Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

A Pulga faz anos. É dia de cantar os parabéns a ela

Há onze anos, numa segunda-feira, pelas oito e oito da manhã nascia a minha Pulga - a Maiveilha.
Assim que nasceu veio logo para os meus braços, a partir desse momento os nossos braços andam sempre entrelaçados.
Uma pré-adolescente com manias de adulta, que julga saber tudo e, por isso, não aceita ser contrariada. A vida encarregar-se-à de lhe demonstrar que também é saudável aceitar outras opiniões e nem sempre temos razão. Faz-nos crescer com objectivos, dando segurança às nossas escolhas.
Parabéns minha Pulga.

6 comentários:

  1. Conheço bem esses plátanos centenários e essa calçada machiqueira ;)
    Parabéns à Pulguinha mai velha! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico sempre vaidosa quando conhecem o meu rural. Esta foto foi de sábado passado. Ah, e adoro Machico
      Kis:=}

      Eliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...