Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

É hoje o meu dia

E faz hoje precisamente 57 anos que eu vi a luz do dia. Mentira, eu vi foi a luz da noite, pois nasci às nove de uma noite de trovoada, chuva e frio. Tanto chuva, tanta trovoada que a minha saudosa mãe para me arreliar dizia que eu era reles com uma noite de trovões.
Mas é verdade, por aqui ando há já cinquenta e sete anos e caramba, daqui a nadinha faço sessenta... e depois setenta... e oitenta... e noventa e ...
Por isso, ergam bem alto essas vocês e digam: Parabéns (a esta jovem que estes dias tem andado semenas e sem nada para partilhar).

Fotografia: Num entardecer na praia da Calheta- Madeira


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Eu não queria falar na maldita da crise!

Se há um grupo de pessoas optimistas eu sou a líder, é que sou optimista por natureza, bem disposta (quando não estou com umas trombas que me chegam aos calcanhares, mas isso não importa para aqui, estou a falar de optimismo), mesmo quando me falam de Portugal, da crise da troika, eu digo sempre que vai melhorar, vai mudar, não podemos estar sempre a falar do mesmo porque quanto mais se fala mais nos deprimimos, que o dia de amanhã poderá ser melhor porque há sempre esperança, que se renova, que se adquiri.

Mas, e como tudo tem um "mas" ao meu lado dorme um pessimista (que também se fosse para haver um líder de grupo era ele, sem dúvida). Atão na cama rebola, pensa, não dorme (senão quando ressona que mais parece um avião com problemas na turbina), revira-se, levanta-se, volta-se, tudo por causa deste clima de insegurança em que vivemos, porque o que hoje é adquirido, amanhã certamente será retirado. E porque nesta casa somos dois professores e tudo aquilo porque lutámos quando abraçámos a docência foi retirado (ou vai sendo lentamente) como uma quebra de contrato as esperanças também vão-se esfumando, diluindo.
Mas, eu sou crente da Esperança e de que que tudo há-de acabar em bem, dou-lhe esperanças, mas é dificil porque ele é o cúmulo da Desesperança.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Olha, ouvi dizer...

...Que a enfermeira que deu informações sobre o estado da duquesa de Cambridge - esposa do príncipe de  Gales foi encontrada morta esta manhã?
Foi enganada por dois locutores australianos que fizeram-se passar pela rainha e príncipe Carlos e deu informações concisas e correctas sobre o estado de saúde da duquesa.

Suicídio ou homicídio? A ver vamos...
Só sei que foi de muito mau tom esta brincadeira.
Para ler toda a noticia entrar por aqui, se faz favor.

Frio nos pés, mas de canela ao léu

Hoje, pelas catorze horas indo eu indo eu deixar a Pulga - a "maiveilha" ao colégio, olho para o painel da temperatura na farmácia "Dois Amigos (para quem conhece o meu rural ) que é quase uma obrigação olhar, vejo as horas e logo de seguida a temperatura: +28,5º.
Uóte? Uóte a réle (inglês)! Vinte e oito graus celsius?
Mas sim, era mesmo, mas deixem que vos diga; cá para mim o termómetro deve estar louco. É ele e o Papa.
Ou então, eu sou uma friorenta...que mesmo com esta temperatura ainda saio de casa com gola alta e calças compridas embora veja miúdas de tope e calções minúsculos a entrar pelo "rego adentro", mas nos pés, aquelas botas de esquimó. Prontes, devem sentir frio só nos pés.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Mas o Papa está louco?

Depois de ter dito que a vaca e o burro não fazem parte do presépio agora vem dizer que os réis não vieram do Oriente mas sim de Espanha? De Córdoba, mais precisamente.
 Só falta mesmo dizer que o burro... é o Chefe da Igreja Católica e está no Vaticano.
Já nada é como dantes! Credo em Cruz! Que mais vai dizer? Que Maria não era Virgem e José não era carpinteiro?
Ou que o Menino Jesus nasceu de cesariana?

Este mês já dei duas

Eu que costumo dar uma por mês, mas vi-me obrigada a dar mais uma por ser natal. Como este mês interfere na minha vida, poça!

Acabei de fazer o tal serviço que detesto.
Quando estou em cena o meu pensamento não está naquilo que estou a fazer, mas sim a viajar, e hoje, no preciso momento, estava eu a pensar como há mulheres que adoram estar nessa posição! E até se oferecem para o fazer, eu já tive uma que o fazia por mim, mas o mê senhor tinha de pagar.

E depois, eu faço de borla. Também és a mulher, dirão vocês. Mas por ser a mulher tenho de fazer de borla? O padre disse isso quando nos casámos? Será um dever ? Eu, simplesmente abomino esse serviço, passaria bem sem isso! Mas como sou mulher activa e como se precisa, lá tive eu de dar mais uma. Espero ser a última, a última deste ano, note-se, mas sei que antes do ano acabar lá vou eu de esticar, sacudir, guardar e passar a roupa a ferro.
Detesto engomar! Faque (ingles)!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Este ano o natal não é natal

Já estão desejando de chegar ao Natal?
Já fizeram as compras? Já enfeitaram a casa?
Já prepararam o peru, a carne de vinho e alhos, os bolos de mel, os pickles, as cebolas escabeche, os licores e já puseram o bacalhau de molho?

