Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Esperar do Novo que do Velho já não espero nada

A todos os que por aqui passarem saibam que desejo...
UM ANO NOVO do melhor.

Que os desejos, os que andam a rezar para acontecer, se concretizem.

Aquele amor há muito esquecido que renasça;

Aquele amigo ausente que regresse;

Aquela festa que idealizaram que aconteça;

Aquela amiga há muito tempo afastada se lembre que afinal a amizade é para sempre.

Enfim o que quer que seja que desejam que aconteça com um gesto... um simples toque... uma mudança de ano.


Que a noite de São Silvestre, a última do ano, se debruce sobre o oceano na forma de fogo.

 E lembrem-se que...o que quer que se faça no primeiro dia do ano faz-se todo o ano.

(Ai Mê Dês, vou passar um ano a trabalhar, a fazer comer para um batalhão de gente, a ter sempre amigos em casa para jantar, a ter a família sempre reunida à mesa, a ter os filhos sempre ao meu lado, e os netos, a tia-velha, o irmão e claro ... o mê senhor.)

Fotografia: O Anjo na Lapinha

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Há coisas que marreliam

Uma delas é pensar o quanto meti goela abaixo!!!
Lá pensar eu penso, tenho cabeça para isso. O pior é mesmo...recusar.

Inda ônte na casa do´s Pulguedo comecei com (ma)nuelas*  e chouriço da Serra da Estrela. Sim, que o meu genro é de lá e por isso não falta: azeite do caseiro, azeitonas (com molho de azeite, alho, vinagre) alheiras...bem... não digo mainada.

Mas hoje, repito para acentuar a frase, mas hoje,  não comi nada. NADA.

Só uma sandes de cebola com tomate, queijo ralado e pimentos vermelhos tudo mesclado com azeite e vinagre (de Modena) balsâmico. Mais uma fatia de Bolo Família, mais uma taça de salada de fruta, mais uma fatia de Bolo de Laranja. Mai nadinha, mai nadinha. Ah, esqueci-me de dizer, e duas fatias de Bolo-rainha.

E isto "marrelia" a cabeça.

Supergloo pa dar nei beiças

* digo manuelas em vez de moelas por que em tempos tive uma aluna cuja mãe se chamava Manuela e a criança dizia que se chamava Muela. Mais um trocadilho cá d´agente.

E para desenjoar...

Só se comeu ... uma coisinha simples. Assim...sem gorduras, sem calorias.
Sem...sabor, acho eu, que comida sem calorias não acalenta o estômago e sente-se um frio lá nas tripas; vai daí que já estou a remar para outro lado e quase a me perder no que estava dizer,


(Mas que feitio este que tenho! De começar num assunto e perder-me nos entretantos!)
Ah pois... comida. (Qualquer dia acham que este blogue é sobre comidas e...por comer!)


Ora reza a tradição que dia 29 é na casa do´s Pulguedo. Ementa: Feijoada.
E é sempre boa. Feita pelo senhor meu genro que tem mãozinha para a cozinha. (coitado! Calhou-lhe uma que não catrapisca nada que é o mesmo que dizer que não tem jeito para o negócio).

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O Menino Jesus mija?

Aqui no meu rural é tradição andarmos pelas casas das pessoas amigas a ver a lapinha (presépio) e comprovar que o Menino Jesus..., com licença de quem está a ler neste momento..., mija.
É a pergunta que se faz quando se entra em casa de alguém.
E nestes dias é um provar de licores: de maracujá, tangerina, leite, limão...credo...nem digo mais que me sobe o álcool à cabeça só de pensar o que já provei nestes dias. Além do anis.
Anis! Só o nome deixa-me com o sabor na boca e começo logo a passar língua na esperança que ainda haja um resíduo!!!

Mas, há um bem tradicional, e que a tia-velha quando tinha a cabeça no sítio certo fazia, e por aqui toda gente gosta: Tim-Tam-Tum.

Huuumm! Delícia! Tim-Tam-Tum...
Passas...ameixas pretas...chá preto...canela...aguardente....e este ingrediente é o melhor: Vinho Madeira. Uma garrafinha inteira.
Ai que me dá um mal "hipopilhético." Ou..."afilhético."

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Esta canalha já nasce com a resposta embutida na boca

Hora de fazer  a sesta. "Canão" quem ouve "recados" sou eu. A minha filha entope-me "a zorelhas!"
 Vai daí...Fui pôr as Pulgas (as duas manas) no pulgal. A dormir, quero dizer.
- Conta uma historia - pede a Pulga (a de 4 anos).
- Só conto quando houver silêncio. Nada de gargalhadas. Nada de risinhos. Nada.- Disse imperativamente.

Já deitadas, nós as três, sai uma cotovelada  no nariz dada pela mai nova. No meu, óbvio.
-Ai o meu nariz! Magoaste-me. Ai! Ai! Ai! - fingindo chorar e de olhos fechados, disse como se tivesse visto estrelas em céu aberto.
- Consegues falar? - pergunta a Pulga e eu só via aqueles dentes brancos, brancos mai brancos não há e de cabeça levantada, preocupada.
- Ummmmm - e esfregava a cana do nariz.- Ummm - fazia caretas - Ummmm - dizia eu de boca fechada, fazendo sair  o som pelo nariz . Não sei! -continuei, fanhosa,  aparentando que não conseguia falar.
- Se consegues dizer: "Não sei " consegues falar. Conta a historia.- E com esta, deita-se à espera.

Não se deve enganar crianças, eu sei, muito menos estas d´agora que já trazem as respostas na ponta da língua. Ainda nem sabem falar mas respingar (respostas) sabem. E bem.

E depois...

...De comer tanto...e de beber...mais que tanto...não há como ter obrigatoriamente de fazer compras.

E eu que pensava só voltar ao super em 2011!
Mas tive de comprar... lixívia.

Admiram-se?
Como é que vou tirar as nódoas de vinho nas toalhas imaculadas que pus na mesa?

próxima vai mazé toalhas de plástico ou de papel. Ora bolas que fossadinha!!!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

E depois de comer durante doi´dias

...Estou chumbada.

Parece que não foi "carne-de vinha-d´alhos" com pão embebido na banha da carne.
Parece que  não foi peru recheado.
Parece que não foi massa guisada, arroz, ovos fritos...
Parece que não foram pudins: d´avó, da cunhada, do cunhado...
Parece, digo eu, que não comi nada destas iguarias no Dia de Natal. E parece sim, que comi chumbo, tal é o peso que tenho nas tripas.
Parece também que não comi um Cozido à Portuguesa ontem, Primeira Oitava do Natal, feito por mim para a família e amigos. Éramos aí uns 25. Só???? Dirão vocês! Mas não sabem o que eles comem!!!
Era chouriço, paio, entremeada, costeleta do cachaço, entrecosto, farinheira, chouriço de sangue, morcela, salsichão, salpicão...( o porco tem mais alguma coisa para dar? Tem tem: o rabo, a orelha, a pata), mais a carne de vaca, mais as "semilhas", batata-doce, "pimpinelas" couves, couve-flor, cenoura.

