Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Uns bons fígados

No talho peço 500 gramas de fígado.
- Quer de vaca, boi ou vitela?
- Há diferença?
- Sim, no preço. O de boi é a 1,99 € e o de vitela é a 4,99 €. E no paladar!

Oramésta!
Desculpem lá os bois, mas até em fígados as vacas valem mais. Ou melhor dizendo: as fêmeas têm melhores fígados que os machos. E melhor paladar também!
Alguma dúvida?
E não me venham (os machos) dizer o contrário!

Fotografia: Vaca a passar em frente da igreja de Fiães (se quiserem saber mais, cliquem no nome, por favor) Melgaço. Fevereiro 2012.

Dom Gaspar - o Preguiçoso

Dom Gaspar é o gato do mê bisalho. Teimoso, velho, obstinado. Passa o dia sozinho e isso faz com que julgue que o espaço é todo dele.
Nestes dias em que cá estou tem de dividir "o já vi tudo" (nome que dou ao apartamento) comigo. Se vos disser que tenho os braços arranhados devido a pegar neste "mastronço" e a afastar do lugar onde me quero sentar? Ele "estrafega", ele rosna, ele bate-me, ele mostra-me os dentes.

É que gosta de estar na cama, no sofá, na cadeira, no puff, mas na cama dele não. Atão andamos aqui aos empurrões e a ver quem ganha. Ganha ele. Burro teimoso!

Aqui há dias deixei o PC aberto no sofá e vou tomar um alento (um café, prontes) e é só dar três passos que logo chego à cozinha.
Viro-me e vejo-o em cima das teclas. No calor. E logo penso: ai "cu estapor" tá a deitar pêlos! Vou às carreiras tirá-lo; logo abraçou-me com as duas patas dianteiras enquanto que com as duas de trás cravava-me as unhas e com a bocarra ferrava-me uma dentada. Chatice! Levou três papo-secos no rabo para ter modos. Ora venho eu cá para andar arranhada?
E quando chega o dono conta-lhe tudo com aqueles olhos amarelos de choro! Porta-me lá!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

6ª - A minha cidade é mais bonita que a tua

Hoje vamos visitar a cidade da Baixinha, uma mulher brasileira cheia de garra que vive nos EUA. Ela é baixinha, ela fala com as mãos e durante 15 minutos sem parar. Mas acima de tudo é bonita. E como diz o ditado português: mulher e sardinha quer-se da mais pequenina. Ela foi exportada para a terra dos fluorescentes e por lá ficou.
Diz ela:
Oie Altinha!
Estou te mandando a foto da cidade onde moro: Jacksonville, Flórida - Estados Unidos.
Bjos!

Gisley Scott do blogue: Querido Deus obrigada por me exportar.

Baixinha, tu és luz, és raio, estrela e luar ....e fogo também.
Obrigada pela contribuição e participação.

Acabei e já tenho...um pico novamente

Ontem deitei mãos à obra e consegui ver a luz ao fundo do túnel, bem, não era um túnel, nem era uma luz. Era mais uma caixa cúbica cheia de roupa do mê bisalho para engomar.
E se eu vos disser que novamente fiquei com os óculos embaciados tal era o vapor a sair do ferro, que mais parecia o Vapor do Cabo, acreditam?
Engomei e engomei camisas, camisolas, camisinhas (cuidado com esta  palavra), camisetas e mais camisolões. E mais ões e inhas e etas e olas.

Deixe-me por rendida! Cansada, "espojei-me" no sofá a fumar um cigarro! Mentira, deitei-me.
Depois...
Oiço um barulho. Trovões? Mas nao está inverno?! Ah, pois! Era a máquina da roupa que rodava sem parar,que parecia querer voar pela janela fora. Olho para o estendal, o "estapilha dum raio" cheio. Mais merda, perdão, mais roupa, disse cá pra mim, e penso na que está na casa de banho à espera...
Mas não há roupa de usar e deitar fora? Ou melhor, não se pode vestir sem engomar?

Fotografia: Cascata Rio Homem, Gerês. Fevereiro 2012

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A propósito de Peso da Régua...

...E porque me lembrei do peso da régua nas minhas mãozinhas de criança e não só nas mãos; as bestas das freiras davam onde calhava. Na cabeça, que era o que estava mais à vista, nas costas quando apareciam na rectaguarda, nas pernas se estávamos de pé, no rabo... bem acho que levei em todo os sítios.

Até na alma! Sem falar nas alunas internas que, essas, por serem internas, levavam o dobro das externas e ainda tinham de limpar a merda das freiras, ou seja, as casas de banho.
Por isso, e como fiquei traumatizada, os meus filhos não foram para colégios porque é lá que está a comunidade de pinguins.
Será que ainda hoje estes pinguins batem assim nas crianças?

É que não vejo nada mesmo!

Irrito-me, quando abro a porta do forno para ver o assado e não vejo nada. Isto porque o bafo é tal a sair que me embacia os óculos. E fico ali num canto especada até desembaciarem os ditos para poder meter a cabeça lá dentro.

Já decidi!
Vou deixar de fazer assados no forno, prontes! Agora daqui em diante é só fritos. Pelo menos os fritos com bastante óleo, salta a gordura e pinga os óculos mas, sempre vejo alguma coisa! E mais, ainda deixa a roupa, a cozinha, os lençóis e o cabelo com aquele smélle (inglês), mas pelo menos  nao embacio os óculos.
Ou, lembrei-me agora mesmo, será que há à venda limpadores para óculos?

Fotografia: Peso da Régua (este nome traz-me à lembrança o peso das reguadas que as freiras me ofereciam)

domingo, 26 de fevereiro de 2012

A tua e a minha

- "Já me mostraste a tua, agora queres ver a minha?" - Perguntei eu ao mê senhor quando andávamos a comer alcatrão e terra batida entre rios.

Bem, a minha mente galopa por outros sentidos e não era bem isto que eu queria perguntar.
E antes que digam coisas e loisas cá da rapariga (que sou eu) e não quero más interpretações era isto que eu queria dizer: "Já me mostraste o Tua, agora queres ver o Minho?"
Ah, assim sim! Por vezes a cabeça pensa uma coisa e a língua diz outra.

