Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 31 de julho de 2011

E pinta e abana, seca e esfola

Caramba, inventa-se tanta forma de perpetuar a maquilhagem, (há quem tenha feito o risquinho nos olhos como se fosse uma tatuagem) mas será que há outras formas de ter as unhas pintadas mais do que um dia sem estalar o verniz? 

Eu poderia, se não fizesse nada em casa, é isso, e, se Moi-Même (a empregada de serviço) fosse aquela que eu queria, mas...é impossível. E impossível é também esquecer este hábito de tirar o verniz com os dentes.
E o tempo que se leva a pintar?

Dá uma camada, espera para secar, uma nova camada, espera, tira com a ajuda do cotonete os excedentes à roda da unha. Depois abanar, abanar e ...comichão na ponta do nariz, coça. Pronto, já estalou o verniz! Marido chama. Lá vai ela apressada. Aproveita e vai abanando as mãos para secar até lá. Ajuda aqui - diz ele. Merda, foice mais um belisco, diz ela, falando de boca fechada. "Espera lá. Podes esperar que as unhas sequem, podes?" Atão, só amanhã!

Fazer o jantar, colocar a roupa na máquina, tirar da máquina, lavar a loiça, enxugar, tomar banho, estender a roupa, e onde está o verniz? E unhas pintadas...Cadelas? (Qu´é delas, quero dizer).
Caramba, ser bela é o diacho!
Desisto.
Fotografia: a minha mão e a mão da tia-velha.

sábado, 30 de julho de 2011

Os calcanhares são como os figos. Também arregoam

Tenho os calcanhares a "arregoar"...comó figos. E por falar em figos....ai que saudades deles com o pingo de mel a escorrer!
Mas não vou falar de figos, mas de calcanhares.

Deve ser...só pode ser...  e devem estar a pensar baixinho para que eu não oiça: do peso da idade. Mas esperem lá, a idade só pesa nos calcanhares? Nada disso.Ela, a diaba da idade, pesa no corpo todo; por isso estes pestes devem a estar a pôr-me à prova (não sei de quê, mas aceito); mas dou-lhes um banho de água a escaldar, ponho-os de molho, assim é que se diz, com uma esfregação (bem me apetecia com folha de aboboreira, mas não tenho "corage"), verão que eles até pedem para ter dó, para os tirar da banheira; acrescento um quilo de sal (humm, não deve ser  preciso tanto) do grosso, para tirar o cansaço. À noite. Só à noite.

Do peso da idade!! Até me rio e ninguém que me contrarie; é que estou de maus fígados, hoje.

Eles eram tão lindos, macios como um cuzinho de bebé. De repente tornaram-se ásperos, abertos, a arreganhar.
Nem Nívea, nem Dove nem pedra pomes nem o rai quiús parta os amolece.

Peço conselhos, mas só aceito aqueles que digam: "descansa, com os pés mais altos que a cabeça" ou "descansa, não trabalhes tanto" ou ainda "descansa, vê televisão", ou "descansa, não subas nem desças escadas", ou só: "descansa." Portanto...

Fotografia: os meus ricos pézinhos!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Fim de semana, pois então que natal é em Dezembro

Adeus último fim de semana de Julho. Este ano foste ingrato comigo, irra, tanta coisa num só mês. Tantos projectos desmarcados, tanta doença, tanta mágoa, tanta dor, tanto cansaço.
Vai e ...ia dizer e não voltes, mas voltas sim. Só pró ano.
Depois deste mês em que foi difícil entrar ou melhor dizendo penetrar a jeito, eis que mais dois dias e entra...Agosto.

 E como disse, Agosto ainda não chegou, estamos no pico do Verão e em Londres já se decora as lojas para o Natal. Mas cá pra mim Natal é em Dezembro, manias só manias!
Vede aqui. 

BOM FIM DE SEMANA com muita saúde que é o bem mais valioso que se pode ter.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Alguém tem à mão um bom par de pernas?

