Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Obrigada, é bom saber que não sou maluca!

Ide ler o artigo e depois digam calquer coisa.
Logo eu que falo com Moi-Même todo o dia! E ela responde, o que é o pior grau de maluqueira. Vou já dizer a Moi-Même - aquela empregada que tenho desde há muito e que é uma mula teimosa - que neste momento está de perna esticada no canapé ao invés de fazer as lides domésticas para ler.
Ai entrai (aqui) e aliviem-se aqueles que como eu falam sozinhos.
Não sou maluca, não sou maluca, afinal sou um génio. Coisa maibaua de se saber!
Até a afta bucal deixou de doer.

2 comentários:

  1. Quem nunca teve uma intensa discussão consigo mesmo que atire a primeira pedra :))
    Beijinhos, bfds

    ResponderEliminar
  2. Olha que bom saber isso! Eu também falo muito comigo!

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...