Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Pronto, não vou tirar mais tempo

É só mesmo para desejar um hiper mega fim de semana.
O meu? Como sempre vou tentar que seja em pleno e para começar uma jantarada aqui na azavó. Uns amigos de amigos que se tornaram nossos amigos.
Sai uma macarronada para jantar e para aperitivo uma chicharrada.
Bom fim de semana. Eu avisei que não ia ocupar muito do vosso precioso tempo.

Fotografia. Os meus ricos pezes cansaditos depois de andar praí um metro a pé. Ficam logo a pedir descanso, e eu dou-lhes.

Não sou só eu que...

...Gosto de espairecer, sentada numa cadeira a ver o mar. As Pulgas cá da AvoGi também gostam, principalmente, se estiverem acompanhadas por um gelado. Até sabe melhor ver o entardecer.
Rica vida esta!

Fotografia: Porto de recreio, Santa Cruz-Madeira

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Mas que susto!

Ainda há pouco abri a porta do sitio onde tenho as semilhas e cebolas e... eita, caneco, sai de lá uma coisa cinzenta a andar e a abanar o rabo.
Dou um salto e logo vou buscar o dum-dum que estava na porta ao lado. A coisa cinzenta passa por entre as minhas pernas, salvo seja, a mal intenção, foi para a zona dos quartos e eu, pobre coitada sem forças, dei- lhe umas dumdadas até ficar parada. Ela.

Mas não. Só descansou para inspirar o tóxico (funcionou como uma droga) e voltou à caminhada; e vou buscar a vassoura e amando-lhe umas vassouradas valentes com toda a força da vida e nunca lhe acertava. Raio da coisa cinzenta!
Estava (eu) quase cagada de medo da coisa que andava à minha frente quando chega o salvador da casa: mê senhor.
A coisa cinzenta sem rabo continuava a andar e não parava! Atão, munido de um belo golpe, um gancho à retaguarda, dá-lhe o fatal. A cosia cinzenta jaz, sem vida, à nossa frente com a cabeça esmagada pela força bruta do mê senhor.
Pobre lagartixa pequena e sem rabo que entrou pensando que aqui podia residir!
Paz à sua alma!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Rica vida

Rica vida rica vida
esta de nada fazer
de manhã basta acordar
e à noitinha adormecer.

E estar ao entardecer à beira-mar!

Eu dou-me nisto não posso é andar nisto.
Ma lhá que é bom... é verdade. Não há dúvida!

Fotografia: Entardecer na praia esperando o jantar.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Eu sou amante , mas começo a ter dúvidas

É verdade, eu sou uma amante do Verão, e ele sabe disso, daí mandar-me este calor, mas começo a ter dúvidas se este amor é correspondido.
Caramba, pah! (Pah? Olha eu a falar cubano!) Tu rebentas-me. Tu queres-me ver sem pinga de líquido no corpo? Neste corpo magro (assim como o corpos danone), sem gordurinhas extra, só carne e osso? Pretendes o quê? É que tenho suado tanto nestes dias.
Ai Verão eu desfaleço, eu morro, eu arreganho-me com estes dias de 30 graus. Ainda hoje aí pelas quatro da tarde, no Funchal, até me ia dando um mal apopilhético quando vi a temperatura: 31,5º.
Não se pode, quer dizer, eu não posso,

E depois...
Vejo o mê senhor que também é magrinho (só osso tadito) a suar em bica. Sou amante do Verão mas acho que tá na hora de mudar as minhas preferências e apaixonar-me por uma coisa mais fresca, assim a modos que um outono.
Poça, Verão!

