Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Pergunta do dia, esta para queijinho...

Imaginem esta cena: avô no sótão da casa; Baixinha - a neta de oito anos - no quintal, por baixo, ele joga o atilho...prontes, o barbante com um gancho na ponta, ela mete o gancho na asa do garrafão, ele puxa um de cada vez os cinco garrafões para guardar no sótão.
Ela coloca a mão na anca assim a modos que peixeira do Bolhão quando termina o trabalho com o avô, e pergunta:
- Avô, para que queres tu essa tralha toda guardada no sótão?!

A bem dizer, só os homens e mulheres do meu tempo é que são gardadeiros (que guardam tudo, como se diz em Câmara de Lobos, zona piscatória da Madeira).
E digo: até um ferro de engomar que já faleceu há três anos está "gardado", não sei se à espera do dia do Juízo Final...
Mas, digam-me, vocês também guardam em vez de deitar no lixo?

15 comentários:

  1. O marido tem esse hábito. De vez em quando eu dou uma volta e deito fora ou mando para a reciclagem se for caso disso.
    Um abraço e um bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. El irá, deve ser "coisa de maridos"
      Kis :=}

      Eliminar
  2. Se tiverem algum valor sentimental guardo, caso contrário deito fora, ou, dependendo do que for e do estado em que estiver, dou

    r: Também não é das fadistas que mais aprecio, mas gosto de algumas músicas dela :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Se fosse eu ao avô assim,
    educadamente, lhe respondia
    lixo no lixo, coisa velha sim
    porque já não tem mais serventia!

    Resto de bom domingo!

    ResponderEliminar
  4. Eu gardava tudo !
    Mas agora já nã posso...

    ResponderEliminar
  5. De vez em quando faço uma verdadeira limpeza e aí vai tudo para o lixo sem dó nem piedade.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  6. Por causa dessa mania de guardar tudo é que tenho o sótão cheio de tralha!
    Agora, deixei-me disso, o que já não tiver serventia vai tudo para a reciclagem.
    O pior é a tal tralha acumulada durante anos e anos. Arcas, brinquedos dos filhos, que já foram dos netos, caixas com livros ( estes vão sempre ficando, claro, ) sapatos do tempo da maria-cachucha, eu sei lá!
    Quero ver quando chegar a hora dos herdeiros tomarem conta disto tudo...eles que se desenrasquem. Eu não tenho nem vontade nem força para andar escada abaixo e acima...a deitar tralha para o lixo. :)

    Kisses, AvoGi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita, engraçado que tb penso assim: os meus filhos que se desenrasquem que eu já não tenho pachorra para isso de andar nas limpezas...
      Eu quero é descanso e passeios
      Kis :=}

      Eliminar
  7. Tenho muitas antiguidades e velharias.
    Mas a maior parte, se não tem valor, afectivo ou material, vai direitinho para o lixo.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
  8. Quando tive de desfazer a casa da minha mãe, havia coisas guardadas ainda vindas de Angola. Dei a quem quis o que estava bom e o que não estava deitei nos respectivos contentores do lixo. Sou conhecida na família por me desfazer das coisas facilmente e só tenho o que necessito e uso:)

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
  9. Ir guardando
    e deitar fora
    deixa-nos algum espaço ao que se adora...

    Beijinhos de aqui da Covilhã
    e uma feliz semana ~_``

    ResponderEliminar
  10. O meu avô tinha um passatempo peculiar. Guardava de cada cerveja belga diferente que bebi na sua vida uma garrafinha no sótão. Cervejas de quais algumas já existem antes a coberta da Madeira . Assim juntou mais que mil garrafas, nenhuma Heineken holandesa ou a excelente cerveja Coral.Não ,não só belgas .
    Então , quardamos sempre tralha sem valor no sotão . Nem pensa disso.Porque mil garrafinhas vezes o empenho é uma fortuna.
    p.s : Não há um Belga que não levantará a cabeça orgulhosa com um sorriso no rosto ao falar sobre as suas cervejas nacionais.
    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Avogi, acho que o que nos incentiva a guardar certas coisas, é o espaço que temos para fazer tal coisa, se temos pouco espaço, começamos a averiguar o que merece ser guardado e o que pode ser deitado fora, como moro em um ''apertamento'' kkkkk, não tenho habito de guardar nada a não ser na memoria ainda assim so o que me deixa feliz!!!!

    ResponderEliminar
  12. Deitar tudo no lixo porque deixou de ter utilidade é coisa pós-produção em massa. E é um conceito inventado por interesses financeiros, que mais não faz do que poluir o mundo em que vivemos com assustadoras quantidades de lixo que demora séculos a ser reciclado!!!

    Não, não acho que ter hábitos «antigos» seja mau. Muito pelo contrário. Também não é preciso desatar a comprar tudo e mais alguma coisa que depois não se precisa. Isso ajuda a juntar muita coisa e, claro, por isso dizem que a «velha» tem de ser «deitada fora». Eu prefiro um eletrodoméstico antigo a funcionar que um moderno. Os antigos foram feitos para cumprirem a função e durarem uma vida. Os de hoje seguem os parâmetros comerciais. De quanto são as garantias de um aparelho? Um, dois anos??

    AO menos não contribuis em excesso para a poluição do planeta.

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...