Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O mesmo...de sempre

Com o velho a bater as botas e o novo já a espreitar pelo buraco da fechadura, nada como trocar o velho pelo novo e esperar que seja mais aprazível, dedicado e que nos dê alegrias, que seja, melhor que o velho.
E nada de promessas que todos estamos fartos delas.
Por isso, é com enorme prazer que espero pelo novo que este velho já nada me pode dar. Por isso, amigos e amigas, senhoras e senhores venho desejar o mesmo...de sempre.
E como já ninguém se lembra, aqui vai: saúde, amor, amizade, alegria, prosperidade, felicidade e muitos sorrisos, gargalhadas e brincadeiras.
Um feliz e próspero ano 2014 para todos nós.


sábado, 28 de dezembro de 2013

Para cortar os excessos do Natal...

...Nada como ao almoço ter de injectar, lá terá de ser desta forma que pela via normal já não há quem aguente meter um garfo pela boca abaixo, um Cozido à Portuguesa. Ou como nós dizemos por cá: "para desenjoar as comidas pesadas da Festa".
E venha o Cozido para a mesa que havemos de dar conta do recado.


quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Não restam dúvidas de que...

...o melhor da Festa é esperar por ela, lá dizia o meu sogro e dou-lhe razão porque até este dia - dia de Natal, os preparativos é o motor que faz a máquina trabalhar.
O dia de Natal é passado em família, não completa como seria o meu ideal, pois sou uma rapariga que leva a peito a união da família e a presença nos dias assinalados,  mas, infelizmente, o mê bisalho, não picou o ponto na mesa de almoço de natal. Por isso, falta-me sempre algo...

De qualquer forma, este dia - de natal, já está a acabar e, neste momento, só a pasmaceira própria de quem teve um bom repasto se apoderou desta família.
Amanhã, aqui no meu rural é feriado pois que nós festejamos a primeira oitava do natal. Por isso, e como diz o senhor meu genro, beirão de gema: "na Madeira são três semanas de festa".
E que venha mais...


segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Somente para desejar...

São os desejos sinceros de quem vos escreve.
Sejam, acima de tudo, Felizes e transmitam essa felicidade a quem vos rodeia que eu, vou dar o meu melhor para que estas Festas sejam as extraordinárias, as esperadas, as de sempre. Façam isso também.

Fotografia: alguns pormenores da decoração de 2013.


Uma pessoa sai de casa...

...para roubar um galho de alegra-campo que estava ali ao virar da esquina e acaba no Santo da Serra que, para quem não sabe, é longe pa burro, a bebericar poncha acompanhada de tremoços e amendoim e a comprar galhos de pinheiro, mais agrião e manhãs de páscoa e ainda cabrinhas e, claro, alegra-campo, pois que perto de casa não havia e, para acabar a noite, compra uma garrafa de poncha -  que são "festas' - depois vai daí para a casa da cu..madre para uns peticos, regressando tarde e mal a casa.
Uma pessoa, quando pensa que já comprou tudo, repara que ainda falta mais um berloque para enfeitar a lapinha.
Uma pessoa, depois da visita à da cu...madre, ainda vem para casa dar uns retoques, tarde e mal, à dita cuja lapinha, e só depois é que descansa as pernas no cadeirão da sala.
Uma pessoa já tá preparada para a noite do Mercado e mais um jantar de natal antes de ir curtir os bofes e a carne de vinha d' alhos.
Uma pessoa não sabe mais que fazer...uma pessoa não dá pás encomendas, não tem stock que chegue...
Ainda bem que natal é só em Dezembro.

domingo, 22 de dezembro de 2013

E não há como fazer a lapinha


E já está feita, foi assim rápida de confeccionar devido ao corte na compra de hortaliças e frutas. Até na lapinha a crise passou. Bolas, em 2010 estava cheia de iguarias, foto em baixo, em 2013, foto de cima,
fotografia é cá de uma crise!
Só o Menino Jesus teve direito a mudar de fatiota, mais rica, mais bordada, para compensar a falta de comida.
Meri Cristemas, ho ho ho ...


sábado, 21 de dezembro de 2013

Meu querido Pai Natal

Como todos os anos, lá vou eu escrever a minha lista de desejos para estas cristemas (inglês).
Sabes, amigo, posso tratar-te como se fôssemos velhos amigos, eh pah, conheço-te praí há 58 anos, por isso, este tratamento de tu-pra-cá-tu-pra-lá. Este ano eu até estou em contenções, como o governo...

Prontes, bastou mencionar esta palavra - governo - pa me dar aquela brotoeja plo corpo acima...
Mas, adiante.Só vou pedir uma coisa... O que queria, desejava até, é que neste natal e para o ano novo, meu ilustre pai natal, tu conseguisses que eu não levasse tanto tau-tau no cuzinho, como tenho levado. Era só um descanso, é que já tenho as nalgas a arder de tanta pancada. Sabes, meu velho rabujo de barbas brancas, não sei tu, mazé, cus os aposentados têm levado tanto no rabo que não há cachadas que aguentem. Se também estás nesta equipa até tenho pena de ti, nãn sei como vais poder vir sentado no trenó, se o teu tá como o meu, tens deveras dificuldades de aguentar "a viage".

Bem, vou terminar pedindo, não que me dês um cu novo, porque estou bem com este, mas que os cortes que tenho levado sejam transformados em tesouras e corte os...os ....enfim, sabem a que órgão me refiro não?, de quem teve a brilhante ideia de faquiar (inglês) os aposentados.
Prontes, era só este o meu desejo, que levem tantas tesouradas nos ... que se lembrem de nunca mais lixar (ou poderei dizer: enrabar?!) os aposentados da função pública (porque eu inté nãn sou ingoísta, por isso, peço para todos.)




sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

E perguntam-me vocês como se sinto com mais um...

...ano em cima do lombo?
Eu respondo, que não sou rapariga de ficar de bico calado, e respondo à altura da pergunta. Sinto-me bem. Nada pesada, nada velha, nada rabuja. Em suma: nada. Nada. Igual ao dia de antes de ontem. Ou seja, já era pesada, velha e rabuja.


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Ajudem-me a soprar as velas


Nem queria acreditar quando, dia após dia, sentia um peso nas pernas. Será cansaço? perguntava-me, quando, sentada comigo mesma no cadeirão reservado aos idosos sentia aquele peso... Não, respondia a mim própria sentada nesse mesmo cadeirão, pois que, ainda não tinha dado as carreiras do dia a dia.
Atão o que seria?
Fome? Sono? Mal do dono?
Cá nada!

Descobri aos poucos... Era o peso da idade! Senhores e senhoras, meninas e meninos hoje faço, nada mais nada menos que...
58 anos. Batam palmas, digam "heieeeeee", elevem o copo de champanhe ao ar e em coro cantemos
Parabéns a você... nesta data querida...muitas felicidades muitos anos de vida...
Pelo menos até aos... 105 anos. É pouco?

Sessão fotográfica em Lorvão, Penacova. Modelo: AvoGi; fotografada por Pulgas - a maivelha e a Baixinha.



quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Vouzela

Antiga ponte ferroviária de Vouzela. Hoje, esta bela ponte, desactivada nos anos 90, está convertida em travessia pedonal constituindo um miradouro fabuloso.

Não é que eu seja de intrigas, mas Moi-Même...

...mas ela - Moi-même - é mesmo tonta.
Atão não é que ela, a tal que vos escreve - Moi-Même,  pôs grão de bico a cozer sem antes deitar de molho? E cozia, e cozia, e continuava rijo que nem cornos. Até que, o mê senhor, homem entendido em artes manuais e não em culinária me perguntou com aquela vozinha de macho sabedor: "puseste de molho antes de cozer?"
Aí sim, assegurei-me que o homem, afinal, percebe de cozinha.
Agora, jazem ali, dentro de uma panela, a inchar depois de terem sido cozidos. Despedimento com justa causa para Moi-Même.


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Deixai vir a mim o espírito natalício...

...e levai este espírito preguicício, esta sorna que se instalou no meu ser...este desejo de nada fazer...este "deixa assim que tá bom"...e como dizia a minha tia-velha (que muita falta me faz) "para quem é bacalhau basta".
Portantes, por aqui só lanzeira a tapar os poros a modos que carneiro pronto a ser tosquiado.




Expliquem-me que eu sou burra

Muito se tem falado, se bem que eu, só agora é que vou fazê-lo, sobre a temática das 40 horas semanais...
Eu, que sou burra quem nem imaginam, pergunto e desejo que me exoliquem: sair meia hora mais tarde e ter menos meia hora de almoço aumenta a produtividade? Isto quer dizer que se produz mais? Mais, o quê? Eu, na minha parva maneira de pensar até acho que se gasta mais. Mais electricidade. Senão vejamos, cinco e meia, em Portugal Continental, anoitece, portanto luz artificial para poder trabalhar, os computadores ligados, aquecimento. Produzir até pode, mas com gastos na conta da electricidade. E depois cá o Zé (piada caseira) é que paga.
Ando, como sempre, cheia de dúvidas.


sábado, 14 de dezembro de 2013

Parque Natural da Madeira

Por que eu sempre me "babo" (desculpem a expressão), quando vejo mistura de cores. Por que no meu rural, também, é possível observar o outono em todo o seu esplendor.
Parque Natural da Madeira, no ano passado, por esta altura.




