Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sábado, 15 de novembro de 2014

Mas que rica ideia!

A minha neta de seis anos, a Baixinha como eu a chamo, tem um humor fora do vulgar e umas ideias um tanto ou quanto espatafúrdias. Ainda há pouco numa conversa sobre carta de condução dizia-me ela.
"Quando eu for grande não vou tirar carta de condução".
"Mas porque razão" -  perguntei eu.
"Ora, avó, eu roubo uma carta de condução de alguém e colo a minha fotografia".

1 comentário:

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...