Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Acho que a minha vesícula rebentou-se

Ando com amargos de boca, com maus fígados e a respingar bílis por todo o sítio, como um aspersor.
Deve ser da vesícula, deve!

Antigamente dizia-se...

...placa quando nos referíamos aos dentes postiços. Agora diz-se prótese.
Mas há, ainda, quem não saiba. Mazeu, prefiro dizer cremalheira. É mais fofinho...

Aquele cachorro do meu vizinho!

Não pára de ladrar. Todo o santo dia tenho de ouvir a ladrada do grade. Será sede? Será fome? Será por estar amarrado à corrente? Só que, incomoda.
Eu tenho dois grades, mas estão treinados para não ladrarem por qualquer motivo. Estão bem alimentados, têm água e não estão acorrentados. Ah, já sei, o do meu vizinho tem inveja. Só pode!

Pensamento meu: Gente sem palavra. Não tolero

Não há pior defeito que o de faltar à palavra dada, ao compromisso assumido. Gente sem palavra não é de confiança. Intolerável, quem num dia diz que sim e no outro diz que não, dando o dito por não dito. E compromete-se, brinca com as pessoas deixam-nas dependuradas, fogem ao comprometido, adiando a resposta, quiçá, por  mesquinhez.
Palavra? Que é isso? Nan, hoje em dia não se pode confiar na palavra das pessoas. Desculpem, estou a generalizar...mas cada vez mais me convenço que sou otária e como tal ajo de acordo com o correcto.. Porque no mundo em que vivemos os otários são os cumpridores, os respeitadores, os outros são os chico-espertos...

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Estou rodeada de gente falsa

E não digo mais nada a não ser isto:  "O diabo que os carregue que eu não tenho forças" e mantenham-se longe de mim é que, não sou responsável pelo que possa advir.
Gentinha mais sonsa!

O casamento do Bisalho...

...Foi há três anos e, foi o dia em que o entreguei a outra mulher. E chorei...chorei.
Chorei, também, por ter sido este dia (29 de Setembro) o escolhido para a boda. A minha mãe ficaria muito feliz se estivesse estre nós. É o dia dos seus anos.
Parabéns, mãe. Parabéns Bisalho e Projecto-nora.

Não sei se diga...

...Que estou com uma moleza em mim! Prontes, não sei guardar segredos.

Não vou com a tua cara

Desculpa? Pera lá o meu, mas por acaso eu pedi-te para levares a minha cara a passear? Ou a minha cara convidou-te para sair?  Atão não precisas de ir com a minha cara. Tasse entendidos? Muitos tem quiús.

domingo, 28 de setembro de 2014

A próxima que me faças ponho-te no olho da rua

Atão não é que ele arranhou-me toda?
Chamei-o para comer, fingiu que não ouviu. Insisti. Voltei a chamar e novamente fez orelhas de mercador. Colocou-se à minha frente em riste, eriçado, como que a pedir justificações. Com calma, como se quer, aproximei-me com receio dos seus maus humores matinais, sim, ele detesta falar logo de manhã (e eu tenho que aturar isto tenho?)
Ora, com calma mais que a que tinha, cheguei-me ao pé dele, apontando para o prato, fazendo-o ver que não valia a pena estar irritado a mostrar-me os dentes e....
Com um golpe certeiro agarrei-o pelo pescoço. Maldita a hora em que tive a ideia!
Num ápice volta-se para trás e crava-me a cremalheira, toda, na minha mão, mais as garras das quatro patas que ainda não haviam sido cortadas. Quiçá, julgando ser um bom bife não largava. E rosnava. Esperneou, rodopiou e voou. Sim, que a dor era tanta que o deitei a voar.
Rás parta este gato tigrado com apenas dois meses mas burro que nem um camelo. E arisco!

