Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 2 de julho de 2017

Ai domingo! Ai destino! Ai corpo partido!

E a calmaria "estalou-se" (como diria um aluno meu se estivesse aqui a escrever) ...
Hoje, avó e Pulgas jazem a lastro nos canapés da sala, em cima do tapete ou no chão extremo... Ontem foi noite grande.
Começámos por ver Zambujo, sentado numa cadeira, soltando acordes que aprecio mas Pulgas não. Ao fim de cinco minutos se pudessem mandavam o Zambujo cantar o "bailhinho" ou a Mula da Cooperativa para poderem dar largas às canelas. Mas não, Zambujo continuou nas suas melodias independentemente se se gosta ou não, e já Pulgas pediam para ir ver o C4 Pedro que é, por assim dizer, mais a onda delas.

Depois de escarreirarem pela Avenida do Mar e ementes Zambujo não cantava "o pica do sete" esta aqui foi entoando as canções, mas assim que "O pica" chegou trouxe a Maiveilha para cantar, e os outros continuavam nas carreiras.

Rápido para o carro e C4 esperáva-nos em Câmara de Lobos.
Só que não! Ele ainda estava no camarim a fazer as trancas (piadinha foleira) e a atar os atacadores das sapatilhas e demorou. Avança então uma fartura para ajeitar o estômago. Sim que o jantar já estava assim a modos que pronto a desfazer-se.
Pela meia noite entrou em palco. A partir daí foi a loucura, já nada foi como dantes! A pica "estalou-se" e toca a kizombar até às duas da manhã.
Rásparta este tipo de música que nos faz mexer sem querer e afugenta o sono dos olhos. E eram braços no ar, pernas a saltar, cabeça a rodopiar, ancas a bambolear. Só sei que não preciso de ir à aula de ginástica no próximo mês para poder juntar todos os cacos do meu corpo e colá-los. Estou assim a modos que partida!

15 comentários:

  1. Adoro o Zambujo. Mas também Kizomba. Os ritmos africanos põem-me doida a mexer mesmo tendo dois pés esquerdos.
    Um abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  2. Ah ah ah, isso é que foi uma noite a valer! :) Beijinhos e boa recuperação. :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  3. É mesmo impossível ficar-se parado.
    Bom descanso :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Ai domingo ai domingo,
    não te vás embora de mim
    porquanto mais te estimo
    AvoGi, não fiques assim!

    ResponderEliminar
  5. Que boa onda!

    Não parar é onde está o segredo :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Adoro Zambujo e nunca o vi ao vivo e a cores! Gosto de uma boa kizombada!
    Bj

    ResponderEliminar
  7. Já te estou a imaginar a Kizombar, acho que é só estilo e que fazes o teu papel muito bem. Escusado será dizer que adoro o Zambujo.

    Kiss Gi

    ResponderEliminar
  8. E viva a alegria
    noite ou dia
    que eu apanhei uma "Pirua"
    e há que recuperar
    de assim sabermos ser e andar... ~_`````

    Beijinhos de aqui da Serra.

    ResponderEliminar
  9. Via a alegria!
    O resto passa depressa.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
  10. Ahahah estou a ver que por aí não impera o descanso! =)
    São férias, agitação.. o verão no coração =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Mas abanar o capacete sabe sempre bem!
    Só para o mês que vem, irei ter assim uns programas nocturnos semelhantes...
    Também aprecio imenso o Zambujo!
    Bjs! Boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...