Fotografia: Rio Minho em Monção. 24 Fevereiro 2012

sábado, 25 de fevereiro de 2012

É a pronúncia do Norte.

Ando aqui com uma dúvida e antes que se transforme em nó, e os meus nós são difíceis de desatar; vou fazer uma perguntinha e só com a ajuda do público, e chamo o público do Norte, e se o centro e ilhas quiserem arriscar, go on. Ah desculpem, esqueci-me do Sul.
Vamos a ver se eu entendo!

Fêveras, fevras, ,feveras, fêberas, febras... todas estas palavras referem-se à mesma coisa? Febras? Há diferença? Ou é tão somente a pronúncia do norte escrita tal como é falada?

Eu sei que podia ir ao dicionário, ao google, à pesquisa e logo tinha resposta. Poder  inté podia mas não estariamos aqui  neste uorqueshope (ingueles, pelise).
Mas também sei que vocês são uns simpáticos e vão explicar-me melhor, tou certa? Também sei que isto ao fim de semana anda meio-morto, novamente tou certa!

Fotografia: Grand Hotel de Pezo (é o que está escrito à esquerda por cima da janela) em ruínas, perto das Termas de Peso. Melgaço.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Fim de semana, pois então!

E pronto, não sei se repararam que este é o último fim de semana de Fevereiro. Como passa a correr por nós os dias!
De repente, sem darmos por isso estamos em Março, mês das flores, da Primavera, dos passarinhos...enfim, mês da roupa leve, dias a crescer, o Inverno a nos deixar lentamente.
Bom fim de semana, pois então! E sejam desmedidamente e obrigatoriamente felizes.
 Eu? Tentarei ser e usar os dias que restam...

Fotografia: Foz do Tua. Onde os dois rios (Tua e Douro) se abraçam. Quinta feira 23 de Fevereiro, 2012

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Eu conheço muita gente mas não conheço toda

Oramésta!
Em Peso da Régua aproxima-se um senhor que queria informações acerca de como chegar ao Porto. Bem, nós (eu e o mê senhor) vinhamos do Porto, mas antes que lhe dissesse algo errado fiz-lhe ver que não éramos de cá, do Continente, por isso não éramos os mais indicados para rotas.
- Ah, então de onde são?
- Somos da Madeira.
- Conhece o Jorge? - perguntou ele. - Um rapaz forte?- Abanei a cabeça em negação - Ele tem bigode.- referiu. Bem, à frente dele estava um com essas características. e devo dizer que conheço mais uns nas mesmas condições.

Disse-lhe que não conhecia. Volta ele.
- É um que faz pão do caco. - Desatei a rir pois é bolo do caco e não pão do caco.
E a conversa ficou por ali.

Mas devo dizer que somos mais de trezentos mil a viver na ilha, Jorge é um nome comum, forte é uma condição de que come muito, bigode é uma questão de ter pêlos e deixar crescer. E fazer pão do caco, bem nem todos os Jorges fazem pão, uns fazem, outros comem.
Eu conheço meia Madeira e a outra meia conhece-me, este, provavelmente, deve pertencer aos que me conhecem.

Fotografia: Ribeira à noite. 20 Fevereiro 2012


Penso que o Douro vai transbordar!

Olha-me que seca! Eu estou sem lágrimas e de certeza vou sentar-me à beira do Douro ali em Pinhão e da forma como costumo verter água pelos meus olhos de cada vez que "malembra" das fotografias, o rio vai encher e transbordar; por isso, quem vive perto dele, afaste-se, ponha a léguas, mas antes, metam o dedo no água, provem e digam-me se não está salgado!
Não aconselho também, a navegação de cruzeiros hoje.



Fotografias: Douro hoje, , captadas pelo mê senhor

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Bem que já dizem por aí que "O meu blogue é um livro aberto"

 É verdade. Mais aberto não podia ser.
O mê bisalho vai casar em Setembro.
Não há nada que eu não vos diga! Aliás, há uma coisa para dizer:

Já imaginaram a caduquice da velha? Sim, eu. Todo o santo dia tirei fotografias no caminho da Ribeira até São João da Pesqueira, à beira Douro, e digo: não há dinheiro que pague os meus olhos por tudo o que vi. E depois...

Vou passar as fotografias que eu captei, lindas, e que me custaram umas dores nas costas, nos joelhos, na cabeça por ter estado de cócoras, de joelhos, a arrastar o cesso pela verdura e, bem, deixem-me enxugar aquela lágrimazita rebelde que teima em cair, quando vou passar para o computador eis que elimino todas.

Todas. Nem uma para eu pelo menos mostrar. Fiquei possessa do diabo e praguejei a minha cabeça, a vida, olhem até a triste da máquina fotográfica e agora bem me apeteciae ir ali abaixo e "deitar-ela" p´las canas dentro. Não vou porque tá sete (de)graus e não quero voltar a ficar doente. Da cabeça, claro.

Vá, e agora riam à vontade enquanto eu choro à vontade.

Fotografia: Douro e "alcácias" (como se diz no meu rural) , hoje. Captada com o telemóvel

Eu ainda não vos disse...

...Mas vou já dizer que está aqui entalado na goela e se não digo rebento com ela.
Tenho um casamento em Setembro.
E não digo mais nada.

Mas podem perguntar que, como diz o outro: " perguntar não ofende."
Já sei que a pergunta está aí quase a sair e por favor não roam as unhas, sentem-se respirem fundo, já sabem que eu digo quem vai dar o nó, e vira e que trambulha, e tal e coisa., mas acalmem-se, por favor.

Que alvoroço é esse? Já estão como eu? Assim com aquele nervoso, parvo, que se entranha nas entranhas? E parece que nunca chega o dia?
Vá lá, pensem comigo ou sozinhos, quem há-de ser?