Hummm, será que me esqueci de algum ingrediente? (Bato na cabeça a ver se me lembro de algo mais... Ah, pois tá claro!!! ). O arroz. E o célebre cuscus como só eu sei fazer!
E a salada de fruta à minha moda, e o resto dos pudins da Festa, e mais o que os amigos trazem. E...

Ah!...(bato outra vez com força na cabeça..) E a bebida? "Atão" como "s´ingole" isto tudo sem vinho (já ia m´esquecendo de dizer)? E a sangria? Sim, que em seco nã vai nada!!! E sumo para a canalha e velhos.

Mas digam com toda a sinceridade: isto rebenta com uma pessoa! Não é verdade? Tem mesmo de parecer "qu´ingoli" chumbo?

Fotografia: Cozida à Portuguesa na 1ª oitava do Natal

sábado, 25 de dezembro de 2010

Mas no dia de Natal dá-me sempre uma pontada de nostalgia.

  Não tenho razões para chorar mas mesmo assim elas, as lágrimas, tendem a escapar dos olhos. Não quero. Faço força, tento não pensar, fecho, pestanejo, mas mesmo assim ...

Neste dia fico...nostálgica. Sim, nostalgia, (uma tristeza profunda causada pelas saudades): dos que partiram, dos que aqui estão e vão partir, dos que estão para nascer e poderei não os ver...
Penso na Morte. Deveria pensar em Nascimento, só. Mas não.

Lembro-me...lembro-me de todas as situações pelas quais já passei, momentos bons que não quero esquecer e outros que por mais que tente tirá-los do meu pensamento, simplesmente não consigo. E são esses os que me fazem chorar. E os outros também.

E a falta da Família! (Irmãos distantes, sobrinhos, cunhados).Estes faltam para completar o meu ideal. O quadro perfeito. E completo. Porque queria eu ter o condão de aproximar toda a família para junto de mim. TODA.

Nostalgia? Saudade? Melancolia? Espírito Natalício? Família?
Utopia? Resignação? Hormonas? Velhice? Ou algum problema mental? É que eu queria ser...queria ser... IMORTAL, pronto já disse.

Fotografia: A mãe das Pulgas e o mê bisalho a abrir as prendas no dia de Natal

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

E hoje...

...É a Noite da Conso(L)ada

Por cá na Madeira não temos a tradição da consoada. Mas não se deixa de cear em família e amigos. Não em casa de nenhum de nós nã senhora, que, nenhuma mulher ou homem tem pachorra para se pôr na cozinha de avental nesta noite em que Maria e José andaram à busca de um lugar agradável para que Ele viesse ao mundo.

Assim, também nós, família e alguns amigos, partimos nesta Noite de Natal à busca de um lugar agradável para Conso(l)armos.

Desejo a todos vós Uma Noite Repleta De Luz.
E uma ceia da consoada bem consolada.

E sabem? Vou conso(l)ar-me e bem.

Três coisas que foram feitas ontem...

...Dia 23 de Dezembro. Cumprir a tradição.

- Aeroporto buscar o Bisalho (meu filho).

- Jantar em casa do cunhado. Ementa: Raclette.

-Noite do Mercado. O Pulgal foi todo para o Mercado dos Lavradores.

E a noite esteve está magnifica.
Sem frio, sem chuva, sem vento.
Com carradas de calor humano, energia  positiva e camaradagem.

BOAS FESTAS.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

É com todo o carinho que desejo Feliz Natal

E...Abro as portas da minha casa e convido todos os meus amigos, a fazerem a visita da Festa.
Vou à frente para explicar todos os recantos.
A lapinha (ou presépio) Madeirense tradicional é feita em escadinha (depois mostro) ou em gruta. Esta (a 1ª foto) é assim com laivos de gruta, estilizada, feita a nosso gosto, à nossa maneira.

Depois o bosque( 2ª foto). Somente composto por três pinheiros. Talvez uma mania minha, também um desejo.

O ramo do dia de anos com a decoração na mesa ao cimo das escadas de acesso ao andar superior (3ª fotografia).

Por fim, (4ª foto) o Pai Natal na lareira da sala sentado a receber as visitas.

Com estas imagens desejo FELIZ NATAL aos amigos d´agente (do blogue) e a todos  os visitantes sem excepção.

BOAS FESTAS é o que daqui deste lado do oceano, desta ilha da Macaronésia à beira mar situada, a meio do Atlântico plantada  eu desejo a todos.

Se quiserem ver outros recantos, outras fotografias, é só seguirem o caminha certo.
Entrem e sigam por aqui.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Agora sim, já posso respirar e dizer: adoro o Natal!

Eu sei. Eu sei. Sim claro.
Pronto, dou abraço a torcer, mas não torçam com muita força. Cuidado.

Eu sei que disse. Eu sei que foram vocês que me deram a força para começar, mas depois de começar...foi um foguete. Ninguém me apilhou.

E não havia espírito natalício! 

Mas depois de ver as searas a crescer e a orvalhar, os sapatinhos a desabrochar, o bosque...(sim o bosque como já lhe chamaram porque eu decorei três pinheiros juntinhos) a brilhar com "bambiarras"..."aquilho" que não havia... de  repente...pumf... havia de fartura.

(Fartura!! Há quanto tempo não como uma!!!!)

Está lindo!
 Vá lá digam: Tá lindo! (Não ouvi mas sei que disseram).
É que, se não disserem...não mostro mainada.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Antes de mais...

...MUITO OBRIGADA...

Pelos PArabéns  e votos de felicidades e de desejos de Boas Festas.

HÃ? Dois em um, como eu sou poupadinha!!!
Ó despois eu faço os agradecimentos quando for às vossas casas fazer a visita da Festa. E ler o que escrevem nestes dias.
Ai como estou lerda...hoje!

Deixem a porta aberta que eu vou entrar a qualquer hora nem bato para não incomodar.

Hum, isto de fazer anos uma semana antes da Festa...

... É sinónimo de despesas a somar. Ou prendas a diminuir.

Eu sempre perguntei à  minha mãe: Porquê? Porque nasci eu na semana da Festa?
Não sabia na altura da pergunta...olha...não sabia o que sei hoje acerca de anticonceptivos, inseminação artificial e muito menos que os filhos podiam nascer mesmo com o pai morto. Eu só queria saber porquê? Por que nasci eu uma semana antes do Natal!

Eu cá pensava, (e acompanhem-me neste pensamento para eu não gastar as minhas energias sozinha) que se era o Menino Jesus que mandava os filhos e se Ele enviava os meninos no Vapor do Cabo...(sim, porque estão admirados? Eu não vim numa cegonha!!! OhOhÓhÓhOh)...aquele barco que levava os emigrantes para o .....para o ...claro que era para o Cabo! (África do Sul) por que não fez com que o barco chegasse um mês antes do Natal? Ou depois, já no Ano Novo?