E depois há aqueles que...

...aproveitam para passar umas brasas quando o seu carro está parado no sinal vermelho e só acordam  com o despertador, ou seja, uma buzinadela do carro atrás. E depois...
Começa o baile... olha para o sinal a comprovar que está verde, baixa o travão de mão, põe o pé no acelerador, aceleram, mas a pancada de sono era tão forte que o carro vai-se abaixo; dá à manivela, ou seja, liga a ignição, coloca novamente o pé no acelerador, baixa o travão e com o pé pesado arranca quando o sinal está no alaranjado, acenando, quiçá, agradecendo o toque de buzina, deixando o condutor do carro atrás a bufar pelas orelhas pois ficou vermelho, novamente.
Aselha do caetano!




quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Trabalhar cansa?

Caramba, hoje tenho a certeza do que se diz em relação ao facto de nos cansarmos quando trabalhamos.
 Já acabei as decorações de natal. Soltem o gritinho de alegria ou o do ipiranga. Acabei, yep, foi custoso, mas "já tá". Cada ano, ali em meados de Janeiro prometo que "vou fazer pouca coisa", " já não tenho paciencia para estas tretas", mas depois... Começo e dá-me gosto e, coisa aqui coisa ali... encho a casa de espírito natalício.
Pronto, agora está pronto, concluído, acabado. Inafe. Toca a arrumar a tralha que as Festas andam por aí.
Estapilha, tá quase...


quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

O quê? Não sabem?

Pipol, não sabem o acontecimento mais importante, para mim no mês de Dezembro? Tenho de fazer um desenho? A cores ou a preto e branco?
Eita, tenho de dizer tudo, darligues? E, todos os anos é a mesma coisa, todos os anos ele vem por esta altura, todos os anos espero sentada, ano após ano...

Mas não digo, prontes, esperem só mais uma semana e podem pôr a boca na trombeta e soltar todo esse ar cá para fora...pois é o dia em que...
E nan digue mainada. Mas ele vem...


O melhor da Festa é esperar por ela

 Lá dizia o meu sogro homem dado a palavras certas. E é verdade.
Seja qual festa for o melhor são os dias que antecedem o momento. E por cá, no meu rural, chamamos Festa ao período do Natal. Por que natal não é só o dia 25 é também as missas do Parto, a missa do Galo, a noite do Mercado, a Primeira Oitava do natal, o Fim do Ano. Isto sem contar com as visitas e os jantares em casa de amigos (e que começam já a 14 para mim), para ver a Lapinha e constatar que o Menino Jesus mija que duram até ao "varrer dos armários".
E depois...depois há algo especial...algo que acontece uma semana antes do dia de Natal. E não digo mainada.


Depois da tempestade a bonança

Ditado antigo que se aplica em pleno a esta noite vivida por nós, madeirenses.
Se me perguntarem se ouvi a chuva direi que não, se me perguntarem se ouvi os trovões direi não e, será sempre não para qualquer pergunta que me façam acerca desta noite. Não, não, não. E porquê? Simplesmente por que depois de tirar os aparelhos auditivos durmo como um anjo.

A minha filha, que veio cá deixar as Minhas Pulgas, fez pão durante a noite, o mê Gu-Gu não dormiu, segundo a sua versão "os trovões estavam em cima dele".
E eu dormi como um anjo: nem trovões, nem chuva, nem relâmpagos, nada. Se tem vantagens ser surda? Terá vantagem fazer-se surda, mas eu não me faço, sou e pronto. Por isso direi que não por tantas outras razões.


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Alerta vermelho na Madeira


Ó mar salgado quanto do teu sal são lágrimas de Portugal.


Eu é mais antónimos

A Pulga - a maivelha estava a fazer os TPC´s e pergunta ao avô qual o antónimo de nunca. Avô fica baralhado e sem puxar pela chaminónia (é melhor perguntar a quem sabe), a principio fica a pensar, mas depois descarta com aquela do "vou chamar a avó que ela é que era a professora".
Chega-se ao meu pé, que não estava muito longe da Pulga, e pergunta se o antónimo de "nunca" não é "sempre". Afinal sabia, não tinha era a certeza.
Dahhhhh, como diz a canalha, atão dá-se a resposta? Atão não se pergunta em voz silenciosa para a busica não ouvir? Atão é assim que se ensina? É assim que se puxa por eles?
Foi o que a rapariga quis ouvir. De orelhas arrebitadas estava ela, e quando cheguei ao seu lado já sabia a resposta.
Há quem tenha queda para ser professor de primeiro ciclo mas há quem não. Por isso é professor de meninos mais crescidos como diz a Baixinha.


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

No rio Vouga

Adoro rios e adoro estar perto deles. Quiçá, por não haver no meu rural, somente há ribeiras como vós sabeis, delicio-me com eles. E faz parte do meu espólio fotográfico montes de fotografias de rios. E recordações de todas as formas e espécies.
Aqui, o rio Vouga, em São Pedro do Sul.


Crocodilo (ou crocodaile em inglês) a nova droga

krokodil  é uma avassaladora droga semelhante à heroína que está infiltrada na Europa. É de origem russa e chama-se Crocodilo devido ao seu consumo tornar a pele escamosa e esverdeada. Ela provoca necrose no lugar onde é aplicada abrindo fissuras e expondo ossos e músculos. Há casos em que foi necessário amputar membros. Muito utilizada, desde 1992 altura em que apareceu, por ser barata tornando-se uma droga substituta da heroína. Por exemplo, uma dose de heroína pode custar 150 dólares e a krokodil apenas 10.
Vi alguns vídeos de pessoas com esta droga no sangue, mas pela sua natureza não coloco aqui, é, deveras, constrangedor.


domingo, 8 de dezembro de 2013

Debaixo do diospireiro...

Tenho de contar algo sobre mim. Admirava-me por ver estas árvores cheias de fruto, mas despidas. Para mim, rapariga da cidade, e sabendo que as laranjeiras são árvores de folha persistente cismava por ver "laranjeiras sem folhas e cheias de laranjas".

Até que, um dia, coloquei-me debaixo de uma. E não saía de lá. Por que eu adoro dióspiros, porque no meu rural os dióspiros são caros como lume, porque neste lado do oceano dão-se aos porcos e porque quando não temos é que apreciamos.

Estava a comer os do chão quando chega a dona da árvore. A princípio fiquei em sobressalto, mas ela, a dona, disse-me "em vez de comer os do chão coma os da árvore". Bem, foi um assalto!
Mandei o mê senhor (que é rapaz envergonhado) saltar a cerca e abastecer-se simplesmente por que eu só chegava aos ramos mais baixos e os melhores estavam perto do céu.  Apanhava e dava-me. Eu já nem podia de tantos!...
E,a senhora, na sua humilde simpatia, deu-me um saco para encher. Não trouxe um saco cheio por que sou só eu a consumir este fruto, mas deu para encher a barriga. Isto aconteceu lá pás bandas do Douro...


E dizem que tá frio?

Dizem que tá frio em Portugal Continental? Não acredito naquilo que dizem, mas sim, no que os meu "zolhos vejem".

Sintonizo a televisão na TVI e que vejo, perguntem-me vá... que eu logo respondo.
Vejo umas meninas lindas, a dançar despidas em cima de um palco, a cantar com os braços ao relento, em body, as nalgas ao léu como se estivéssemos no pico de Agosto, no baile da quermesse.
Agora digam que tá frio no Continente! Atrevam-se a dizer que tá frio, que têm a lareira acesa, que estão a dar uso ao cachecol, às luvas, às botas da Sibéria com pêlo, digam...ah, não dizem...
Frio só se for na cadeia de supermercados na zona dos congelados que em Portugal Continental, na zona de Penela tá bué de calor! Vão lá perguntar às cachopas e aos cachopos...


Se eu mandasse...

Se eu mandasse mandava a chuva para a trampa para não ser agressiva porque o meu gosto era mandá-la para...um sítio onde só houvesse um sentido no caminho.
Ora, que a parva começou ontem à noite, depois de um dia de verão, quiçá, melhor que alguns na época e, de rebendita, toca a cair na tola dos incautos como eu, aqueles, que julgavam que ela não encontrava o caminho de volta.

