Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Ora, põe tu!

- Alguém vai pôr a mesa? - pergunto à equipa de ajudantes e olho precisamente para a Pulguinha, a do meio. Ela olha-me bem dentro do meu olho e, eu, pensando que não tinham ouvido a pergunta, refaço-a:
- Quem vem pôr a mesa? - Pois sei que é uma actividade que gostam de fazer, além de brincar, e brincar novamente e novamente brincar; depois de ver televisão, ver outra vez televisão e só em ultima instância ajudar.
Eles param. Eu sorrio com aquele sorriso a pedir, a mendigar que façam algo para ajudar...
De repente sai-se a gasguita..
- Ninguém.
- Como? - pergunto.
- Ninguém...aliás, nenhum de nós vai pôr a mesa.
E sai, ou seja vira-me o rabo quase a empurrar os outros dois para se escaparem ao serviço.
Bem, tive de pedir ajuda ao ajudante disponível...

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Para rir...

No pátio de uma penitenciária em Angola, a directora pega num megafone e anuncia:
- "Tenção cambadivagabundu, chega di moleza! Quero ocês tudo devassora na mão, limpandesse chiquero, que ocês mora.
Quero tudim tudim limpim! Modi qui, amanhã nóis vamo recebê o Presidente Cavacos Silva e os Primeiro Ministro Passos Coelho."
Um preso comenta então para o colega ao lado:
– TÉQUINFIM, PRENDERO OS FIDAPUTA!

É preciso ter tomates

Há quem os tenha grandes, carnudos, suculentos. Há quem os tenha pequeninos, enrugados e secos. Há os de chucha, caqui, cereja (ou tomate-cherry), cacho...
Há quem os tenha a arrastar pelo chão..
Há quem tenha e não faça uso deles.
Há quem use os dos outros e não os seus. Há quem não aprecia tomate e não precisa de ter.
E, há quem tenha de chumbo para afugentar os intrusos.

Há quem os tenha dependurados a causar inveja aos outros que os têm a arrastar pelo chão, como eu.
Há quem não os tenha, nem dependurados, nem a arrastar mas queriam ter tomates.

Fotografia: E ontem fiquei debaixo deste corredor de tomates a olhar, olhar e a pensar : Mas que tomates!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Música no Coração, 45 anos depois

Quem não viu e quem não gostou do filme "Música no coração" dê um passo em frente.


45 anos depois, “Música no Coração” é um dos filmes mais assistidos de todos os tempos.
Para comemorar os 45 anos de produção do filme, o programa da Oprah Winfrey realizou a façanha de reunir, pela primeira vez, Christopher Plummer com o elenco de actores que interpretaram os membros da família Von Trapp.












Julie Andrews, 75 anos, e Christopher Plummer,  80 anos, que interpretaram o casal principal, Maria e o Capitão Von Trapp, reencontraram as ‘crianças’, Charmian Carr (Liesl), Nicholas Hammond (Friedrich), Heather Menzies (Louisa), Duane Chase (Kurt), Angela Cartwright (Brigitta), Debbie Turner (Marta) e Kym Karath (Gretl).

Fotografia: A familia Von Traap há 45 anos atrás e presentemente. E no programa da Oprah.


Escrever em Pulgarês

A Pulga, a maiveilha, em Dezembro, dia 5, fez esta preciosidade. Sabendo que ainda não tinha dado todas letras e sons, mas tentou chegar à escrita pela sonoridade da palavra.
É o caso de vextido, cabelux. Mas a primeira é que me faz rir. Tanto pela palavra escrita como pelo desenho.
Ora bem, sai daqui um beijinho insular a quem adivinhar o que quer dizer: "cerouax".

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

É só para dizer que ...

...Há fotos novas acabadas de sair do forno, aqui no meu rural.
Olhem para o vosso lado direito onde diz: "este também é meu" tem o caminho para o meu outro blogue só de fotografias.
Conhecem?

Noite de Óscares e eu não vi!