Desejo um par de pernas em bom estado, pelo menos, melhor que as minhas, alguém tem à mão que possa emprestar? Não quero que me vendam, nem que me dêem, pois sou orgulhosa demais para aceitar, nem que me aluguem quisto vai ser para usar até gastar. Também aceito permutas: um imóvel em Cascais...um carro alta gama...uma viagem...No caso de permuta, as minhas são de 1955, tem jantes de liga leve, aderência a todo o piso, pouca quilometragem, pneus em bom estado (foram recauchutados no ano passado), em bom estado de conservação. Tonificadas, cansadas, usadas.

Caramba, só um par de pernas...novas que quero. Um bom par de pernas. Estas, nunca me deixaram ficar encalhada, e sempre estiveram prontas para andar, mas estão mais doridas do que uma dor de parto!
Pernas em bom estado para emprestar ou dar, há? E para permutar?

Fotografia: As minhas pernas no areal do Porto Santo

Eu cá por mim até conseguia viver assim

Não há dinheiro no mundo que pague uma hora, vá lá duas horas no máximo, de descanso à beira-mar.

Depois de um dia de trabalho ou de descanso (que também cansa, passar o dia sem nada para fazer), esticar as canelas num muro, olhar o calhau, refastelar-se numa cadeira, fechar os olhos, ouvir o marulhar das ondas, sentir o cheiro a maresia...saber que alguém está a trabalhar para mim...
Depois...
Uma barrigada de lapas e camarão, bolo do caco com manteiga d´ alho acompanhado de um shandy (ou panachê) é...sentir-se como o Aladino quando descobre que a lâmpada é mágica e obtém tudo sem "avergar a giba".

Que mais se pode desejar a não ser uma lâmpada mágica todos os dias?

Fotografia: Os meus pés, já de si cansados de carregar este corpo já de si cansado, na Praia da Ponta de Sol, Madeira

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Oito horas

Hoje é o dia da tia-velha regressar a casa.
- Espere em casa que a ambulância vai levá-la. - Disse a enfermeira ontem. (Não sei se já estava farta do meu cheiro por isso aconselhou que seria melhor esperar em casa ou então previa que ia demorar.)

Oito da noite e ainda não chegou. E continuo à espera - Quando ela sair daqui (do hospital) ligamos. Ando com o telemóvel na mão desde manhã, podia dar-se o caso de ser logo pelas oito da manhã, mas pelos vistos...
Estou em constante movimento, arruma aqui-desarruma ali, limpa ali-suja acolá, num rodopio e corropio que mete dó...ao dó. De certeza que a melhor forma de esperar será sentada ou deitada. Será que vem pelas quatro da manhã como quando foi de um hospital para outro?
Novamente dificuldade de transporte? Ou... já nem sei o que pensar.

Chegou pelas 21 horas. Muitas horas à espera de transporte. É o Serviço de Saúde da Madeira (ou SESARAM) que temos, não que merecemos. Pois nós merecemos muito mais. Uma vida repleta de  descontos para a saúde para recebermos uma miséria como se fosse um bónus, uma benesse. Um favor.

terça-feira, 26 de julho de 2011

A Madeira é um jardim...



 ...E estas fotografias são do Jardim do Mar.

Jardim do Mar fica na costa sudoeste da Madeira e é uma pitoresca vila à beira mar com praias de calhau. É conhecido em todo o mundo por ser o melhor local para a prática do surf na Madeira.
E eu passei o dia de domingo, com almoço incluído, aqui. E o mar é de um azul que fere os olhos.

Todas as fotos foram captadas com o telemóvel.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Por esta não me esperava!

A minha prima FÊ... bem...a verdade é que nem nos conhecemos, não temos consanguinidade mas somos primas, primas virtuais.
Tudo começou com uma brincadeira, prima para cá prima para lá prima que a coisa encaixou como duas peças de puzzle e ficou o tratamento familiar.