sábado, 27 de setembro de 2014

Digo e afirmo: as crianças precisam de brincar

Depois de um dia na brincadeira, desde as nove da manhã, melhor dizendo, só intervalando para comer, sim, que estas Pulgas precisam do alimento para a boca como de brincar, para estravasar todo dia. Ora, como dizia, elas brincaram todo o dia, e não é que, às dez e meia digo que eram horas de dormir para amanhã poderem brincar novamente desde o nascer ao pôr do sol e sou brindada com uma choradeira, amuos e gritaria que: "ainda é cedo" , "queríamos brincar mais" , "foi pouco tempo", " és uma chata" (esta foi a gasguita da Baixina, língua solta como a avó), e "não brincámos nada" com os dois braços abertos como se fosse um santo-cristo e... meus senhores, foi um dilúvio de lágrimas.
E eu que ainda há dias dizia que as crianças precisam de brincar! Elas precisam de brincar e muito pois que para elas é sempre pouco.
Neste mometo, ouve-se o silêncio. E as Pulgas dormem com os olhos inchados.
Sou relezinhas, não sou?

"Possao apaichonarse"

Li esta frase num comentário e, palavra de honra, deu-me ganas de saltar ao pescoço de quem a escreveu.
E, logo a mim que me salta a brotoeja e dá-me cá uma coceira no céu da boca.
Não é um erro grave.  É esdrúxulo, e para que "possao apichonarse" (ou possam apaixonar-se) é necessário escrever correctamente. Imagino as mensagens enviadas para a pessoa amada.
Já disse que hoje ganho o prémio para a miss Mau Feitio?

Miss Mau Feitio

Hoje, da forma que estou estrangulo o primeiro que me pergunte: Porquê? Por que razão estás com pêlo nei ventas?
Nem se atrevam!

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Preciso urgentemente...

...De descanso. E também de pernas e cabeça em boas condições. Já tentei no Olx, mas não há nada novo. Alguém tem um par de pernas, uma cabeça e uns miolos frescos para vender?
Antecipadamente...agradecida.

Porque brincar é preciso

Eu, avó de três, sei o quanto as crianças precisam de brincar. Todos os dias quando as Pulgas chegam da escola vêm esfomeadas de brincadeiras. Sobem a correr as escadas e, nem sabem por onde começar. Se ver televisão, se andar de bicicleta ou se brincar com os seus brinquedos.
Todos os dias o mê Gu-gu queixa-se que não brinca na escola que o recreio é pouco, que quer brincar e, se coincide estar lá quando sai da sala, fica aborrecido por que ainda não brincou.
Por isto, sou de opinião que as crianças não devem ter a agenda cheia com actividades extra-escolares. Porque estar em casa com a família é importante, tão importante como aprender valores. Entre eles o bem essencial, o maior de todos: Família/Lar.
Qual de nós, adultos, não gosta de chegar a casa e simplesmente descansar? As crianças precisam também de descanso.

Acordei de olhos abertos. Isso é um bom presságio

Vamilhá a ver se a boa disposição e os olhos abertos - sinal que estou viva e recomenda-se, se mantem até à noite ou se ainda mato alguém antes do adormecer por me ter tirado este sorriso - o 69 (o da alegria) da cara.
Bom dia, minhas amigas e amigos.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Boa mãe ou má mulher?

Divino. Leiam, meus amores, mulheres da minha vida e mães de filhos pequenos. E lembrem-se: todas nós mulheres-mães passamos por esta fase. Só que vocês estão neste momento. Eu, e as mulheres da minha idade agora estamos no tempo de rever as emoções.
E só me lembrei da minha filha -mãe das Pulgas porque hoje foi um dia assim.
Todo o artigo aqui