Serei a única cá deste burgo que não assistiu à cerimonia da entrega dos Óscares?
E mais... nem sabia e mesmo que soubesse não me embuseirava no sofá a ver modas e bordados, por isso, minhas darlingues, vou dar uma vista de olhos pelos blogues e prontes, sei logo quem ganhou,  quem devia ter ganho etcetera, etcetera, etcetera e tal.
E só agora é que soube que houve um bate-cu, ou seja um espalhanço pelas passadas acima? Que cena!
E bai de uei, que tal os trapinhos que as vedetas usaram? Melhor ou pior que as vedetas dos 20 anos da TVI que mais parecia "toque de saída do colégio e lá vêm todas de igual" tal era a uniformidade de padrões, cabelos... etcetera e tal...?

Espero bem que não faça merdinha* desta vez!

* Se a palavra é muito forte e custa a ler, e acham que eu sou uma malcriadona do catano, pelise, substituam por flores, chocolates...

Isto para dizer o quê? É com o pedido de desculpa passou ao largo da costa o que ia dizer. Ah, já sei. Malembrou-me agorita mêmo.

Tenho cá em casa aquele homem que só fez merdinha...(estão a ver? Novamente a palavra, mas é isso mesmo que ele faz!) quando esteve cá a tirar as ervas do terreno a fim de prepará-lo para novas sementeiras. Da outra vez arrancou chicória, rúcula, pois para ele "era erva". Lembram-se do que ele fez ?
Perguntava-me, quando lhe pedi para tomar atenção ao que está plantado, o queria plantar? Eu respondi-lhe com um encolher de ombros que não sabia.
Diz-me que tem "puveides" se eu quiser pode deitar à terra.
Ainda estou aqui a pensar o que raio é: "puveides"...
Puveides!

Fotografia: Favas e espigos da minha horta (espero que o merdinhas não os arranque!)

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Furacão tufão ou tornado?

Por aqui passou uma tempestade. E eu nem me atrevo a apontar para os responsáveis, uma vez que estão ali, algures, no meio do tufão.
E eu pergunto: quem vai arrumar isto?
Oiço ao longe, algures no meu subconsciente, o eco da palavra certa: Tu...tu...u...u...u...
Que remédio, não?

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

E depois há aquelas mensagens...

...Que nos fazem bem à alma.

E esta foi em dúvida. Chego à secretária onde se me sento para as minhas reflexões e vejo colocado na mesa esta mensagem da Pulga, a maiveilha.
Claro que enche a alma e o coração, e nem mesmo os senhores da troika me destroikam do reconforto que é: saber-se amada.
Ainda está no 1º ano, daí os erros. E foi feito assim à papo-seco, ou seja à pressa.

Não sei aonde é que isto vai parar

Nunca pensei que este clima que se vive em Portugal me afectasse o espírito e o humor, mas de verdade está a afectar-me. E só de ouvir a palavra "austeridade" ou a frase "mais austeridade" dá-me uma vontade de vir até aqui, visto o blogue ser um veículo de leitura, e dizer os impropérios que em pensamento digo.
Verdade, acreditem, nunca me senti com um desejo de dizer e escrever aqueles palavrões existentes (ou não) na língua Portuguesa.
E se este já foi um blogue de sorrisos, de humor, de gargalhadas, às vezes olho para aqui e não tenho presença de espírito suficiente para fazer rir.
A sério, este clima de austeridade tira-me a vontade.
E isto porque no noticiário da Uma (passe a publicidade, à borlex) ouvi o ...aquele filho da...sua mãe, filho da...que o pariu dizer com a boca cheia de...palavras que é necessário mais austeridade.
Olha, ele que vá para o raquiúparta que já não há espaço para mais austeridade! O que me levaram de descontos (a mim e ao mê senhor e quiçá à maioria dos portugueses, mas falo por este rural) faz-me  dizer aqui e agora vão mazé mamar nas tetas da vaca que os pariu.
Ai, desabafei, e estou leve como uma pena e com pena de não dizer mais!

Fotografia: Tabaibos. Como um tabaibo era pouco para dar a quem me está a trucidar, envio uma colectânea, e, por favor, enfiem onde vos aprouver, de preferência no...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Sabem quem está cá na Madeira?

O Rei dos Açores.
Na baía de Machico.

E hoje lembrei-me que me dá um nojo...

...Ver gente a mastigar ca boca aberta, tipo Jorge Jesus.