(E como também sabem que eu começo a fazer um caldo de peixe e acabo numa sopa de pedra, que é como quem diz, falo de um assunto e meto logo outro pelo meio, aqui vai: Quando era pequena ficava envaidecida por ter vindo num barco com duas chaminés enquanto que o resto da canalha vinha num de uma só. E isto dava-me um ar de superioridade ...e de burrice pois não percebi aos risinhos dos mais velhos quando eu falava neste assunto. Tontos! Eles. Claro!)

Assim já ninguém dizia isto: Gizinha...(sou eu. Eu era a Gizinha quando era pequena. Vá riam, mas...que eu não oiça, "canão" começo a mandar semilhas daqui para aí)... sabes está uma crise instalada por aqui. A gente não se  pode comprar aqueles  sapatos Louboutin que tu pediste ao Pai Natal, nem aquela água de cheiro da Nina Ricci e Mango só se for da Venezuelaque os da Madeira são mais caros. Salsa...bem, salsa só se for em pó que o pé que a mãe plantou ainda não deu nada.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

E conto com mais um

Cada ano pesa mais no corpo. Nem dietas, nem jejum nem abstinência ...Nada. O corpo teima em ressentir-se do peso da idade.
Esta manhã até acordei sem forças. E pensei comigo: Que raio de coisa?? Nunca estou cansada de manhã!! Depois lembrei-me: Pois, é mais um ano...e um dia.
Até para descer as "escádias" me custou.
Um passo de cada vez.

Para o ano há mais: um ano e...uma festa, sim que português que se preza mesmo em crise e, sem dinheiro, tesos,  nada de ser forreta ou "furcas" como se diz por aqui.

Pró ano vou contratar a filarmónica, um rancho folclórico, um conjunto musical, uma banda de música e até foguetes vai haver, tantos, que toda  a gente vai pensar que é o Fim Do Ano antecipado.
"Aquilho é que vai ser!!"

Foto: o postal do mê senhor o que acompanhou um ramo de rosas. Lindo!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Numa noite de muita chuva e trovões...

Decorria o ano de 1955. Duas cunhadas estavam grávidas. Na brincadeira diziam: "E se nascessem no mesmo dia!?"

Segunda feira, dia 19 Dezembro, pelo meio-dia nasce uma rapaz. A avó fica feliz nascera-lhe mais um neto. Do filho. Faltava a filha. A sua flha mais velha já com 36 anos e mãe de quatro filhos, uma com 18 anos, outra com 16 e dois rapazes com 14 e 10 anos estava grávida
- "Pode ser deficiente"- Diziam.- "Com essa idade...é um risco!!
Esperou em sossego. Confiou.

Durante o dia chuva, relâmpagos, trovões e frio. Muito frio. 
Ao entardecer sente uma pontada.
-"Meu Deus a parteira não pode vir com esta chuva" Pensou.-"Mas não posso arriscar ter um bebé sozinha!"
Mandou a sua mana e a filha mais velha chamá-la.-"Não posso esperar mais..."

A parteira ainda pensou em não ajudar, com tanta chuva e vento e toda aquela tempestade o melhor seria nem sair de casa.
"Não, a Conceiçãozinha precisa de mim!" E lá seguiram as três.

Quase que não chegavam a tempo.
A criança estava pronta a nascer.

Às nove da noite de um dia de tempestade, nasci eu.
 "É perfeitinha!" Disseram todos.
Mesmo sabendo que devido à sua idade poderia ter algum problema, a minha mãe arriscou. Tinha fé em Deus e acreditou nela própria.

Era numa mulher de convicções e nunca as perdeu nem mesmo quando a doença, aos poucos, lhe levou a esperança.

sábado, 18 de dezembro de 2010

E toca a comer que fomos nós que trouxemos

Na festa (de Natal) de hoje do Infantário onde as Pulgas estão integradas ainda a festa ia a meio...ainda o pai natal distribuía as prendas pelas crianças...já as mães andavam a cheirar as mesas de comes e bebes.
A cheirar não. A comer. Quando eu olhei vi-as de bochecha inchada. E não tinham abcessos.
Nem queria acreditar. A directora a dizer no micro, em alto falante, que o serviço ainda não estava aberto e que as crianças ainda estavam a  receber as prendas.

Ouviste o que eu disse? Ouviram vocês?
Tem graça elas também não, pois continuaram a comer. E perguntar-me-ão onde estavam as crianças destas mães?? E eu responderei: ao cuidado das educadores, auxiliares e funcionários.
O kit "Mãos Livres" é para...ter as mãos livres, certo?

É tão bom pagar! Ui, sai um peso da algibeira!!

E foi...

...Considerado pelo  "Tralha do Melhor" o blogue da semana.

As Pulgas agradecem. A avó Gi também.

Que mais posso dizer a não ser esta palavrinha:
OBRIGADA!

Daqui deste lado tudo farei para ter isso em consideração.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Um toque de Midas logo tudo se transforma, mas não em ouro

E como eu disse ali no andar de baixo a aula foi mais proveitosa para ele, que para mim foi de trabalho.

Ora para começar nunca precisei de pôr trancas nos armários, nem com  filhos nem com netas, mas com este rapaz que em tudo mexe houve que providenciar uma ripa de madeira que tranca de um assentada as portas dos armários.

Mas hoje distraí-me e não cheguei a tempo de colocar a ripinha. Quando dei por mim já a caixa, um tupperware, que continha comida para os periquitos (que "azoigaram" todos e ficou a vasilha cheia) o rapazinho no intuito de me ajudar a exercitar os músculos deitou ao chão.
Espalhou a comida por todo a cozinha.

Olhou e...começa com um pé...tic-tic-tic-tic... e vai o outro, tic-tic-tic e vão os dois tic-tic-tic-tic e ambos espalham ainda mais!

Ao ver tamanha desgraça eu, avó já com a limpeza feita pá Festa, deito as mãos à cabeça, melhor dizendo, ponho uma mão à cabeça e com a outra dou-lhe uma saraivada de ripa. (Não dei mas bem m´apeteceu!).

Adiante! Estou como se fosse "arriba dos pés" (ah, quem não sabe o que é ir arriba dos pés ponha o dedo no ar) e ele em solidariedade coloca-se de igual forma.

Ficámos os dois: eu a fazer um montinho para juntar tudo de uma só vez e ele a olhar... Olhava para a comida olhava para mim com aquele sorriso aberto de mostrar a cremalheira!

Eu junto...junto ...cresce...cresce...está já tudo juntinho...parece uma montanha!
Até que não sei se foi vento se foi foi uma luz que se acendeu no seu minúsculo cérebro, dá-lhe um vaipe e espalha tudo. Desta vez com as mãos.

