Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Poupe água, ela não cai do céu

Eis a prova de que não é bem assim...
Ela cai do céu ali para os lados da Madalena do Mar. É lindo, não? E tem dupla função: lava o carro e a alma!

4 comentários:

  1. E, pelo que tenho visto e lido, tem caído do céu em abundância em Portugal.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Adorava passar aí e passei vezes e vezes sem conta.

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...