Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Cabra?

-  Avó, a mãe é cabra! - diz a Pulga, a Maiveilha na hora do almoço. Engoli em seco, caramba, ouvir isto da boca duma criança referindo-se à mãe, uma p' ssoa até fica encabeçada. - Avó, e tu o que és?
Ai, Jesus, piorou, esta agora!, se a mãe é cabra eu serei, supostamente, um ....
Recuso-me a pensar. Olhei bem no olho da gasguita e ela, arregalada por ver-me arregalada, diz:
-Avó, é aquilo dos signos! A mãe é cabra qual é o teu? - até suspirei de alívio. E bati no peito...e sentei-me a respirar fundo.

2 comentários:

  1. Estou a tentar imaginar a tua cara de pânico!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Se ela fosse minha filha diria "A minha mãe é um porca e tu?" hehehe

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...