A montanha que estava eu a fazer...transformou-se...numa planície.

Diacho de gasguito!

E hoje na cozinha houve...

...Uma aula de Estudo do Meio. Capítulo 25. Conteúdo: Formas de Relevo... na cozinha da avó.                          
Este Pulguito vai dar cabo da cabeça. Da dele já deu. Anda sempre com nódoas negras e "mamulhões". Da nossa digo eu! Este rapaz é demasiado mexido para a quietude desta família.
                   
Mas uma coisa que ele gosta é de ajudar a avó nas lidas da casa principalmente casa de banho e cozinha.
É surpreendente a forma como ele me ajuda! E como me faz exercitar este corpo com perto de 55 anos.
Ginásio? Nada disso. Netos é a solução!
                     
É também surpreendente a forma como ele me desajuda!
A aula de hoje de muito lhe vai servir quando entrar na escola. Bem, não é logo quando entrar, é lá para o quarto ano de escolaridade.
                    
A propósito, quando é que entra no 1º Ciclo? Daqui a cinco anos? Cinco anos? Ainda? Ai Mê Dês! E mais quatro anos... fazendo as conta de cabeça que aqui e agora não há papel...nem lápis... lá pró ano de 2019 é que lhe vai servir?

Esperemos com...tranquilidade (não, não, não estou a gozar do seleccionador nacional).

A maneira mais fácil e rápida de tirar um curso intensivo de medicina é ir ao médico de família

De cada vez que vou com  a tia-velha ao médico de família saio de lá com fogo no rabo, assim como se fosse um foguetão a sair do Cabo Canaveral em direcção ao Espaço.

-Então Alice, tá tudo bem?- pergunta o senhor doutor de medicina.
- Tá!- responde ela.

E logo começo eu com as questões e intervenções e as comichões na hemorróida. (Só não me coço para  não ter de me levantar!!!)

E começa ele na ladaínha do costume: Copália é 80? São duas embalagens de Tacirel?  São duas pastilhas por dia? 
Mas se tem o processo dela à frente do nariz para que faz perguntas?

Oh po**a ele sabe que a velhota está esquecida, nem sabe em que dia estamos quanto mais saber se já acabaram os remédios, se toma duas ou três ou o frasco inteiro.
(Ainda há dias lhe perguntou se já fez a operação às cataratas ao qual ela respondeu que não.Tive eu de desmentir. E está escrito no processo!!!) Ó senhor doutor leia se faz favor!!

Irritei-me. A brotoeja já fervilhava e ....
- Senhor doutor (da m**d*), olhe são duas embalagens de Tacirel, uma de Copália, duas de Ultra-Vinca, uma de Lazix, duas de Arteoptic, duas de Risidon e uma de Zanidip. Tem sete diferentes? Tem? "Atão" tá tudo.

E ele passou as três folhas de receitas, olhou para mim, sorriu talvez ter eu sido tão precisa e colaborante.
Boas Festas. Até para Fevereiro - disse eu.

E saio de lá louca da cabeça por  ter esperado duas horas e ter sido atendida em 2 minutos.

Onde é que eu pus os balázios??

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Tenho aftas na boca! E será que nascem noutro sítio?

O que devo fazer??? (Até parece aquelas perguntas do consultório da revista Maria!!!)

Apareceram-me sem serem convidadas as danadas, e incomodam, quase que não consigo falar.
Eu sei o que devo fazer. Calar-me. Fechar a boca para não entrar ar.

E vocês ai desse lado nada podem fazer e bem queriam!
Mas, também oiço e bem esses pensamentos: Ainda bem! Coitado do sê senhor que tem de a ouvir todo o dia, pelo menos agora ela tá calada.
Mas falarei até que a voz me doa. E as aftas.

Mas esta treta irrita e sei que tenho de viver com elas durante três dias e são logo quatro! Vieram em pacote económico.
E hoje tenho um lanche daqueles com coisas boas  e engordantes e vai ser difícil...atestar a mula.

Posso dizer uma palavrinha (feia) para elas? Ou será melhor um palavrão??

Eu e Moi-Même já se fez o que ainda não estava feito

Ai, estou derreada!!! Cansada!
Lavei, aspirei, limpei. Por cima, por baixo, dentro, fora. Estas limpezas da Festa matam-me. Ai as minhas  "arcas".
Mudei lençóis das camas. Coloquei os da Festa. Uns novos que os outros foram para lavar. Pus tapetes nas mesas (como diz a tia-velha).

Acabei as decorações de Natal. Limpezas? Adio, Adieu, Auf  Wiedersehen, Goodbye. Té pró ano.

Hã? Hã? Estão a fazer sinais... Hã? Não percebo!! Ah, os lençóis. Sim, eu esqueci-me de dizer que lençóis frescos na cama só em Janeiro, a 31. No Ano Novo. Em 2011. Sim qu´eu não sou escrava do lar. E moi-même meteu férias natalícias.

Agora com licença de Vossas Senhorias e Senhorios, vou tomar um banho de espuma, mergulhar de cabeça na água, pastar na banheira até nascer musgo debaixo dos braços.

Sabem.....

...O que é uma matraca?? Uma gralha?? Uma tramela?? Sabem??

Sabem o que é ter uma tia-velha que não se cala um instante sempre rebobinando e dizendo o mesmo??? Que engoliu uma agulha de gramafone quando era jovem e ainda não saiu??

Hoje cismou de perguntar quando vem a minha irmã (que vive em Londres).
Ora a minha irmã não vem. Eu já lhe disse. Mas todo o dia me perguntou: "quando vem?", "a que horas chega?",  "é à tarde ou à noite?", "ela vem cedo ou tarde?", "é hoje ou amanhã?", "vem só ou com o marido?" (o marido enterrou-se há 15 dias),  "eu vou vestir esta roupa ou outra?", "tu vais buscá-la ao aeroporto?". Todo o dia foi esta a conversa.

E para terminar... a melhor: "compra um frango para fazer um caldinho para quando ela chegar".
Por que "amanhã é o primeiro dia do ano".

Ai  agarrem-me, "canão" eu ponho-lhe uma mordaça na boca.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Mas agora a sério que isto hoje não está fácil

Todos os velhos, (digo velhos que, com esta ira que eu tenho não me apetece envernizar a coisa e chamá-los de idosos), com mais de oitenta anos são teimosos? Ou é só esta diaba ( tia-velha 85 anos) que está colada às minhas costas que nem me deixa ver a sombra, a minha claro, que a dela vejo sempre, que é mais teimosa que uma mula?

Digam-me que estou enganada. Digam-me que todos os velhinhos são queridos, amorosos, obedientes, respeitosos, dóceis...

Alguém conhece alguém que conheça alguém e que esse alguém conheça ou tenha em casa um velhinho que não seja teimoso?

Vamos fazer o que ainda não foi feito...

...Porque amanhã é sempre tarde demais. Com o Pulguito ao colo, tia-velha atrás.

