)* na festa de anos. Ela ficou "desarmada" "alcançada"(não esperava) quando o viu aqui em casa. As lágrimas que tenta reprimir(mas que feitiozinho ela tem de não querer manifestar os seus sentimentos, irra) saltaram dos olhos. Emocionou-se (a idade, a pré-velhice está a chegar). Mas não acabariam aqui as surpresas.
Ela que só queria uma "coisa pouca" (palavras dela) levou com um ror de gente. Não sei bem, mas perto de 50 contando com crianças.
Por fim a última surpresa: o vídeo que o marido e eu preparámos para presenteá-la (e ao resto do "maralhal") sobre a sua vida nestes trinta anos de existência.
Enfim a festa prolongou-se até de madrugada. Cá se comeu (tudo) se cantou (muito) e lá se espera a próxima.
Agora é sempre a abrir e os 30´s instalaram-se.
Para o ano há mais.
(*veio na sexta e foi hoje, domingo)

Obrigada a todos

Agradeço a todos os que deixaram votos de felicidades e parabéns. E acima de tudo por aceitarem a brincadeira, mas sabem que "deixo a vida me levar" parafraseando Fernando Pessoa, por isso faço humor e brincadeira com ela.

sábado, 17 de abril de 2010

Adenda (ao poste de baixo)

Hoje... dia 17 de Abril de 1980 nasceu uma menina...
Cresceu e engordou (já não tem 47 cm nem pesa 3,700kg)
Todo o resto do artigo mantém-se.
Essa menina é a minha filha...
E faz hoje...30 anos... (já?)
(Foi uma brincadeira cá da Gi)

Kikas filha da avoGi
 Obrigada a todos pelos parabéns. Vou entregar-lhe assim que chegue para o grande arraial cá no rural e distribuir os beijinhos. (embora ela já tivesse lido todos os comentários)
E....quem quiser vir...venha.
Obrigada a todos pelos votos de felicidades.


E usando a frase dela (desculpa o plágio):
Filha de 2
Mulher de 1
Mãe de 3 (Pulgas)

Hoje...


...Nasceu uma menina com 3,700 kg e 47 cm de comprimento. Tem cabelos negros e lisos. Veio ao mundo para fazer as delícias do seu pai e mãe bem como a toda a família. Primeira neta pela parte paterna. O acontecimento deu-se no Hospital do Funchal.
Toda a família juntou-se para comemorar o momento.
À família os parabéns e à menina votos de felicidades.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Festa da Flor

AvoGi e kikas
AvoGi e kikas
Em 1984 , grávida de 6 meses participei na festa da Flor. Desde há muito tempo que éramos (eu e o mê senhor) figuras certas nas festas cá da Madeira: Carnaval, Flor e Vindimas. Aliás desde 1978 quando aderirmos aos eventos organizados pela Secretaria Regional de Turismo e Cultura.

Neste ano de 1984 a gravidez não me impediu de participar. Mas se sempre fazia parte do grupo de dança neste vez devido à barriga tive de me contentar em ir sentada no carro alegórico.
E tive a companhia de uma criança que em vez de estar no chão junto das outras a dançar a coreografia estipulada, fez-me companhia durante todo o trajecto: a minha filha.

(Na Madeira neste fim de semana comemora-se a Festa da Flor.)

Tava frio!

Estava na cozinha a preparar umas entradas (favas, maionese de ervilhas, feijão frade, entre outras, mas não digo mais para não me pôr a salivar e engolir em seco) porque amanhã vou receber amigos; do que estava a fazer (e como era hora de almoço) tirei uma porção de cada e compus um prato para a minha tia.
Quando acabou e porque comeu tudo apercebi que estava a gostar (aliás ela gosta de tudo , não diz não, a nada) pergunto com ar prazenteira esperando ouvir : "ai que rica sobrinha eu tenho com mãos de fada!" ou "mas que delícia!" ou ainda"tens tanto jeito para a cozinha!"
Diz-me simplesmente.
- Tava frio! - com uma cara de enjoada.
Outro dia vai "ma zé" levantar o cagueiro (perdão o rabichol) da cadeira e aquecer a comida se quiser comer as entradas quentes. E isto por que estou bem disposta "canão" comia "ma zera" um sopapo nai ventas para aprender a dizer aquelas frase que coloquei cima supra.
"Ai cui nervos!"

A quem ler (e antes que me acusem de bater em idosos, chiça nunca se sabe...)
Estou a caçoar, não levem a sério por que eu não bato só mordo, aliás bato, sim bato...à porta "ma zé" antes de entrar.

Adivinha

Esta frase foi dita muitas vezes pela minha mãe, a mim, quando eu era pequena.

- Tu namatentes, seu atentaréu!!!

Tradução, quem precisa?
E como diz a "canalha": quem sabe não diz.

Fufas

Alvíssaras dão-se a quem encontra duas fufas. São brancas, parecidas, andam sempre juntas. Desapareceram da sua morada. Não sobrevivem sozinhas... São pequenas, fofinhas e tão queridas!!!
Por favor a Pulguinha precisa delas.
Não!! Não acredito que... não, não me digam que... procuraram...e encontraram!!!
Mas afinal o que procuraram?
Ah, eu sabia que sabiam!!!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Serei só eu?