Fotografia: Pôr do sol em Palmeira, Braga, sábado passado.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

5ª - A minha cidade é mais bonita que a tua

Participação da querida Turista do blogue. "A Turista Acidental". E quem não conhece esta Turista dê um passo em frente ou então, vá lá, vá lá ao blogue dela. Corram, depressa. E depois, ela trata toda a gente por "querida." 


Diz ela:
"Querida Gi  (eu não disse? Lá está: "querida" .Não é querida?)

Cá vai a minha participação:

- Cidade de Braga. Jardim de Santa Bárbara

Gostei da tua iniciativa. :)
Beijinhos."

 E eu gostei que tivesses participado. Obrigada pela contribuição e participação. E de certeza que sabes que eu adoro a tua cidade! 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Ir, eu inté ia!

O mê bisalho telefona a perguntar se queríamos ver o Glorioso em Guimarães.
 Ora eu assumo-me. Gosto de vermelho! E o vermelho fica-me berm, mesmo muito bem. Éa cor do sangue que corre nas veias é a cor do coração é a cor do amor.. preciso de dizer mais?

Mas antes ia saber o preço dos bilhetes. Assim que soube, liga a dizer que era até um preço acessível, não ao meu bolso, nem ao do mê senhor, nem ao dele que o rapaz anda a economizar para dar a volta à vida.
Uns míseros 30 euros. É como digo: ir eu até ia, mas se me dessem entrada de cachorro, como se diz no meu rural. O problema é que ainda estou com tosse e com uma voz de aguardente de cana sacarina e ladrar ia sair mais como um miado que um latido. Vai daí ficou-se com o rabo em casa. Eu, que os senhores "forem" ver a bola  numa tasca, perdão num restaurante, mas vêm jantar a casa sempre é mais barato.
E nada como uma refeição feita por Moi-Même: milho cozido com "espigos" e peixe, bem madeirense por sinal.
E vivó velho!
E já agora...Bom Carnaval!

Fotografia: Véu de noiva, cascata na zona norte da Madeira. A linha longitudinal que se vê na foto é a antiga Estrada Regional 101.

Ora bem. E ficar trancada dentro de casa?

Sexta feira dia de ir ao "orioporto" buscar o mê senhor. Arranjo-me, perfumo-me, deito umas gotas de essência de lavanda comprada na Casa Catanho e olho-me ao espelho. Tou bem, muito bem. E sorrio.
Meto a chave na fechadura, já por fora, uma vez que ia sair de seguida, mas...lembro-me que pode-me dar uma "angrinha" (tradução do inglês) e de imediato vou à fruteira agarro numa nactarina no preciso momento em que oiço a porta a fechar.

Olha-me esta merda! digo eu que ninguém me ouvia. Chave por fora, mais nenhuma cá dentro e devem estar a pensar mas porque razão ela não deu a volta à maçaneta da porta? Eu respondo: dar eu dei, mas ela está estragada só abre com chave. Certo? E a chave estava por fora, certo? E mesmo com oura chave, com uma na ranhura não abre, certo?
Ah, mãe, cu gajo chega e eu não toupa o receber de braços abertos! Começaram bábedas a sair,  a brotoeja a saltar, e a hemorróida a dar comichão.
Ponho-me à janela a vigiar quem entra e sai.Até que...

Sai um adolescente que ia  passear o cachorro e pedi-lhe, de joelhos não que não me viam, mas esticada pela janela fora que subisse até ao meu andar e abrisse a porta. A principio olhou incrédulo mas depois veio-me socorrer.
 E a sorte é que a minha varanda fica por cima da entrada do prédio. E se desse para as traseiras?

Ttambém ganhei na categoria de...

..."O blogue mais bem humorado"

Ora, eu também acho que sim, humor com amor por aqui não falta.
E depois não querem que seja convencida? Mas se vocês convencem-me! E "odespós" dá nisto: fico vaidosa, a vangloriar-me e dá-me força para continuar por aqui a contar as minha peripécias.
E vai daí para não fugir à regra conto mais logo de seguida, que até tem piada para os outros, que cá para mim deu-me uma volta no "estrampalho", mas sou uma rapariga que não se enrasca...sempre.


domingo, 19 de fevereiro de 2012

Dia de noivos e pais de noivos

Bem, vou vangloriar-me, tenho um projecto-nora com mãozinha para a cozinha. "Uora" se tenho.

O bisalho disse-me na semana passada: "domingo vêm cá os pais da "Madame", mas somos nós a fazer o almoço."
- E eu? Fico a ver?
- Tu e o dadí (não é dadi é dadí com acento no í) vão sair, tomar café, libertar o espaço para nós arranjarmos o almoço. Não fazes nada.
 Acham que me chateei? Cá nada! Agarrei na mão do mê senhor e fomos arejar.
Só quando a mensagem chegou com a frase:" os sogros chegaram" é que regressámos.

 A mesa estava completa: entradas (melão, fiambre, toucinho, queijo, chouriço) lombo de porco assado com batatinhas, salada de alface, arroz de verduras e a terminar a sobremesa em taças individuais.
Só sei que permanecemos na mesa, bem, sentados à mesa, até às seis da tarde. Um bom vinho da casa dos compadres - Ponte de Lima acompanhou o repasto, mas não poderia acabar sem a lembrança, sem um cheirinho da Madeira. A bela da poncha tradicional , ou à Pescador, como chamamos, feita pelo bisalho.
E se eu disser que me deu uma pedrada de sono? (Não aceito pensamento do jeito: sono? bebedeira queres tu dizer.

fotografia: O bisalho, na Ponta do Pargo, 30 de Dezembro 2011

Prontes, eu assumo-me. Sou convencida. E depois?

Mas há cada uma! Só quem passa por elas é que dá o devido valor.
Convencida, sou eu, por dizer que o meu humilde casebre foi nomeado e ganhou o primeiro lugar do blogue com imagens mais bonitas. (E quando souber que ganhou mais duas categorias aí é que vão ser elas!)

"Anda muito convencida só porque o blogue tem imagens bonitas.
Sabia que é muito feio vangloriar-se de uma coisa que os outros autores também podem ter? Francamente, há pessoas neste mundo que devem ter batido com a cabeça nalgum lado."