Eu o Pedro Abrunhosa vamos fazer o que ainda não foi feito.
Pela minha parte vou aspirar, limpar, esfregar, lustrar.
Pela parte dele vai cantar.
A ver se a coisa entra a sério que a pachorra é pouca. Pode ser que com esta cantiga eu trabalhe depressa....e bem feito. Sim, aqui que ninguém nos ouve nem vê, eu sou do despacha-te. Percebem, não?

A despropósito, não sou fã dele, mas esta canção conquistou-me. A voz, a letra, a música.

E, deixa-me que te diga ó Pedro... se por um "Momento"...tivesse a oportunidade de ver "Um Dia o Teu Olhar", (mas quem vê, se andas sempre com óculos de mergulho?) a seu "Tempo", no "Palco" eu....deitava-me a teus pés, arrancava cabelos, pulava, gritava histérica, jogava sapatos e meias e é..."Tudo o que Te Dou". 
Afastem-se que eu vou-me a ele.

Afinal, pensando melhor desisto de: limpar, esfregar, lustrar.... Não quero ser fada do lar.
Quero ser cantora!!

Quanto a mim, que não sou expert na matéria, o melhor de Pedro Abrunhosa.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

As pessoas estarão surdas,mal-educadas ou apressadas?

Ao entrar no camarim para mudar a roupa da Pulga para a aula de Ballet dou sempre uma "boa-tarde" discreta, mas o que é certo é que ninguém me responde.
À saída faço igual, mas optei aqui há dias por aumentar o volume da minha voz por julgar que o timbre não era o adequado e por isso não ouvirem.
Nada.

Na semana passada levo uma na algibeira. Deixei-me atrasar para ao entrar no camarim já estarem lá os de sempre.
Faço uma entrada daquelas de ar em movimento e logo digo em alto e bom som: BOA-TARDE.
As cabeças viraram na minha direcção e os olhares viram o meu largo sorriso e lá muito baixinho ouvi uns: Boa-tarde.

A pressa entope os ouvidos e inibe a língua. Nada como aumentar o som da voz porque afinal há muito surdos em Portugal!

Mãe

Aos 3 anos: "Mãe, amo-te."
Aos 10 anos: "Não percebes nada."
Aos 16 anos: "Oh Meu Deus, tu enervas-me!"
Aos 18 anos: "Quero sair desta casa."
Aos 25 anos: "Tinhas razão, mãe!"
Aos 30 anos: "Quero voltar a casa da minha mãe."
Aos 50 anos: "Eu não quero perder a minha mãe!"
Aos 70 anos: "Eu dava tudo para que a minha mãe estivesse aqui."
 

Pedi à Menina Lua Primavera  (clicar e vão lá ter) que gentilmente deixou copiar.
Obrigada.

A mim... digo a mim, pois a ela também...este pensamento tem aflorado à mente em muitos momentos.

Embora com 50 anos eu dissesse: " Eu não quero perder a minha mãe" há muito que ela já havia partido.
Ainda não tenha 70 anos mas: " Eu dava tudo para que a minha mãe estivesse aqui."

Ela  não está, mas deixou-se a sua mana (a minha tia-velha ). É como se estivesse. Faço tudo o que faria por ela.Um conselho (de quem já teve e agora não tem e sente-lhe a falta): Quem tem Mãe que a estime. Depois de ela partir... não volta!

Fotografia: a minha mãe ou avó-mana como é referenciada pelos meus filhos.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Vamos pôr os pontos nos iiiiiisssssss

Quando estão em casa...(e partindo do pressuposto que em casa não se anda de mala nem bolsa)...com roupa sem bolsos onde colocam o telemóvel?

Olhem nem vos digo, aliás estou a mentir, vou ter de dizer, mas não hoje, onde ponho o meu.
Um lugar espectacular.
Dou é saltos de cada vez que toca!


  Isto porque eu sou altamente independente do telemóvel, daí que muitas vezes eu estou num sítio e ele está noutro e não o oiço tocar. 

É quando chovem reclamações, reivindicações e declarações. Além das complicações injuriações e censurações: do mê senhor...do bisalho...da filha...do genro..da (projecto-)nora...do cunhado...da cunhada...da prima...da irmã...do irmão...da sobrinha...do sobrinho...da neta ...da outra neta...do neto...tenho de dizer a família toda que tem razão de queixa, por que eu não ando com o telemóvel?

Mas eu não nasci com o telemóvel embutido!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Podes contar as letras em vez das folhas?

- Titia, conta...- pede a Pulga à tia-velha e entrega-lhe um livro de histórias.
Tia-velha segura no livro.
Pulgas sentam-se para ouvir... Olhos nem pestaneja tal é a curiosidade.
A hora do conto aproxima-se!

Tia-velha abre o livro e começa...
- Um...dois...três...quatro...
A Pulga olha para ela, estarrecida.
- Titiaaaa! E para contar a história.

Ela estava a contar as folhas do livro. E porque não?
Realmente também se contam as folhas dos livros de histórias!

Pai Natal adorava conhecer-te para pedir tanta coisas!

Carta escrita pela minha filha aos 9 anos para o Pai Natal.

Embora com esta idade já soubesse que o Pai Natal existia só no imaginário das crianças, mesmo assim traz-me a carta e manda-me deitar ao correio.
Pergunto-lhe:
- Sabes que o Pai Natal  não existe?!
- Sei sim. Mas posso enviar a carta?

Claro que enviou. Mas o Pai Natal devolveu à procedência por falta de verba para comprar TUDO o que era pedido.

Ainda hoje mostrei às Pulgas.
Está  guardada no relicário, junto a outras manifestações de carinho. E hoje porque andei a remexer no passado, encontrei.

E é tão bom reler!!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Pensamento meu: Valores

A minha mãe e tia-velha ensinaram-me bons exemplos tenho a certeza. E é por ter tanta certeza que hoje em dia dá-me uma comichão na sola do pé e coço o nariz quando vejo a falta de educação da parte de crianças com a conivência dos pais.
Chegou-se a um ponto em que não se pode dizer nada ou emendar as criancinhas por que podem traumatizar.
Agora pergunto eu: E os adultos não ficam traumatizados com tamanha falta de educação vinda de crianças?

Elas mandam. Elas comandam. Elas decidem. Elas desmandam.

Não abdico dos meus princípios e ideias e propus-me a passar esses valores aos meus filhos, e agora aos netos, mas tenho de aprender a não me deixar magoar com certas atitudes. Por que nós, os adultos que não permitem certas atitudes, é que somos os otários.

Ainda estou em formação contínua. Continuo a viver e a aprender.
Tenho pena desses pais. Sim, muita pena mesmo, pois os filhos crescem e a frase martela-me no pensamento: filho és, pai serás...