Preciso eu de ver o bolo alimentar a ser triturado? Preciso eu de ver a língua pa trás e prá frente e a saliva a embrulhar a comida?
Preciso eu de ouvir os estalinhos das beiças a tocar uma outra?
Preciso eu de só pelo ouvido me enjoar tanto, só de imaginar aquele bolo a ser triturado como se fosse  uma batedeira?
Oh, gente, usem cola em batom em vez de batom, se faz favor!
Bai de uei (inglês) Jesus, ouve-me faz muita diferença manifestares a tua ansiedade de boca fechada?Mastiga sim, mas une "ei beiças."

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Praga. Que praga!

Acabei de ver um filme totalmente rodado em Praga e fiquei com uma vontade mórbida de visitar aquela cidade da Republica Checa!


Praga é.. não poder ir devido aos sucessivos cortes no vencimento.
Praga é...olhar o vencimento e ver que este foi superior ao do mês passado, sabendo que vinha com dois duodécimos.
Praga é... constatar que o corte daria para uns quatro dias em Praga.
Praga é...aquela cidade que me faz roer as unhas pela impossibilidade de lá ir.
Praga é... sonhar com Praga.
Praga é...um dos mais belos e antigos centros urbanos da Europa.
Praga é....a cidade das cem cúpulas.
Praga é... não poder vê-las!
Praga é... não poder dizer na cara destes bandalhos que este país tornou-se numa praga.
Praga é...sobreviver em vez de viver.
Praga é...sonhar com destinos que certamente não poderei visitar.

Praga, para esta praga que não me deixa visitar Praga!

Fotografia: Praga. imagem retirada deste sítio.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Velhos são os outros!

Um familiar meu colocou aparelho nos dentes na semana passada, claro que não é pessoa nova, anda na casa dos trinta, pertantos: um trintão.
Escusado será dizer que o mê senhor, homem novo, na casa dos cinquenta, quando olhou para a aparelhagem de metal na cremalheira dele disse:
- Olha! Depois de velho é que colocas aparelho?
A pessoa parecia um peixe. Um vermelhão, melhor dizendo, tal foi o calor que sentiu nas "cachadas" (bochechas)

Messi vs Cristiano Ronaldo

O tratamento de Lionel Messi a uma criança em Granada e a diferença com que Cristiano Ronaldo agiu quando jogou no mesmo estádio em relação à mesma criança.
O mesmo adepto, mesmos jogadores, duas reacções diferentes.

Embora nem sempre eu esteja de acordo com as atitudes do "nosso Ronaldo" esta é sem dúvida de tamanha humildade que não posso deixar passar.
Vejam as diferenças. (E dizem que CR7 é arrogante?)

Força madeirense, és daqui d´agente e o que é da Madeira é bom.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Quem sai ao seus não bebe genebra (como eu costumo dizer)

O mê Gu-Gu pede-me duas folhas. Diz ele, e eu acredito, que quer fazer um desenho para mim e outro para o avô.

Logo que oiço isto e sabendo a criatividade do rapaz para as artes gráficas, basta relembrar-me dos grafitis que ele fez nas paredes e no tampo da mesa de cabeceira, sem contar com os do chão e as   marteladas dadas com o lápis e com balde do lixo...dei-lhe as folhas pretendidas e ainda não tinha contado até três já estava ele atrás de mim...

Não tardou muito a vir todo satisfeito assim tipo Miguel Arcanjo quando acabou de pintar a Capela Sinistra.
- Avó, pega, isto é para ti. - E entrega-me a folha que acompanha esta publicação com um sorriso bem grande de artista apanhado no auge da sua obra.
Vendo a obra e...whaw!  para que não ficasse ofendido, elogio, dizendo o quanto estava lindo.
- É chuva, avó.
Boa, pois claro! Tem a quem sair e não é ao avô. Também não é à avó. Será à mãe? Ao pai? Ao tio?


Adoro trabalho de equipa

Pois, é verdade, o trabalho quando dividido pelos dois é bem mais fácil, daí a razão de aqui no meu rural se fazer tudo a meias.
Um lava o outro suja,
um cozinha o outro come,
um veste o outro despe,
um dorme a sesta outro apanha as ervas dos canteiros.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Eu e ele

Só...
Estou só na cozinha, tu chegas... aproximaste-te de mim. Fujo, não estou preparada...
Eu e tu na cozinha. Os dois. Sozinhos. Silêncio. Oiço. Oiço os teus movimentos.