(Prima, temos de sair daqui, do computador, e....tenho cá uma vontade de te apertar os ossos!! Sim, prima dar-te aquele abraço até fazer ranger os metacarpos e afincar-te as falanges na espinha.)
Não podia deixar passar... 
(carregar em cima da frase superior e vão lá de carreira)           
                                                                     
E mais, a música escolhida por ti, foi sem duvida uma bem conhecida cá das Pulgas. Não há dia que não acabe (quando elas estão aqui) sem este vídeo.

domingo, 24 de julho de 2011

A tia-velha está melhor

Fui falar com a médica para me inteirar da situação da tia-velha. Ela disse-me estas palavras: "a sua tia entrou aqui no hospital para morrer, com uma infecção muito grave. Posso dizer-lhe que ela deu um pontapé na Morte". Também comunicou-me que teve alta. Ainda lhe disse que devido a não comer ao vir para casa ficaria sub-nutrida e desidratada. A médica responde-me que quando/ou se isso  acontecer volta a trazê-la ao que eu respondi: "Mas ela já está cá! Para que vou levá-la e trazê-la?"
A alta foi dada, e segundo a médica, "por ter mostrado vontade em ir para casa". E se ela mostrasse vontade em ir para o Brasil? A tia-velha que nem sabe onde está. 

Nesse mesmo momento em que teve alta, eu passei-lhe a baixa. Sim, que ao ver a tia-velha constatei que estava igual. Ou seja, não vi melhoras. A médica tinha suspendido toda a medicação, o oxigénio, o soro, o antibiótico porque: "estava boa para regressar ao seio familiar". Até me ri da situação. Ela que não comia, não engolia as pastilhas; que cuspia a pouca a comida que lhe metíamos na boca, que vomitava quando se insistia para comer (tudo dado pela minha mão ou pela mão das enfermeiras), que estava debilitada sem forças nem para se mexer, que era necessário imobilizada para tratamento, que estava dependente para tudo... De manhã foi suspendido o soro, de tarde foi reposto mandado por outro médico devido a recusar-se a comer e a não conseguir engolir a medicação.

Por isso, fica no hospital até eu ver que apresenta melhoras. Neste momento faz número na lista das altas problemáticas.
Teve alta na quarta feira passada e continua lá, até não ter os pés e pernas inchados,até ter autonomia; porque entendo que deve sair melhor do que quando entrou e não igual ou pior.

Fotografia: tia-velha pela mão do mê bisalho

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ainda não consegui endireitar...

...A minha vida, conjugando as tardes à cabeceira da tia-velha, a vida doméstica, o final do dia a espairecer à beira-mar (também mereço, caramba) e a visita aos blogues, por isso peço desculpa de só visitar em silêncio; isto quer dizer que leio e não comento.
Quando endireitar, até se vão aborrecer de me ver a saltar de blogue em blogue e ler as parvoíces que deixo na caixa. Na vossa, claro. E vão fechar a caixa dos comentários para que eu não ande por lá a chatear.
Prometo, e não estão a ver mas a mão esquerda está no coração a fazer uma cruz, uma jura (não sei como consigo fazer isto e escrever ao mesmo tempo, mas enfim... Acreditam, não?)
Por isso, mais uns diazinhos até a coisa engrenar tal qual uma cremalheira!
Esperem por mim, eu não os abandonei.
Obrigada.
Assinatura ilegível (mas parece ser d´A Sócia Maioritária)

Agora tenho aqui umas "furtuadelas"!...

...Uma comichão bem no alto da cabeça. E sabem por que razão eu tenho estas "furtuadela"s que não é bem uma comichão, mas sim... olha, umas furtuadelas, não sei dizer de outra forma é como umas batidas mais fortes assim: pum-catrapum, pum-catrapum, e coço sem parar? Tenho até a brotoeja a saltitar como as "armonas" (hormonas, no seu original) devido a constatar que... bem... isto é constrangedor e até delicado...mas lá vai. A razão pela qual eu coço e coço sem parar é que....nã nã nã impossível até de escrever!
Não há virgens. Bem, pelo menos ainda só duas se acusaram! Mas será possível? Este mundo está de pernas para o ar ou então prefiro pensar que só duas é que aqui chegaram e as outras têm vergonha de admitir que (ainda) são virgens.
E homens? Há homens virgens? Ou está em vias de extinção, também?
Pelo menos há um virgem: o mê senhor.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Eu disse e é verdade

Não nego. Não sou virgem, não senhora e não senhor.
Ahhhhh, olha a admiração! Essas carinhas a rir e a mão na boca a reprimir um esgar de desdém: "Não é virgem!" Ainda não acreditam? Parem de bater com os dedos na mesa do computador e pensem.
Não, não sou, nunca fui. E pronto, vou ter de dizer outra vez: "Não sou virgem. Não nasci virgem."
É o que acontece a quem nasce em Dezembro, por isso sou Sagitário.

terça-feira, 19 de julho de 2011

E hoje...