"Estou a ficar louca! Estou a tentar fazer o jantar, eles não param de me chamar para pedir coisas e eles são três e eu sou só uma, e nem sequer consegui trocar a porcaria da lâmpada naquele candeeiro ridículo da casa de banho!
Foi assim que eu cumprimentei o meu marido, ontem, quando entrou em casa. Sem um sorriso. Obviamente sem um beijo, mas de qualquer forma eu nem sequer tinha tomado banho, por isso ele até aproveitou para fugir com o rabo à seringa.
Era eu no meu pior. E foi assim que ele foi recebido em casa. Com uns disparates sobre lâmpadas estúpidas e difíceis de colocar, e alguns palavrões. Talvez seja só uma fase. Talvez seja só o resultado dos primeiros anos dos filhos. Talvez um dia que consiga ler um livro, escrever, pensar, ir ao ginásio eu consiga ter energia suficiente para estar sempre bem-disposta quando o meu marido está em casa. Talvez eu consiga parar de andar aos gritos por causa da luz da casa de banho e consiga vestir uma roupa gira e sem nódoas, pelo menos de vez em quando. Nós merecemos os dois isso. Merecemos à séria."

A chica-esperta

A chica-esperta é a mulher do senhor doutor, a chica-esperta tem uma neta na escola onde também estão as minhas Pulgas. A chica-esperta também vai buscar a neta à escola à mesma hora em que vou.
A chica-esperta acha que, por ser a mulher do senhor doutor médico, que por sinal é meu primo, tem livre trânsito.
A chica-esperta pede à irmã que barra a entrada às pessoas ao recinto onde as crianças se encontram em actividade curricular para passar. A chica-esperta pede à madre que a deixe passar para ir à sala porque a menina não tem guarda-chuva. A irmã diz à chica-esperta que não pode e que os meninos já vêm. Que aguarde.
De repente...
Uma pequena birra entre dois alunos e a irmã sai do seu posto de controle e vai dasapartar as crianças. Chica-esperta olha para um lado, olha para outro, e por lá abaixo corre.
A irmã, quando se dá conta do chico-espertismo da chica-esperta...já era tarde demais.
Ai chica chica do cachené quem te viu antes e quem te vê...

Ciganos repetentes todos numa turma só

Mais uma polémica na educação. Em Tomar há uma turma composta só por repetentes de etnia cigana.
Eu, que já leccionei turmas com alunos desta etnia sei o quanto é difícil, não porque não aprendem, mas porque faltam muito (daí a retenção). Faltam porque vão vender materiais pra a feira, faltam porque há um casamento, faltam porque foram tomar o pequeno-almoço ao MacDonalds, faltam sem motivo e, livre-se aquela ou aquele docente de fazer perguntas que recebe uma entrada de rompante de toda a comunidade. São portugueses vivem num estado de direito, mas eles próprios segregam-se metidos em leis e convenções que nós não entendemos. A começar pelo casamento, a acabar na instrução: as mulheres concluem o primeiro ciclo e nada mais.
A mim não me incomoda a integração de alunos de diferentres credos numa turma, mas trabalhar com ciganos é necessário uma boa dose de assertividade. Daí que, acreddito que esta turma deve ter um docente preparado e colocado estratégicamente para este fim.

Sem cuecas seria pior

- Avó, depressa, tapa-me os olhos  - pede-me a Baixinha, a minha neta e seis anos, quando sentadas uma ao lado da outra, víamos os desenhos animados na televisão, depois do lanche.
- E porquê? - pergunto-lhe ao mesmo tempo que lhe ponho a mão em cima dos olhos, obedecendo.
- Tá ali um homem de cuecas.
- Onde? - pergunto e procuro com os olhos o tal homem de cuecas.
- Na televisão!
 E, desata a rir, ao mesmo tempo que coloca as mãos na boca para reprimir o riso.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

É preciso meter requerimento?

Oiça lá, oh senhor São Pedro, que, certamente, é o responsável pelas chuvadas que caem do céu, será que pode fazer um intervalo entre as três e trinta e quatro e trinta da tarde? Será pedir muito que por essa hora não chova, é que, passo a expor o assunto, essa é a hora em que esta avó de três Pulgas, sai de casa para ir apanhá-las à escola e tem de levar dois regedores, ou guarda-chuvas, melhor dizendo, e estacionar, e descer e subir, e agarra um, outro foge, agarra dois e um já deslargou, quando consegue agarrar os três, salvo seja, a chuva continua a cair impiedosa e, esta avó fica num pinto molhado.
Será mecessário fazer um ofício-circular ou um desenho chega? Atão cá vai o da Pulga - a maiveilha.

