Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

As voltas que a vida dá

As voltas que eu dei hoje só para satisfazer uma pessoa.
Primeiro pede dióspiros, assim como se eu fosse a reencarnação de uma vida passada a dar estes frutos; depois lembra-se de pedir anonas, quivis, papaias, goiabas, assim como se eu tivesse uma barraca ou uma pequena superfície comercial.
Atão eu e Moi-Même deitámos pernas à rua e "foice" procurar as frutas. Moi-Même inda resmungou, como sempre faz a biteche e disse que, quiçá pode não haver dióspiros...e não é que ela - Moi-Même acertou como se estivesse a jogar no jogo do bicho e desse o cavalo em vez do porco?
Dióspiros....pois dióspiros... aquela fruta do demo que me faz saltar de um para outro ramo, perdão super, até descobrir quatro, senhores, quatro já meio moles e maduros como o diacho!
Agora jazo aqui à espera c' as unhas sequem para vestir a roupa nova c'o pai natal deu. Mentira foi mê senhor.


4 comentários:

  1. Boas saídas, melhores entradas, votos de um Maravilhoso 2016!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Coitada rapariga deves estar cansadita:) Não gosto de dióspiros ao contrário da minha mãe que adora:)

    Boas entradas e tudo de bom para ti e todos os teus.

    Beijos

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...