Quero agarrar-te.
Tu foges, apanho-te dou-te com a toalha. 
Rio-me. Em cheio. Acertei-te.
Foges. Novamente apanho-te. Agora dou-te com a mão. falhei. É melhor assim! Ficámos parados a olhar-nos: olhos nos olhos. A morder-nos com o sorriso, até que...


Ah, pois, é isso mesmo. E porque não?
A raquete do chinês. Sim, a raquete! Como não me lembrei mais cedo?! 

Tu foges...novamente.
E pronto, munida com a raquete dou-te com ela em pleno corpo. 
Já não andas a serpentear-te em torno aos meus olhos. Apanhei-te, ó moscão grande, preto e barulhento que me atazanaste. Agora jazes no chão aos meus pés. 
Bem-feito! Pelas carreiras que dei à tua procura.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Ginástica dinâmica para bebés

 Ou Yoga (clicar com força na palavra).
Vede e dizei de sua justiça.

Eu fiquei de queixo caído! Há uma campanha no feicebuque por causa de um video deste género.
Se um não chega, vede mais este (novamente clicar e vão lá numa carreira)
Não sei se ame se odeie.

Lena Fokina, na foto, é terapeuta, avó e mãe de cinco filhos, diz que o método é prática comum na Rússia.
 Saiba tudo indo por aqui
Eu não sei não, mas acho que os pais das Pulgas não iam gostar de saber que a avó jogava-os para o ar como se fossem massa de pizza.

Há pessoas que passam por nós e deixam marcas

E esta deixou muitas.
Obrigada, mana...

Pelos bons momentos
pelas palavras
pelos silêncios partilhados
pela tua força que a dor não coibia
pelo teu altruísmo
pela amizade

Não importa a distância, no coração estarás sempre perto. A morte apenas nos afastou! Há quatro anos!

Foi assim que aconteceu...

...O Carnaval das Pulgas.

A Pulga, a maiveilha (de sete anos) foi dama antiga na sexta, bruxa no sábado e na terça resolveu não ser nada, aliás queria ser havaiana só de toalha e colar (havia de ser bonito!), mas estava fora de hipóteses.
A Pulguinha (de quatro anos e meio) foi sempre Capuchinho Vermelho e não esteve quieta, constantemente rodando a saia e não parou nem  retrato.
O Pulguito ou mê Gu-Gu (três anos) foi um piloto: sem capacete, sem kart, sem carro de rali, só de fato; e no final, já queria ficar de cuecas devido ao calor. E como é avesso a retratos estava sempre de costas voltadas ou escondido, nem foto, tipo familiar...

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Quem é que ...

Nunca comeu malassadas e sonhos?
Ena, tantos!
E querem a receita, é isso?
Prontes, eu como sou uma rapariga amiga de seu amigo e como não quero que andem de beiças e a salivar (isto alguém disse num comento ali em baixo) e depois o Carnaval são dois dias... ponham o dedinho no ar ...
Não, esse não, caramba! Esse... esse, não é para mim, é para o senhor governo ...se continuam com esse no ar dá-me uma reina e não escrevo nada.
Quem quer a receita que se mantenha de dedo em riste bem a apontar ao céu.......o indicador, sim?

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Não há nada melhor que...

... Fazer um assalto.

Esta foi a ementa de sábado na casa do meu cunhado. Acrescento que a entrada foi Cabeças de Espada Frita. O resto está na "imenta".
Para sobremesa: sonhos e malassadas.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Sonhos e malassadas ou sonhos e douradas

Dormi com as Pulgas e sonhei com sonhos. Levantei este corpo (que já foi da Danone, agora é meu) e  assim que o mê senhor me vê de pé e pronta para o trabalho diz que já fatiou o pão para fazer douradas;  ele não, claro, eu e Moi-même.
Assim, como mulher obediente que sou, fiz uma  pratada de douradas que desapareceram assim que o cheiro chegou às narinas das Pulgas.

Depois, como tinha sonhado que  lambia a ponta dos dedos cheios de mel de cana não descansei sem fazer uma dose avantajada de sonhos.
Ainda olhei para a receita das malassadas mas como levava fermento e neste momento estava esgotado na mercearia cá do meu rural... Atão houve sonhos com mel de cana a lembrar o Carnaval.