..Por esta hora estaria eu no Porto a abraçar o mê bisalho e a enxugar-lhe as penas, que pelo que sei chove canivetes e navalhas por lá.
E íamos em pacote familiar (avós e Pulgas) fazer um giro pelo Norte e centro de Portugal.
Mas a tia-velha... (o resto já sabem).

Sabem a chatice que é viver numa ilha?

Não sabem não. Chatice que mete nojo quando é para marcar viagens. Falo das viagens do Natal. Admirados? Não se admirem. Já marquei... já marquei e...paguei a viagem do mê bisalho para o Natal e ainda estamos em  Julho.(Fazemos assim: nós os progenitores pagamos uma, ele a outra. Mas por que será que me calha sempre a mais cara? Tenho de mudar os termos do contrato!)

E que cada uma custou mais de 130 euros? Mais precisamente a vinda na TAP (133 euros) e o regresso na Transavia, que é uma companhia  low coast por 197 €, continuam admirados? E acrescentar que já reservei  no inicio de Julho e que agora as passagens estão a escaldar?

Como é bom viver numa ilha turística que de cada vez que se precisa de sair temos de vender os olhos da cara! Ou na pior das hipóteses, colocar a virgindade no prego. Problema é para mulheres como eu que já não a têm - a virgindade claro, e por isso nem no prego a podem pôr. Não há como ser virgem!!!

Fotografia: Marina do lugar de baixo Ponta do sol

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Pensamento meu (dar e receber)

A minha vida deu uma volta, não de 360º (como a do Futre) mas de 180º. E aquelas pedras que pensava eu mulher sonhadora e iludida que nunca viria encontrar eis que num de repente rolam aos meus pés. Não sendo eu Fernando Pessoa, daí que não as apanho para um dia construir um castelo, afasto-as do meu caminho, mas como estou em ladeira a pique, elas rolam nos meus pés e perseguem-me. Tropeço em cada pedra, e aos   tropeções, iço-me para novamente tropeçar.
Sentimentos como: desilusão, desconfiança, orgulho, egoísmo apareceram assim como ervas daninhas num dia de chuva. Por mais que arranque, elas teimam em aparecer.
De uma coisa tenho a certeza: quanto mais se dá menos se recebe. E julgava eu (parva que eu sou) que se recebia na medida que se dava!
E nos momentos de pausa ao lado da cama da tia-velha lendo um novo livro quedo-me nos meus pensamentos: Será que alguém recebe mais do que dá?  Esse alguém, com toda a certeza, não sou! Nem a tia-velha!

Fotografia Frutos de Verão

Esta tia-velha mesmo imobilizada tira-me o juízo!

E enquanto a tia-velha dorme, eu trinco ameixas e pêssegos alternando com meias papaias comidas à colherada.

Ela só dá pela minha presença quando lhe enfio as papas ou sopas de pão com leite pela goela abaixo; aí sim, abre os olhos e dá com a mão na colher que num ápice vai bater aos pés da cama. Mas come. Abro-lhe a boca com uma mão e de colher em punho na outra, enfio-lhe o pão ensopado (que a mim faz-me impressão dar-lhe, por não gostar eu, de pão molhado). Mas, como ela faz carranca substituí o pão ensopado pelo iogurte. A cena repete-se. Depois vem as frases: burra de merda (é agora o meu nome), tonta, teimosa. E bate-me.

Bem, eu que sou Love Peace and Happiness não gosto que me batam, atravesso-lhe os olhos e pára...até nova "selampada" na minha mão. Mas está melhor! ( Eu não acho, mas o médico acha)

OBRIGADA a todos pelo carinho enviado através dos comentários.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Enquanto...


 ...A tia-velha dorme...
Eu delicio-me com estas vistas. Da janela do quarto, lá no Hospital dos Marmeleiros, é assim o Funchal. Visto do Monte, a cidade parece um mosquito. Lá longe, muito longe. E lá em cima um fresco saudável, onde o ar que entra pelas narinas até dói. Como dói o resto!