Há muito que ando para saber se sou a única pessoa que não gosta de ir ao supermercado, principalmente às grandes superfícies.
Dá-me logo uma "brotoeja" e uma comichão por todo o corpo como sarna que só me apetece "rapar" toda quando tenho de lá ir.
E pior do que isto é que não tenho uma fada madrinha que lá vá por mim.
Daqui a pouco lá vou eu... eu.... eu..... a caminho de ...Viseu? Não, do supermercado.

Eu penso..só penso...

A minha tia-velha deve ter sido galinha numa outra vida (não, não é por cacarejar não, que coitada, não cacareja). É que todo o dia me pede para comer frango ao jantar.
Ainda há pouco ouvi...
--Psssst, !!Pssst! - olhei na direcção do chamamento e era ela (a tia-velha) a chamar por mim com a mão fazendo sinal para me aproximar.
- O que vais fazer para o jantar? - perguntou.
- Não sei ainda. Logo vejo - retorqui.
- Tira do meu dinheiro e manda buscar dois frangos.
Ri-me por que...todo os dias me pede frango...para o jantar.
Por isso digo que penso...não tenho a certeza, (mas quase a certeza) que na outra encarnação deve ter sido galinha ou frango.
(Se eu usasse o dinheiro dela todas as vezes que me pede frango já estava na miséria).
Claro que rio-me e faço disto humor, pois que vida é a nossa se levarmos tudo à séria sem um sorriso na cara? Por que há gente que não é capaz de sorrir e anda sempre carrancuda.
Para esses a minha gargalhada mais sonora.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Quando...

.....É que vamos voltar a ouvir a frase: "Gordura é formosura"?

Aos bebés ouvimos muitas vezes as pessoas dizerem: tá gordinho, tá lindo!
Quer dizer, um bebé é lindo quando gordinho e uma mulher gorda não é linda?
Imaginemos que esse bebé (do sexo feminino) cresceu sempre gordinho, tornou-se adulto e não perdeu as formas curvas e rechonchudas.
(Pergunta) Deixa de ser lindo por ser adulto?
Não. Deixa de ser lindo por ser gordo. (Resposta).

É que... coloca-se gordura nas nádegas, no peito; lima-se as "aduelas" (vértebras), corta-se o nariz, coloca-se as sobrancelhas arqueadas (e dá aquele ar de interrogação ou de espanto), puxa-se a pele para detrás das orelhas (que parece estarem sempre a sorrir de tão esticada), tira-se as asas de galinha (debaixo dos braços), mas tirando aqui, pondo ali, cortando acolá, aumentando algures...não é como antes.
Nada é natural hoje em dia?
Ou já não há mulheres como antigamente: roliças, voluptuosas, cheia de curvas?
Mas voltando ao ponto de partida. Vejam lá se" gordura não é formusura."

O meu rural

A minha ilha tem paisagens soberbas, lindas, de cortar a respiração. As mais bonitas paisagens podem ser apreciadas no percurso entre o Funchal e o Porto Moniz (zona norte). Actualmente esse percurso já não é feito pelo caminho de outrora(antiga estrada regional 101); esse era recortado na costa da montanha, sendo que em quase todo o percurso só permitia a circulação de um carro num só sentido. Então na altura foi criado na berma sobranceira ao mar, espaços para aguardar aquando da aproximação de autocarros (em sentido contrário, obviamente) e até facilitar a ultrapassagem dos mesmos. Cada vez que nos cruzávamos com um destes tínhamos de recuar até ao recanto mais próximo.
Presentemente a circulação faz-se por túneis cravados nas rochas ou "furados" (em madeirense).
Para mim a minha ilha mais parece um queijo suíço de tantos buracos que tem.
A antiga estrada regional está desactivada à circulação devido ao perigo eminente de quedas de rochas, mas pode-se sempre apreciar esta maravilha fazendo percurso a pé ou através de fotos como as que aconselho a ver n´O Meu Rural.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Olha, ouvi dizer...

..."Que o Governo decidiu dar tolerância de ponto a todos os trabalhadores da Administração Pública no dia 13 de Maio por ocasião da presença do Papa Bento XVI em Portugal, disse hoje à Lusa fonte oficial do executivo.
A mesma fonte adiantou à agência Lusa que será também concedida tolerância de ponto aos funcionários públicos em Lisboa, na parte da tarde do dia 11 de Maio, assim como no Porto, na parte da manhã, no dia 14 de Maio."


Animem-se funcionários de Lisboa (turno da tarde) e Porto (turno da manhã) o mês ficou mais curto.
É que não havia um feriadinho... e já agora ...em que dia da semana calha?
Agradeçam ao Papa essa benesse que para os trabalhadores da Função Pública da RAM continua a não haver...benesse.
É mal-injusto! Devia ser para todos!
Os deste lado do mar também merecem ...

São pa frigir ou fritar?