Fotografia: Porto de Recreio Santa Cruz Madeira

É desta que me torno uma borracha

Atão não é que acabo de ler que um copo de vinho ingerido ao jantar é equivalente a trinta minutos de exercício físico. Ora, eu sou apreciadora de um bom copo de vinho à refeição, mas é desta que vai avançar mais do que um pelo menos dois e assim faço uma hora de exercício físico, sentada, a bebericar o meu vinhinho.
Mas que grande notícia! A sério tirou-me este peso na cabeça e na consciência pelo facto de não fazer ginástica.
- Mê senhor, serve-me aí um copo, bem cheio, de vinho regional alentejano. daquele que eu gosto: Pera Doce ou Aldeias de Juromenha.
Se não acreditam confirmem aqui.

Fotografia: Copo ornamentado com heras do meu jardim servindo assim como para personalizar e identificar o copo

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Paulo Gonzo

Por ti, Alberto Ferreira Paulo, vou até à costa norte da ilha, mais precisamente a São Vicente, somente para te ouvir cantar.
Tu canta aquelas que eu sei para poder dar largas à minha desafinação, pois eu... sei-te de cor.
Hoje serei o teu brinquedo, mas só hoje.
Até pareço uma gasguita nova praí com 56 anos, com borboletas na barriga e asas nos pés.
São Vicente dêem-me espaço que daqui a pouco lá vou, mas antes, vou pôr o bacalhau de molho.

Ferver, assar, ebulir...

- Avô, a minha mota tá a ferver! - Diz o Gu-Gu quando coloca a mão no assento ao se preparar para umas voltas, depois de ela ter estado debaixo do sol.

Daí a pouco.
E olhando para o Ruca II, o gato amarelo que sornava ao sol, dizia:
- Avó, o Ruca tá a assar.
A assar estão as pernas de frango no forno! Enquanto a água para o arrozinho branco ebului... e  eu ...ardo e borbulho de calor.

Fotografia: O Ruca II

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Sabiam que...

... Não uso sapatilhas e por conseguinte não tenho um par?
E sabem que preciso de umas para fazer uma caminhada?
E sabem que não vou "mercar" um par para satisfazer os pés?
E pensando melhor com os sapatos do domingo não faço a caminhada?
E sabem que se  não fizer a tal caminhada fico triste pois que a ideia foi minha?
E sabem, ou talvez não, que tudo na vida tem solução menos para a morte (irra! já deviam ter achado uma!) e por isso a solução é... levar umas da filha (deixadas aqui de quando era solteira) filho (idem aspas aspas) marido (gandes muita gandes!) nem que tenha de meter algodão na frente  mas comprar isso tá longe muito longe e nem as vejo devido à distância?
A tal caminhada que por sinal é uma levada, a das 25 Fontes, é das mais belas que por aqui há.

Para terminar, há mais alguém que também não use sapatilhas? Oquei, isto é querer saber da vidinha alheia, mas, vá lá... digam, sim?
Fotografia: Daqui

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Com licença só se...

Gu-Gu assim que mete a última garfada de comer na boca quer logo sair da mesa, mas, por aqui, nesta família só saem da mesa quando todos terminam a refeição. É um sufoco para eles estarem a fazer circunstância podendo ir brincar, mas, regras de convivência social e boas maneiras aprende-se logo que se nasce.

Ontem ao jantar o rapaz estava sempre a repetir: "Avó, posso sair da mesa?" Ouvia sempre a mesma resposta: "Só quando todos terminarem". Mas água mole em pedra dura tanto bate que fura e como nas férias algumas regras são quebradas esta também foi.
Ao fim de milhares (prontes, estou a aumentar) de vezes (Posso sair?) e com cara de enterro lá disse que sim, mas antes adverti que se deve pedir licença.
Ele salta da cadeira sem ouvir:
- Com licença - repito em voz alta para que oiça. Ele já no chão e de costas para mim riposta:
- Mas eu não dei um fofó? - como se só se pedisse licença quando se dá traques.

Moral da história: fofós só com licença, não sei se antes e dar ou depois.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Pfuu, cu enjoo!