A tia-velha continua...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Só de raspão para dizer que...

...A tia-velha está hospitalizada. Uma infecção renal juntamente com hipotermia mais uma descida incontrolável da glicémia além da diarreia constante e falta de oxigénio faz com que esteja numa cama de hospital desde sábado passado.
O quadro clínico não é agradável. Gostaria de acreditar que terá melhoras, mas pelo que vejo e sendo eu uma pessoa que nada percebe, apercebo-me que não está bem.
As tardes têm sido passadas ao seu lado apesar de nem se aperceber que eu lá estou.
Quando regresso a casa só me apetece relaxar. Quero só dizer que as minhas visitas pela grande esfera blogótica estão amorfas assim como eu. E usando uma frase que a tia-velha dizia muito nestes últimos tempos: "não tenho valor!" ou "não tenho cabeça!"
Por isso não se admirem que não me verem por aqui. E aceitem as minhas desculpas, sim, por não fazer as visitas do costume. Caramba, é de mau tom não visitar os amigos e aqueles que me visitam.
De qualquer forma darei notícias da tia-velha.
Obrigada.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Eu até nem me queixava do verão até...

...Ao dia em que comecei a sentir calor no pescoço!

Tenho um cabelão tão comprido e ando sempre com ele amarrado num rabo de cavalo. A culpa? A culpa é do calor que sinto no pescoço; é que parecendo que não o cabelo funciona como um aquecedor e se no inverno serve de cobertor ou cachecol, no verão continua a ser cobertor ou cachecol.
Até para dormir amarro-o; faço um cocó no alto da cabeça. Será a menopausa? (Precoce, só pode, que uma rapariga com 56 anos é jovem para entrar na 3ª idade!...)

Mas é isto sim senhora. É o calor no pescoço, é o calor...olha, em todo o lado, até na rua. Verão, sim, mas sem calor. Será possível?
E, não me digam para cortar o cabelo. Não corto, vou precisar dele para aquecer o pescoço quando o frio voltar.

sábado, 9 de julho de 2011

Fim de semana, pois então!

E saibam que ...não sei. Não sei se se sou a nova bilionária do euro bilimilhões. Ainda não vi a chave do concurso, nem quero ver; pode dar-me uma atracação!
Mas se for a grande, a supra mulher que deitou as mãos ao bolo bilimilionário... sintam-se bafejados com a minha sorte.

Mas enquanto não sei se sim se não... Bom Fim de Semana com ou sem dinheiro que o diabo não dá felicidade, dizem, mas eu cá não acredito em tudo o que dizem, caramba, sou assim céptica e isso faz-me ser como São Tomé.

E não dá felicidade? Ai não que não dá; ponham-me uns quantos rolos de notas na palminha da minha mão, que eu até as ponho a fazer de conchinha e logo digo se não dá felicidade!
Atão uma pergunta: porque é que os milionários estão  nas capas de revistas com aquele sorriso manhoso de quem tem debaixo dos pés um rio de dinheiro? Bem, se calhar é por terem os pés molhados. Será?
Assim como assim Bom Fim de Semana e se por acaso algum dos que por aqui passam fazem parte do leque dos novo ricos, lembrem-se de mim, sim?

Fotografia: Florença, 2007 e se caísse do céu notas como caiu chuva eu era feliz. Há mais, se quiserem ver, no meu blogue fotográfico.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

E hoje à noite já não serei eu, mas outro eu

Esta manhã acordei com o tração no rabo, ou melhor irritada. Assim que abri estes lindos olhos cor de avelã (isso queria eu, mas são verdes como a terra) levei logo a mão à testa: "caramba! Hoje é o dia de ...limpezas!"

Não, por favor, calendário volta pa trás como o tempo e traz-me a vaca...(se choca com a boa-educação substituam por vaquinha) da minha empregada francesa: Moi-Même. Essa vaquinha "desabandonou-me" na altura em que mais precisava dela, a ... bem, já disse  vaca, não vou repetir. Faz-me tanta falta, mesmo sendo uma preguiçosa duma imigrante ilegal e só de lembrar que fui eu a causadora da sua repatriação!