Oh querida, se alguém bateu com a cabeça nalgum sítio não fui eu de certeza; eu só me queixo da tosse e da gripe, da cabeça não, felizmente. Será que a querida é que bateu nalgum lado? No lado da inveja?

Fotografia: Café Brasileira, Braga. E não resisti a a sair de casa mesmo com a tosse que me chateia (eu sei, querida TURISTA, devia estar em casa, mas que queres?) Ai, será que não devia ir ao café? Ou não devia dizer, pois estou a vangloriar-me. (E é muito feio vangloria-se de coisas que os outros também podem ir e não foram! E a Brasileira estava apinhada!)

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Esta tarde transpirei

Porto com temperatura agradável. Eu e Moi-Même resolveu-se andar a galope dos sapatos. Pega na chave do carro embico à Batalha. Páro num parque, e ponho-me a tirar fotografias. Desço uma escadaria - Escadas do Guindais, sobranceira à zona da Ribeira. Vou até à Ponte Dom Luís que como boa turista vou sempre lá e resolvo subir por onde desci.

Alma pela boca fora juntamente com os pulmões que a tosse teima em expelir. Olho para uma janela acima de mim por detrás de uma guita cheia de roupa e pergunto a uma velhinha.
- Olhe, senhora ainda falta muito?
- Minha rica menina...(ai até sorri com o elogio, devia ter falta de vista, não viu as rugas)...ou então falava com Moi-Même, sim que ela dá tanto creme para precer mais nova que eu) chegando ali - e apontava para um cotovelo nas escadas (e eu a pensar chegando ali.. é o fim!) ainda falta metade.
Ai valha-me todas as almas do Purgatório, eu morro antes de chegar ao carro!
Parava, subia, espirrava, tossia e assoava-me. É que p´ra baixo todos os santos empurram, para cima só o diabo.
Quando cheguei ao carro...desmaiei! E Moi-Même despiu-me devido ao calor.

Fotografia: escadas do Guindais, hoje.

Hoje vai um poste de enrolar o estômago

Como sabem tenho estado com tosse, uma tosse de cachorro que uiva. Como não sabem mas já vão ficar a saber eu trouxe (para o Porto) a coisinha do mê senhor, sim, o computador pequenito que é dele, ou seja, emprestou-me, mas com todas as recomendações pois melhor que ele ninguém sabe o quanto eu sou despencada e descuidada (e ele que é mira-mira-não-me-toques com as suas coisinhas! Picuinhas, sim, pensem à vontade)

Ora, eu com tosse por vezes só coloco a mão na boca quando sinto que o pulmão está para sair, de resto vai disto que não há tempo pois tenho as mãos ocupadas nas teclas..
Ontem, com a luz a incidir no monitor reparei que estava todo cuspido (é agora a altura de franzirem o nariz, com aquele esgar de nojo, levantando levemente o lábio superior, conseguiram?)  mas eu estou ainda debilitada sem vontade de andar, por isso olhei para a torneira e por mais que fizesse sinal para se aproximar de mim, ela não se moveu. Estúpida!

Olhei para o lado esquerdo, lá estava o lenço de papel que por sinal estava sujo de moncos e escarros (vá novamente um fechar de olhos, de nojo, e se o estômago estiver embrulhado está na altura de pararem quisto ainda não acabou) peguei nele humedeci uma ponta limpa com uma bola de cuspo e passei no monitor, em todos os cantinhos. Vltei o monitor para fazer incidir a luz e...
Perfeito. (Prontes, já podem abrir os olhos e ir às carreiras pá casa de banho)

Fotografia: Padrão da Légua. Matosinhos, ontem. Captada com o telemóvel

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Ai que me vai dar uma aflição!

Fui aldrabada, ("enrabada" como se diz na minha terra, isto vai assim com laivos de agressividade, desculpem), na botica onde compro as verduras.

Olho o preço de cerejas, daquelas pretas, grandes, e elas a chamar por mim, psssst... pssst eu já a passar a língua "nei beiças" a saborear, mas desci à Terra e pensei: estão fora de tempo! mas mesmo assim o desejo associado à gula por trincar umas delas era superior aos braços...

4, 90. Poça! Caras como estrume, mas: esta vida são dois dias e o Carnaval são três, porque não? E comprei uns míseros duzentos gramas que nem dá pá cova dum dente.
Na rua, confiro o preço das compras. Eita, aqui há gato. Cerejas a 9,80 ao kg?

Voltei atrás e fui ao homem que me havia vendido e perguntei se 9,80 era realmente o preço das cerejas. Ele com a cabeça faz sinal que sim. E logo digo: mas na placa do preço está 4,90.
- Meio quilo. É para não vos assustar. - diz-me a sorrir e aquele sorriso de boas maneiras que tinha quando entrei, desvaneceu-se. Caíram-me os tomates e as cerejas.
E se fosses vender cerejas pa Rabat não era melhor?

Fotografia: as ditas, as belas, as pretas que me fizeram chupar o caroço demasiadas vezes. Mas, já lá "forem".

"O blogue com imagens mais bonitas"

Diz a votação que é o meu, no concurso dos Awards, da Turista.

Agradeço aos que me nomearam, aos que votaram, aos meus pais, ao mê senhor, aos meus filhos e netos, ao produtor, realizador, cenógrafo e ao público em geral, aqui presente nesta plateia, onde se faz a entrega da estatueta. Aos que acreditaram em mim e fizeram do meu humilde casebre o que realmente é.  Aos que nao acreditaram, por favor, comecem já hoje a acreditar que este discurso é uma mera brincadeira, mas o globo é real.

Ei-lho (como se diz na minha terra)
Agora a sério, que eu também falo sério, agradeço aos que me nomearam e a quem votou. Mas acima de tudo à minha doce Turista mulher aguerrida nestas brincadeiras e que adora proporcionar bons momentos de interacção entre nós.
É uma brincadeira eu sei, mas dá uma ligeira vaidade saber que foi considerado nesta categoria: de imagens; e sabendo que as imagens são nossas (minhas e do mê senhor) e retratam momentos nossos, vividos a dois a três a quatro a cinco ou até a mil, mas pertencem ao nosso espólio.
Obrigada, Turista, és uma querida (palavras tuas) por nos proporcionares estes momentos.