- A sanita cheira mal. Avó, tu fizeste cocó? - perguntava-me o Gu-Gu, de nariz franzido, quando o levei à casa e banho para fazer chichi, sempre com a presença do resto das Pulgas.
Responde a atrevida da Pulguinha que tudo sabe. E tudo diz.
- Pois tá! - diz ela sem sequer inspirar para confirmar. - A avó fez cocó ontem e jogou às cartas.

Prontes, não se pode fazer nada à vista de canalha miúda!
Eu só fiz uma paciência enquanto aliviava a tripa e ela entrou num instante. Mas viu. E cheirou também.

*Enjoar, por aqui, em madeirense, significa cheirar mal.

E depois da festa

Eram duas da manhã de hoje e ainda estava eu (e Moi-Même, claro) a limpar a casa. É que primeiro preguicei e depois trabalhei.

Depois de deixar o bisalho e sua madame no aeroporto e esperar que o avião aterrasse (e só o fez passado uma hora e meia do previsto) fui tomar um banho de calhau seco (mas o mê senhor esteve de molho na água caliente de Santa Cruz é que alguém tem de tomar conta dos sacos que ficam em terra enquanto se vai ao mar molhar o corpo. Então fico eu de plantão aos sacos ) eram já sete da tarde.
Ó depois é que foi! Depois de jantar com as Pulgas, e lá pelas onze da noite, ementes elas viam televisão (escusado será dizer que era a Disney!) deu-me aquele frenesim e toca a mudar lençóis de cama limpar o pó, além de varrer todos os cantinhos e ainda arrumar aos 345 pratos, 1246 talheres, 876 travessas, mais 78 cadeiras, 39 mesas; despejar 45 sacos de lixo, 5670 garrafas de cervejas, 679 garrafas de vinho e ...etc...
Só sei pelas duas da matina estava com um calor e a  transpirar por todos os poros, quando fui chamar as Pulgas, que continuavam a ver televisão (são férias e por isso elas também se deitam tarde além de que a esta hora é que dá na TV os melhores programas) e virem para a cama quando a Pulga mais velha disse.
- Já é para se deitar? Ainda não te sentaste no computador!?
Ai, pequena do ilhéu!

sábado, 18 de agosto de 2012

Parabéns Bisalho


Este dia tão lembrado
Foi para mim de muito trabalho
Pois  há 28 anos
Nascia o “Mê Bisalho.”

Foi num sábado pela manhã
que disse ao mê senhor
“Leva-me já pó hospital
Tou a sentir aquela dor.”

Era uma dor tão forte
Que alastrava a todo corpo
Pensei cá comigo:
“É desta que morro!”

Ao hospital cheguei
Com uma mala de cartão
À saída trazia um busico
E a mana pela mão.

O bisalho tinha pressa
Deste mundo conhecer
Nem esperou que desse uma
Para nascer.
  
A sua mana sempre presente
Exclamou logo de que o viu
“ Há-de ser Bruno, mamã.”
E ele concordando, sorriu.

Lá cresceu o bisalho
Tornando-se  num galo palheiro
Quando começou a falar
Disse que ia ser engenheiro.

Hoje, vinte e oito anos depois
Estamos aqui a celebrar
O aniversário do rapaz
Que em Setembro vai casar.

Portanto, além desta festa
Vamos também fazer
A despedida de solteiro
… Caramba, isto é que vai ser!

A juntar aos Gregórios
E a dançar o vira
Veio  uma “madame” bonita
Que daqui ningém a tira. 

Só espero que agora
Me deêm muitos bisalhinhos
Porque as Pulgas já me pedem
Que venham uns priminhos.

Se já leram estas quadras
Feitas com coração
Vamilhá comer e beber
Com  alegria e satisfação.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Pensamento (muito meu)

Lá dizia o outro e eu confirmo: O que não me derruba só me fortalece.
Venham as balas. Pim pam pum cada bala mata um...Há um copo com veneno quem bebeu morreu...
Este arcaboiço, esta carcaça velha e usada é bem forte e faz ricochete.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Quem bem come...

