quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Já alguma vez ouviram-me dizer isso?

Atão façam o favor de se sentar numa poltrona almofadada que vou dizer algo de semenas importancia.
Detesto esta hora de inverno, ouviram? Detesto ter as luzes acesas às seis e trinta da tarde; detesto esta soneira que me dá aí pelas sete e detesto a sorna que tem este corpo, tudo, mas tudo, devido à mudança da hora.

Chupa-me essa cana!

E, não leiam o título muito rápido, não me responsabilizo pelo que sai ...
Eu adorava chupar...

A minha vida resume-se a isto

Alimentar cães e gatos mesmo ainda antes de alimentar o meu corpo. Agora vou ali matinar...

quarta-feira, 29 de Outubro de 2014

Uma novidade

Vou voltar a pintar as unhas dos pés.
Já as tinha preparado para o outono, mas ao ter os pés a transpirar devido ao calor vou dar uso às sandálias.
Prontes, era só isto.

E agora o que fazer?

Como resolver este assunto. Está um na prisão, com pena de doze anos, e um cá fora que diz que matou a pessoa pelo qual está um a cumprir a pena.
E acrescenta que matou duas. Mas que sarilho!

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Odeio esta gente

Iraniana enforcada por ter morto o seu violador. Uma facada. (Somente uma? Presa por uma presapor muitas.)
Ela tinha dezanove quando foi violada. Esteve presa e foi condenada à forca. Aos vinte e seis anos. Dizem que o julgamento não foi justo. Pudera! Num país onde as mulheres não têm voz como poderia defender-se?
Povo que trata a mulher como um objecto, onde a mulher não tem direitos só obrigações. Povo de homens religiosos onde só eles são pessoas. Abomino todo o tipo de fundamentalismo.
Chamava-se Reyhaneh Jabbari foi enforcada na madrugada de sábado. 

Não sei o que fazer

Partiram-me a caneca de meio litro na qual eu bebia o meu café matinal e agora tenho de injectar o líquido numa chávena bem pequena, quiçá, de um decilitro e, a bem dizer, não me dá jeito nenhum.
Isto de não ter a tal com a qual eu partilho as novidades do dia dá-me uma grande vontade de esgaçar quem a partiu.
E dizer, ariu!

Viaje com segurança na Transavia

Estando eu, já com o bilhete na mão e na fila da porta de embarque sou surpreendida com esta frase que arrepia até aqueles que enfrentam o medo: " Por problemas técnicos o voo está suspenso".
Sentei-me logo quando a funcionária dirigiu-se à rua onde já estavam as primeiras pessoas para atravessar a pista e dirigir-se ao aparelho e convida-as a voltar para dentro.
Borburinho, dúvidas, medos, e conversas ao telefone aliados a uma mistura de sentimentos entre todos os passageiros que olhavam uns para os outros à procura de esclarecimentos.
Até que vem a justificação. "O avião estava muito pesado e só podia levar 35 pessoas sem bagagem". E nós eramos oitenta.
E agora pasmem-se com aquilo que foi acrescentado. "A pista é pequena para tanto peso e o comandante tem receio de aterrar..."
Bem, aqui é que eu desisti de voar naquele domingo!

domingo, 26 de Outubro de 2014

Uma chinesa por um euro e setenta é, bué, caro.

Caro, estapor! Refiro-me à meia de leite que, no meu rural se chama chinesa e, não me perguntem porquê, porque não sei responder, mas, adiante que o avião está mesmo ali e eu ainda aqui a escrever...
Uma meia de leite e, digo assim pois que, ainda estou em solo continental, custou-me 1,70€.
Ora bolas, senhores, com esta quantia ia ao super e comprava uma saqueta de café, um pacote de leite, um copo de plástico...colher não preciso pois não uso açucar e com a águaquente da casa de banho fazia uma chinesa.
Careiros estes estapilhas do "orioporto".
E mais, por este preço a colher devia ser de metal e não de plástico. Ora esta coisa! Eu é que fiquei com os olhos em bico.

sábado, 25 de Outubro de 2014

Em Braga...

Vou bracarando por aí, queimando calorias...e comendo bolas de Berlim com recheio de maracujá.

E eu aqui a pensar...