- Estas batatas são para frigir?- perguntou-me a tia-velha ao ver batatas em palitos no mesão da cozinha.
Nós madeirenses usamos o termo semilha para identificar as batatas por que para nós batatas são as doce: batata-doce.
Se as semilhas (batatas) são cozidas inteiras (com ou em casca), partidas ou em rodelas são sempre semilhas, mas se estão em palitos para fritar/frigir passam a batatas fritas; e quando pretendemos passar à frigideira as que estão cozidas são semilhas fritas.

Resumindo e baralhando (ainda mais) que isto é confuso: só quando estão em palitos é que as semilhas são batatas. Entendido?
Há muito tempo que não ouvia o termo "frigir". Claro que dizemos fritar, mas entendo que até está correcto. Ora se vamos deitar os palitos numa frigideira vamos "frigir",e se for numa fritadeira, fritar.
Mas porque é que a Língua Portuguesa é tão complicada?
E porque é que nós madeirenses ainda a complicamos mais?

Sabia que

"Uma mulher foi detida esta semana na Flórida por ter provocado um acidente de viação enquanto se depilava dentro do carro. A norte-americana de 37 anos poderá incorrer numa pena até um ano de prisão.
Até aí, é uma história vulgar. O insólito é que Megan Mariah Barnes não interrompeu a condução para depilar a zona púbica. Mais: pedira ao ex-marido para segurar com uma mão o volante enquanto ela se embelezava para um encontro com o namorado. Pior: carregou no acelerador ao invés do travão."
(in Expresso)

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Mangas de cabelo

Há quem diga que o homem não descende do macaco. A teoria da evolução (de Darwin) diz precisamente o contrário: que o homem evoluiu do macaco. A prova disso é que hoje vi uma rapaz jeitoso; na cabeça nem um cabelo para cobrir do sol (que hoje não acordou), mas nos braços, Credo em Cruz, cachos de cabelo saíam aos caracóis das mangas curtas da camisola. E dei por mim a pensar: "quanto na montra o que fará na loja!"

Àcerca de...Apanhados no chocolate

Acerca da petição do chocolate. Não é que fiquei sozinha com o estandarte na mão e o cartão do "Abaixo o chocolate"?
Não gostar de chocolate é uma coisa, mas deixarem-me só deste lado sem se atreverem a se juntar a mim. E eu, a pensar que tinha jeito para movimentar multidões (sic). Fiquei só de bandeirinha em riste! (mal-injusto)
Só não, o meu bisalho juntou-se a mim.(que remédio!!! Ver a mami sozinha de bandeira no ar a abanar a abanar...)
Mas dizerem-me estas frases... (ai ai)

Que loucura de petição é essa ?!
Abaixo essa petição !!! (A Madeirense)

Abaixo a petição para deitar abaixo o chocolate!
Onde já se viu uma insanidade dessas?!!?!?! (RSM)

Essa não posso assinar, infelizmente!
Também faço parte do clã dos adoradores de chocolates (Sonhadora)

Eu... sinceramente... acho que vai ficar sozinha nessa petição.
Lamento, mas eu adoro!!! (Dama das Camélias)

Eu também adoro chocolate. (Patty)

Não gostar de chocolate é deveras estranho :)
Eu adoro-os. (Noris)

Ai ai a minha tara pelo chocolate está a me afectar a vista e o discernimento!!! (novamente a Sonhadora pois tinha errado ao escrever o comentário)

Abaixo o chocolate?
Dá-me uma razão para que assim se proceda.
Ok, diabetes e tal...
Vou-me embora. :) (Observador)

Hmmm... Parece-me que essa vai ser uma fila de uma só pessoa... (Avozinha)

Eu adoro chocolate! (Olhos Dourados)

Acho que é uma petição com uma só assinatura. hehe (Quicas)

Mas afinal onde ficamos? Então não dizem que se comermos um quadradinho de chocolate por dia vamos ter um coração saudável? (João)

Abaixo essa ideia.
Adoro chocolate. (Kao)

Quem me dera a mim assinar esta petição, quem me dera a mim não gostar de chocolate mas é simplesmente a minha perdição... ate já culpei a minha pobre mãe de não me ter dado mais chocolates quando era pequena, talvez tivesse enjoado e não tinha tanta vontade de comê-los agora... A mim faz-me muita confusão quem não gosta de chocolates, bolos, gelados e afins... acho melhor ir ao médico ver que raio de doença é essa...(ai que inveja) (S)

Não sou radical e também não deito abaixo o chocolate.
Mas entre um pacote de batatas fritas e um chocolate fico com o primeiro lool, mas é só uma questão de prioridades.. (Mina)

Adoro chocolate! Acho que vais mesmo ficar sozinha (Olga)

Respeito quem não goste, nem insisto... No entanto, há sabores que nos deixam felizes, e chocolate é um deles. Eu gosto bastante de chocolate.(Guida)

Gosto de chocolate sem ser obcecada pelo dito cujo. Por isso não vai encontrar a minha assinatura nessa petição (Ângela)

Obrigada, já sabem que esta é a forma de agradecer os vossos comentários.