Estava a Pulguinha, a neta gasguita de quatro anos, na sanita a fazer o seu cocó, e digo-lhe que se despache que o jantar está na mesa.
- Avó, tenho de deitar fora este - e aponta para o bolo em forma de torta - para ter espaço para o jantar.
Sempre ouvi dizer que quem bem come bem...

E ainda não parei

Verdade. Tenho a festa dos 28 anos do bisalho para preparar que ao mesmo tempo é despedida de solteiro; anda daqui, senta ali, mexe remexe e ainda a procissão vai no adro e já estou com a alma pela boca fora.É que o mê senhor lembrou de convidar os convivas para as 14:30 para jantar. Sim, para jantar, que ementes não se janta aí pelas oito da noite, há uns petiscos. E come-se. E depois ainda diz para virem mal almoçados.
Não é que não goste, pelo contrário, o problema é mesmo esse: eu gosto de ter gente em casa e de preparar festas de anos. Mas caramba, o lombo já não é o mesmo de antes.
Por isso, Sábado, grande festa no meu rural pelas catorze e trinta (até ponho por extenso para não chamar a atenção) para jantar.
 E o que será o jantar? Coisa boa muito boa.

Fotografia: Ermelo, Julho 2012

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Há coisas fantásticas não há?

Hoje chegam as Pulgas. É fantástico, não é?
Saudades delas! Morta por abraçá-las. Estou a ver que vou ter de me sentar no chão no aeroporto, canão, com a corrida desenfreada que vão dar para me saltarem ao pescoço vão derrubar-me. Atão, para evitar cenas espero já sentada.
Que cena, Meu Deus, que cena! Imaginem-me a rebolar pelo chão como um cão com pulgas!

Não é preciso muito...

...Para que um dia seja perfeito.

Basta começar por comer um belo dum Cozido à Portuguesa à beira-mar, mesmo ali tão perto a bater nas rochas por baixo de nós. Eu sei que à beira-mar come-se peixe mas certamente quem ofereceu o almoço (e era de anos) gosta de Cozido por isso come e cala-te.
Depois de fazer a digestão que demorou muitas horas tantas quantas as esperadas que se tornaram desesperadas pois o mar a bater nas rochas convidava a banhos, lá foi-se ao mar de cor azul-petróleo.

Mergulhos!
Há canos não dava um mergulho para o mar! Eu e um amigo, assim, um rapaz para os seus sessenta e um anos, mas louco como eu a dar um show de mergulhos de cinco metros de alto, que até o bisalho e projecto-nora de riram com estas loucuras de jovens com mais de cinquenta.

 À noite, nada como comer o peixe frito (que devia ter sido comido na "babuginha" da agua) na casa da avoGi. Sim, que a vontade comer peixe acentuou-se com o passar da tarde, e lá veio ela, eu, melhor dizendo, para casa escamar e arranjar o peixe para fritar.
Que regalo! Sangria, arroz branco e sarralhas (credo, alface, que sarralhas comem os coelhos).
Para sobremesa, aquelas bolas que nunca sei chamar por elas, qualquer coisa como profiteroles.
"Aquilho" é que foi lamber-se os dedos!
Por isso minhas darlingues um dia perfeito é feito com pequenas coisas. Feito com amizade carinho e loucuras.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Parque de estacionamento

As bicicletas das Pulgas no parque de estacionamento da "azavó" (casa da avó). Ando a pensar em colocar umas SCUT´s, já que não cobro pelo parque de estacionamento; adorei-as tanto quanto estive em Portugal Continental que vou inaugurar uma aqui, no quintal, ou vá lá duas.
Pagar para andar nas vias rápidas, onde já se viu?
E depois... ter de descobrir o posto de correio ou payshop mais próximo ou esquecer-se de pagar, por só ter cinco dias, e agora esperar pela multa. Onde já se viu isto?
Aqui, no meu rural, embora só tendo uma é de borla.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Inveja da boa

Digam-me com toda a certeza sem vacilar e pensar, o que é inveja da boa?