Quando soube que o euro milhões estava em Portugal não sei porquê, mas pensei que podia, em última hipótese, ser meu.
Não é que eu precise de tanto dinheiro, mas havia de dar cabo dele.
Mas, saber que o Estado, sem jogar, lhe saiu também o euro milhões. Ladrões do estapor!
Caramba, era isso que eu queria, ter essa sorte., sem ter de me preocupar de deitar o bilhete todas as quintas feiras E já agora será que não me vão malhar mais, uma vez que, já têm 38 milhões? 

sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

O quê? Imposto sobre as dormidas?

Atão quer dizer que agora até se vai pagar para dormir? Quer dizer que este governo tinha de arranjar um imposto para nos manter acordados?

Muita gente doente


Do lugar onde me encontro vejo mulheres com botas altas de pelo, camisolas de manga comprida, gabardine e cachecol. Estão doentes, só pode, pois que, com 29 graus apetece estar de topes e sem mangas. Aliás, eu, mulher que não trouxe roupa adequada a este calor, teve, obrigatoriamente, que se dirigir ao Primomarque mais próximo e adquirir umas pecinhas de roupa.
São estas, as desafiadoras que fazem a dança do inverno.

Ironia

Ronaldo o homem que tem as bolas (de ouro) no sítio. E são duas. O que sobra a ele falta ao outro. O outro é um homem sem bolas!

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

No final de Outubro verão...

...que o tempo vai mudar. Verão que este calor não é do verão, verão que o verão ainda há-de vir. Verão nesta altura não é surreal e verão gente a bufar de calor por causa do verão, mas verão como é tão bom gostar de verão e até vão entender porque eu, rapariga de meia idade, amo o verão. Lá mais para o final quando chover a potes e invernar verão então a falta que faz o verão. E verão que afinal era melhor ser sempre verão.
Euq nasci no inverno, mas sou mulher para agarrar o verão em todas as estações. Verão que verão em qualquer altura é sempre bem-vindo.
Verão sempre verão...

Só dúvidas, esta minha vida, só dúvidas!

Estou aqui a tentar me decidir sobre qual o meio de transporte utilizar, se o comboio se o autocarro. Já excluí o barco pois que não há transbordo do Douro para o Cávado. Esta minha vida é cheia de dúvidas. E dívidas, também.

Mas, afinal em que é que ficamos? É que eu já não sei...

...Se me delicie com uma taça de gelado com três bolas e montes de natas com pepitas de amendoim, passas e nozes se um cone feito de diário com umas belas castanhas assadas.
A dúvida, meu pipol, está em escolher entre um cone e uma taça. Mas é Outono, não é? Esclarecida. Mas a dúvida continua...

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

EDP

Mas é que adoro mesmo quando me põem em casa à espera do serviço e depois não aparecem. Estão a brincar  comigo? Não pago já o suficiente para ser respeitada? Tenho idade para brincar, é isso? Se é, então brinquemos "aos escondidos",  "à pilhagem" ou ainda "à matança" e não ao "vou-dar-te-uma-seca-à-espera-e-depois-não-vamos-a-casa"...
EDP um serviço sem igual.
Aliás, igual (o serviço) em todo o Portugal desde norte a sul passando pelas ilhas...

Numa saída à noite o que fazer?

Ora bem, o que não fazer sei eu.
Duas amigas já entradotes ou quarentonas melhor dizendo, combinam uma saída nocturna, num sábado quente, quiçá numa esperança de caça ao homem. Boca pintada de vermelho escalarte, risco delineador dos lábios, preto, assim a modos que teatral para aumentar o pouco lábio existente, saia curta (há panos de pó maiores), blusa decotada preta, também, transparente vislumbrando-se o interior, com reuzidas alças para slientar o colar de prata com corações e berloques, cabelo oxigenado com poupa alta uma e a outra com uma franja de meter medo aos olhos. Sentam-se numa esplanada à beira-mar, ouvindo as ondas a bater nas rochas. Copo de vinho tinto meio cheio ou meio vazio, depenende da perspectiva, telemóvel entre os dedos com unhas grandes de fazer inveja às águias e....
Sentadas lado a lado cada qual agarrada ao telemóvel, quiçá, colocando as fotos do momento e cada uma metida consigo mesma à janela o mundo sem ligar à amiga ao lado.
E, assim, estiveram durante todo o tempo em que eu, mê senhor, cunhado, cunhadas e sobrinhas estivemos no mesmo bar...a falar de tudo sem olhar ao estapilha do telemóvel que jazia dentro da bolsa.
Que rica saída à noite...com o telemóvel porque a amiga foi somente porque os pais não a deixam sair sozinha.