A propósito do Facebook

Um dia destes encontrei um amigo e conversa puxa conversa falou que conhecia aqui o meu humilde casebre. Do blogue para as redes sociais foi o salto de uma pulga. Os problemas, a exposição das pessoas, as fotografias, as poses...
Mas, contava ele que...

Um dia, olhou para o visor do telemóvel da colega de trabalho e reparou naquilo que parecia ser uma fotografia sua no monitor do telemovel. Intrigado e altamente admirado, aproximou mais os olhos para com mais atenção olhar e tirar a dúvida. Perguntou à colega como é que ela tinha uma fotografia dele no telemóvel, uma vez que o seu relacionamento não ia além dos portões da escola.
- Copiei do teu facebook - respondeu ela, com  mais perfeita naturalidade.
- Como!? Copiaste?
- Sim, do teu perfil. Assim, se me telefonares, aparece logo a tua fotografia.

C´um caneco, vai de metro ó Santanás e livra-me de gente assim ""cainda" lhe esmigalho as goelas!

Fotografia: Aveiro - A Veneza portuguesa. Outubro de 2011

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Este homem é um canário

O vizinho daqui do prédio, o que vive paredes meias com o mê bisalho, é mesmo um bom vizinho, daqueles que põem a música alta logo pela manhã como sendo o serviço de despertar que dá para toda a confraria e assim permiti que os confrades economizem uns euros, pois desta forma não é necessário ligar o rádio. Mas, o seu gosto musical não é ecléctico, e resume-se à pimbalhada.

Quando num Domingo de manhã ele coloca o Toni Carreira a cantar, uns decibéis acima da média, o seu Sonho de Menino, faz com que os vizinhos não tenham mais sonhos. E aquela brotoeja há muito sarada volta a aparecer, e a saltar dos braços pás pernas bem como a vontade mórbida de lhe bater à porta e enfiar o disco do "Tani" lá onde eu bem sei. E vocês também sabem. Vou ou não vou...

Fotografia: rio Zêzere

Dá-me cá uma vontade de rir...

...Quando pergunto a alguém por um membro da sua família, doente há algum tempo, se se encontra melhor e a resposta que tenho é:
- Não leste o blogue? - Eu respondo que não. - Não vais ao meu facebook?- Com uma tal cara de espanto!
Ora shite (merda, era feio aplicar aqui) atão já não se fala? Não se responde?  Remete-se logo para a leitura do blogue e do facebook?

Remédio santo, nunca mais pergunto nada; se quiser saber, salto do blogue para o facebook e se não tiver nada lá escrito sobre a doença do familiar espero sentadinha de perna cruzada que há-de aparecer nem que seja a missa de corpo presente no cemitério! E se por qualquer motivo tardar a ir a estes sítios ainda chego a tempo da missa de sétimo dia.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

E hoje é dia dos namorados, noivos, casados...

Um dia em que São Comércio agradece, com as duas mãos para o céu, a míngua desde Dezembro.
É o dia há muito esperado em que se abre a bolsa do dinheiro e toca a comprar o bouquet de lindas rosas vermelhas, o colar da Pandora, o jantar romântico  à luz das velas, ou quase às escuras, para não se ver a quantidade reduzida de: arroz do Amor, carne do Desejo, verduras gratinadas com botões de rosa e pudim da Felicidade.
À saída, na zona mais clara, ou seja, junto à caixa de pagamento muita luz, para se ver bem o total a pagar. 
E na rua, fazem-se contas à vida e:... Amor, agora até final do mês é só massa com esparguete!... Ou então, casa dos sogros, avanço eu.
Feliz dia dos Namorados.

Fotografia: o meu namorado. Marina do Lugar de Baixo, Ponta do Sol, dia 30 de Dezembro 2011

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Decididamente, sou uma rapariga dos trópicos

Eu cá não sei viver no frio. Visto casaco, ponho barrete, luvas, cachecol, um casaco de abafo bem peludo, meias de lã que quase não cabem nos sapatos e mesmo assim sinto frio? Se não é nos pés, é no pescoço, mas é na cara que mais sinto. Devia haver algo para meter a cara como os ladroes usam, mas se calhar para mim não ia surtir efeito, mesmo assim ia-me queixar do frio nas beiças e nos olhos.
E depois....

Se entro na padaria, que está quente como lume, tiro o barrete, as luvas, o casaco, o cachecol e fica tudo no braço. Mas como tiro o porta-moedas de dentro da bolsa?
Despacho-me. Compro o pão, saio, mas antes...encho o chouriço outra vez.
Atravesso a rua. Ah, couves! Vou comprar para o jantar, com cenoura e peixe vai ser um pau pelo olho dentro! Entro no super. Novamente tiro a pele ao chouriço, ou seja começo a tirar a roupa, salvo seja, os adereços, prontes.

Ai não! Vou mazé para casa que com frio ninguém me vê na rua a pastar! Mas antes...
Visto o casaco, calço as luvas, entrelaço o cachecol no pescoço, puxo a gola para cima....

Fotografia: Praia da Calheta. Madeira

Mudar de vida ou de hábitos

Pão. Adoro-o simples sem manteiga, sem queijo, sem fiambre. Nada. Nem me conheço.
Quando era adolescente mandava cá cada quarto de pão à boca! Cheio de conduto. Lembro-me de enfiar tanta coisa a meio, e como não tirava o miolo, nem fechava. Nem o pão nem a boca! Mal recebíamos o pão era logo cortado em quartos. E era logo comido.

Sentava-me no chão, tinha cadeiras, obviamente, poucas, mas ainda havia, a ver televisão e a fazer um esforço enorme para abrir a boca quanto mais pudesse, tentando albergar toda a espessura do pão, para poder dar uma dentada. E quando metia o dente e trincava era certo que saía algo pelo outro lado. E o pão era dos grandes, não havia brindeiros. Sem falar nos molhos! Esses matam-me.
Os tempos mudam, as vontades também. A vida ensina e modera a vontade.
Eu era das pessoas que gostava mais do conduto do que do pão. Hoje em dia é precisamente o contrário.