Quando alguém coloca fotografias de passeios, viagens, de compras sai logo a frase como um lamento: Ai que inveja eu tenho! Mas da boa! É uma expressão muito popular entre alguns blogues.
Ora, ou sou idiota, burra ou assim-assim ou então não percebo. Gostar, desejar (não cobiçar), admirar, sim, mas...invejar?
Inveja é um pecado capital. Inveja é um sentimento frustrante de quer ter algo que outra pessoa tem. Como pode ser boa?
Será que vai ser usual dizer: tristeza da boa, doença da boa, pancadaria da boa. Tudo da boa.
E já agora... quando é que a inveja é boa ou má?

Fotografia: Que inveja eu tenho das mulheres altas! Ou que inveja eu tenho de quem tem uma figueira!  Da boa, claro!
Cá pra mim são dúvidas que me assolam...

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Pai Filho e Espírito Santo

Eu só queria que me saísse o euro-milhões e o dinheiro ia para as três pessoas da Santíssima Trindade.
Pai (e mãe) Filho (e filha) e Espírito Santo (banco).
Mas nada. Vamos continuar tesos: o(s) Pai(s) e o(s) Filho(s) que lá o Espírito Santo, esse, todos os  meses canta e cai.

Pulgas


Saudades destas Pulgas.
Andam pelo Continente. Foram visitar a família paterna.
E disse a Pulguinha, a de quatro anos, quando falei com ela ao telefone.
- Avó, Aqui todos me dão notas.- Satisfeita, claro!
Traz netinha querida, recolhe todas elas e a avó põe a render (na conta particular) à espera da tua maioridade. E enquanto não chegas lá a avó sempre dá que fazer às notas.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Tanta perna boa

É verdade! Tanta perna boa: mais nova, mais torneada, mais seca, sem gorduras, cada uma melhor que a anterior e os mosquitos vêm é morder as minhas?
Tenho "azougue" ou quê? Mel? Doce? Ou simplesmente eles-os mosquitos preferem as pernas troncudas, velhas, peludas...
Ouve lá o seu sacristo tu mordeste-me toda. Tenho as pernas todas favadas que mais parece bexigas loucas. Louco foste tu, seu mosquito desalmado que toda a noite me mordeu; ah, mas "seu tapanho hades ver."

Prontes, maniei


 E dizem que mania é pior que louco.

"Maniei" com o vermelho, melhor, com sapatos vermelhos; e como casar é uma volta que certamente não vou dar, por conseguinte  usar os sapatos da minha cor: vermelho-paixão no dia do meu casamento está autofóder (inglês, fora de serviço, oquei?)  mas...posso usar no dia do casamento do mê bisalho.
Atão, minhas queridas darlingues, tá decidido: a mãe do noivo vai de sapato vermelho. Agora o bigue probleme, mas cá estão as minhas amigas atentas à moda e às compras, (feichoneres de serviço) para me ajudarem, não é? 

Digam-me, onde encontro uns sapatos vermelhos, assim lindos como os que mostro ali na fotografia? Maneirinhos, de salto não muito alto, com laços (já disse que adoro laços em sapatos?) brilhantes, de verniz...e em conta?
Vá, deixem o vosso donativo na caixa, sim?

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Noivas de sapato vermelho

 Já aqui deixei expresso que é o mê bisalho que vai casar, mas parece que sou eu; e eis-me a visitar sítios de noivas, coisa parva para uma rapariga que já casou há 34 anos, e que não tem nos projectos de futuro voltar a dar este passo já dado.


Mas se ...se...
Se fosse hoje em dia...Ai estes mesmos daqui do lado não me escapavam por entre os dedos.

Como eu gosto de vermelho, Meu Deus! Nos pés,  nas mãos nos lábios. É fogo, é paixão, é calor.