Volta e vem fazer as limpezas tão bem feitas como só tu fazias, além de dormires com o mê senhor e fazeres outras limpezas. A do meu dinheiro, por exemplo, limpaste-o bem, esfregaste as notas com tanta genica  que desapareceu devido ao excesso de tempo em que esteve de molho na água. Eu bem pensei que guardar debaixo do teu colchão não era seguro, mas o excesso de confiança em Moi-Même...Atão onde era mais seguro? Debaixo do meu?

Mas deixa minha reles...vitela, hoje é o dia em que vou tornar-me numa Madame a sério, ou condessa, até mesmo...quiçá, duquesa e vou  ter um harém. Se me sair o dinheirão..engulo tudo o que disse àcerca de Moi-Même e vamos ser as melhores amigas e contratar uma catrefada de empregados para nos servir. Mas sem acesso ao cacau, vá lá, aprendi a lição; debaixo do colchão, não. Em movimento como o vento é o melhor. Começa já  a pensar na perseguição que nos vão fazer depois de saberem que nós...ganhámos o euro milhões.

Entrementes, se alguém quiser deixar uma lista de coisas, assim para o estapafúrdias onde se gastar o dinheiro sem olhar a quê, deixem o donativo na caixa das esmolas, perdão, dos comentários.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Este não é ... mas um dia pode ser...

...Um blogue de receitas de comidas saudáveis e porque não?

Ora como eu estava  a dizer... antes de dizer o que vinha dizer pois perdi-me quando a tia-velha chamou-me, este um dia pode ser um blogue de comidas (já comidas como é o caso) ou por comer.
E como não há nada mais saudável do que comer aquilo que se planta pois sabe-se a forma como foram tratadas; por isso alface é o que está a dar neste momento. 
E como ainda não planto tudo tive de "mercar" e "merquei" umas couvertes de alho francês, cenoura, beterraba, tudo laminado que não tenho lâminas (só as de barbear do mê senhor mas achei que não era higiénico usá-las para laminar legumes). Depois cortei cebolas (cá da horta) pepino (também da casa) nectarinas (ainda há dias plantei a árvore) pimentos vermelhos (os da horta estão pequenos); reguei com vinagre balsâmico, azeite (do galo) ervas aromáticas e vualá...a delícia.

Isto acompanhado por um belo dum pitéu que dá pelo nome de: atum. Para regar as alfaces que caem pelo cano abaixo nada mais menos que um regional alentejano que adoro: Pera Doce Reserva.

"Atão"? Abri o apetite? Ou já estava aberto?

O significado de amorzinho cá vai

Eu disse: "Amanhã"  mas vai hoje.
E como andaram a deitar verdes para apanhar maduras (outra frase dita por aqui quando se quer saber algo e começasse a alvitrar) AMORZINHO é...dar um jeitinho, uma ajuda.
Exemplo: se estão duas pessoas sentadas num sofá a ocupar o lugar de três dizemos: olha lá, dá um amorzinho ao rabo. Portanto, um jeitinho.
Se está alguém a trabalhar e precisa de ajuda, diz: dás-me um amorzinho aqui? Portanto uma ajuda.
vamos lá a ver se fixaram e quando eu pedia um amorzinho era uma ajuda,  mas obrigada àqueles que me mandaram miminhos.Também gosto desses amorzinhos...e dos outros.

Constantino e MFC parabéns. E à Sonhadora (madeirense).

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Lixo? Não gostei nada!

A Moody''s, uma das principais agências de rating (norte-americana) cortou ontem a avaliação de Portugal para uma classificação equivalente a "lixo"(junk).

O país é um lixo. Ora se eu vivo aqui neste Portugal quer dizer que sou...lixo. Ou lixada. E vivo no lixo, não? Ora esta coisa irritou-me solenemente. Caramba, não se trata assim quem vive no lixo. Mas quem são as pessoas por detrás desta agência? Gostaria de as conhecer e ter a oportunidade de lhes dizer que: "Oh meus senhores, vão chamar lixo à senhora sua mãe que pariu um ser infeliz e hostil." E digo, o que costumo dizer quando as Pulgas vêm a chorar porque a amiga chamou isto e aquilo: "quem chama é que é". Cada vez gosto mais da América. Tratam bem as pessoas.
Não aceito ser considerada lixo.