Fotografia: Árvore a florescer neste inverno, dando contada resistência das flores ao frio. Porto. Semana passada.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

O milagre anti gorduras

E diz na publicidade que basta uma gota para tirar toda a sujidade impregnada na loiça, e, se reparem, a taça usada na publicidade está deveras cheia de comida colada ao fundo.
Ora bem, "indápouque" (falando à madeirense) fiz umas omeletes, sim, das boas, daquelas completas com tudo, e a frigideira ficou como a da publicidade. Eu, mulher "gardadeira" e ciente da crise deitei uma só gota na esponja e vai daí toca a esfregar, esfregar, ainda não acabei de esfregar e não é que só com uma gota aquilo ficou igual? Não igual à da publicidade, note-se, igual ao que estava antes de ter gasto a gota. A comida pegada no fundo nem mexeu.
Atão, toca a deitar muitas gotas de Fairy (o tal milagre anti gorduras) e aí sim, até pintei as beiças no espelho que se formou.
Posto isto não me venham enfiar alfinetes nos olhos que milagres, milagres, só mesmo os de Jesus, (não é esse. O outro, o verdadeiro, irra!)

Fotografia: Paisagem rural. Ponta do Pargo. Madeira

sábado, 11 de fevereiro de 2012

O pior é que eu dou-me nisto!

Passei a tarde  ...muah, muah. assim mesmo como se quer como se merece.
Eu o bisalho "embuseirados" no sofá, mais o Dom Gaspar nos pés a servir de botija de água. Canelas esticadas: eu com uma manta, ele com outra. Ele, a ver um filme no computador eu, a ver CSI.
Mas algum dia, num sábado qualquer, no meu rural eu estive assim?

Já disse que sou viciada nesta série?
Perguntem-me um detalhe que eu respondo logo. Eu bebo-as, eu trinco-as, eu mastigo-as, eu saboreio-as, eu digiro-as. Eu...bem, chega com a digestão.

Fotografia: Vista a partir do miradouro da Sé, do Porto.


Ora cá estou eu fresca que nem um tomate

 Bom-dia gente daqui, dali e d´acolá.  Bom-dia também aos portugueses espalhados pelos quatro cantos do mundo (pareço o Júlio Isidro ou o outro o que tá sempre a rir sem piada alguma: Carloz Moniz, não?), mas peço aos que estão nos cantos do mundo aproximem-se do centro, é que, ainda não viram que o mundo não é quadrado? O que fazem nos cantos? Querem cair, é? Cheguem-se ao centro, já, aí é que devem estar, ora agora nos cantos!
Mas já falei tanto e não disse nada. Pois bem.
Estou melhor, dormi novamente mais de 12 horas, estou no bom caminho. Agradeço aos que me desejaram melhoras e votos de rápido restauro.
Obrigada a todos isto sem vocês não teria graça nenhuma. (Bem, isto vai de mal a pior, agora imito o Malato?)

Fotografia: Avenida da Boavista, Porto entardecer. (Foto captada com o telemóvel)


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Mas que pedrada!

 -Toma um Actifed - diz-me o mê senhor, preocupado, quando ao telefone lhe tossi nos ouvidos (nem digo que até pediu para afastar o tele. Homens. já se sabe, são todos iguais entre si. .Mas quando estão doentes toda a gente tem de saber e gemem a toda a hora,  mas nós mulheres é que somos as fracas, enfim, perdi-me a divagar...) além de me assoar constantemente e fazer aqueles ruídos próprios da constipação.
Mê senhor falou, eu, senhora do mê senhor não ia sair de casa à noite, sozinha com Moi-Même, que mulheres velhas em casa à noite é o seu lugar, sentadinhas a apontear os buracos das meias. Atão pedi ao bisalho, que é obediente para comprar o dito Actifed.

Tomei "ontánoite" e só agora acordei.
Eita, "aquilho" é que foi "mamar" sono. Podia ter sido violada, raptada, sodomizada, feita escrava sexual durante a noite e nem dava por isso.
Ah, mas será que fui? É que não me lembro de nada!

Fotografia: O céu tão azul, sem nuvens, no meu Porto, pronto, no nosso Porto, ontem.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Tenho de mergulhar de cabeça

 Sim, mas antes vou colocar os óculos de mergulho e as barbatanas que só com estes é consigo chegar às profundezas da minha bolsa. É que o telemóvel toca e não o encontro e, diga-se de passagem, a minha bolsa não é assim tão grande nem funda. Meto uma  mão, depois a outra, por fim, as duas, despejo os interiores que vou colocando debaixo do braço ao som do telemóvel, mas...cadêle?

E depois como não atendo desligam no preciso momento que o tenho na mão e o levo para a orelha a toda a pressa e com um sorriso nos lábios, digo: sim?
Sim, ninguém responde.

Espero uns instantes com ele na mão a ver se voltam a ligar. Não voltam. Meto-o novamente na bolsa.
Caramba! Nunca atendes o telemóvel! Dizem-me.
Atender eu atendo, mas desligam.

Fotografia: Porto, hoje.

4ª - A minha cidade é mais bonita que a tua

A cidade do Rui da Bica do blogue:"Coisas da Fonte"
Ermesinde. Porto.

 Ermesinde fica a Norte do Porto, apenas a 5 km da periferia. Trata-se de uma terra originalmente de base ferroviária, já que é o local de derivação dos transportes ferroviários para todo o norte quer para o Minho, quer para o Douro.
Quando nasci, Ermesinde tinha apenas 5 mil habitantes, tendo hoje cerca de 70 mil (há engano na Wikipédia) !
Relativamente às fotos :
Parque Urbano – (apenas visível parcialmente) Trata-se de um parque multiusos, com Parque auto subterrâneo, Ginásio, Museu, anfiteatros coberto (p/ espectáculos culturais de toda a ordem e outro descoberto, para musicais, parques infantis, restaurante, esplanadas, lago, figuras escultóricas, espaços verdes para passear ou simplesmente descansar.
Largo da CP e Interior da estação – Construção com cerca de 10 anos, uma das mais modernas (senão a mais moderna) de Portugal como é facilmente visível ! O edifício visível na foto central é a moderníssima estação de caminho de ferro !