Ordinarices mão pelise,

Sempre que abro o MSN aparece-me uns contactos que não os tenho na lista a me aborrecer com frases um tanto ou quanto ordinárias como:" Watch me naked", "Wanted Attractive honest single man", "Looking for something more", "Looking for a sweet and caring guy".
Apetece-me abrir e responder, mandá-los pá urtigas a ver se com as mãos a picar deixam de ordinarices e acima de tudo deixam de me aborrecer com estas frases.
É que "semirrito", vai uma bujarda daquelas em madeirense castiço que ainda me pedem a tradução.
Ora vão "ma zé" comer postas de bacalhau salgado.

domingo, 11 de abril de 2010

Mas que resonda!!

Devido a este dia chocho (como se diz por aqui), digo a minha tia para se preparar para irmos tomar o café da tarde. Ao estar eu a me arranjar e como o "mê senhor " nao está fico a pensar que carro ele terá levado. É que num a tia-velha entra bem sem ajuda no outro é preciso agarrar-lhe nas nádegas e subi-las( em madeirense: subilhas) pelo carro acima ( é jipe por conseguinte alto) e empurrar e puxar enfim, se na garagem estivesse este carro não poderíamos sair.
Da minha janela vejo a garagem, mas é mais fácil pegar no telemóvel e ligar a perguntar que carro ele tinha levado.
Não é bem assim... vou dizer a verdadita... eu dou um toque e ele é quem me liga.
Não é que fui "rezondada"? Que devia ter ido à janela (eu sei, mas teria de andar um bocadinhho) que gastei uma chamada (eu sei , mas não sou eu que pago) que devia ter adivinhado (eu sei, mas às vezes não penso) que devia ir à rua e olhar para a garagem (eu sei, mas estava a me vestir!!Não ia nua!)
Só visto! Contado ninguém acredita!!!
Aceito, mas como poderei eu manter o rabo (o tal brasileiro) se me mexer?

Mas que dia!

Esta primavera para mim tem sido uma decepção. Hoje o dia está cinzento. O sol não apareceu. Eu estou "entrezilhada" (arrepiada) com frio.
Só!
Não sozinha completamente. Tenho a tia-velha. Nada de Pulgas a saltar, a pular que sempre dão alegria e movimento aqui a casa.
Detesto o domingo! Sempre o detestei e assim com este tempo odeio-o!
Tempo cinzento, vai "ma zé" comer um prato de tripas enchidas de caca a ver se te dá uma diarreia (ou chorrica) e nos deixas em paz!!
Ouviste?

E por falar em caca, titica ou simplesmente buseiras vou ali à rua limpar as dos meus cachorros a ver se me passa o sono e deixo de estar aqui "embuseirada".

sábado, 10 de abril de 2010

Olhos que deitam labaredas!

O Pulguito é um "biqueiro" (faz nariz, carranca) para comer sopa, na casa da avó, (na minha que na casa dele o rapaz abre-a bem). Ainda ontem a minha filha falava sobre o assunto e achou estranho este facto (de não comer na minha casa, de espernear, de "engulhar"(de pretender sim, ele só pretende, vomitar).
A minha cunhada sugeriu deitar maçã. Eu referi que o pai deita maçã ou batata doce.
Mas as sopas do bebé são insossas, não têm sal, nadinha, feitas de propósito para ele e quando fica comigo trás sempre uma já feita.
E como de vez em quando tenho umas coisas que não lembra a ninguém, digo com a maior seriedade possível.
- Eu já deitei sal na sopa. Na próxima deito açúcar a ver se ele come.
Bem, é que os olhos da minha filha não são de dragão não senhora, nem deitam "lavaredas" encarnadas (como se diz aqui) senão da forma que ela olhou para mim eu morria abrasada!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Rabo brasileiro

Ando eu a tentar tirar o rabo que estou a criar de estar sentada a escrever no blogue quando olho para a televisão e vejo no DR 90210 umas mulheres a porem gordura no "rebendito" para ficarem como ele como o das brasileiras. (E eu aqui com tanta para dar e vão elas pagar para enfiar gordura por um canudo até chegar às "cachadas do rabo"*).

Ai que já me dói o meu! Mas de estar sentada na cadeira.

 Então agora é moda rabo grande?
Sempre ouvi dizer que quando alguém o tinha avantajado que tinha "rabo de preta" (sem ofensa às senhoras com um tom de pele mais acastanhado). Mudam-se os tempo mudam-se as expressões. Agora diz-se "rabo brasileiro".
Pela 1ª vez estou na moda!!!
Um "VIVA" para as mulheres que o têm do tamanho da moda. (Sem nunca o terem enchido, note-se.)
VIVA!!! VIVA EU!!!!

*"cachadas do rabo" - nádegas porque também há as cachadas da cara.
 Vejam que até os Presidentes não resistem a um bom rabo...brasileiro.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Pensamento meu: Hiperactividade

A Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção (PHDA) ou somente Hiperactividade tem servido para justificar comportamentos inadequados de crianças, demonstrando assim a falta de pulso dos pais que se refugiam na perturbação para justificar o injustificável e as situações inadequadas.
Eu já ouvi pais ao verem os seus filhos numa situação que para mim é mau comportamento e indisciplina (e muitas vezes falta de civismo e respeito pelos outros) dizerem simplesmente: "ele é hiperactivo". E pronto, está justificado o seu comportamento.
Crianças que puxam as calças de adultos desconhecidos, crianças que no restaurante jogam a comida pelo ar, crianças que destroem o computador não são crianças com diagnostico de PHDA mas sim com CCFR (Crianças Com Falta de Regras).

