Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Sem resposta

Estava eu "nuínha só com um véu", mentira tinhas as cuecas vestidas, quando reparo que Pulga - a Maiveilha olha mirando bem com um franzir de sobrolho e cara de repugnância para o meu corpo de viola portuguesa, hummmm, é mais harpa, mas enfim...Pergunto qual a admiração, ao olhar para a minha barriga com lombas e valetas e digo-lhe que, quando tiver a minha idade, certamente, terá gordura na barriga e nas ancas, por isso não faça aquela cara de "mete nojo".
Pois avó, também vou ter as mamas descaídas. Como tu.
Eu ainda olhei a confirmar...

4 comentários:

  1. Eles têm com cada uma...Adoro essas saídas assim inocentes :)

    ResponderEliminar
  2. ahahahahhahaahhaah .. AvoGi gosto imenso das suas saidas ! Tem um sentido de humor fantastico !
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. EHEH!!!
    Ainda bem que falta muito tempo!_ pensou a pequenita.

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...