Ah, as douradas desapareceram e nem deu tempo a comprovar como fiz, e os sonhos vão pelo mesmo caminho.
Mas como posso eu reduzir dois "quilhos" senhor? Dois "quilhinhos!" pergunto a Moi-Même que também tem o mesmo problema que eu.
Será possível depois de comer douradas e sonhos?

Fotografia: Vá lá, sirvam-se enquanto há, não façam cerimónia.

É mesmo pa ciganar agente!

Atão não é que meu irmão que vive em Londres, sabendo o quanto eu adoro neve (leia-se para férias, para brincadeira e não para viver nela) manda-me uma mensagem para o telemóvel, mai zó menos assim: "tu não imaginas a quantidade de neve que está a cair em Londres! E nem sabes o quanto caiu na noite passada! Ui ui ui que frio que faz; tá bom para mais uma poncha".

Não é mesmo para me causar uma brotoeja no corpo todo? Não é mesmo para me dar uma vontade mórbida de meter-me num avião? Ora questa gente só me atazana o miolo! Ele e minha irmã (que me manda fotografias tiradas no momento como a que acompanha esta publicação).
Ai seu pudesse, ai se eu tivesse o dom de transformar este sol que me bate nas costas e aquece o corpo em neve, era sinal que eu e as Pulgas, que saltam ali na minha frente, iríamos para a rua fazer sku que é o mesmo que ski mas com o ...traseiro.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Ouve-se cada uma

Ainda há pouco, aí pelas onze horas desta noite linda de época de Carnaval, dizia às Pulgas que estavam sentadas em frente da televisão: " Vamos dormir, já são horas."
- Oh, não, ainda é cedo.  disse uma.
- E amanha não temos escola - disse outra.
- E estamos a ver isto -  dizia o mê Gu-Gu apontando de dedo para o Panda Júnior. E falavam ao mesmo tempo.
- Mas ainda não temos sono.- explica a maivelha. (Pudera!Pensei eu! Os mais pequenos dormiram de tarde uma soneca e a ela acordou pelas duas da tarde pois deitou-se pelas quatro da manhã quando eu me deitei.
- Mas vamos - e com o dedo indicador fazia o percurso de subir as escadas. - Eu já tenho sono. - E abro a boca a fingir que estava mais para lá do que para cá.
Sem tirar os olhos da televisão diz a Pulguinha - a do meio. - Então vai tu.
E sabem? Estou aqui a pingar sono à espera que se decidam. Ouve-se cada uma!

Fotografia: Num dia de Natal a saltar de dois em dois os degraus cá de casa.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Fim de semana, pois então!


Fim de semana de Carnaval.
Hoje, nas escolas, foi dia de festa. De entre os piratas, os vampiros, as Brancas de Neve,  as Carochinhas, os Capuchinhos, os pilotos, os palhaços destaco esta: A dama antiga. A Pulga - a maiveilha.
Bom fim de semana, pois então!

Ora dá cá um

...E a seguir dá outro...
E depois dá-me mais um que só dois é pouco.

Não me refiro à cantiga do Herman acerca de beijinhos, estou a falar de gatinhos.
Ontem disfarcei-me de parteira. A minha Mimi - a gata levou umas horas num parto dificil e longo.
E partiu, perdão, pariu (mas acho que devia ser partiu pois se é parto e parteira!) três lindos gatitos.

O que mais gostei de ver foi o seu instinto maternal, pois ao mesmo tempo que paria, preocupava-se de se ajeitar para que os outros mamassem.
Portantes, a família aumentou.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Estou farta delas

Nunca pensei em escrever esta frase aqui, mas é a realidade. Estou farta delas. Estou farta de tê-las por perto todos os dias. Não me largam. É na cama, na mesa, no carro; caramba, quem as fez que cuide; eu não mereço esta preocupação.
Descanso! Preciso é de descanso! Já muito fiz, por favor, chega, agora "vão-simbora", saiam daqui. Mas não. Todos os dias, faça chuva, faça sol estão aqui só para me dar trabalhos, não me podem ver a cruzar a perna num breve momento e pronto, lá está uma a chatear, a perturbar o meu relaxe..

