Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Tesos e forretas

Estava um bêbedo à porta da padaria com uma moeda de cinquenta cêntimos na mão. Falava mas ninguém lhe dava ouvidos. Mas que aspecto ele tinha! Sem dentes e com um cheiro que demonstrava que a água tinha passado ao lado. Também não choveu...
Esticava a mão a cada pessoa que passava. Ninguém lhe dava ouvidos!
Eu não percebi nada do que ele dizia quiçá por causa dos dentes ou da falta deles.
- Forretas. Não têm dinheiro. Andam todos tesos. Forretas. Vão....E continuava a frase com impropérios.
De repente irrompe pela padaria dentro a aborrecer quem lá estava. Mas sempre com a mão esticada mostrando os cinquenta cêntimos. Veio uma funcionária, nada meiga, agarra pelo bracinho dele e porta fora, mas com tanta força que o pobre do coitado do bêbedo tropeçava a cada passo.
Afinal o hôme só queria trocar os 50 cêntimos. As aparências iludem...

6 comentários:

  1. Esta é a resposta à sua pergunta, lá no Blog, Nasci no Alentejo.

    O corracho é feito de cortiça,
    do sobreiro-chaparro tirada
    para o alentejano beber água
    tirada na fonte sem preguiça!

    Aparências iludem,
    pois, não mentira não
    se os tesos não bulem
    quem é que bule então?

    Sem dentes e bêbado,
    era a força do carrascão
    não o deixava ficar quedo
    com 50 cêntimos na mão.

    Alegre pobreza,
    do pobre iludido
    votando na nobreza
    que lhe recusa abrigo!

    Tenha uma boa tarde Avoginha!

    ResponderEliminar
  2. Iludem e de que maneira!

    r: Obrigada :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Não percebi onde reside a ilusão. Não deixou de estar bêbado, de dizer impropérios, de ter a mão estendida com a moeda. Eu o julgaria pedinte, talvez. Estes também gostam de receber troco. E para que queria ele trocado de 50 centimos numa padaria? Para comprar um pao não era porque se o tivesse comprado, recebia o troco. Só se encontra vinho a um preço ainda mais baixo, ahahaha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ilusão não existe Portuguesinha, simplesmente todos nós o tomamos por uma situação e afinal era bem mais simples. Ele de mão estendida parecia querer mais dinheiro, como costumam fazer. Afinal pretendia troco.
      Não deixou de estar bêbedo e mal-cheiroso.
      Kis :=}

      Eliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...