Esta é a minha cara

E por isso ando sempre em mudanças. Eu sei que o blogue é a cara de quem escreve, vai daí,  mexilhona ou "fossona" como só eu sei ser, ando sempre a mudar.  É como vedes, novamente um cabeçalho diferente. Também porque esta foto representa um momento digno de ser mostrado.

A primeira do dia tem de ser forte, não é?

Refiro-me à refeição. Por isso sai uma bomba de café numa caneca extra grande. E forte, muito mesmo. Só assim me dá força para encetar as actividades diárias em grande. Bom dia a quem aqui está.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

O melhor do meu dia


Quando a paixão acaba

Estava eu apaixonada e decidida a encetar uma relação, e dei uns passos à frente para me certificar que era uma boa escolha, quando por motivos alheios a mim, a paixão e a vida a dois terá de esperar. Não foi por culpa dele, não senhora, foi o raio do mulherio que não pode ver uma coisa boa e pensa logo que tem de ter. Eu também pensei da mesma forma, pois que, tenho um e quero, ando louca por outro. Bem sei que é velho, passado à história, e mais: já foi de outra, mas caramba, era usado, a outra deu-lhe deu-lhe bom uso e adquiriu experiência, é bom,tem-me servido, é um produto referenciado, e já demos tantas voltas na cama mais que um molhe de roupa na máquina de lavar, mas o outro....
Quero o outro: novo, lindo, mais fino, mais alto...com posições que este que tenho não faz, e só isso dá-me uma vontade de tê-lo.
A paixão não acabou, está amortecida esperando que venha do estrangeiro.
Mas o amor continua vivo. Não quero mais este, quero o outro, nem que para isso tenha de esperar. Mas "hades" ser meu.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Meu amor, meu amor!

 Ser chamada de "meu amor, meu amor" ali pela hora do almoço é tão bom! E, foi um rapazinho, a coisa mailhindeinha de sua avó!
Depois de me ter feito passar uma vergonha, com uma birra à porta da escola, no último dia da semana passada, eis que, chega a casa e, vendo-me sentada de perna cruzada à espera dele, e, como já passou o fim de semana, certamente que o assunto está esquecido, sobe as escadas a correr, salta por cima do sofá pela rectaguarda, empoleira-se no meu pescoço e estrangula-me.
"Avó-avó, meu amor meu amor!"
Depois, da mesma forma que veio da mesma forma que foi...preparar outra tropelia. E, mê senhor que vinha atrás dele, aproveitou a onda e repetiu o que o neto lhe ensinara. Bem-bom!

domingo, 21 de setembro de 2014

Completamente apaixonada por ele

Estupidamente apaixonada, vá lá... Quem me manda ser assim?
Mas aplica-se ao meu estado de alma depois de tocar, mexer, apalpar e babar em cima deste telemóvel, e foi preciso o mê senhor, puxar-me para fora da loja. Que paixão, Mê Dês, tem tudo o que uma mulher quer!

sábado, 20 de setembro de 2014

Pensamemto meu tão profundo

É estúpido, eu sei, mas achei tanta graça porque quando estou no trono mato aquele que se aproxima de mim. Por isso, é amor...só pode!

Hoje, sinto-me com sorte

Isso é um bom presságio. Espero que não me venha a arrepender de se saber disto pelos quatros cantos do mundo. E só me apetece fazer o salto mortal encarpado à rectaguarda com dupla cambalhota. Há dias assim não há?
Bom fim de semana, pois então!