"Em termos práticos, diríamos que uma criança com PHDA manifesta na sua actividade diária padrões comportamentais em que a actividade motora é muito acentuada e inadequada ou excessiva. São crianças que têm muita dificuldade em permanecer no seu lugar, que se mexem ou baloiçam continuamente, que mantêm um relacionamento difícil com os colegas (intrometem-se nas suas brincadeiras), não prestam atenção e precipitam as respostas, etc.. Nenhum destas manifestações deve ser confundida com má educação ou faltas de comportamento ocasionais."

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Bater ou não bater para o caso pouco interessa

Ao ver uma reportagem na televisão sobre maus tratos infantis /violência doméstica a crianças pergunta a minha tia.
- Eu batia-te muito? - e eu que estava distraída (por vezes esgueiro-me em pensamentos e não oiço o que vai à roda, tão absorta que estou e como dizem os brasileiros: "tou nem aí") olho para ela - Quando eras pequena! Eu batia-te muito? Já não me lembro!
A sinceridade saltou-me à boca e disse a verdade!!

No chão da: sala, varanda, cozinha, mas sempre no chão

A Pulguinha ficou em casa nestes dias para ser feito o desfralde (na época em que era mãe de canalha pequena não era assim com dias marcados). E tem sido um "ai nos acuda que a rapariga só mija fora do penico". É na sala. É na varanda. Basta lhe dar a vontade que abre as pernas e..."ala que aqui vai disto ó Evaristo".
Ao conversar com ela, sim que nós temos conversas de mulher pa mulher, fiz-lhe a ver que devia fazer chichi na sanita e só na sanita e devia chamar a mãe antes, repito, antes do dito sair.
Hoje avó extremosa e cuidadosa que sou, liguei à minha filha (que a Pulguinha ainda não tem telemóvel, mas tou a ponderar oferecer-lhe um, é que às vezes a mãe e o pai não atendem .....) e perguntei se tinha feito chichi.
- Xim...(diz a cantarolar)
- E onde? - esperando o óbvio.
- No chão...
- E onde é que se faz chichi?- pergunto-lhe.
- Na xanita.
Pois, ela saber sabe, mas não chega a tempo!!! Melhor vai ser espalhar penicos pela casa toda!!

Àcerca do chocolate...(vejam lá o que disseram!

Acerca da petição do chocolate. Não é que fiquei sozinha com o estandarte na mão e o cartão do "Abaixo o chocolate"?
Não gostar de chocolate é uma coisa, mas deixarem-me só deste lado sem se atreverem a se juntar a mim. E eu, a pensar que tinha jeito para movimentar multidões (sic). Fiquei só de bandeirinha em riste!!! (mal-injusto)
Só não, o meu bisalho juntou-se a mim.(que remédio!!! Ver a mami sozinha de bandeira no ar a abanar a abanar...)
Mas dizerem-me estas frases... (ai ai)

Que loucura de petição é essa ?!
Abaixo essa petição !!! (A Madeirense)

Abaixo a petição para deitar abaixo o chocolate!
Onde já se viu uma insanidade dessas?!!?!?! (RSM)

Essa não posso assinar, infelizmente!
Também faço parte do clã dos adoradores de chocolates (Sonhadora)

Eu... sinceramente... acho que vai ficar sozinha nessa petição.
Lamento, mas eu adoro!!! (Dama das Camélias)

Eu também adoro chocolate. (Patty)

Não gostar de chocolate é deveras estranho :)
Eu adoro-os. (Noris)

Ai ai a minha tara pelo chocolate está a me afectar a vista e o discernimento!!! (novamente a Sonhadora pois tinhaerado ao escrever o comentário)
Abaixo o chocolate?

Dá-me uma razão para que assim se proceda.
Ok, diabetes e tal...
Vou-me embora. :) (Observador)

Hmmm... Parece-me que essa vai ser uma fila de uma só pessoa... (Avozinha)

Eu adoro chocolate! (Olhos Dourados)

Acho que é uma petição com uma só assinatura. hehe (Quicas)

Mas afinal onde ficamos? Então não dizem que se comermos um quadradinho de chocolate por dia vamos ter um coração saudável? (João)

Abaixo essa ideia.
Adoro chocolate. (Kao)

Quem me dera a mim assinar esta petição, quem me dera a mim não gostar de chocolate mas é simplesmente a minha perdição... ate já culpei a minha pobre mãe de não me ter dado mais chocolates quando era pequena, talvez tivesse enjoado e não tinha tanta vontade de comê-los agora... A mim faz-me muita confusão quem não gosta de chocolates, bolos, gelados e afins... acho melhor ir ao medico ver que raio de doença é essa...(ai que inveja) (S)

Não sou radical e também não deito abaixo o chocolate.
Mas entre um pacote de batatas fritas e um chocolate fico com o primeiro lool, mas é só uma questão de prioridades.. (Mina)

Adoro chocolate! Acho que vais mesmo ficar sozinha (Olga)

Respeito quem não goste, nem insisto... No entanto, há sabores que nos deixam felizes, e chocolate é um deles. Eu gosto bastante de chocolate.(Guida)

Gosto de chocolate sem ser obcecada pelo dito cujoPor isso não vai encontrar a minha assinatura nessa petição (Ângela)

Obrigada, já sabem que esta é a forma de agradecer os vossos comentários.