"Ah, pensavam que eu não voltava?" Deve ter disso, entre dentes, a estuporada dum raio! E hoje, cai que nem tordos à frente duma bala. E eu que tinha um programa bem bom pra hoje...
Shite (inglês)!


sábado, 7 de dezembro de 2013

Hoje é dia D

De abrir as janelas; De Deixar o sol entrar; De ultimar umas compras; De organizar as prendas; De limpar a casa; De preparar o natal; De sair um pouco; De aproveitar este Dia magnífico; De olhar para a natureza e constatar que continua bela; De sacudir tapetes; De absorver este ar; De acreditar que a vida vai melhorar com a passagem do ano.
De Descansar! De Desejar um bom fim de semana, poizentão!


sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Floresta Laurissilva

A floresta Laurissilva da Madeira é a maior e a mais bem conservada mancha de floresta. Esta floresta apenas se encontra nas ilhas da Macaronésia (Madeira, Açores, Cabo Verde e Canárias).
Este exemplar pode ver visto no Parque Natural. E para mim é um sinal de Inverno estas Barbas de Velho. E quando chove!..




E ontem numa de "deixa-me entrar aqui a ver o que tem..."

...comprei as prendas todas, sim, leram bem, TOdas as prendas para dar à família e amigos neste natal.
Sou, assim, a modos que uma bala. E digo foi em apenas uma horita do meu dia...E só ia tomar um café, comer um bolo e ler o diário.
Juro, embora se diga que quem mais jura mais mente, era só e exclusivamente para ver o que lá tinha.
Ah, família e amigos, sim é para vocês que falo, não pensem que a oferta é bolos, pão, broas ou sobremesas, nada disso, caramba!


AvoGi, diz-me que fazes de pé tão cedo?

Não caí da cama abaixo, não se preocupem...
Eu respondo à questão com todo o prazer. Faço voluntariado, serviço comunitário, beibissitingue (inglês), dona de casa, informática, enfermeira, dama de companhia e tudo o que for necessário.
E ainda não acordei completamente.


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Serra da Freita

Na região montanhosa entre Douro e Vouga situa-se a capela da Senhora da Laje, na serra da Freita, Arouca, região pertencente ao distrito de Aveiro. Lugar muito procurado tanto no verão para os tradicionais piqueniques como no inverno para brincadeiras na neve.



Para que guardaste tu cabeça de burro?

Exactamente, é isso que estão a pensar. Eu, aquela que vos escreve, guardou uma garrafita desde 2004 dum vinho excelente e, com o passar do tempo, mais excelente ficava, para uma ocasião especial. Ela guardou, guardou, olhou, e, como não era ainda a ocasião especial guardou mais um ano, e mais um, até ontem.

Ontem foi a ocasião especial esperada há muito tempo. Quando esta rapariga que vos escreve estava a lavar o chão, qual princesa transformada em gata borralheira, eis que dá com a esfregona na tal garrafita e nem teve tempo de agarrar quando ela ia pelo ar para aterrar no chão em frente aos pés desta serva. E atão, esta que sou eu, só se lembrava que podia e devia aproveitar aquele néctar espalhado. Assim, num vaipe de momento, lembrou-se que a solução passaria por agachar-se e lamber o divino líquido.
Mas não. Com a esfregona limpou aquele vinho tinto de uma garrafa de 2004 guardada para uma ocasião especial que não seria de todo ontem e quanto mais limpava mais encharcado ficava o chão devido às lágrimas de uma princesa transformada em gata borralheira, cabeça de burro, apressada.




Tenho de dar o primeiro passo...

...Pois Dezembro já iniciou e o Natal está quase a bater à porta e, como sempre, estou atrasada nas compras, nas decorações, nos festejos, mas o primeiro passo já foi dado. Já marquei o Cozido à Portuguesa, tradicional cá na casa da AvoGi, para o dia 28 de Dezembro.
Vai daí, quero lembrar que as portas estão abertas nesse dia e, como sempre, têm de trazer um ingrediente para o Cozido e tem de ser algo bom, algo comestível, algo festivo, algo da época, algo simples, algo que me surpreenda.
Corram rápido, aos saltos, a escolher o melhor...para me deixar de queixo caído.




quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Ponte do Milénio

A ponte é uma passagem para a outra margem, isso já se sabe.

Aqui a Ponte do Milénio sobre o rio Minho, em Ourense, projectada pelo engenheiro espanhol Juan Calvo e pelo arquitecto Álvaro Varela é caracterizada por duas longas abas laterais metálicas que servem como passagem pedonal e ponto de observação do rio elevando-se a 22 metros.
Ai se não fosse a google eu não saberia o que disse. E foi, gentilmente, surripiado.




Assim-assim

O tempo está como eu quando me perguntam como estou. "Assim-assim" dirá ele, pois que chove mas estamos com uma temperatura de 20 graus. E o sol a marcar presença. Não há quem te entenda, ó outono!, que só agora vem... tarde, direi, mas vem, para nos lembrar que existe e que está lá, no calendário das estações.
E, 20 graus é coisa boa, mas nós, criaturas insatisfeitas, já reclamamos que está frio.



terça-feira, 3 de dezembro de 2013

É só mesmo para dizer que...

...tenho tanto frio que estou de meias calçadas nos pézes, com um xaile preto nas costas que mais parece uma velha de campo, uma manta em cima das pernas e ainda tenho frio. Estepilha, não tivemos outono, mas o inverno tá a chegar cedo.
Ai, meu verão, vem aos meus braços!
Este rural está diferente.



Animais nosso amigos

Os animais merecem o nosso respeito e o nosso carinho. E, quando não há amizade entre os homens há um animal para colmatar esse vazio. Aqui, em Ourense, este gato encontrou um amigo que se preocupa com ele e em troca ele cuida do seu espaço.



Com comadres destas quem quer outras?

A minha comadre da Beira Baixa - mãe do senhor meu genro - mulher sabedora dos gostos refinados da comadre cá da ilha, e sabendo da sua apetência por enfardar figos - passados ou por passar, mandou uma safatinha deles, bem doces, lá das figueiras da avó Ginja; e como por aqui em casa mais ninguém gosta deste pitéu (também somos só dois - eu e o mê senhor, e ele não é apreciador), ora eu sentei-me no sofá com Moi-Même, que também adora figos e nem toma fôlego quando toca a comer, a saborear, quando dei por mim já tinha embuchado praí uma vintena deles.

Ai comadre, isso não se faz, quando quiser mandar mande duas safatinhas que uma é pouco. Ou então deixe-os a tomar gosto que daqui a dias passo por aí e trago esses, mais uns litros de azeite, mais as azeitonas, o bacalhau, o queijo da serra, os enchidos e aquele belo do chouriço feito por si, comadre!
Na próxima não convido Moi-Même, é que ela come mais que eu.



segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Toda partida

Aquele rapazinho vai matar-me sem que me dê conta.
Poça, uma rapariga fica uns anos sem alongar, esticar, fletir, encolher, saltar e de repente aparece um rapazinho na vida dela que lhe dá a volta à cabeça e o corpo já envelhecido quer agradar ao rapazinho; e então, ela quer ser reconhecida e ter a atenção do tal rapazinho e derrete-se quando ele repara nela e a elogia, deixando-a com o sorriso número 46 - aquele de canto a canto. E o pior é que isto tudo é feito debaixo do bigode do seu senhor.
Por isso, se virem uns cacos velhos espalhados por aí recolham com muito cuidado e enviem-me, são os meus, certamente, e vou tentar colar...
Mania esta de querer ser esbelta!


Que beleza de ácer na Circunvalação

Não consigo parar de olhar para esta conjugação de cores. O céu, dum azul intenso, foi rasgado por um avião.
Como sempre, na Circunvalação, perto do Hospital de São João, os áceres deslumbram-me. No meu Porto.



Que desperdício! Por cá come-se ao natural

Quando falei das massarocas alguém que não me atrevo a dizer como se chama só deixo aqui a ligação (e vão às carreiras ver beleza de fotos) perguntou-me se era galinha.
Ora, por aqui, no meu rural, come-se massarocas, tanto assadas na brasa, como no forno, como cozidas na panela, só não se come cruas.
Uma coisa que me admirava quando visitava o norte de Portugal era ver campos cheios de milho e só exclamava:" Ai que belas massarocas!" E só me respondiam, olhando de soslaio: "Ah, é pós porcos!" Pós porcos?! , mais admiradas ficava. "Sim, e pás galinhas!" Dar aos porcos e galinhas.

Deixem-me ser porca ou galinha (prefiro galinha, poça!, que cacarejar eu já cacarejo todos os dias e até tenho jeito, mas roncar...)
Mas, adiante, massarocas é muito bom, e atão agarrar numa já cozida ou assada na brasa, empastar manteiga e colocá-la na boca se de uma gaita se tratasse, trincar aqueles milhos é algo que só uma rapariga de bom gosto pode e sabe saborear. E eu pertenço a essa classe.
Nem sabem a doçura que é, e pensem comigo: não comem milho doce enlatado? Eu como milho doce ao natural e tenho muita lata...



sábado, 30 de novembro de 2013

Na Régua

Reflexo das pontes em Peso da Régua sobre o rio Douro com as vinhas a dar colorido à paisagem, no outono.



sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Na Galiza

Prontas a serem assadas. E que sabe tão bem.
Nada como aproveitar o fim de semana para assar algumas e saborear ainda quentinhas à beira da fogueira.
Bom fim de semana, pois então, com ou sem massarocas.