Obrigada Rui pela participação e contribuição neste passatempo e não te escondas que vais pagar-me uma bica.

Eu consegui

 Sabem o engraçado de se estar com gripe? É que a beber somente chá de citrinos o peso do corpo desce.
Atão não é que passei 4 dias só a chá? E a comida não me fez  falta nenhuma antes pelo contrário era uma sensação de fartura cá entro.
Olhem, agora já consigo uma coisita não quero abusar e manter este meu peso. Mas, as rãs que coaxam no estômago incomodam-me.

Só Deus e eu sabemos o esforço que faço para não engordar. Também vocês sabem, não é verdade? Sabem, sim, que já referi, o que me esforço para não comer, o exercício, as caminhadas, as litradas de água em que me banho, perdão, que ingiro. Mas que querem? Não sou compensada.

E hoje que estou mais elegante até podia fazer a capa da revista Vogue não fosse o vermelhão que tenho à roda das narinas e o amarelão na pele devido aos citrinos.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Era esta a vida que eu queria...

 ...A vida do Gaspar, mas em modo feminino, quiçá, Gasparina. Quando não tem comer anda à volta da taça e chateia até lhe deitarmos a ração; quando não tem água mete-se na banheira e logo o seu desejo é satisfeito. Comer, ora bem, não come ração de marca branca nem comida de lume, esquisitices, diremos nós modernices e questão de bom gosto dirá ele.
De resto come, dorme, espreguiça-se, ronrona, mama na roupa. Mas... não sai de casa, qual quê? Sujar o pêlo? Já basta o tempo que leva a lavar-se.
Só mais uma coisinha. É o companheiro do mê bisalho. Faz de aquecedor e calorífero nestas noites frias de Inverno.
"Estapilha", só depois de escrever isto é que realmente me apercebi como é bom ser gato! "Uora" se eu gostava de ser gata nestas condições! Ah, esqueci-me de dizer que o Gaspar faz férias na Madeira mais vezes que eu.

Mas afinal o que se passa?

Ainda não recebi um comentário ao poste dali de baixo e isso é grave, muito grave, diria até, agudo para não dizer esdrúxulo. Chegam até aqui e algo os inibe de dizer uma coisinha.  O que se passa?  Vamos lá deixar um donativo no poste: "A minha vida é um livro aberto"
Já tenho o  traseiro a doer e abulajado para não falar dos ossos moídos de tar em frente ao monitor esperando os comentários, mas, se não vão escrever nada digam, é que tenho coisas a fazer. E se não dizem nada carrego a chaimite com bolos do caco ou semilhas e zumba que aqui vai disto, E nem vos falo na pontaria certeira que tenho.

A minha vida é um livro aberto

Ora bem, já que fui nomeada para esta rubrica dos Awards da Turista e uma vez que sou curiosa ( prontes, já abri mais o livro, bocarra esta!) vamos lá tornar interactivo este meu humilde casebre.
Já que " A minha vida é um livro aberto" digam, agora, em que página do livro vão. E que críticas fazem ao livro, que, a bem dizer, o que sabem sobre mim, sem ainda estarem no epílogo?

Ai, AvoGI,  prepara-te os teus "podres", a tua careca vão ser descobertos, hoje. (Ou já  foram?)
E não publico as críticas ao livro conforme forem chegando, só para não dar pistas. Mas à noitinha sai tudo de enchurrada.
Vamos lá ver ...

Fotografia: Último dia do ano de 2011, na Marina do Funchal. Captada com o telemóvel pela Pulga.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Como se justifica?

Havendo 41 caixas de pagamento num supermercado somente 4 estejam  a funcionar. E os clientes que arfem, bufem, amotinem e sejam pacientes.
E as meninas que estão nas caixas a transpirar devido à quantidade de gente na fila.

3ª - A minha cidade é mais bonita que a tua

A cidade da Ana FVP do blogue: LaranjaVerdeRosa
Diz a Ana que:
A minha cidade, que a maioria já conhece: Lisboa!

A juntar Londres e Paris acho que são as 3 cidades mais bonitas do mundo!

Na foto: Parque das Nações com vista sobre a ponte Vasco da Gama.
Beijinho grande
Ana

Obrigada pela tua participação e contribuição e claro, a tua cidade é mais bonita que a minha.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Dêm-me os sinceros parabéns

Estou grávida!
Vómitos, má disposição, a barriga inchada, cólicas, vontade de fazer chichi a toda a hora e quando vejo comida fujo enjoada. Cansaço, stress e alterações de humor e de gostos alimentares, mas a falta do período menstrual é que me convenceu. Não preciso de testes.

Novamente nomeada

Poizé, novamente nomeada para os globos da Turista.. Agora na categoria de "Blogue mais bem humorado" "A minha vida é um livro aberto" "Blogue mais simpático".
Ah, mesqueci-me de dizer que na anterior votação este meu humilde casebre ficou num honroso segundo lugar nas categorias de: "Blogue com bonitas imagens" e " Blogue de Trivialidades"

Aproveito para agradecer a quem me nomeou e dizer que tem muito bom gosto,"oura" se tem! E agora, ide às carreiras até lá.