É tão bom como o chocolate!

AvoGi
O meu bisalho não aprecia chocolate, mas há algo que lhe adoça a boca: o Glorioso.

Toma lá este chocolatinho. Saboreia enquanto podes.




Paciência

Naqueles dias em que a minha tia está constantemente a fazer a mesma pergunta vejo este vídeo e respondo ao que ela me perguntou.
Porque eu já fui assim porque ela agora é assim!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Comentários, os vossos, sobre o amor

Gosto de aproveitar os comentários e tendo por referência o AMOR aqui ficam registados alguns excertos, várias opiniões sobre o amor/morte...

Amor respeito e amizade parecem ser cada vez mais escassos.
Pois se apressou e descobriu que ela não é quem aparentava ser! Agora só resta chupar essa manga!kkkkkkkkkk (Adorei esta expressão)
Morreu morreu, venha outra... eu nem sempre condeno porque só quem está no convento é que sabe o que vai lá dentro.. (Esta expressão também adorei)
Não critico, não condeno porque pode acontecer e não vejo mal algum em tudo isso.
Voltou a casar dentro de 7 meses. Não sei se se arrepende ou não. Não o julgo.
Sem mais comentários.
O amor quanto ao meu pensar é eterno, pois não há outra palavra para definir AMOR.
Por muito que doa, a vida continua, o "timing" pode não ser o mais adequado
O amor não tem prazo de validade.
O amor é longânime e benigno. O amor não é ciumento, não se gaba, não se enfuna, não se comporta indecentemente. O Amor nunca falha!
O tempo é irremediavelmente incompreensível...
Dizem amar tanto e depois arranjam logo outra(o).
Parece que só a pessoa ultrapassou.
Acho que o importante é respeitar e fazer as pessoas felizes, enquanto estão vivas...
Em meu entender, temos que amar e respeitar o outro na saúde e na doença, na alegria e na tristeza enquanto vivo!!!

Obrigada. Aceitem como forma de reconhecimento.

Pensamento meu: Chocolate

Vejo a loucura das minhas netas por chocolate. Vejo a minha filha que só o chocolate lhe adoça a boca.
Eu detesto, mas detesto mesmo nem em bolo, nem em barras, nem com leite . Só se tiver amendoim aí dou um jeito. O meu bisalho também não aprecia.
Será que só eu é que não aprecia chocolate?
Vamos fazer uma petição, um abaixo assinado.
Quem não gosta dê um passo em frente e junte-se a mim. Gritem comigo: "Abaixo o chocolate."

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Televisão de caixa...já era

A minha sogra faz anos. Os filhos e netos querem-lhe oferecer uma televisão para colocar na cozinha para que veja as novelas. Ora eu e o o meu senhor fomos procurar para depois comprar a televisão com uma condição, não, duas condições: boa e barata. Difícil, não é? Claro que é. Sem dúvida. Baratas? Se é barato não é bom se é bom é caro.
Ora como os filhos e netos ainda não receberam a herança (se ela faz anos ainda não morreu. Parece que eu quero a morte dela, não senhora que ela até faz os jantares de domingo e eu nesse dia fecho a cozinha a cadeado ) por isso não são ricos e custa a desembolsar o dinheiro.
Na loja pus-me a apreciar os preços dos LCD´s e plasmas.
Não é que ela não mereça, mas...
- Sem ser LCD ou plasma, as outras televisões, as de caixa, não tem?
- Já não se fabrica.
- Uóte? Já não se fabrica? Mas estas são tão caras! - começo a refilar com o triste do empregado!
- Normas europeias- disse ele.
E pus-me a pensar naqueles que recebem o ordenado mínimo sem possibilidades de comprar um plasma. Quando estraga a que têm o que fazem? É que as tais de caixa (ainda vimos umas) são tão caras como o plasma pela razão de já não se fabricarem e as que existem continuam com o preço como se fossem ainda novidade!!!
Se calhar compro-lhe um cantarinho de antúrios!!!
É que: "Quem nasceu pa lagartixa nunca chega a jacaré."

No orioporto/ Aereoporto ou no aeroporto

Fomos em família despedir do meu bisalho que regressou hoje para o Porto. Como bons madeirenses que somos e vítimas da emigração assim que alguém chega ou vai a família mantém-se em bando no "orioporto" ou "aereoporto" (formas como se diz por cá o aeroporto) a "açanar" (acenar) para a pessoa que parte.