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

TPC,s ainda mais a propósito

É realmente um tema controverso. Chegou-se a uma altura em que os pais não querem é chatices e por isso não há pachorra para sentar o traseiro com os filhos e rever a matéria dada. Há sim, muita pachorra para levá-los ao Ballet, ao Esgrima, à viola e, acima de tudo ao futebol. Sim, que o ideal de muitos pais é que os filhos sejam um Ronaldo. E, claro, tem de haver tempo para os treinos do desporto federado em detrimento do estudo. Já ouvi pais se lamentarem que a professora é uma chata que manda montes de trabalhos e o menino quase fica sem tempo para os treinos do tenis. Eu, língua solta como tenho, respondo que, poderá ser um óptimo tenista mas burro como uma ovelha.
Por aqui, nesta casa, quiçá por sermos docentes, as crianças fazem os trabalhinhos que a professora manda e mais alguns, se necessário. E sim, sou a favor dos TPC,s com moderação.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Os TPC,s

Tenho lido muito acerca desta temática, e teço a minha opinião pois que, durante todo o tempo em que leccionei, sempre mandei trabalhos para casa.
Convençam-se pais, há que criar métodos de estudo e para que isso aconteça é motivar os educandos para a necessidade de rever a matéria dada. Não digo com isto que se deva entupir as crianças com "mais do mesmo" em casa, mas creiam, não custa nada seguirem e estudarem com as suas crias a matéria que foi dada na escola, eles sentir-se-ão mais estimulados e felizes por poderem transmitir e explicar aquilo que aprenderam na escola. Eu sei que há professores que "abusam" nos TPC,s mas não há como expor o assunto na reunião de pais e chegar a um consenso.
Há uma panóplia de trabalhos domésticos a executar depois do trabalho na empresa, mas nem que seja quando descascam a mistura para o jantar sentem a criança na banca da cozinha e ementes descascam as semilhinhas (o mesmo que batatas) para a sopa ponham um olho na panela outro no TPC. Não faculte a resposta ensine-o a pensar. Ele, no futuro, será grato por isso.
Lembre-se, a mochila deve arejar em casa. Por isso abra-a, tire os livros, folhei-os, faça perguntas, observe se há trabalhos por concluir, questione a razão, se necessário, Atente também aos recados escritos pelo professor. Mantenha uma relação cordial com o profesor do seu filho.
TPC,s um horror, um bicho de sete cabeças, uma dor de cabeça para alguns pais.

Madeirense puro

Que é como quem diz: apanha o papel do chão. Também se usa para amealhar dinheiro. "Eu vou ajuntar dinheiro pa mercar um tilhefone".

Workshop: Segredo para um casamento feliz

E ainda não consegui tirar o sorriso da cara só por me lembrar da cara do noivo.

Percebe-se logo

Assim que começa o ano lectivo reina o silêncio, lá na rua onde moro. É que as crianças da vizinhança faziam uma algazarra logo ao sol raiar. Só que elas - as crianças continuam barulhentas, é um factor inerente à sua idade, e desde ontem essa algarviada deslocou-se, sim, para as escolas que frequentam, dando assim um descanso à cabeça das mães e das vizinhas (neste caso, esta rapariga que, durante trinta e dois anos seis meses e doze dias levou com esse barulho), e, atolando as cabeças dos professores. Mas que aqui está um silêncio lá isso é verdade! Ou, mas esperem...será que eu é que não oiço porque ainda não coloquei os aparelhos auditivos e é o meu subconsciente a trabalhar ou está mesmo um silêncio de morte?

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Minha cara-metade


Estou mais ou menos assim

A todos os meninos, docentes, pais e restante comunidade aguardem que o Natal está quase. E até lá vivamos um dia de cada vez.
Aos colegas da minha idade que, por variadas razões ainda não se aposentaram, eu sei que é difícil estar a mostrar as rugas e o corpo decadente em frente a uma turma e, ter o papel de educador nesta etapa da vida, a minha solidariedade e vão com calma. Eu, também sentir-me-ia assim como a professora da imagem.
Um bom ano lectivo a todos.

Cardeal e cocaína?