E para relaxar do murro no "estrampalho" olho o sol no seu ocaso, num lugar que adoro: Cabedelo, Gaia.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Alguém me dá um "amorzinho"?

Por vezes preciso de um "amorzinho", mas esse não chega até mim. Mazeu...eu até dou muitos, "uora" se dou; passo os dias nisso; sempre que oiço: "dás-me um "amorzinho" aqui?"
É logo. Corro de braços abertos, feita tonta, por vezes a tropeçar das canelas... mas o que eu dou é tão pouco... é o que eu consigo, e como se diz: é pouco, mas bom. Agora que há gente que não faz nada sem pedir um amorzinho, também é verdade! Invejosos, não podem ver uma pessoa a descansar com as canelas em cima do cântaro das flores, a apilhar um pocachinho de sol que é logo: Podes vir aqui dar um amorzinho?
Queredo! E lá eu descruzo as canelas, deixo de fazer o que estava a fazer (pastar) e ...vou lá dar!

Mas...e a mim? Quem me dá? A quem posso pedir? À tia-velha? Ao Gu-Gu? Aliás, é a tia-velha quem mais pede. E sempre a mim, claro! Ah, mentira, há dias o mê senhor deu-lhe.

Vá lá, e daqui, quem é que me pode dar um amorzinho?

Amanhã, digo... não...escrevo o significado de "amorzinho", mas entrementes vão tentando. É tão óbvio!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Para quem não a conhecendo e não sendo familia se preocupa com ela...

... Porque há quem a conheça e sendo família não se preocupa.

Está acamada. Só se levanta para as suas necessidades fisiológicas que ao longo do dia vou-lhe lembrando. Senta-se na cadeira de rodas improvisada para o efeito (as cadeiras manuais ou electrónicas não servem, pois que não tem forças para as movimentar autonomamente e assim sendo teria de ser eu; ora, não é nada que uma cadeira de escritório não faça) e vai alternando com a cama, casa de banho, sofá e cozinha. Ela pesa 40 quilos para quem já pesou 90 é obra, por isso pego nela para colocá-la na sanita, no banho, na cama.
Vem à mesa na cadeira, empurrada por mim, para as refeições excepto o pequeno-almoço que é um iogurte ao qual come metade por suas mãos e o resto já dado por mim. O almoço (duas colheres de sopa) é comido à mesa da cozinha. Durante o dia bebe água não o suficiente para na manter hidratada, pois fá-lo aos "poucochinhos" aos "coisinhas" como pede. Por ela passaria o dia na cama só que não permito. Então sento-a no sofá da sala, "acendo" a televisão (aqui usamos a palavra acender  em vez de ligar a televisão) e passa a tarde...a ver televisão? Não. Isso queria eu e esperava eu, mas nada disso. A dormir. Pela tarde coloco-a na cama e mantêm-se até à noite.
Ao lanche bebe sumo de fruta natural (digo, feito com frutas e triturado com a varinha) ou um iogurte (a outra metade, quando não o consome todo de manhã), ao jantar muitas vezes não come nada ou só um iogurte, leite ou se conseguir uma /duas colheres de sopa. Somente líquidos. Há muito que os sólidos não entram na boca.

Não escrevo isto para me elogiarem pois faço de livre vontade sem esperar por recompensa, aliás a isto que faço é uma recompensa por ela ter sido o meu braço direito durante longos anos;.e como diz ela: " para que me foste buscar?" Isso mesmo, assumi a custódia dela e ...seja o que Deus quiser. E enquanto houver forças e carinho assim será até o dia em que seja chamada a prestar contas a Deus. Escrevo pois tem sido muitas as perguntas  acerca da sua saúde e os desejos de melhoras vindas daí, desse lado, de pessoas que não a conhecendo são humanas, sinceras e envolveram-se nestas vivências da tia-velha.

Obrigada a todos os que perguntam por ela. Em seu nome um profundo abraço do tamanho do oceano que nos separa...ou nos une.

Pai, perdoai-me porque pequei! E vou pecar mais!