E hoje só me apetece gritar

E vou fazê-lo bem alto: "Tive uma óptima novidade logo pela manhã!" E das boas, chiça.
Lá-lá-lá-lá-lá... lá-rá-lá. Cantemos confiantes...



Em 3D

 A minha noite foi em 3D.
Deitei, Dormi, Descansei. E a vossa?



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Serra do Pilar

O Mosteiro da Serra do Pilar localiza-se na colina escarpada da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, proporcionando, à noite, um reflexo de luz sobre o rio.



A ver se nos entendemos

Pipol, quando quiserem imitar um madeirense a falar não falem açoriano, sim? É que nós, madeirenses, temos um sotaque próprio mas não é como o dos Açores. Vejam o Factor X e oiçam a menina de São Miguel. Isso é açoriano.
Sempre que um continental quer imitar um madeirense soa como a menina do Factor X.
Pipol, vocês lembram-se da Maria Rueff? Ela é a pessoa que imita bem, agora as outras soam a falso.
Tenho de explicar que embora sejamos ilhéus, embora estejamos na meio do Atlântico, embora sejamos quase vizinhos... não falamos de igual forma?
Irra, que mania de falar açoriano quando querem imitar os madeirenses!



quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Parque Natural da Madeira

Como é possível no mesmo espaço rural num lado estar tão verde e no outro tão amarelo? Algures na ligação do Poiso ao Santo da Serra.



Querido Pai Natal

Sim, que eu sou rapariga de acreditar ainda no velho de barbas brancas e gorducho e espero nunca deixar de acreditar no Pai Natal.
Por isso...
Querido velho barbudo e gordinho - vou ser delicada, nada de blasfémias canão ele castiga-me e faz orelhas moucas ao meu pedido - já reflecti na prenda que quero para este natal. Sabes, como agora deu-me para frequentar as aulas de ginástica e sendo eu uma rapariga que não usa nem gosta de sapatilhas, mas como viu o mulheredo com esse tipo de calçado e, em vez de levar umas alpargatas, peço, querido velho barbudo e gorducho, umas sapatilhas para levar (e trazer, claro, não vou deixar lá) para as aulas de ginástica, pode ser?
Olha meu velho, olha bem para a fotografia* que está aqui ao lado e aponta num papel, não na palma da mão que assim que lavas sai e esqueceste, e fixa isto que te vou dizer: não quero nada caro (sou modesta, pah), não quero nada com atilhos, que já sou velha para andar a amarrar, só velcro, ou aqueles atacadores de elástico, pronto, nada de plataformas, nada de cores berrantes, nada de preto nem branco, percebido? Ah, e podes pedir ajuda aos meus filhos, genro, nora e Pulgas para a prenda, tá bem?
Querido Pai Natal, eu acredito que não me vais defraudar...

*Prontes, resolvi não colocar a fotografia para não haver influências...



terça-feira, 26 de novembro de 2013

Quem quer ser milionário?

Certamente que os concorrentes não estão lá para serem milionários; até me assiste pena dos que aparecem, com a matéria por estudar, com as dúvidas presentes, com a falta de cultura geral que lhes é exigida.
Não é um programa que vejo assiduamente pois que aquela senhora - a apresentadora - não me cativa, mas ontem vi. E vi que uma professora do Ensino Básico tinha pedido ajuda logo na segunda pergunta, a uma pergunta de cultura geral, mas fiquei mais estarrecida com a pergunta sobre as cagarras.

Cagarras no Porto Santo, nas Berlengas, nas Selvagens ou nas Flores. Pede a ajuda por telefone, ao irmão, que também fica embrulhado. Não sabe. Ela erra.
Meu Deus! Cagarras no Porto Santo! E aqui começa o "embrulhanço" e gozo da apresentadora. Discretamente, sarcasticamente.
Como vai esta colega falar aos seus alunos sobre este tema? Não se exige que uma docente seja uma enciclopédia, mas caramba, isto é falta de estudo.
Pena, muita pena dos alunos...e dela...pela vergonha. Se não se documentou não vá ao "Quem quer ser milionário" pois sai de lá vexada.
E há bons e maus profissionais em todas as áreas, eu sei, mas não se apresentam na televisão para ser alvo de chacota.



Em Pinhão...o Douro

Ele aí vem - o barco que navega pelo Douro acima e abaixo. Uma paisagem assombrosa, uma viagem, certamente, inesquecível. Rio Douro perto de Pinhão, uma extensão do nosso território que não me canso de ver. E de recomendar.



Ai qu´eu nan tenho valor!

Mê Dês isto de ser, ou melhor, de querer ser esbelta dói que se farta. Acabada da ginástica de manutenção que mais parece de competição estou sem valor nas canelas; ah, mas isto não fica assim, isto se não roda vai d´arrasto mas vai, vai degavarinho qu´eu nan tenho pressa, mas é para continuar quero chegar ao natal com as tripas vazias pa poder encher-elas, e venham os enchidos, as farinheiras, as linguiças, as dobradas, as entremeadas que eu estou com a barriga pronta para amorfar umas delas.
Ai as minhas canelas! Ai qu´eu nan tenho valor! Como dizia a minha tia-velha (e que saudades dela!)



segunda-feira, 25 de novembro de 2013

São Pedro do Sul

Rio Vouga, em São Pedro do Sul, perto das Termas. Um local aprazível e de descanso.  São Pedro do Sul é uma cidade da região centro, distrito de Viseu.




E não é para fazer inveja

É a realidade.
O meu Gu-Gu chegou aqui à casa da avó, hoje dia de escola, porque um simples ranho ou fio nasal ou até mesmo a temperatura a oscilar entre o 37 e os 37,1 é sinal de "vais para casa que tás doente", e note-se, não estou contra esta regra, até porque estou no ramo e contra mim falo, mas é só para dizer pois que já escrevi tanta coisa e antes que me esqueça daquilo que praqui vinha..., e agora abre parêntesis é natural em mim andar a circundar o assunto e até começar por fazer uma sopa e acabar num cozido à portuguesa com todos os ingredientes, e agora fecha parêntesis antes que me esqueça do que ia falar e, afinal...parece que me esqueci, possas!
Ah, não, voltei a me lembrar! Esta cabeça de melancia que só tem pevides e nada mais...
Pois, ia dizer que o meu Gu-Gu chegou cá eram praí nove e picos, com calça comprida, camisola de manga comprida, colete e assim que entrou pediu logo a roupa de trabalho, ou seja calções e ticharte; mas tem razão o rapazinho, é que está um calor do caneco!
E acabo como comecei: não é para fazer inveja é a realidade, a temperatura no Funchal está a uns míseros 18 graus.



domingo, 24 de novembro de 2013

Grafites em Ourense

* "Grafite ou grafito é o nome dado às inscrições feitas em paredes, desde o Império Romano, é considerado como uma expressão e está incluída nas artes visuais mais especificamente na Street Art ou Arte Urbana em que o artista aproveita espaços públicos."

Ourense, parque pedonal à beira do rio Minho, Outubro de 2012


* Copiado da Wikipédia





Come sopa, pequena. Come sopa.

A minha sobrinha adorava ter o furinho que tenho na bochecha quando sorrio, a covinha na face, e como ela era uma biqueira do estapor para comer, franzia o nariz com tudo, só comia a ver os passarinhos e se os estapilhas não cantavam ela cerrava o bico e não entrava nada, e a sopa era um "ai nos acuda"; atão a minha mãe, que descansa no Céu, dizia-lhe "ai queres ter o furinho na bochecha como a Gi? Come sopa pequena, come sopa".
Até era um regalo aos olhos vê-la emborcar taças de sopa!



sábado, 23 de novembro de 2013

Parque Natural da Baixa Límia, Gerês

Pedra sobre pedra ou a ponte entre o passado e o presente.
Parque Natural de Baixa Límia- Serra do Xures em Lobios, Ourense. Em português Parque Natural do Baixo Lima - serra do Gerês.





E é bom que se lembrem que...

...Este é o penúltimo fim de semana do mês de Novembro e daqui a dias é Natal. Estou, como sempre, atrasada!



sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A Chavasqueira

E porque o fim de semana aproxima-se a passos largos nada com um descanso à beira rio acompanhado de um livro; se por acaso não tem rio à beira... aproveite para sentar-se num banco à beira mar e desfrute. Tão bom o descanso!
Bom fim de semana, pois então!

Rio Minho em Ourense, Termas A Chavasqueira, Outubro de 2012



Sofrer para ser bela ou saudável?

Isto de querer ser uma rapariga saudável tem muito que se lhe diga. 
Agora meteu-se-lhe nos cascos que vai frequentar as aulas de ginástica de manutenção. Não é por não ser já esbelta, pois dizem isso assim que ela sai à rua, e ela convence-se que sim, mas quando olha para o espelho, principalmente antes de tomar banho e, mesmo sendo só uma vez por mês, ela não gosta do que vê. Aponta para ali e depois para o outro lado e caramba!, está igual, simétrico até. 

