Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 31 de março de 2015

É ouvir, calar e obedecer

- Avó, já jantaste? - pergunta a Pulga - a Maiveilha, quando ontem, à noite, chegou para dormir. Disse que não.
- E já fizeste o jantar, pelo menos?! - novamente disse que não.
- Atão o que fazes, sentada, agarrada ao telemóvel?
Lá língua afiada tem ela.

5 comentários:

  1. Só estava a olhar pela tua saúde ahahah os miúdos têm cada saída.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Se têm!!!
    Afinadíssima...e bateu saudade da meninice dos meus que já são "trintões"!
    Um dia bem gostoso!

    ResponderEliminar
  3. Já chega colocando ordem rs...

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  4. Já lá viram que até a formiga tem catarro?? :)))

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...