Há cada uma que eu, rapariga modesta, fica até constrangida de ler.
Atão não é que numa operação STOP o carro de um cardeal argentino foi apanhado com uma modesta (como eu) quantidade de cocaína, assim uns quatro quilitos que dava para matar o vício a muitos?
Bem, o carrinho pertencia a um cardeal com 91 anos que pediu ao seu secretario para levar a viatura à revisão.
 O secretário confiou-o a dois homens que resolveram dar um pequeno passeio até à Espanha e vai daí pensaram "ora este carro é sagrado, porque não levar uns quilitos de droga, que se torna sagrada por estar num carro sagrado e salvaguardado pelo Espírito Santo daqui de Leon até Itália? E lá foram à conta de Deus!
Só que os polícias, esses ingratos, descobriram ao fazerem operação stop. Chatice, pah!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

As pérolas do Pelé

Pelé disse e passo a escrever que:" se fosse negro não se incomodaria de ser chamado de macaco."
Uá raio! Mas então é base que ele põe na cara?
Ora, leia...


Pérolas

Se há quem adore pérolas essa pessoa sou eu. E, estas, têm um valor incalculável. Eram da minha mãe.
Se é moda ou não, pouco me importa, mas assim que visto algo cor de pérola a tendência é ir ao colar e colocá-las aos pescoço. E, claro, lembro-me da minha mãe.
Há alguém que não tenha um colar de pérolas?

Pai finge que cozinha bebé numa panela

Atitude tão sádica teve um pai da Arábia Saudita que colocou o seu filho recém- nascido dentro de uma panela juntamente com legumes em cima de uma botija de gás, mexendo e dizendo que aquela é a refeição para o jantar. Mais parva a atitude, ainda, quando decidiu gravar e estúpida a ideia de colocar o vídeo na internet.
Ora vejam.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Banho público

E, hoje, segunda-feira, foi um óptimo dia para um banho público, principalmente, para aqueles que sairam de casa sem guarda-chuva. Como dizia o meu Gugu estarrecido a olhar para a quantidade de água que caía do céu: "avó, parece uma cascata."

Violetta e Pulgas


As Pulgas, certamente, gostariam de ir ao concerto da Violetta mas, é que, acrescentando o dinheiro do bilhete ao da passagem, estadia, comida e algumas compras é assim a modos que um balúrdio ir da Madeira a Lisboa para ver, se conseguir, devido à quantidade de povedo que já comprou o bilhete, a bendita da Violetta.
Ai, se elas sequer sonham que a dita rapariga por quem se colocam em frente à televisão para assistir à novela vem cá a Portugal, certamente, haveriam de querer ir...
Ainda bem que as Pulgas nem sabem! E, por mim, vão continuar sem saber!
E depois, esta que vos escreve, ainda há dias veio atestada de adereços da Violetta para as Pulgas: a maiveilha e a baixinha e montes de Homem Aranha para o mê Gugu.

Mais valia estar calada

Minha neta - a Baixinha, seis anos bem vividos, sentada a ver televisão, ao mesmo tempo aproveita para limpar o nariz.
Pergunto-lhe se está a limpar as salas de cinema, responde-me que sim, sem tirar o dedo, e acrescenta: ..." e já tenho dois lugares reservados, um p'ra ti outro para o avô."
Ora toma, avoGi para não te meteres com esta.

sábado, 13 de setembro de 2014

Começa com uma massagem

No dia de anos do mê Gugu, a Pulga - a maiveilha disse-lhe: " hoje, como é o teu dia de anos, faço tudo o que tu quiseres".
Sai-se ele de resposta pronta na ponta da língua. "Oquei, dá-me, então, uma massagem nos pés". E, de pé esticado para ela, pôs-se pronto para o favor.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Tiras de pota

Comprei....(sim....que dar o Continente não dá) tiras de pota e agora ando aqui a pesquisar por esta blogoslândia dentro como fazer uma refeição simples, que sim, não quero nada com camarões, caranguejos, e nomes que nunca pronunciei, por isso,  como para fazer uma coisa simples as receitas quevi são emaranhadas com ingredientes complicados, vai avançar a receita recorrente do costume, a modos que, vai à moda da avoGi que não é cá uma rapariga que consiga seguir uma receita à risca.
Mas se houver alguém que seja um aficcionado nesta área, não hesite e dirija-se a estas bandas para execurar um belo prato de potas.
Vou já destrancar a porta jaste ine queise...