E depois há a publicidade. Tem muita influência, a sério. Ver umas ...vacas, ia dizer vacas, mas acho um pouco agressivo por isso direi baleias gigantes, que num estalar de dedos ficaram mais finas que um palhete, e estados de saúde que melhoraram depois de alguns exercícios, atão ela e ele por arrasto vão experimentar dar uns saltinhos, fazer uns movimentos, em suma, evitar o sedentarismo.
Não sei isto onde vai dar...mas depois conto.
Dúvidas muitas dúvidas!


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Está frio, mas não tanto

Era só para saberem que também faz frio aqui no meu rural, mas não preciso de usar quatro camisolas, mais o polar, o sobretudo, o cachecol e ainda as luvas, as meias de lã, a gabardina e o guarda-chuva. Nada disso. Está frio mas não tanto que seja necessário usar estes adereços somente um casaquito.



Drácula, a nova série

 "Drácula" é aquele rapazinho bem giro que parece ter colocado inchaços nos lábios (ou será natural, não sei), Jonathan Rhys Meyers que na realidade se chama Jonathan Michael Francis O'Keeffe. 

Jonathan Rhys Meyers  nasceu com problemas cardíacos, tendo sido hospitalizado durante os primeiros meses de vida, quem diria, hã? 
Pena é mesmo o seu relacionamento com o álcool e substancias ilegais (que chatice, caramba!), tanto que a produção congelou o seu salário.
Quem não se lembra dele no papel de Henrique VIII, rei da Inglaterra na série "The Tudors"?



Entardecer nos Prazeres

Não há dias iguais também como não há pores-do-sol iguais. O pôr-do-sol é único. Ou não seria eu uma rapariga que adora o entardecer! E este foi presenciado nos Prazeres, Calheta, Madeira.



É hoje que eu e tu...

Ao ver o jogo fiz-lhe uma pergunta e não obtive resposta. Ele estava tão concentrado no desenrolar do desafio que não me dava atenção. Voltei à carga desta feita em frente à televisão. Nada.
Sentei-me aborrecida, isto de não olhar para mim, irrita-me. "Roio" as unhas, olho para ele e pergunto novamente. Sempre a mesma pergunta sempre o mesmo desprezo!
O jogo, sempre o jogo, e nada mais! Afastava-se e afastava-me também. Um golo." É agora."
Nem olha para mim! Chato de uma figa!
Segundo golo, salto e coloco-me de braços abertos em frente dele. Será que agora me vês? E continua a me ignorar, mas não desisto e depois do terceiro golo, colo-me ao ecrã e... agora sim vais ver-me... e pergunto-lhe, usando a minha voz mais terna...
- Ronaldo, é hoje que vou dormir contigo?



quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O que é da Madeira é bom

É, não é?
É o bolo do caco, a poncha, a nikita, o vinho Madeira, o pé de cabra, a cerveja Coral, a Brisa maracujá, a laranjada; é a espetada em pau de louro, o peixe espada preto, o milho cozido com bifes de atum, as lapas; é o pudim de maracujá, de papaia, de pitanga, o bolo de mel típico da época natalícia enfim, uma panóplia de bebidas, comidas para não falar do clima, do sol e do mar, da temperatura sempre amena, do normal 20 graus no Inverno...
E é o Ronaldo.

O que é da Madeira é bom. Há dúvidas?   



Ponta de São Lourenço

Desde o campo de golfe do Santo da Serra a ponta de São Lourenço é visível. Fotografia captada a 25 de Novembro de 2012 pelas sete horas e trinta minutos da noite.



terça-feira, 19 de novembro de 2013

A inocência da Pulga

Digo à Pulga - a maivelha - para seguir o meu dedo com olhar e ver um terreno em frente à baía do Funchal com uma vista surpreendentemente panorâmica, por isso, deve abrasar como lume para quem quiser comprar, e diga-se em abono da verdade, é espectacular e se eu, mulher pobre mas honrada tivesse o dinheiro que não tenho, seria lá que ia acabar os meus dias.
- É aqui que a avó vai construir uma casa.
- Sozinha?! - pergunta ela, admirada e incrédula.
Ri-me, pois que para ela, eu seria a mulher que ia pegar nos materiais e fazer a casa. E iria eu fazê-la sozinha?



Corfu

Se há momentos que aprecio e deslumbro é ao entardecer quando o sol desvanece e torna o céu vermelho dourado. E assistir ao pôr-do-sol a bordo de um barco ali nas zonas de Corfu é magnífico e lembra que a noite está a chegar...



Adoro surpresas

E ontem tive uma tão agradável.
Estava eu na minha caminhada ao entardecer quando sinto pim pim depois ping ping, logo a seguir mais depressa ping-ping-ping-ping-ping. Era sua excelência a chuva. Só houve tempo de acelerar o passo e volver a casa.
Foi tão bom ter de correr em vez de andar, a acelerar qual carro enrascado pela subida acima, sim, que aqui no meu rural é subida subida subida...e o coração a querer sair do peito!
E o mais engraçado? Engraçado foi que daí a pouco o chão já estava seco quer dizer, era uma nuvem passageira em cima da minha cabeça, pois assim que entrei em casa parou de pingar. Isto não é para infernar?
E se eu continuasse?


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Novamente o arrepio pela espinha acima!

Ao ouvir as temperaturas através do rádio fiquei a pensar que eu sou uma felizarda e abençoada por viver aqui neste meu canto onde a temperatura está durante o dia a 20 graus. E fico com uma tristeza bendita por saber que no Porto, lugar onde vive o meu filho, está a 7 graus.  E sinto uma vontade mórbida de pedir a quem de direito que suba a temperatura para que o mê bisalho não molhe as penas. Ainda hoje as Pulgas, à hora do almoço, vinham de calções e blusa de manga curta. Sou uma felizarda do diabo!
Prontes, foi um desabafo momentâneo!


Novamente eles

Os áceres embelezam as ruas com as suas tonalidades outonais. Eu sou uma apaixonada por estes tons. Esta encontra-se em Monte dos Burgos, Porto.

Nada melhor que perguntar

Pensei cá para mim: "não passa de hoje que vou entrar e fazer a pergunta" e, assim que passei por lá entrei e indaguei-me das condições para frequentar - eu e o mê senhor, as aulas de ginástica.
Ter mais de 55 anos, viver na freguesia e apresentar um atestado médico a comprovar que está apta, assim como na tropa, a frequentar as aulas. Perguntei o preço a pagar.
"Ah, são dois euros por pessoa".
Vinha pelo caminho e uma pergunta matracava-me o miolo, e aquela vozinha do diabo a me atormentar em surdina: "por que não perguntaste? Por que não perguntaste, burra?"
Ainda pensei voltar atrás, mas segui para a frente e decidi que no dia seguinte não ia ser tarde para ir lá perguntar:" e... não há desconto para casais?"

Mudastes!? Outra vez?

Eu respondo que sim, mudei.
Caramba, não sossegas, avoGi, eu explico: tenho três Pulgas por que não?
Agora dedicado ao mê Gu-Gu, que é lindo, lindo, com um sorriso aberto, franco, sincero. Oquei, deito litradas de baba ao dizer isto, mas que querem? É a vaidade!


domingo, 17 de novembro de 2013

Tenha vergonha na cara

"A maior parte dos pensionistas não são pobres e estão a fingir que são pobres. E dos verdadeiros pobres ninguém fala ou, quando fala, é para dar direitos a todos os outros”, diz o economista João César das Neves.

 Este camelo, podia até chamar-lhe outro coisa mas a mãe dele não tem culpa das palavras que ele usou, não sabe o que diz e ainda lhe dão tempo de antena, é dos que acredita que quem recebe 600 euros de pensão é rico. Vá mazé cavar semilhas. 



Catedral de Ourense

A catedral de Ourense, e digam o que digam, é tão bonita como a de Santiago de Compostela. Aqui a cabeceira da catedral também conhecida por catedral de São Martinho.

Outubro de 2012


Não é por nada mas...

...Já sinto uma leve roeza no estômago. Não sabem, mas eu alevantei este corpo danoninho aí pelas oito e trinta da madrugada, e as culpadas são as Pulgas - as minhas Pulgas, que assim que o galo do vizinho canta elas levantam, sacodem as penas, rodam a saia, sentam-se no sofá a ver os macacos (antigamente era assim que se chamava aos desenhos animados) e a comer. É cereais, depois uma maçã cortada aos bocadinhos, novamente uma mão-cheia de cereais e, se não faço o almoço, dão cabo da taça. Por isso, como também tenho as tripas encostadas às costas, mas elas não, vou intervalar e preparar a refeição.
São servidos ou já estão despachados?
Ah, e o vizinho não tem galo só galinhas...


sábado, 16 de novembro de 2013

Visitas tardias

 As Pulgas chegaram e com elas a alegria, a diversão, a loucura, o movimento, o riso. E vêm com força nas canelas pois já pulam e saltam, olé...olé...
E o silêncio... foice.