Que futuro para nós??
Que futuro para eles??
Um mundo onde não há lugar a recusas!!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Fim de semana, pois então vamos rir um pouco

A família à mesa jantava. Todos falavam do seu dia. De repente a menina de onze anos diz entre soluços:
- Tenho uma má noticia. Não sou mais virgem. Sou uma vaca.

E chora compulsivamente com a cara entre as mãos visivelmente transtornada, tapando toda a vergonha que sentia.
De repente todos se culpam e se atacam mutuamente.

O pai diz para a mãe que a culpa é dela que não a repreendeu no momento certo.
A mãe vira-se para o pai e remete a culpa para ele por nunca estar em casa e ser ela a responsável pela educação dos filhos.
O pai vira-se para a filha mais velha de 19 anos e a ataca com palavras duras dizendo que é por estar com o namorado no sofá aos beijos...

Já ninguém ligava a menina, até que a mãe com as lágrimas nos olhos lhe pergunta:
- Diz-me filha, como foi isso acontecer???
Entre soluços a menina responde:
-A professora... a professora é que teve a culpa...Ela tirou-me da lapinha (presépio). Agora a Virgem é a Cátia Vanessa. Eu vou fazer de vaca.

Obrigada Nilce do blogue A vida de uma guerreira pela partilha.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Ainda esta noite só me apetecia esgaçá-lo

Se há coisas que detesto é ter frio durante a noite.

Então para  colmatar esse briol que passa ali sobre a manhã rendi-me aos pijamas, coisa abominável que abomino, mas que por via das circunstâncias ajoelhei-me perante eles.
 (Por quê essa admiração? Por eu usar...camisa de noite??? Eu sou mulher de camisa da noite até aos pés, como um vestido de noiva!)
Mas rás parta esta raça de pijamas... ou é por eu embirrar com eles ..e eles sabem disso...ou então eu e eles não nos entendemos!

 Durante a noite as calças começam a subir, a subir até ficarem em mini calções. A camisola mais parece um cachecol quando acordo.
Não é de me mexer! Eu não me mexo para não sentir frio. Ele, o sacristo do pijama é que me chateia e não cumpre o seu dever que é e passo a citar: a)aquecer-me b)não deixar nenhuma fresta c)manter-se inalterável.

Será que há sacos para adultos como há para crianças? "Canão " vou mazé transformar uma saca de semilhas em saco-cama.

Fotografia: A Pulga dentro do saco-cama

Todos os dias são segunda feira

Minha tia (-velha) todos os dias pergunta: "que dia é hoje" e ao mesmo tempo dá a resposta.
- Hoje que dia é? Segunda!?
A minha resposta é sempre a mesma: Sim.
Não vale a pena confundi-la mais do que já está e se quer que seja segunda feira...(deve ter sido especial para ela a segunda-feira, isso e... frango assado)...tornemos mais especial o seu dia.

Mas hoje...Ao ver o anúncio da Gala da TVI...

 - Hoje não é segunda feira?
- Sim - respondi.
- "Atão" diziam que esta Gala de Natal era na quinta feira, afinal é hoje.

Com todo o respeito a quem merece

Ao vermos alguém de rabo para o ar, a jeito para levar um pontapé no traseiro, costuma-se brincar e dizer: Olha foi assim que os alemães perderam a guerra*.

Isto foi antes do afluxo de chineses.
Imaginem o que seria, na altura da guerra, se os chineses vissem os alemães de rabo para o ar, sabendo que em qualquer buraco eles abrem uma loja?!

Desculpem, mas hoje deu-me para rir com esta história de buracos! E não tenho nada contra os chineses. Respeitamo-nos mutuamente! 
Mas deixem os meus buracos onde estão...e livres...preciso deles.

Mais fotografias da neve...aqui (cliquem e vão lá ter num nadinha)

 *Reza a história que, quando o exército Alemão atacou a Rússia, os soldados alemães estavam tão exaustos e havia tanto gelo que eles mal conseguiam andar. Fatigados, acabavam por tombar na neve, com as pernas e o tronco formando um ângulo de 90º.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Constatação do dia ou melhor, da noite

Minha tia-velha,  85 anos de corpo, mas de cabeça somente 5 anos, ao olhar uma fotografia do mê bisalho (meu filho) dizia:
- O Bruno tem os dentes bonitos. Deve à mãe. Há mães que não se importam, mas tu importas-te.

Agora digam-me: será um pouco de graxa da parte dela em virtude de ter feito coisas tortas (ter-me desobedecido) e eu ter ficado estuporada e zanguei-me??? Ou estará a dar manteiga para que eu a deixe fazer coisas tortas sem ter de me zangar??

Esta tia-velha tira-me do céu!!!

Olhe eu também quero que fale direito e com delicadeza!

- Oooolhiiii. Ah senhoureeee. Tem feixes?? - e nem olha a ver se é a sua vez de pedir. Mete-se logo adiante dos que estão (deve ter as calças para coser,ou o pinheiro para armar... daí a pressa...)

Num espaço comercial muito parecido a uma loja chinesa (com cheiro e tudo) perto da minha casa, uma senhora pedia um feixe.
Um feixe??? Quê?  (palha..?  molho..?  gavela...?  braçado....? porção...?)

Não. Era um fecho (fecho-ecler) o que ela queria!! Um fecho, senhor.

E onde entra o faz favor???
Ai, que forma de falar!!! Caneco, eu sou madeirense mas não falo "asseim". Nem a cem nem a duzentos, (usando o trocadilho).

Irra...espirra...

Clap...Clap...Clap...

Vamos lá todos esticar  os dedos e colocar as palmas das mãos paralelamente, assim como se elas estivessem a olhar entre si.

Já está?
Agora unir a palma da mão direita à palma da mão esquerda.
O que dá?
Isso mesmo. Palminhas, palminhas, palmotas...

Já dei o primeiro passo para o Natal!

Eu sei que estão todos satisfeitos, mas podem parar de dar palmas,  podem?
É tal o ruído que não consigo ler...

Comprei o pinheiro. O antigo (este que a foto documenta) estava...antigo.
Segundo passo: comprar um ambientador de pinho para colocar na ponta do pinheiro.
Pinheiro sem cheiro de  serra não é pinheiro. Mesmo sendo artificial pode cheirar, não??

Fotografia: pinheiros cá da casa, enfeitados

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Há.....

...Alguma injecção para aumentar o desejo??  Do Natal.
Ando sem desejo.
Nem desejo fazer a árvore, nem a lapinha, nem decorar, nem me mexer para nada.

Devo ser a única que ainda não deu um passo para o Natal!!!

Estas Pulgas dão-me cabodo canastro!Como se não bastasse uma a mexer nos sapatos, agora são as duas!

 A Pulginha chamava-me com insistência.
- Avó-avó-avó. - E como estavam as duas, ambas juntas, como se diz por aqui...voei e pensei: Nada bom! Devem ter feito alguma!!! (Para dizer a verdade, não foi bem esta frase, foi esta: devem ter feito m****)

Aproximo-me dela. Estava encostada de lado à parede, com cara de caso. Na testa li: Culpada!
Os olhos, só os olhos virados como se estivesse a olhar para a sua própria testa. E não dizia nada.