É demais para uma jovem rapariga de 57 anos ainda há pouco feitos. Não posso, rebento quando as vejo de tanto saber que "aí vem trabalho!" Já lhes pedi para não virem, mas acham que resultou? Parece que são surdas. Ou fazem ouvidos de mercador.
Ainda há dias perguntei ao mê senhor, homem entendido, "o que vamos fazer? Dizer que chega? Pedir para não virem? Dar a entender que não as queremos por aqui? Que precisamos de relaxar"? Ele encolheu os ombros, pois sabe!...
E saibam, todos os dias picam o ponto na minha casa. 

Ináfe, ize inafe (inglês) Não passa de hoje ... vou providenciar, isto é, mandar umas indirectas, a ver... pode ser que... por uns dias...mas ainda ontem...
Bem, não me livro delas, enfim, é a minha sina! E enquanto forem só estas bom será!... O pior é que  vão-se reproduzir, e é um nunca mais acabar!

Fotografia: As Pulgas, sendo que a fotografia do meio é a modos que um castigo por serviços mal feitos.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

E ontem vi: "A porta no chão"

 Título original: The Door in the Floor
Realização: Tod Williams
Intérpretes: Jeff Bridges, Kim Basinger, Jon Foster, Mimi Rogers, Bijou Phillips, Elle Fanning
EUA, 2004
 

Já há muito que havia lido o livro e ontem tive oportunidade de televisionar o que há muito estava gravado.
Jeff Bridges e Kim Basinger  dão uma grande consistência aos seus papéis e, aliado à fotografia que é simplesmente fascinante, são os principais trunfos deste filme. 

Sinopse:
" Os segredos mais perigosos são aqueles que temos medo de contar a nós próprios"
O famoso escritor de histórias infantis Ted Coles e a sua bela mulher Marion tinham um casamento perfeito. Mas que começa a desmoronar após uma tragédia, a morte dos dois filhos num acidente. O desânimo de Marion e as consequentes infidelidades de Ted impediram o casal de enfrentar os problemas da relação. Os estímulos vão voltar a estar presentes em Marion quando Ted contrata Eddie para seu assistente pessoal. Eddie faz despertar os mais profundos desejos sexuais que Marion achava perdidos, refazendo a imagem que ela tem de si própria como mãe e como mulher.

Pensamento meu: café e crianças, uma mistura explosiva

Esperem lá um instantinho! Eu acho que li bem os comentários acerca da publicação antes desta. Ora digam lá, mas devagar que não tenho pressa: há médicos que recomendam café às crianças com PHDA? Café de máquina, expresso, bica, cimbalino?!

Durante anos de serviço, por mim esbarraram crianças com problemas de hiperatividade, e sempre lhes era recomendado uma dose de Ritalina, agora basta um café logo de manhã? Afinal a solução era tão simples: uma boa dose de cafeína pela manhã!

Eu sempre me insurgi com mães de alunos da minha sala, note-se, que davam o pequeno-almoço constituído por café (de máquina) e um pastel de nata ou uma ferradura na tasca da esquina em frente à escola. Olha lá, elas e que eram as sabedoras e eu a burra!
Café de máquina bem forte faz acalmar e sossegar as crianças com deficit de atenção, não sabia! Se bem que nos adultos funciona ao revés; é que se ouve dizer que certas pessoas ficam agitadas e sem dormir se bebem café de máquina.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Agora é moda?

É moda ou eu é que estou mais atenta, é que tenho visto muitas mães a darem café, aos seus rebentos. Olhem, não foi uma nem duas nem talvez três vezes; foram mais que muitas que constatei darem este néctar, ou estimulante, às crianças, na pastelaria onde usualmente eu tomo o meu cafezito.
E bebem o seu garotinho, (julgo ser com leite. Deus que me acuda e me guarde de ser bica ou italiana!),  e, por vezes, com a colher ainda rapam o fundo da chávena para absorver o açúcar.
E depois, digam que ele é... e tal e coiso... hiperativo e encham o sistema de ritalina.
Ora esta!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Eu acreditava

Detesto sentar-me em cadeiras quentes, ou seja, em cadeiras onde alguém acabe de se levantar; e hoje estava esperando um lugar para sentar-me a ler o livro (que está a engonhar a engonhar), assim que vagou uma corro arrasto tudo à minha frente, pois não queria perder o lugar, e assim que me sento  levanto-me como se tivesse uma mola presa no rabo. É que...