Eu até me arrepiei

Ao ver as notícias deu-me um arrepio de baixo acima a saber que na Serra da Estrela está neve. E a gente aqui ainda de mangas curtas, calções e chinelas.


Apeadeiro da Alegria

Este apeadeiro situa-se no troço da Linha do Douro entre as Estações de Tua e Pocinho e serve a localidade de Alegria, no concelho de Carrazeda de Ansiães. 


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Santuário de Nossa Senhora da Abadia

As torres do Santuário como que emergem da vegetação. À sua volta, uma natureza deslumbrante onde o verde impera e o silêncio é rei. Situa-se na encosta de uma montanha, em Santa Maria de Bouro, no concelho de Amares, Braga, a caminho do Gerês.
Outubro de 2012


Diga bom-dia porque hoje apetece-me escrever

Pois que está um belo dia, daqueles em que apetece espairecer pela rua, abrir as janelas de casa deixar o sol entrar e depois guardá-lo entre os dedos para que não se escape. E este cheiro a figueiras, a árvores acabadas de podar, a videiras. Novembro tem este cheiro. E sabor a fruta. E depois há que esperar o inverno, ele tarda mas cumpre a promessa de regressar todos os anos. Há que esperar mas entretanto saboreemos o sol.


O que fazer com cem milhões?

Eu não sei o que vocês mai darlingues fariam, mas eu cá sei e até já fiz uma listinha bem pequena das coisas a adquirir se por acaso, sim, se por um mero acaso eu for a feliz contemplada e bafejada pela sorte de ter cem milhões na palminha da mão. E em verdade em verdade vos digo que dava cá um jeitão!
Por isso, vamos lá a fazer a corrente da sorte...


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Em Ourense

Ourense ou cidade das Burgas é um município de Espanha na província de Ourensecomunidade autónoma da Galiza, que é conhecida pelas fontes de águas termais com numerosos lugares preparados para banhos situados à beira do rio Minho. É seguramente o atractivo desta cidade.

Rio Minho em Ourense, Outubro de 2012 

Por três cêntimos faço uma peixeirada

Novamente no "sítio do costume" onde "sabe bem pagar tão pouco" fui aldrabada durante uns cinco minutos somente o tempo para ler o pergaminho ou seja, o talão das compras.
Ao comprar o leite meio gordo reparo que é a 54 cêntimos ao litro. Na rua, na placa central, costumo ver se está correcto e constato que o leite estava marcado a 57 cêntimos ao litro. Uóte?, aumentou desde a prateleira até à caixa? Mau-Maria.
Dou meia volta e dirijo-me à menina que me atendeu e digo-lhe que há engano pois que na prateleira está a 54 cêntimos ao litro.Nem me deixou acabar foi logo ao sítio onde estava o leite, volta, fala com a chefe...
"Peço imensas desculpas foi engano".
Poça, será só comigo? Será só eu que reclamo? Será que as outras pessoas não reparam? Eu cá levo tudo contado até aos cêntimos. E por 36 cêntimos sou capaz de fazer um basqueiro.


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Casinha de Santana

Sendo um cartaz turístico da Madeira, as casas típicas de Santana são um ex-libris deste concelho. De forma triangular são popularmente conhecidas por "Casinhas de Santana". São frescas no Verão e quentes no inverno devido a serem de madeira e revestidas a colmo. Esta aqui encontra-se no Pico das Pedras. 


E ponham a mão na consciência ou na barriga...

...E digam.
Já beberam o tal litro e meio de água hoje? Já fizeram a tal caminhada? Atão o que estão à espera, andor... já encher a garrafinha de água e daqui a pouco dar umas voltas a pé para ter aquele corpinho que vêem nas revistas. E perguntam vocês por que tenho esta preocupação ? Por que faço esses lembretes? Não é para vocês, minhas darlingues, é para mim.
Meti na cachimónia que vou reduzir os cinco quilos que se alojaram nos quadris, desde o verão. Acompanham-me ou tenho de ir sozinha?


terça-feira, 12 de novembro de 2013

Era só isto

Só mesmo para dizer que vou até ao meu amigo sofá, que por esta hora já deve ter olhado para o relógio admirado com a minha ausência, e ver uma filme que coloquei a gravar. Prontes, gravo todos os filmes da Foxlife e assim pela calada da noite embuseiro-me no sofá e...
Se precisarem de algo, por favor, deixem recado que depois leio, sim? Mas, por favor, não façam barulho, detesto que me incomodem com ruídos de fundo quando vejo filmes. Disponham, sim, mas mais logo.


Outono no rural

Embora para vermos o Outono em todo o seu esplendor tenhamos de subir à montanha e levar um casaco, mais o cachecol e as luvas, além de botas quentes, vale a pena. Aqui, no Parque Natural, algures entre o Poiso e o Santo da Serra.


O poder e o efeito da publicidade

Sintonizada que está a televisão nos canais de desenhos animados quando as Pulgas estão na azavó (como diz o Gu-Gu), não há quem aguente a publicidade, e eu só oiço: "vou pedir isto".
Será que menos não surtia o mesmo resultado?
As Pulgas ficam extasiadas, e neste momento em que que a crise está para ficar e o dinheiro não abunda, podiam fazer um intervalo, é que até me assiste pena ao ouvir a frase "vou pedir isto, avó" que se pudesse lhes daria todos os brinquedos que vão pedir!

Mas não posso! E por isso sempre que oiço a frase "vou pedir isto" dá-me uma revolta tão grande que só me apetece sentar-me ao volante da minha chaimite e... pumbas, mandar semilhas direito à cabeça dos verdadeiros culpados. Que as crianças são crianças não têm culpa da má gestão deste país, mas são elas as mais atingidas. Elas e eu, como pensionista tenho levado tau-tau no cu que já não aguento...


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

domingo, 10 de novembro de 2013

Arcos de Valdevez

Qual de nós amadores/amantes de fotografia não procura um reflexo? Falo por mim, adoro reflexos na água. Como se fosse um papel dobrado a meio. E ao abrir ficamos sem perceber qual o original. Aqui, o rio Vez em Arcos de Valdevez.

À maneira antiga também é bom


 A Pulga pediu-me para escrever no computador, ora, eu sou uma avó que satisfaz os pedidos das Pulgas, mas, e como tudo tem um mas, quero que elas liguem o presente ao passado e percorram o caminho correctamente, isto é, que percebam que antes de existir o computador existia a máquina de escrever, e que eu, avó querida, fui uma amante da máquina e até tenho curso de caligrafia, dactilografia, estenografia, e pasmem-se de estenodactilografia.

Ninguém me batia em tempo a dactilografar tanto que fui convidada para trabalhar ainda quando estava a estudar. Comecei no Curso Geral de Comércio e acabei o Complementar de Secretariado e Relações Públicas, antes de me dedicar às criancinhas. E tenho uma máquina de escrever. Ainda. Velha relíquia!
Novidade para ela que aqui ao meu lado, ainda não parou de bater teclas. Mas com tanta força que, penso que daqui a pouco, tem as cabeças dos dedos em sangue ou calejadas.

O ranking das escolas

Diz o Expresso: Saiba em que lugar ficou a escola onde estudou ou onde andam os seus filhos. No ranking Expresso/SIC pode pesquisar pelo nome do estabelecimento de ensino e fazer diferentes ordenações: melhores médias por concelho, comparação público/privado, evolução em relação ao ano passado, etc.
É melhor nem ver, não saber, nem ligar a estes rankings. Deixe os seus filhos onde estão se gosta da equipa de  trabalho, da professora, do projecto educativo, e se tem a certeza de que estão no bom caminho no ensino e na aprendizagem, conselho de professora reformada. Se estão bem não os mude, nem ande quilómetros a mais para ter os seus filhos na escola mais cotada. E saiba que há bons alunos, e bons professores, há é que procurá-los.

sábado, 9 de novembro de 2013

A bordo do MSC Divina

 Obrigada a quem proporcionou esta visita. Ontem, 8 de Novembro, 2013.

E digo: ver a baía do Funchal do topo do barco é assim a modos que arrepiante. Mais digo que andei à procura de um buraquinho onde pudesse esconder este corpinho para desfrutar da travessia transatlântica até Miami. Rás parta!

Fotografias captadas com o telemóvel .

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

À sexta-feira não há quem se mexa

Deve estar apinhado de gente a navegar, nota-se logo quando é fim de semana. Eu explico, nos outros dias da semana a esta hora, depois das dez, é um regalo andar por aqui está tudo rápido e penetra-se bem onde se quer, já à sexta (ou vésperas de feriados), não há quem aguente esta treta; o computador fica tão lento que até mete dó.
Esta é a minha hora, oquei? É a hora dos reformados.

*Uma por dia durante vários dias

E por que não uma castanha por dia? O que bem que me faria!