Ruca II


Por pouco não meti a roupa na máquina sem olhar (coisa que faço frequentemente) com a certeza porém que o espaço estava livre.
E quando me proponha a enfiar a roupa, eis que, Ruca II se levanta. E ainda bem, "canão" levava com uma trouxa de roupa em cima, além de uma esfregação de sabão com água quente a ferver e voltas e mais voltas no tambor até ficar pronto a colocar no estendal.
E nem sabem o pulo que dei ao ver este "estapor" se desenrolar, espreguiçar esticar o rabo e... e aparecer!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Ai se eu te pego

É verdade, fujam enquanto é tempo e nem olhem para trás. O mê Gu-Gu pegou-me a gastroenterite.
Ontem e hoje nem ver nem olhar nem saborear comida. A modos que estou grávida, só o cheiro me incomoda e corro logo para a sanita. Repuxo, sim sai de repuxo, por isso é que digo: fujam.
E imaginam ter de organizar a comida para a festa de anos da Pulga e depois não comer nada? E não sei como tenho tanto para expelir! Só ainda não rabicei.
Por isso a coisa tá feia. Mão na boca, "engulhos" (vómitos) dores no corpo, picadas que mais parece que alguém me anda a picar com alfinetes...

sábado, 4 de fevereiro de 2012

3:13



Capicua. E é também a hora em que acabei de retribuir as visitas e os comentários deixados, aqui, no meu humilde casebre.

Se não se importam e se me dão licença, vou até ao vale do lençóis descansar este corpo de viola que de estar sentado na cadeira mais parece uma guitarra portuguesa.
Boa noite, até amanhã e lembrem-se que, se não me virem aqui, é que estou ali.

Um Sábado do melhor. E a temperatura pouco importa e não interfere na felicidade.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Fim de semana, pois então!

Pois então, Bom Fim de Semana.
Esteja frio ou sol, caia neve ou tão somente chuva, não se esqueças que um chocolate quente, uma lareira acesa, uma boa companhia (e no caso de não haver gente por perto um livro faz a vez) sentados em frente à lareira, olhando as chamas, não se esqueças que serem, obrigatoriamente, felizes.

Fotografia: Baía do Funchal, no dia 23 de Janeiro de 2012. Foto captada com o telemóvel, por mim.

O cio


Digam-me lá, que de certeza são mais entendidos que eu nestas coisas de cio (estou a brincar, nada de  ofensas) ou se houver alguém ainda mais entendido que todos nós, acuse-se, quanto tempo dura o cio nas gatas?
É que as duas beldades com imenso sex appeal ainda estão trancadas na lavandaria e, coitadas, já sobem paredes e saltam e até já pediram para ver a luz do dia e o sol.
Mas, como não sei o tempo que leva o cio, ainda continuam lá fechadas, e sabem, os gatos, os tais, que andavam por aqui, e até estacionavam o veículo no quintal, olhem, desapareceram. Resta Dom Fuscas.
Vai pela luas?

Fotografia: Dom Fuscas que mesmo depois de ter levado uma saraivada de canelo continua a deitar-se nas minhas flores.

Acabou-se a neve.


Já estava farta e cheia de olhar para a neve do cabeçalho. Verdade, e até sentia frio sempre que entrava aqui ao meu humilde casebre e via a neve a cair. Era como se sentisse os flocos. E tiritava. Aquele arrepio teimava em não me abandonar. Até que...

Acabou-se. Ináfe (em inglês). É tempo do bom tempo regressar. "Janeiro fora, cresce uma hora", já diziam os antigos. Atão regressaram as Pulgas.
E o cabeçalho encheu-se de caretas. Das Pulgas.

 Das minhas Pulgas. E o frio...foice.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Querem ser eternos?

As duas Pulgas conversavam sentadas no banco do carro. Pergunta  a mais nova à  mais velha:
- Sabes porque é que a titia e a bi morreram?
Responde a outra. -  Não. Porquê?
- Porque não comiam verduras.

Portanto, amigos, se não querem morrer não há volta a dar senão comer verduras, não interessa quais,  mas comam e garanto que, por aqui vão andar eternamente. Palavra de Pulguinha.

Fotografia: Tabaibos. Verde mais verde não há, por isso, toca a bombar, queredo, desculpem, a comer e alcancem a vida eterna.

E a Pulga vai ao dentista


A Pulga foi ao dentista e ia tão alegre. Ai se era no meu tempo em que falar em dentista e falar em almas d´outro mundo a puxar os pés, de noite, na cama, era a mesma coisa.
Cá s´era eu, ficava logo com a vontade de evacuar e teria de ir à retrete 10 vezes antes de entrar na sala e, mesmo assim, ao entrar, ainda ia pedir licença pra voltar ao escritório (sabendo que escritório substitui wc) e descarregar o intestino, novamente.
É que ela ia mesmo contente! E eu cá nã lhe disse que aquele sorriso iria morrer assim que visse a broca a entrar na boca! É que nem tive "córage"!

Fotografia: Dentes de Pulga, ainda quando tinha a cremalheira completa, entretanto, dois já caíram.

2ª - A minha cidade é mais bonita que a tua

A cidade da BLAIR do blogue: Xá das 5 Com Blair Randall

Não é da cidade onde eu nasci mas tenho uma grande paixão por ela.
Tirei esta foto a partir do barco a caminho da Ilha de Santo Antão.
Chama-se Baía do Porto Grande e tem uma grande história dos tempos coloniais. 
Ao fundo vê-se o Monte Cara, e como o próprio nome indica é a cara de um homem deitado a olhar o céu, se se reparar bem.
Fica na  cidade do Mindelo, Ilha de S.Vicente, Cabo Verde

Obrigada, Blair pela tua contribuição e participação.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Gatas giras e boas


Eita,  não se pode dormir (de noite) nesta casa. É que as minhas gatas atraem a gataria da vizinhança. Há gatos que nunca os vi por aqui. Velhos, peludos, novos, velhos, pêlo liso, pêlo frisado, persas, siameses, russos, abissínios, ainda noruegueses, americanos...(ai o que tive de estudar para saber estas raças!) todos loucos por uma noite de prazer, lutam por duas gatas rafeirosas, magras, mas....com um sex appeal (que deve se mesmo um apelo do sexo) que atinge quilómetros. Atão, eu, para contrariar os gatos,  e, como é a primeira vez delas nestas andanças, tranquei-as na lavandaria.
Acabou-se a miada e os gatos atrás delas. Vão mazé miar pó quinto dos infernos.

Fotografia: Dom Fuscas é o único a afugentar a gataria, mas não luta pois, coitado, cortaram-lhe o prazer.