A cadeira fervia! O homem que esteve lá sentado deve ser uma brasa, um barrote quente!
Detesto mesmo, fico logo com taquicardia. E começo a relembrar que antigamente dizia-se que não era conveniente sentar-se logo de seguida no lugar que tivesse sido usado por um homem para não... engravidar. Como se isso fosse possível! Mas nós acreditávamos.
Coisas parvas que se metia na cabeça das adolescentes! Mais valia preencher a cabeça com a veracidade da vida do que com tabus.

Se tu visses o que eu vi

Mas que vendaval anda por aqui no meu rural!
As folhas voam, as saias também, a roupa no estendal. Ainda há pouco fui à rua dizer adeus ao mês senhor e à Pulga - a maiveilha e se não me aguentasse (às orelhas, pomo se diz) ia pelo ar.

E depois, há as folhas da árvore da casa do vizinho que voam e caem...olhem, onde não deviam cair, prontes: no meu quintal; e quem tem de "barrer", quem? Exactamente, esta que vos escreve.
Mas pergunto: as folhas são da árvore dele não deveria ser a sua senhora (dele, claro!) a vir "intequi" trazer a "bassoura" e a pá...oh, pah!...se árvore é dele, as folhas também são, né ce pá? Ou por caírem no meu quintal já mudam de dono? É que se assim for espero que caiam muitas notas!
Mas a bem dizer "aquase" que ia pelo ar com uma tal rabanada de vento. Ah, e se não aparecer nas próximas vinte e quatro horas é que fui mesmo!
Tenho dito.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Mas agente sonha com cada shite!

Ai credo, quase que nem dormia de tanto sonhar, posso até afirmar que sobrevoei o sono. Sonhei que me tinham arrancado os dentes. E não é que acordei ca boca aberta? E cus joelhos a bater um no outro como se tivesse sentada na cadeira do dentista! E a primeira coisa que fiz foi levar a mão a ver se eles, os dentes, ainda lá estavam?
É que foi tão real caté transpirei que parecia um rio a correr naquele vale que fica entre os montes, sabem, não sabem? Ou tenho de fazer um desenho no pitchioneri?
Um rio de águas salgadas, coisa estranha!

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Fim de semana, pois então!

E tal...
É fim de semana, e coiso... diz que sim, e vira e que trambulha, a vida são dois dias, e o fim de semana também; por isso aproveitemo-lo ao máximo, arranquemos-lhe o baço, chupemos -lhe o tutano, espremamos até sangrar, mas nunca por um momento deixemos de viver cada minuto dele, e ...
Sejamos felizes, desalmadamente felizes.
Bom fim de semana, pois então!
Holanda, devem estar a pensar ao olhar a fotografia. Não. Tulipas há aos montes em Londres em Portobello Road Market.

Fotografia:Londres, 5 de Março, 2011

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Assim na terra como no céu


- Avó quando eu for grande tu já vais estar no céu. - Afirma a Pulguinha, a de quatro anos cheios de vida e espevitada comum raio, ao mesmo tempo que abana a cabeça e mordisca uma torrada, sem olhar dignamente para mim.
Mas que puxão de orelhas me apetecia dar-lhe! Daqueles bem puxados, retorcidos, esticados! Mas contive-me, não fosse ficar marcado e ter de justificar junto das autoridades superiores.

Mas será que esta peste quer que eu bata as botas, já? Será que me quer ver esticada com as mãos para o céu e os pés unidos? Será que lhe faço peso? Mas penso que não, ela é que se deita em cima de mim quando vamos para a cama.
A torrada até fez bola no estômago!
Mas depois...

Fiquei contente (e porque não?) e espero estar aqui alguns longos anos porque a minha sorte, vamos lá, é que esta peste tem propensão para ser baixinha (aliás, é como eu a chamo); e se assim continuar, certamente,  vai crescer mas não vai ser muito grande. 
E eu, avó extremosa dedicada, vou continuar a dar-lhe umas crocadas bem no alto da cabeça para não crescer muito. 
Ora o que se há-de ouvir da boca de um "inção"!