Em frente à casa do meus compadres (pais da madame-nora), em Ponte de Lima há um castanhal, cujas castanhas caem para o chão, em quantidades diria que industriais; ora, eu que até gosto delas: cruas, cozidas, assadas curvo-me perante cada uma. Esta foi uma delas apanhada do chão em Outubro de 2012.

Da próxima vez lembrem-me que...

...Embora esteja um sol quente, embora pareça verão, embora quase não se consiga abrir os olhos por causa da claridade, embora se veja turista de perna ao léu de calções, embora esta brisa seja agradável, embora...
Lembrem-me que à sombra corre um briol e à noite faz fresco, sim? É que sair de casa sem casaquito é ser parva, esquecida, ou quiçá, corajosa, só pode!
E lembrem-me também que calor só mesmo debaixo do sol em pino ao meio dia, por que assim que ele vai-se, ufa, fica frio.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Ponte de Lima

Uma vila que não passa a cidade, embora preencha os requisitos, para não perder o estatuto de "Vila mais antiga de Portugal." Recebeu foral de Dona Teresa (sim, essa, a mãe do primeiro rei de Portugal) em 4 de Março de 1125. Uma vila tão, mas tão bonita, acolhedora com a ponte sobre o rio Lima ali tão perto, tão altiva, tão bela, fazendo a ligação do burgo com o bairro de Além-da-Ponte.

Novembro - Mês do Natal

Na Venezuela  já é natal desde o 1º de Dezembro, e como diz o outro "o natal é quando um homem quiser", vai daí o Maduro, o Presidente da Venezuela, que deve trautear esta cantiga, achou de antecipar o Natal e, como dizia ainda há pouco o mê senhor, se o natal é neste mês o Carnaval deve ser a 25 de Dezembro, lá pelas terras de  Simon Bolivar, que se fosse vivo diria que o Maduro tem de amadurecer mais um pouco.

"Desde a passada sexta-feira que já é Natal na Venezuela. O presidente Nicolás Maduro decretou a chegada do Natal no dia 1 de novembro, para derrotar "a amargura".
O anúncio foi feito pelo próprio após visitar a Feira de Natal Socialista, organizada pelo governo em Caracas. No dia seguinte, Nicolás Maduro explicou a decisão. Veja o vídeo."
Entre por aqui, se faz favor

E já dizia o outro: Mudastes?

Mudei sim, e...?

A minha Pulga adora todas as tonalidades do cor de rosa, desde o fuchsia, passando pelo magenta e ficando no pink, rosa pink, ultra pink, light pink, hot pink, dark pink e todos familiares de pink-pink-pink; por isso, e como ela embeleza o cabeçalho daqui do burgo em homenagem ao seu gosto mudei. E, lá está ela a bordo de um rabelo a contemplar o rio Douro, nas férias de verão.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Pousada de Santa Maria de Bouro

Esta pousada localiza-se no antigo Convento de Santa Maria de Bouro, Amares, Braga.

Oferece 32 quartos, restaurante, bar e esplanada, bem como piscinas para adultos e para crianças. Um oásis, portanto, em pleno coração do Minho entre Braga e Gerês. Um lugar excelente para realizar um casamento.

Londres: chuva, frio...

Ontem falei com a minha irmã que vive em Londres há mais de quarenta anos. Depois de falarmos do que nos apoquenta, e da vida dos outros, falámos do  tempo. Ela sabe que adoro Londres por esta altura em que as folhas das árvores caem ao chão secas com várias tonalidades. Fica assim "tipo lindo" (como diz a minha Baixinha) e eu babo-me ao olhar para a miscelânea de cores. Pedi-lhe até para captar um desses momentos em que as ruas estão com lotes (inglês) de folhas e mandar-me para que mate saudades.
"Ah, mana, mas está tudo molhado! Ainda não parou de chover desde sábado!"
Um arrepio subiu-me desde o culombo até ao carrolo! "E sabes, tá um frio de matar, já tenho o aquecimento ligado, de manhã é preciso raspar os vidros dos carros."
Mê Dês outro arrepio, agora a descer. E pergunta-me ela: "e aí?"
- Aqui? Olha, nem te digo para não te fazer ciganas! 

Moi-Même, aquela velha biteche

Se vos disser que ainda mantenho o saco da praia exactamente como o usava no verão, cheio, a transbordar de tralhas, são capazes de dizer: "credo, já arrumavas isso!", e quem melhor que ninguém sabe disso senão a minha empregada, Moi-Même? Mas a biteche (inglês) até revirou os olhos quando a interroguei a razão da sacola estar ali em cima de uma cadeira.
Eu própria olho para ele daqui de onde escrevo e apetece-me, sim, só me apetece... ir arrumá-lo e num momento assola-me o desejo. Vou? Não vou?
Pronto, não vou. Mas aquela voz de culpada atormenta-me: devia eu arrumar? Devia eu levantar o rabo daqui agora mesmo, guardar as tralhas e desfazer o saco?

Mas não, recuso-me a fazer o trabalho dela. Digo, em boa verdade digo, acredito no que aquela safada disse para mim quando exigi, sim, leram bem "exigi" que guardasse. Passo a escrever na íntegra: "vai continuar assim mais um tempo é que daqui a dias é verão outra vez".
E eu - a patroa, acredito que é tempo, mas se ela não arruma eu também não. E bico calado.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Alto Douro Vinhateiro

No outono, o Alto Douro Vinhateiro veste-se de cores quentes e proporciona esta imagem ao contemplarmos os vinhedos.

Uma mistura de estilos

Ao andar pelo Funchal fiquei sem saber qual a moda de agora, qual o estilo certo desta época.
Vi gente com botas de cano alto, outras com botas, mas de cano curto, botins, chinelas, sandálias, sapatinhas; meias opacas, meias transparentes, meias finas ou grossas, sem meias; calções, saias, vestidos, calças.
Gente de casaco de lã grossa, (ufa, até me arrepiei de calor ao ver isso!),meninas com topezinhos reduzidos com a barriga à mostra, saias quase quase tão minúsculas que mais parecem um pano de cozinha, enfim, logo eu que esperava ver as modas deste outono, por que quero mudar o meu roupeiro,(o armário, não as roupas) vou ter de visitar outros sítios à espera do melhor estilo para mim pois fiquei sem saber.
Mas para homem está já ajustado o estilo: sapatos abertos com peúgas, estilo "estou de férias não me chateiem com isso" ou "estou de férias, tenho frio nos pés mas nas pernas não" e por cá uma vez que esta ilha é turística, é o pão nosso de cada dia.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Poeto e os Áceres

 Por que no outono enchem-se de folhas coloridas. Por que à memória vem um sítio que adoro nesta época do ano: Porto. O meu Porto.

Vinde até mim e digam

Mulheres do meu burgo, cheguem-se aqui, mas tragam o bordadinho que hoje vamos falar da vida alheia; escolham um banquinho, abram a cesta do bordado e façam filhitro à volta dos lenços para entregar na casa dos bordados.
Mulheres minhas, já tão assentadas? Atão "vamilhá" a pôr a bilhardice em dia.
Mas antes de se bilhardar da vida alheia, digam-me: já limparam os armários pá Festa? Já puserem as "images", os santinhos de molho na banheira da casa de banho? Já tirarem o pó do guarda-fatos e as teias de aranha do tecto? E sacudirem as roupas de cama antes de guardar-elas que o itono já tá a espreitar? E os cacarecos pa enfeitar a lapinha, já tirarem do sótio?
Atão antes de saber da vida dos outros andor lá limpar a casa cu natal tá quasaqui.

domingo, 3 de novembro de 2013

No meu quintal...

Esta trepadeira, que julgo ser daninha, cresceu num vaso sem ser plantada, e sempre por esta altura do ano cobre a parede e corre para o sol. Não sei o seu nome, mas também não interessa, pois não vou chamar por ela. Só sei que embeleza a minha parede de pedra.

*Uma fotografia por dia.

Onde pára a polícia

Se fosse uma pergunta responderia que pára nos parques sem retirar o tiquete do parcómetro e sem cumprir o seu dever cívico.

Estava uma viatura da Polícia estacionada num espaço reservado a utentes que retirem o bilhete e o coloquem visível, e os ocupantes - os policias - fora da viatura. As pessoas dirigiam-se ao parcómetro retiravam o bilhete e colocavam no respectivo carro. Isto tudo perto das 14 horas hora em que termina a obrigatoriedade de meter a moeda.
O policia, atrevidote, ao ver as pessoas a formarem fila, diz com ar sarcástico e sorriso trocista: "não sei por que vêm tirar o bilhete, não estou cá para controlar quem mete a moeda".
Diz o mê senhor, que cumpre o seu dever cívico sempre que lá estaciona, e, olhando para o tablier do carro da polícia, para constatar antes de falar...
- "Pois não. Que moral tem de vigiar os outros se também não retirou o tiquete?"