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Mas só a mim

Atão não é que uma gaveta da cómoda caiu do sítio e eu, rapariga sensata, coloquei as mãos por baixo e a perna direita também para amortecer a queda?
E não é que a dita cuja gaveta caiu sem dó nem piedade em cima da canela e das mãos?
Se podia ter sido evitada esta tragédia? Claro que sim, mas agora não estaria aqui com um saco de gelo na perna e nas mãos. Se sou afoita e faço tudo à pressa? Sim, claro. Mas que posso eu fazer? Burra velha não muda hábitos!

Cansada, eu?

Diz a Pulga -a maiveilha que estava cansada, quando subia as escadas depois de ter ido buscar as fichas para executar.
- Cansada? De quê? - pergunto-lhe eu, sentada de perna esticada a jogar Candy Crush esperando por ela para a tradicional ajuda.
- Ora, de subir as escadas a correr. - diz, deitando o fôlego pela boca fora.
- Olha, também estou cansada! - digo, em solidariedade.
- De jogar. Só se for...

Ando irritada

Apetece-me partir a loiça toda e depois a tábua de engomar, o ferro e jogar as roupas pela janela fora. Além disso, de tão irritada que estou, apetece-me partir o cabo da vassoura no lombo de alguém. E tudo porquê? Sabem? Não sabem? É que eu também não sei. Só sei que o pico de roupa sobe e a pachorra desce. E isto irrita-me.
Vou mazé espairecer, esticar a canela ao lado das minhas Pulgas, a ver se a fico ainda mais despachorrenta.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

E foi há cinco anos que nasceu o Gugu

É verdade. Este meu Pulgo faz hoje cinco, está num crescido; e não pára de nos surpreender com as suas ideias e manifestações de carinho.
É um amor. Parabéns mê Gugu.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

De salto alto

E os sapatos da avó do século passado, de repente, as Pulgas tiraram o mofo e o bolor. E é vê-las de sapato alto, qual modelo de renome, a passear pela casa da avó. É um tic -tac tremendo pelas escadas acima e abaixo, pelo soalho que até o mê senhor, homem dado a enxaquecas, já se queixou do desmesurado tic-tac e chinelanços pela casa toda.
Mas só assim para rever os meus sapatos de salto alto, direi melhor de salto bem alto nos pés. Delas, que até tentei, mas não sei porque razão os meus pés, outrora de cinderela, de repente, cresceram como se me tivesse trasnformado num bruxa e, por mais que tentasse não entravam.
Os pés crescem com a idade, é isso?

sábado, 6 de setembro de 2014

Porque hoje é Sabado

Comecemos com um copo de vinho, de bom vinho, melhor dizendo que fez as delícias cá da escriba, do seu senhor, da madame-nora e, claro, do Bisalho que a muito custo tirou a mão da garrafa.
Bom fim de semana, pois então!

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Voltei sim, mas mais arisca

Arisca porquê, logo tu que até ferves pouco num copo de água fria, porquê? Peguntar-me-ão vocezes que me conhecem. E, eu, que respondo, mal ou bem, a tudo o que me perguntam respondo com uma pergunta: " vocezes gostam de levar no rabinho todos os dias desde que começaram os cortes e a crise se instalou?
 É que, o meu rabichol está vermelho de tanto levar tau-tau. E, pelos ouvidos e pelos vistos, parece que não está previsto acabar de levar no ...
E querem que eu não esteja arisca, azeda, reles e com os bofes vermelhos saindo pela boca fora a sangrar fel, hã? Não há cu que aguente tamanha tareia! Vão mazé pá Angola pentear macacos carecas, cambada de violadores!