Acabei de dar uma palmada no antebraço da tia-velha, mas digo, ela mereceu e merecia mais, quiçá, uma malha de fio de luz dobrado, de correia ou ainda de cinturão do quartel (ui, este arrepia-me lembro-me do meu irmão que  levava e não endireitava, era sempre um vasilha-torta).

Estávamos à mesa no almoço. Ela puxa da manga do robe e limpa o nariz; olha para mim eu finjo que não vejo, mas como tenho visão panorâmica, nada escapa. Logo de seguida, e porque eu não vi a primeira, puxa da gola do vestido (limpo, fresco, vestido de manhã) e ...limpa o nariz. Ainda não está acabando o serviço, já levando no antebraço. Tungas, a preceito, calhou bem e até fez barulho.

E fico a olhar para ela e ela para mim. Digo-lhe: "Isso faz-se?" Encolhe os ombros como se fosse a coisa mais natural do mundo e eu é que estivesse errada! Querem ver que o diacho da tia-velha vai fazer outra vez?
Na próxima leva de sapato. Por isso, quem quiser me acusar de maus tratos nos velhinhos eu...eu empresto-a por uns dias.

Fotografia: Sol a nascer, chuva a cair, vento a soprar, relva a crescer na terra. E o coração. (Explicação dada pela Pulga, 5 anos e executado por ela)

sábado, 2 de julho de 2011

De verão só me apetece...

...Comer peixe.

Este calor mata-me e só desejo um belo de um bodião à beira-mar.
Mas como não tenho peixe, (não comprei e não vou sair daqui para comprar porque este bodião é caro como lume) e como não estou à beira-mar... vou passar a tarde deitada no sofá. Pronto, já disse.
Estou cansada e quando isso acontece não há como me pôr a lastro, assim esticada... para crescer ainda mais.
Portanto vou-me alastrar. Bom Fim de semana e... alastrem-se também. Façam-me companhia.

Fotografia: Bodeão.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

E para quem segue as peripécias da tia-velha

 A tia-velha foi ontem (quinta-feira) para o hospital pelas 16:30 por estar constantemente a vomitar... e desidratada. Passou a noite em observações. Teve alta pelas 13:40 de hoje (sexta-feira). Esteve esperando, desde que lhe foi dada a alta hospitalar, pelo serviço de ambulância para regresso a casa uma vez que não tem mobilidade, até às 19 horas.
Não muito, mas...bastante. Estavam 7 utentes à espera do mesmo serviço!

Quero ajuda. Quem souber...diga

Acontece-me vezes sem conta.
Quando estou ao balcão de uma repartição à espera para ser atendida ou estando já a ser atendida, e, se toca o telefone, a menina muito delicadamente diz: "com licença" (com aquele sorriso pepsodent) e deixa-me dependurada ou então "um minuto" (com o sorriso colgate) demorando mais que muitos minutos. Se estou do lado do telefone, e com ele encostado ao ouvido, farto-me de ouvir o trim-trim-trim e não há quem atenda, deixando-me dependurada.
Espero, espero até que desespero para ser atendida, pois o mafarrico toca sem parar. Será que ao balcão tenho cara de tem-tempo-pode-esperar?- pergunto eu a vocêzes.
E ao telefone também!? - respondo, com admiração a vocêzes.

Fim de semana, pois então, e tudo na mesma

Vou voltar a dizer que isto por vezes pega só no arranque. Isto de ser feriado, fim de semana, mais sexta feira tudo num dia devia acabar. Feriado que é dia da Região Autónoma da Madeira...abro parêntesis para dizer ...(eita" agora coube à gente, depois de Lisboa, Porto e eu aqui a passar a língua "nei biças" por ser feriado no outro lado do mar, agora coube a mim como se diferença fizesse a quem está em casa desempregada, desculpem-me reformada, depois de fechar parêntesis)...continuo na minha divagação...sexta porque ontem foi quinta e fim de semana porque amanhã é sábado, véspera de domingo.

Dúvidas? Se tiverem alguma dúvida é favor deixar na caixa das esmolas, perdão, na caixa dos comentários.
E já agora...BOM FIM DE SEMANA.

Fotografia: Flor do maracujaleiro