 E como sempre, acabo com a frase que faço uso quando vejo que os cumpridores são gozados: Neste mundo os que cumprem as regras da sociedade é que são os otários! Os outros são os Chico-espertos. Ou seres superiores!

sábado, 2 de novembro de 2013

Navios na Pontinha

 O porto do Funchal, hoje, sábado, com três navios de cruzeiro e um navio oceanográfico/hidrográfico (Beautemps-Beaupré). E o clima? Nem me façam essa pergunta por favor... já sabem a resposta: só mesmo aqui no meu rural.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Eu ainda sou do tempo...

...Em que hoje era feriado e andávamos de saquinho às costas a pedir Pão por Deus, nada de doces e travessuras nem o rai quiú parta com estas modernices. Era dia de comer castanhas, nozes e frutos de  outono.
A tradição já não é o que era. E isto de se mascarar neste dia acho uma aberração, um contra-censo. Carnaval antecipado é o que parece.
Valha-nos as escolas que ainda mantêm a tradição, canão nem dia de pão por Deus parecia.
Fora com estas americanizadas. Portugal ainda tem tradições e "vamilhá a manter-elas".

Quase que me matavam!

Em referência ao postezinho dali de baixo acerca do cruzeiro com as moedas recolhidas durante o ano, tenho a acrescentar que os há por menos de 300 euros a partir do Funchal. Refiro-me a um que custa somente 60 euros. Admirados? Eu explico. É um cruzeiro de um dia. Ao Porto Santo, ali imenso ao lado. A diferença é que neste cruzeiro temos de pagar o que consumimos, ao passo que nos outros está incluído no preço do bilhete.
Por isso, não me matem mais. Há ou não há a menos de trezentos euros?

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

De fato ou sem fato?

Pipole, se escrevem de acordo com o novo acordo ortográfico, não precisam de escrever de fato, por que de facto é necessário colocar o "c" a meio do fato, Sim? Perceberam? Chiça, o que seria de  vocezes se eu não explicasse esta coisa....
Facto tem um "c" a meio, repitam até interiorizarem e deixem o fato no cabide. Não vistam o fato para escrever porque de facto escrevem melhor sem ele.

No poupar é que está o ganho

Ao falar com um antigo colega aposentado como eu, e apaixonado por cruzeiros, como eu, diz-me ele que deita num mealheiro dois euros por dia - um dele e um da mulher - e no fim do ano tem dinheiro para fazer um cruzeiro. Ora, eu sou uma rapariga dada a festa, cruzeiros e cu no ar e até dou tudo, sim, tudo, leram bem, para andar no mar dentro de um barco a comer e beber. Atão e só para que fique registado e para não me esquecer, e se isso acontecer sei bem que querem o melhor para mim e vão alertar-me para o efeito, a partir de hoje vou colocar um euro num pote e jogar a chave para o fundo dum poço cheio de água verde e piranhas.
É que vou começar... e é já.
Ora bem, vamos a contas: um euro por dia vezes 365 dias dá uma coisa mais ou menos como 365 euros para mim; mais trezentos e sessenta e cinco euros pó meu senhor dá um total de...pois, é isso mesmo.

Fotografia: A bordo do "Adventure of the seas", alto-mar entre Sardenha e Roma.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Aos papás e mamãs...

(...Avós, tios, padrinhos e família em geral) têm mesmo de levar as vossas criancinhas de carro até à porta da sala de aula? E esperar que entrem? E dizer o adeus, até logo, e a mamã vem buscar-te às quatro, veste o casaquinho, aperta a gola, puxa as meias e toma atenção na sala de aula?

E às quatro deixar o carro estacionado à porta, entrar pelo colégio adentro até à sala-parque vir com o rebento pela mão, abrir o porta bagagem do carrinho tipo Mercedes, BMW, jogar a mochila, fechar a bagageira, abrir a porta de trás, colocar o menino na cadeireinha, esticar o cinto, fechar a porta, abrir a porta do condutor, ligar a ignição, puxar o travão de mão e...ala que tem uma fila de carros todos parados à espera que sua excelência se despache a andar e nem se digna, pelo menos, olhar para o carro atrás, que sou eu, e dizer desculpe, obrigada?
Gente da trampa, como educam os seus filhos...

Bebé emociona-se com a mãe a cantar

Sempre soube que o Rod Stewart mexia com os corações de mulheres apaixonadas ou sensíveis a questões de amor, mas que um bebé se emocionasse a ouvir a mãe cantar a canção do rei: "My heart can´t tell you no" até fiquei comovida, não pela voz da mãe, mas pelas expressões e sensibilidade da bebe de 10 meses. Até eu me emocionei, caramba, não posso ver ninguém chorar que faço companhia.

Vejam, entrem por aqui.

15 é o número de telenovelas

Quinze é o número de telenovelas que as televisões generalistas portuguesas passam durante o dia. Seis na SIC e TVI, 3 na RTP. Por isso há gente que não se levanta do sofá nem que caia o Carmo e a Trindade.
 Quem pode? Isto sem contar com a Casa dos Segredos. E eu que não sigo nenhuma!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Responda quem souber

Não é suposto os senhores agentes da autoridade, vulgo polícias, tirarem o tiquete de estacionamento num parcómetro e colocarem no tablier do carro à vista de todos? É que hoje três agentes, vulgo polícias, pararam num estacionamento de linha azul em frente a um café cá da urbe e grudaram ao balcão, bebericando e conversando, e o bilhetinho... cadêle?
Dever cívico, o que é isso?

Acompanham esta novela?

Não há ninguém que não fale desta novela e não esteja à espera das cenas dos próximos capítulos.

Sinceramente, nunca esperei de saber que a Bárbara Guimarães era vítima de agressões continuadas. Se só ouvisse de passagem ficaria a pensar que ela é que era a agressora. Olhando o corpaço dela e o corpinho do Carrilho era de supor o contrário. Mas as aparências enganam, lá diz o ditado. Não tenho nada a ver e a me meter nesta história, mas depois de ver o senhor ministro à porta de casa da ex-mulher pelas dez da noite a debater-se para ver os filhos fiquei com um prurido e só me apetecia chegar-me a ele e perguntar-lhe o que fez durante o dia, se aquela é a hora de incomodar os filhos que certamente estarão na cama.
 E depois o ar calmo como é apanágio dele e, deixem que vos diga sempre o achei uma mosca morta incapaz de levantar a mão para matar um mosquito que poisasse no seu nariz, engano meu, com que respondeu ao jornalista dizendo que "agora vou dormir".

Depois, ao ler o comunicado emitido na semana Bárbara Guimarães confirmou que avançou com "o pedido de divórcio litigioso", justificando que o seu silêncio em público se prende "única e exclusivamente com a vontade" que mantém em proteger os filhos.
A apresentadora adiantou ainda que não vai "alimentar qualquer polémica ou responder a qualquer mentira que possa vir a público. Peço que respeitem e salvaguardem, neste momento difícil, a privacidade da minha vida e a dos meus filhos". Retirado daqui

 Porque há uma linha que separa a Bárbara Guimarães do Manuel Maria Carrilho.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

E depois há aquelas burras...

Sim, estou a chamar-me burra, estúpida, parva e mexilhona ao mesmo tempo bato com o punho na testa a ver se emendo.
Mudei para o Google + à experiência e como não gostei pela simples razão de não permitir que quem usa o blogger não poder comentar e ainda porque não há moderação de comentários (e perco-me neles). Aqui dou a mão à palmatoada pois não li as entrelinhas.
Queria eu voltar ao antigo mas não posso. Quer dizer, posso, ao fim de um mês. Por isso, amigos que não têm google+ peço desculpas. Já pedi o retorno mas estou de castigo.

E depois há aqueles...

...Ou aquelas que deixam as tiras de entrecosto no forno enquanto vão fazer qualquer coisinha e só se lembram quando ao fungar e inspirar o ar em volta lhe cheira a queimado. E vão à pressa abrir a porta do forno e vêem que não há remédio. Essa sou eu.
E sai douradinhos para o almoço das Pulgas, enquanto a avó e o avó trincam o esturricado! Que remédio, não?

" Não existe mãe solteira, existe mãe"

  Palavras do Papa Francisco, que, como se sabe, continua a mexer e a incomodar o Vaticano com as suas palavras. Esta Papa ainda acaba queimado...

Se quiserem ler entrem por aqui.

domingo, 27 de outubro de 2013

Mas será mesmo?

- Avó, o avô tá-te a chamar - alerta-me a Baixinha, cinco anos espevitados, uma vez que eu, por vezes, não oiço, ou finjo que sou surda.
- Mas quando é que ele não me chama?! - digo com ar de desalento.
- Amanhã. Amanhã... - responde ela sem deixar de brincar com as bonecas e interrompo o seu pensamento.
- Amanhã? Porquê? - pergunto intrigada!
- Sim, quando ele estiver na escola não te vai chamar.
E eu pergunto: será que não?
Ela levanta os olhos e ri-se. 

Fotografia: Baixinha, a bordo do rabelo num passeio no Douro, com os tios, avós e mana.