Estava eu no "orioporto" e a Pulga diz: "chichi" e assim que esta palavra é formulada toca a andar à procura do sítio certo, neste caso a casa de banho. Estava a "buzica" (criança) com as cuecas na mão e eu a preparar-me também para o efeito sim que se mija um português mija logo três, neste caso dois.
Ora como estava a dizer... estava a preparar-me para me sentar na sanita ou ficar de pé com os joelhos flectidos sem se sentar quando levo com a porta na cabeça. Não, não caiu, mas alguém que não sabe que se bate na porta abriu-a. Sim, eu sei que devia te trancado, sim, também sei que nestes sítios todo o cuidado é pouco, mas...não se deve bater antes de abrir a porta?
É que eu ainda esperei para ver a besta mal educada, mas ou ela adivinhou ou o diabo lhe disse que eu ia fazer um escabeche e permaneceu dentro do sanitário. Ai se ela saía quando eu ainda estava lá ia ver o que é bom pá tosse!

Não há que se preocupar!

Depois do almoço formos dar uma volta até ao parque para as "busicas" (crianças) andarem de baloiço. As duas velhas, perdão, mais idosas também foram, mas desta vez mantiveram os olhos abertos.
Levei um cartaz: "Proibido deixar cair o queixo.Isso é que era bom!" (estou a caçoar não levei mas podei ter levado mas com cartaz ou sem cartaz se lhes apetece fechar os olhos fechavam mesmo)
Minha tia (mijona compulsiva) que de meia em meia hora tem de ir à casa de banho pediu para fazer o seu xixi.
Encaminhei para a zona dos dabliocês e quando me "precatei" (quando menos esperava) entra na dos homens.
Não há que se preocupar eu ia era rir de vê-la sentar-se nos urinóis. Será que conseguiria? De frente ou de costas? Ou nem ia reparar?
E ela sem se preocupar!

Dia doce

Hoje foi provavelmente o dia mais doce do ano. Até eu que não aprecio chocolates nem coisas doces lá enfiei um bocado na boca. Uma coisa castanha que me disseram ser chocolate. Decididamente não aprecio. Prefiro salgados: tremoços, amendoins, batatas fritas, cabrito que como já referi Páscoa sem cabrito é como...um jardim sem flores e jardim sem flores é como... homem sem cornos.
Ah m´esqueci-me de dizer: o cabrito era tão pequeno, tão pequeno´... até me fez pena dele, mas... perdoa-me o mal que te fizram pelo bem que me sabes. Ainda ao longe ouvia o balido do pobre coitado: béééééééééééé).
Mal injusto!

sábado, 3 de abril de 2010

Pensamento meu: Amor

Como se pode amar uma pessoa, segui-la na sua doença, chorar tanto no seu enterro e passados seis meses andar enlaçado a outra?
Amor? Parecia existir.
Respeito? Todavia não existe!
Amiga, lembro-me sempre de ti e das tuas palavras.
Merecias muito mais!

Pastilhas na bomba

- Compraste pastilhas? - pergunto ao meu filho ao sair do bar na bomba de gasolina, referindo-me a pastilhas elásticas ou "gâmeses" como se diz por cá.
Minha tia que gosta de se meter na conversa mesmo sem perceber do assunto diz.
- Pá cabeça?
Não é que ela não precise, mas na bomba de gasolina só se for pastilhas... de petróleo.

Mas que duas!

Depois do almoço sabe-se (nem é preciso escrever) que dá aquela pancadinha de sono. No carro familiar ia a conduzir o meu bisalho e ao lado o meu senhor. Atrás, eu entre as duas velhas (minha sogra e minha tia). Escusado será dizer que cada uma tem uma bengala. No carro com a bengala entre as pernas cada uma dormia ou "pescava bodeões".
Olhava para a esquerda, minha sogra deixava cair o queixo. Olhava para a direita minha tia o queixo deixava cair.
Mas estas velhas querem passear para quê? Para fazer naninha?
Realmente são como bebés: comer e dormir nem precisam de arrotar.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

A Bula vs Gula

Na Quaresma (quarenta dias após a quarta feira de cinzas) devemos fazer jejum e abstinência de carne.

O jejum consistia originariamente numa única refeição tomada à tardinha; por volta do século XV tornou-se uso comum o almoço ao meio-dia. Com o correr dos tempos, verificou-se que era demasiado penosa a espera de vinte e quatro horas; foi-se por isso introduzindo o uso de se tomar alguma coisa à tarde, e logo mais também pela manhã, costume que vigora ainda hoje. O jejum actual, portanto, consiste em tomar uma só refeição diária completa, na hora de costume: pela manhã, ao meio-dia ou à tarde, com duas refeições leves no restante do dia.

Praticar a abstinência é privar-se de algo, não só de carne. Por exemplo, se temos o hábito diário de assistir televisão, fumar, etc, vale o sacrifício de abster-se destes itens nesses dias. A obrigação de se abster de carne começa aos 15 anos. A obrigação de jejuar, limitando-se a uma refeição principal e a duas mais ligeiras no decurso do dia, vai dos 21 aos 59 anos. Quem está doente (e também as mulheres grávidas) não está obrigado a jejuar.
A bíblia diz que Jesus Cristo ficou 40 dias e 40 noites (QUARESMA) andando pelo deserto, até chegar ao Horto das Oliveiras, sem alimentar-se.
Portanto, o facto de não comer carne seria uma forma de demonstração de respeito, ou jejum perante Jesus.