É que eu, sonhadora como sou, até consigo imaginar-me assim com estas rugas na cara, estes sapatos nos pés, a tremelicar da pernas devido aos saltos, e de bouquet de tulipas nas mãos!

Fotografias retiradas da net

domingo, 5 de agosto de 2012

Um ano

Um ano de saudade da minha tia-velha.
Não há dia nenhum que não me lembre dela. A saudade  mói enquanto não mata.
Descanse, com os anjos e olhe por nós desde aí. Que permaneça no lugar que merece.

Um ano! Ainda não me refiz da saudade, da lembrança dos dias passados.

Desculpe, era a palavra mais usada por ela pois que era asneira atrás de asneira, e sabe, titia, tenho saudades. Da sua companhia, das asneiras, de si.
Até sempre.

Fotografia: a tia-velha . Este jornal era lido todos os dias e todos os dias se admirava com as notícias. Como se fosse a primeira vez!

sábado, 4 de agosto de 2012

A tal coisa que cresce

Pois, queridas darlingues (inglês) continuam à espera que diga o que cresce cresce; eu ando esquecida dos compromissos pois que o mê bisalho chegou, as Pulgas foram e ainda não me encaixei; estou desorientada, mas não tanto que não veja que a coisa cresce cresce a olhos vistos sem lupa; cada dia maior, a crescer sem parar, e como digo, olho "práquilho" e a vontade de lá mexer é nenhuma e mesmo assim cresce cresce e não encontro pachorra para fazer mingar.

Darlingues, o que cresce, do que fujo, o que está pior depois das férias, do que me escondo é nem mais nem menos que a quantidade de roupa no cesto para engomar.
Cabecinhas mal intencionadas essas.

Fotografia: copiada daqui

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Mas quem será...mas quem será...

... que desistiu de me seguir, hã? Vai haver tau-tau.
Não gosto nada de perder alguém neste clube.  Também o reino de Deus anda a perder seguidores e nem por isso fechou as portas.
Sai uma brincadeira de fim de semana e bai de uei, rapi uikende darlingues.

Mas quem será...mas quem será...

...o feliz contemplado com o euro-milhões? Eu "seilhá" eu "seilhá".
E só queria ser eu! Tenho tantos projectos... que se calhar o dinheiro ia ser mesmo à rasquinha.
Primeiro...uma viagem à volta do mundo; quero conhecer esta bola redonda, azul, cheia de água.
Depois...  bem, venha ele e logo se vê.

Sapato de noiva: branco ou colorido?

Se eu me casasse nestes dias ia de sapato colorido. Acho lindo. E vocês, escolheriam também ou são fieis ao branco?



Podem ver mais entrando por aqui

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Amor de mãe é...

...Ter mais de setenta anos e assim que ouve o chamamento do filho com mais de quarenta anos (que ainda vem bem longe e já chama pela mãe), sair de casa, arrastar-se pelo caminho quase sem poder com os pés para alcançá-lo pois vem mais bêbedo que um cacho. E lá o carrega ladeira acima até às escadas de acesso à casa!
É a minha vizinha, mãe de um antigo aluno meu. Ai vida esta!

Quando...

...Eu olho "práquilho" a crescer a crescer de cada vez que toco, ponho logo a mão na boca para evitar rabiçar, melhor dizendo, vomitar em cima "daquilho". E fujo dele, mas não há maneira de evitar. Escondo-me, mas ele encontra-me. Depois das férias está pior. Ai vida vida. Mulher sofre com isto! Não há maneira de baixar.  Aliás, há. Eu é que não tenho pachorra.
E só de olhar cresce...cresce...

Jogos Olímpicos de Londres

Esclareçam-me, se faz favor, há algum português ainda em competição ou já todos arrumaram as malas?
Caramba, é do tipo vai andando que eu já vou!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

E hoje...

...Até que entra Agosto.
E a família Pulguedo vai de  férias.

Fotografia: As Pulgas debaixo do guarda-sol