Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Eis aqui a fotografia daquele amor

E perguntam vocês, meus aqueles e aquelas que me visitam: ainda falas nisso? Mas eu prometi, lembrai-vos? Eu prometi que assim que o galo m'acordasse ia eu a caminho do céu tirar a fotografia do dito.
E como se diz em madeirense: "eilhos", em cima, a encabeçar o poste. Os tais amores de Burro planta daninha que se prega à roupa.

2 comentários:

  1. Avo Gi aqui no Brasil chamamos de ''carrapicho'', uma das muitas especies existentes dessas que grudam na gente, mesmo que a gente não queira!!! Bjucas

    ResponderEliminar
  2. Afinal meu pensamento estava certo!
    Por aqui também há uns belos malandrões!
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...