Olhei. Não tinha sangue, não tinha nódoas negras, não tinha inchaços, nada partido...Nada!
- O que foi? - perguntei. Nem se mexeu nem se desencostou da parede. Será que pintou a parede e está a tapar? - Então??? Chamaste-me? 
Os olhos que estavam a olhar para mim de repente desceram até aos pés. Hmmm, está envergonhada. Mas ela até nem sabe o que é isso!?

Segui a direcção dos seus olhos. Olhei para os pés, uma vez que ela continuam a olhar para o chão.
Pois é isso, uns pezinhos tamanho 21 metidos nuns sapatos 38.

Mas eram os meus sapatos muito altos, muito novos, muito bem estimados, muito bem advertidos para não mexer, muito bem acautelados para não verem!
Afinal não estavam assim tão bem escondidos!!!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Se...

 ..Eu com quatro anos pedisse bostik à minha mãe de certeza que ela me dava uma "relampada nei ventas" para não dizer "palavrei feias".
Nem bostik, nem internet, nem telemóvel, nem CD-Room, nem computador, ai esta...se eu dissesse só computa... nem ia chegar ao fim da palavra...aí... já a mão voava em direcção ao meu nariz até sangrar.
Além de que se eu dissesse que tinha e-mail ela julgaria que tinha abelhas e mel.

E o ai pode (iPod) iPad?
Ia logo para o quarto de dormir rezar a todas as alminhas! E no dia seguinte ia falar com o senhor padre-cura  para me exorcizar.

Isto sem falar na pen...sms...laptop...web...vídeo-chamada...DVD...desktop

Imaginem que eu pedia para fazer um secana (scanner )!!.....

domingo, 5 de dezembro de 2010

Bostique para bosticar na parede

A Pulga estava nos seus trabalhos ou seja nas suas desarrumações que sim quando estão aqui desarrumam mais do que arrumam.

Tinha na mão um papel. Vira-se p´ra mim e ..
- Avó. Tens bostik?
- E para que é que isso serve? - pergunto-lhe e por vezes armo-me em tonta ignorante só para ver o seu jeito.
- Não sabes? É para colar na parede.
- Ah, não sabia.

À minha mente veio logo a minha imagem de quando tinha esta idade, 4 anos, e pedia à minha mãe bostik, ou melhor, goma-laca que era o que de novo havia na época.

Foto: Retirada da net

Alguém...

...Sabe, e se sabe diga, não guarde para si, qual a pastilhinha que posso dar ao Pulguito, de 1 ano, para dormir de tarde?

É que a que costumo lhe dar, e é a que tomo, a mim dá um resultadão e caio logo para o lado sem ainda estar a dormir, mas a ele não faz efeito.
Valium? Será que  resulta?
"Que raça de canalha que agora anda a nascer!!

No meu tempo éramos tratados a milho cozido com anonas e sopas de pão com leite (quando havia), não era assim, mas agora dá-se fertilizantes e conservantes à canalha ainda quando estão a nadar dentro da barriga e é isto que se vê!!! Nascem gordos, grandes e com as barbatanas, credo, os membros desenvolvidos.

E ó despois como dormiram  9 meses num T0 assim que se apanham cá fora sem restrição de espaço, tratam mazé de correr e pular. E como não dormem, passam o dia a dar cabeçadas.  Pelo menos com este Pulguito é assim.

Por isso, não há nada como uma bela duma pastilha para acalmar!!!! Uma...duas... vá lá, três no máximo!

sábado, 4 de dezembro de 2010

Foi um ar que lhe deu e a fez voar

Estava no rés do chão e oiço uma arrastada em cima de mim, no quarto do mê bisalho que é onde tenho a sapataria. PULGAS!! Só pode ser!!  
Uma delas tinha ido à casa de banho. A outra foi fazer companhia. Perderam-se pelo caminho ou seja nem chegaram à casa de banho por que algo despertou a atenção!!

Se uma Pulga é o que se sabe, duas Pulgas juntas é o que se vê.
Continuava o arrastar pensei: os sapatos caíram todos não ficou nenhum na sapateira!!!
Vou à boca das escadas. No cima a Pulga (4 anos) estava já de sapatos de salto bem alto.
- Já vou descer... - disse-me.
Perguntei-lhe se os sapatos estavam arrumados.
- Sim - e abanava a cabeça confirmando.
- Vou subir e ver como estão...- e imediatamente coloquei o pé, encetando a subida.
Nem acabei a frase e ela nem me ouviu...
Assim que pus o pé no primeiro degrau...e me viu subir...desapareceu.

Estava sim senhora e sim senhor, estava tudo arrumado ou melhor jogado para dentro do roupeiro.

Ando com uma dúvida e peço ajuda. Se alguém estiver disponível ...

Quando as Pulgas ficam cá em casa logo de manhã assim que canta o galo, elas pela cama fora é "um vê se te avias."
Eu, pobre coitada, abro um olho e depois o outro. Peço, rogo, canto, ajoelho-me ao chão a ver se se compadecem do meu olho meio-fechado meio-aberto, mas elas não estão para aí inclinadas e começam a pular em cima de mim e a me abanar a ver se acordo...e depressa.

Quase sempre caio da cama abaixo que é com quem diz: acordo-me.

Com um olho aberto outro fechado lá vou eu com umas beiças que chegam aos sapatos, perdão às pantufinhas, arrastada pelos braços por elas, estendida no chão, alastrada, até a cozinha e elas pedem ajuda ao Herculano...que o Hércules está ocupado... e põem-me na vertical. E é aí que a dúvida instala-se!!

E ando num impasse para trás e para a frente sem saber o que fazer. Para isso estou a escrever a ver se alguém me ajuda que só falando é qu´agente se entende.

Elas querem logo tomar o pequeno almoço. Eu também quero que elas comam, "canão" ficam sem forças para pular o resto do dia. Mas também quero comer, sim, qu´eu também se não como fico sem forças para "aturar-elas" durante o dia.
É ca gente s´alevanta com as tripas coladas às costas.

Certo é que eu  não funciono com a barriga vazia. Elas não funcionam enquanto não têm a delas cheia.
A minha dúvida é: Como primeiro ou depois delas?

Se eu comer primeiro o dia corre bem melhor (que eu com a pança cheia dou pulos de contente), mas elas, pobres esfomeadas, ficam a olhar para mim sentadas à espera que eu mastigue as minhas trinta vezes de cada vez que meto o pão na boca... Se  dou de comer a quem tem fome fico eu a mamar na língua.

Esta dúvida mata-me!!! E tem-me tirado o sono!!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Porque é que...

...Quando temos as mãos ocupadas é que nos dá aquela comichão na ponta do nariz ? Ou os óculos estão a escorregar e precisam de ser colocados para cima?
Porquê?