Ai, este ano estou como todos os anos desde que fiz...ora deixa lá ver quantos...
Não importa quantos fiz, quero é fazer mais uns tantos, o que importa é que este ano estou pior, Envelheci e o meu cérebro já não comporta tanta informação, tanta preocupação, tanta tristeza junta.

E depois...
E depois o mê bisalho só vem à ilha depois do Natal e isso faz com que fique entristecida, monótona, direi. É a primeira vez que não vamos passar o dia de natal e a primeira oitava juntos. O Natal não será o mesmo! Parecendo que não, deixa-me triste e sem vontade de chegar a esse dia.
Prontes, foi um desabafo desabafado.

Naqueles dias

A minha gata - a Mimi anda naqueles dias em que transpira sensualidade e faz aqueles jogos de sexo para atrair a gataria da vizinhança. Não vale a pena trancá- la que mais parece que a estamos a devorar viva tal é a miada que faz. E depois há o gato, o seu amor eterno, um amarelo(ela é preta e branca) que só aparece aqui por estes dias mas faz-lhe uma espera cerrada e não a deixa andar com outros; até brigam
Eu inté penso: "Isto é que é uma desconfiança! Ele não acredita que a minha gata mailhinda seja fiel e tem receio que lhe enfeite a cabeça com, um belo par de cornos! Enfeitar enfeita mas pesa, caramba!

Atão, o mê senhor, cansado destes jogos de sensualidade, fecha a janela da lavandaria (onde ela dorme e passa o tempo) e acabou-se.
Acabou-se, julgou ele. Mal sabe que fechou a janela com o amarelo e a Mimi lá dentro. Isto é, tornou a lavandaria num antro de amor.
E depois quem vai limpar a sujeira que eles fizerem, quem? É que se esqueceu de deixar a letrina para eles. Quem vai limpar? Estão precisamente a olhar e a apontar para a pessoa certa: Moi-Même. A minha doce empregada (imigrante ilegal) francesa.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

E ela deixou de ser virgem

A minha vinha que é virgem deixou de o ser assim que ele começou a bufar. Bufa daqui, bufa dali e no seu papel de macho, a plenos pulmões soprou e... tungas,...Tirou-lhe a roupa, pô-la nua ao frio.
E no chão jaz os despojos da vinha que era virgem.

E toca a eu e Moi-Même (a minha empregada para todo o serviço) a limpar os despojos.
Ainda barafustei, praguejei e mostrei-lhe um manguito (sim, estava a comer um mango muito pequeno; não, não fiz nenhum gesto malcriado!) porque vendo bem as coisas, quem devia limpar era ele, o senhor vento que foi quem a desvirginou; mas não, somente tirou-lhe as folhas colocou-a nua e foice, fazer o mesmo a outra. Eu, eu que assisti ao acto de desvirginação, tenho de "avergar a giba ou  azarcas" e assim a modos que de rabo para cima limpei.
Calha bem que ele ainda viu a minha cara de reles! E o meu manguito.

Fotografia: A vinha-virgem do meu quintal depois de lhe terem tirado as folhas e antes de Moi-Même passar a vassoura.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Sem palavras...

Vejam, se conseguirem...eu desisti...
Entrem por aqui...

Vocês sabem aquela coisa que cresce e quanto mais se toca mais cresce?

Sabem ao que me refiro, não? Eu sei que sim, ora então!
Ora, aquilo só de olhar e acariciar cresce tanto tanto e só baixa quando se faz o serviço; pelo menos o meu, o que tenho em casa, funciona assim e não me dá descanso.
 Primeiro é preciso colocar a mão, depois esticar, puxar enrolar dobrar e guardar.

Essa coisa hoje olhava para mim assim como se  tivesse olhinhos, a pedir, a pedir, e eu só dizia entre dentes: "Nem pensar! Hoje não. Por muito que queiras e me tentes, hoje não! Amanhã talvez se estiver sem dores de cabeça se não tiver Pulgas aqui (não gosto de coisa e tal quando elas estão aqui) e nada de melhor, de mais sugestivo, talvez."
E ele olhava para mim a pensar: "Mas esta mulher o que tem que não me passa a mão nem me alivia? E eu estou cheio!"

Mas a coisa prometia, e depois, há algum tempo que eu...enfim, percebem, não preciso de fazer desenhos pois não? E pensei: uai note (traduzido do inglês: querias há muito mas só hoje é que vais ter). Não tenho Pulgas estamos sozinhos em casa, uai note?
E prontes, fomos para o quarto, sozinhos, nós os dois, ele ao meu lado, mas depois vi que seria melhor ele por baixo, e ...
Por fim, quando terminámos, ele relaxou, está vazio, não precisa de me atormentar mais durante uns dias, um mês, talvez. Mas eu...eu fiquei extenuada de tanto puxar, empurrar, esticar, passar a mão, enrolar, dobrar...mas por fim dei-me por satisfeita. Esvaziei o cesto da roupa para passar a ferro.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Pelo olho do mê senhor*

Porque a qualidade da vida pessoal é determinada pela maneira como nos organizamos. Porque o alinhamento começa com o propósito da vida...  
E porque, se há pessoas organizadas e equilibradas em que para tudo necessita de régua e esquadro procurando realizar na perfeição uma tarefa é, é sem sombra de dúvida, o mê senhor.


Fotografia: Caminho das Carreiras, domingo passado.
* porque foi captada por ele.