Mas esse jejum não precisa ser necessariamente de carnes, podemos deixar de comer outra coisa (por exemplo: chocolates)
Normalmente apenas católicos seguem isso.

Ou então paga a bula à igreja e enfarda quilos de carne nestas seis sextas feiras até à Páscoa.
Bula e gula de mãos dadas na quaresma porque a bula alimenta a gula.

Já vais?

Acabo de chegar a casa com a minha tia, o meu senhor e o meu bisalho. Como a tia-velha anda devagar devido à idade, peso, cabeça, sim que a cabeça também pesa, ou não?
Ao subir peço licença e subo rapidamente à frente dela. Ela sobe lentamente uma "passada" (um degrau) de cada vez, pára e recomeça. Chego acima tiro, bem, jogo os sapatos e está ela a chegar. Olha para mim e...
- Vais caminhar? (sair de casa)
Bem, nem sei o que diga... apetecia-me ir à cabeça dela...dar-lhe tantas bengaladas com a sua própria bengala a ver se pensa antes de falar. Pode ser que resultasse...

Desobriga

Paguei a "desobiga" e como tal ninguém me obriga a jejuar, senão como diz os mandamentos do padre "depois de tar farto", por isso comi um bruto dum Cozido à Portuguesa hoje Sexta Feira Santa, dia de Jejum e Abstinência. Isso é que foi "encher o pandulho" como se diz por aqui no meu rural. Aquilo foi arroz, foi carne de vaca, de porco, enchidos, chouriços, farinheiras, paio, chourição, salsichão e nem sei mais. Agora vou jejuar depois de farta.

O senhor padre da freguesia mandou-me um folheto para pagar a "desobriga". A igreja estipula um preço a pagar. E cada pessoa do agregado familiar paga para nestes dias santos poder comer até fartar a boa carne. O preço a pagar foi caro, mas valeu pela barrigada de carne que tenho comido nestes dias. Aqui é assim quem pode paga quem não pode come peixe.

Outra coisa, é pecado mentir e eu estou a mentir com os dentes todos que tenho na prótese.
Não me desobriguei, não paguei para comer carne que eu sou contra estas parvoíces de pagar à igreja para poder pecar, mas é verdade o que contei (da desobriga) excepto que enchi o "pandulho" de Cozido à portuguesa. Como não paguei fui almoçar fora ao Seixal (terra que gosto muito) e comi sim, mas um arroz de lapas (que melhor não há em lado nenhum) e uma posta de atum e o resto da família comeu peixe sim senhor: espada frita ou em filete e lulas. Portanto se querem comer carninha paguem ao senhor padre, perdão, à igreja a desobriga.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Pensamento meu: Pecado

(Disse ali no poste mais abaixo) há 30 anos atrás era pecado varrer de vassoura, mas se a casa estivesse com poeiras podíamos passar um pano imitando a vassoura. Já não era pecado.
Também não se podia martelar que saía sangue do martelo.
Mas afinal o que podíamos fazer?
NADA!
Hoje em dia toda a gente vive em pecado. Ainda hoje a minha filha foi trabalhar e as netas foram para o infantário.
Não será pecado abrirem os infantários no dia de hoje?

Quinta-feira Santa

Lembro-me de há muitos anos atrás ainda eu era menina e moça e esperava casar com um gajo rico para não ter de trabalhar (ai que sonhadora eu era!!!), a Quinta feira Santa era dia de visitar as igrejas e as montras na cidade. Mas eu queria era chupar e trincar as amêndoas e olhar para os rapazes (mas eles não iam às igrejas. Oh!).
Saíamos, eu a minha tia, de casa, ao anoitecer e íamos às igrejas ver nosso Senhor no caixão e dar beijinhos (hoje em dia é impensável dar beijos onde toda a gente lá colocou as beiças).
Durante o dia não se fazia nada. Era pecado fazer fosse o que fosse: varrer, cozer, coser, limpar, etc...
Só uma coisa se podia fazer: bilhardar todo o dia, comer inhame e tremoços.
E passámos o dia na rua, no quintal a comer e a conversar. Porque não era pecado falar da vida alheia.
E que mais se podia fazer?
Na telefonia só passava música clássica. Na televisão eram os filmes bíblicos do ano anterior e do ano antes do anterior.
Só restava ....bilhardar e cuscuvilhar antes de "caminhar" (sair) de casa para visitar as igrejas!

Os mandamentos do senhor padre

"Perdoai-me Senhor que eu não sei o que digo".
Mas uma vez que as tradições já não são o que eram e o pecado já não mora ao lado e deixou de existir...
Hoje perguntei à minha tia-velha os mandamentos do senhor padre, uma brincadeira que ouvia quando era pequena.
Começa ela.

Primeiro: Amar a Deus e roubar dinheiro
Segundo: Enganar todo o mundo
Terceiro: Comer boa vaca e bom carneiro
Quarto: Jejuar depois de estar farto
Quinto: Beber bom vinho tinto
Sexto: Velhas e novas tudo a "ieito"
E o resto não se lembra.
Mas o quarto mandamento para mim é o mais interessante.