Dá cá uma raiva. A mim dá-me. Fico possessa. E depois o tal dilema...é mais...trilema, não posso tirar as mãos do que estou a fazer para endireitar os óculos nem coçar o nariz.
E depois começo a fazer aqueles "modilhos " (caretas) a tentar que a comichão passe e que os óculos subam.

Fora de questão tirar os óculos...o nariz...ou as mãos.
Mas que grande trilema!!!

Fim de semana e "quero pintar a minha vida de todas as cores"

A Pulga (4 anos) cantava. Fiquei atenta à letra da canção. Juro que não conhecia. E cantava...cantava...
Mas com aquele seu ar de artista! Deturpando algumas palavras-as suas dislalias - achei tão ternurento o modo como entoava que mal cheguei a casa procurei.
Da cantiga apenas retive esta frase: "Pintar a minha vida de todas as cores".

Verdade. Se todos nós pintássemos a vida usando todas as cores e não apenas o cinzento e o preto seria mágico.
Impossível? Não decididamente. Atenuar os cinzentos e pretos é a regra. Porque estas também são cores!!!

Agora, oremos, perdão, cantemos. Se ainda não sabem a letra é esta a altura para decorar...(se ainda tiverem cabeça ...)está ali  em baixo, mais p´ra baixo, desçam um pouco, não é aí...                                                                                                                                        
E agora em letras bem pêquênênas (como diz a Pulguinha no pico dos seus 2 anos) o Olavo Bilac está bom como o chocolate, aliás ele é um chocolate, ou será das lentes dos meus óculos?? Hã?

BOM FIM DE SEMANA. E Vamos Pintar a Vida de Todas as Cores.

Quero pintar a minha vida de todas as cores
Quero pintar...por ti
e quando chegar o momento
deixa-te pintar
deixa-te levar
deixa-te pintar
na minha sala sob a luz do luar
perde-te no tempo... deixa-te levar
pintei o teu corpo numa tela
esculpi o teu rosto à luz da vela
pintei o teu corpo... pintei

Quero pintar a minha vida de todas as cores
e vou-me lembrar... de ti
e quando chegar o momento
deixa-te levar

deixo-me encantar
deixa-te pintar

na minha sala sob a luz do luar
perde-te no tempo... deixa-te levar
pintei o teu corpo numa tela
esculpi o teu rosto à luz da vela
pintei o teu corpo... pintei

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Ora então aqui vai a minha listinha!

Querido Pai-Natal, velho barbudo de fato vermelho e com cara de gozo. Já recebeste a minha outra cartinha, a que está ali em baixo. Gostaste? Não gostaste? Tem paciência! Olha, a paciência faz bem, lá dizem os antigos. Faz bem ao miolo.

Prometi que escrevia a minha lista de desejos.
De desejos não.
De exigências.

Vou começar pelo mais barato para não desmoralizares e leres até ao fim.

Um cruzeiro nas Caraíbas no próximo ano. Que tal?

Um Mercedes topo de gama. Pode vir com "chofére"

Uma casa de campo na Escócia.
Huuuuummm já sinto o ar do campo, e vejo as vacas a pastarem! 

Uma casa vitoriana em Londres.
Sim pode ser em Portobello Road...Kensington. Não. Em Notting Hill Gate.

Um castelo. Exijo, no Vale du Loire. São lindos e baratinhos.

Hã? O que dizes?? Como? Não percebi!!

Dizes tu...que...para me satisfazeres vais ter de te prostituir?
Oh Pai Natal, por quem és! "Porta-me lá!" Fazes o que bem entenderes!!


Até podes pôr as renas ao serviço...olha que não me importo!

Eu quero é ter pelo menos uma destas? Não consegues nem uma deste pacote?

Caramba, ficaste chateado com a minha carta!!! Ou então tás mesmo um "furcas."

Já que não me dás nada daqui de cima, olha para a esquerda, o que vês, meu velhinho de barbinhas brancas tão quiducho e redondinho? Isso mesmo meu anjo!
Sugiro...não, exijo: Uma ilha no Pacífico. Sabes, é para desanuviar do castelo, da casa vitoriana, da quinta, do chofére e do cruzeiro.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Penso que depois desta carta o velho nem olha pra mim! quanto mais dar-me prendas!

 Meu muito querido e estimado velho de barbas brancas, gordo que nem uma alheira.

Conheço-te há 55 anos e tu, seu "esteporzinho", nunca me satisfizeste um pedido. Ainda eu era moça quando comecei a escrever-te e tu seu "sacristo" nunca me deste resposta das cartas que te enviei.
Vou ver se desta vez seu velho de fato vermelho e gordo que nem um barril me dizes algo.

Será que 55 anos depois ainda não é altura de me dares "aquilho" que te peço?
Vais deixar para quando eu estiver estendida numa caixa de pinho, de barriga para o ar e de mãos para o céu?
Olha  meu velho gordo barrigudo, nessa altura mete as prendas onde Sebastião meteu as favas. Sabes onde foi? Tem graça, eu também não sei!

Vais continuar a me ignorar?
Tens  sorte que nestes anos todos nunca te vi descer pela chaminé, "canão" tu ias ver o que te fazia!! Bem, é melhor não saberes.

Agora vou escrever a listinha, coisas simples do dia a dia sem grandes desejos, mas garanto-te meu amigo se não me deres nem uma do que te peço...vai dar-te uma "cangueira" nas canelas  e nos braços que nunca mais vais poder puxar as renas. Nem com as mãos nem com os pés.

E no dia de Natal vais estar todo "encrequilhado" com dores nessa pança inchada, devido ao azeite "do galo" que vou pôr nas broas de mel que costumo deixar no fogão para saciares a fome.
Além da "chorrica" que te vai dar devido ao licor de maracujá com purgante.

Vai esta carta e entretanto vai digerindo o que te digo que logo de seguida vai a listinha das prendas que quero.

E nos entretantos...uma beijoca nessa bochecha rechonchuda. E vê lá não me desiludas!!

Obrigada

Agradeço a todos pelos simpáticos comentários deixados no artigo anterior. Mas sem vocês meus amigos virtuais e comentadores isto não seria a mesma coisa.
As palavras calorosas que deixaram enternecem-me e, como disse, fico com a lágrima no canto do olho quando vejo e leio as vossas palavras.

Por isso é por vós que estou aqui por que sem leitores e comentadores não faz sentido ter um blogue.
Depois passarei no blogue de cada um, mas hoje tenho três Pulgas aqui em casa, bem, quatro, contando com a tia-velha, cinco com o mê senhor. "Prontres", seis comigo e isso faz com que não tenha tempo nem para coçar a hemorróida, nem para deitar o olho à vizinhança.

Por isso Obrigada mais um vez e voltem sempre.
Estarei de braços abertos para os receber e da forma como sei, escrevendo com humor os factos da vida diária.