Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".
Mostrar mensagens com a etiqueta Eu e os meus dilemas. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Eu e os meus dilemas. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 2 de março de 2017

Já vai em quinze dias e nada

Tomei uma resolução e vou tentar seguir à risca.
Meteu-se na cabeça reduzir os quilos de trago alojados nas nádegas, na cintura, na barriga, nos ombros...
Adiante...
É mais ou menos assim: sou rapariga de ideias fixas e se me mete uma coisa na cabeça dou a volta ao mundo mas tenho de a concretizar. Agora é esta, daqui a dias pode ser outra, enfim... Quero tirar estas lombas e valetas que possuo.
Atão, eu, de ideias fixas, escrevi num grande cartaz uma frase e colei-a com fita-cola atrás da porta. E cada dia quando acordo, leio a frase e fico tão feliz porque...
"Amanhã começo a dieta, hoje não".
E dou um pulinho de contente. "Ah, é amanhã! Não é hoje!" Digo satisfeita.
Já há mais de quinze dias que leio ainda não emagreci, mas já sei dar pulinhos.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

E depois há aqueles fins de semana

Aqueles que não sabes que para que lado te viras de tantos convites. É pra jantar, almoçar, penicar...
E, caramba, por que razão só me convidam para comer? Porque não me convidam para correr, mesmo que fosse antes de comer? É só para ingerir calorias. É farinheiras, alheiras, chouriço e bacon. É queijos da  serra, de meia serra, é amanteigados, salgados e afins...
Uai (inglês)? Não sabem que estou de dieta, não? Não se lembram que prometi não comer enchidos? Certamennte, já notaram que fecho os olhos quando do me deparo com umas entradas de arregalar o olho...
Ah, entendo, querem que eu só faça companhia, é isso? Pois, desenganem-se. Eu vou e vou encher o pandulho que é o mesmo que comer à fartazana...
Ou não me chame eu Avogi. Ver e não comer...Consigo lá eu!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Se sou feliz com ele para quê me separar?

Não consigo, desculpem, porque sou bué teimosa, por mais que me obriguem, não me separo dele. Foi uma união para a vida.
Estarei sempre em desacordo com acordo. De água e cal a deitar nas paredes, a fumegar pelas orelhas se fôr obrigada a escrever sem acentos...
Que escrevam segundo o acordo não me importuna, mas eu não consigo.

Mas há um problema é que, por vezes, ajudo as Minhas Pulgas nos trabalhos a efectuar em casa. Há dias dei por mim a ler teto (têto) em vez de teto (této). Ora a Maiveilha que tem onze anos desatou a rir com a pronúncia da palavra. E eu a dizer que estava escrito "têto" que para ser "této" teria de ter um c antes do t, para abrir a vogal. A rapariga do dêmo olhava fixamente para mim com aqueles olhos lindos cor de azeitona verde.
Até que lembrei-me que neste momento não posso remar contra o acordo para não fazer confusão na cabeça da canalha, mas estarei sempre casada com o português sem acordo. E, se sou feliz com ele para quê me separar?

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Estou farta desta situação

Farta, fartinha de fungar, assoar, lacrimejar e acima de tudo respirar pela boca.
 Maldigo a hora em que aceitei levar a vacina da gripe. Estou à espera de ir à médica para lhe dizer que VaCIna da GRIPE nunca mais. Não vou ter dúvidas em dizer não...
Farta de me sentir fraca, sem préstimo para nada...
Penso que já derramei pelo nariz mais água do que a que corre nesta ribeira...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Dúvidas que me tiram o sono

Mê senhor ofereceu-me uma raspadinha. "Raspa" diz ele. Eu, mulher submissa, obedeci logo ao seu pedido.
Caramba, tem prémio e vou às carreiras à loja da esquina levantar o prémio.

Quando chego...
"Ah, e então, o dinheiro?"
"Dinheiro? Qual dinheiro?" Digo eu. É meu...
"Ah, podias dar-me, fui eu que comprei." responde.
Desculpa?! Deste-me o cartão. O prémio é meu. Quanto muito dou-te o euro que foi quanto gastaste - ripostei.
- Ah, mas fui eu quem escolheu e comprou.
- Tens razão, mas ofereceste-me. Não tenho nada a dar...

E agora!? De quem é o prémio!? Uma dúvida me assola! Dou? Não dou? Ganhou o "não dou".
Não lhe digam nada, por favor, fica o segredo entre nós, mas na próxima digo-lhe que não teve prémio. Não é assim que se faz?

domingo, 5 de fevereiro de 2017

A propósito de esposa...

Esposa é família?

Uma dúvida que m'atormenta. Há quem diga que sim outros dizem que não, pois não partilha o mesmo sangue nem o apelido.
Esposa é aquela com quem o homem constitui família.

Quanto a mim família partilha o mesmo sangue. E, seguramente, a mistura do sangue de duas famílias, um homem e uma mulher que se juntam, origina uma nova família.
Por isso volto a perguntar: esposa é família?

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Mimos precisam-se

Hoje foi dia de cuidar de mim, sim queridos se eu não me cuidar quem fará esse trabalho?
Atão entrei no cabeleireiro pelas catorze saí às vinte. Mas digo, em boa verdade vos digo: nem me reconheço! Ainda estive a pensar: vou não vou? Ganhou o vou. E fui.

E foi descoloração parcial e foi madeixas cinzas castanhas e foi preto para contrastar o branco, olhem meus darlingues, estou derreada, mas feliz. E na próxima quarta já está agendado um banho na raíz do cabelo. Foram setenta euros mas o que é isso para mim, jovem aposentada da função pública com uma pensão fraca?
Eu mereço, caramba, se há quem mereça uma mudança radical sou eu por isso cheguei-me à frente.
Eu até podia aprantar aqui a foto, mas não, a não ser que me peçam e mesmo assim ainda vai a conselho de ministros.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

E perguntam vocês o que tenho a dizer sobre o assunto

Ora bem, deixa-me cá ver se arranjo uma boa desculpa para esta ausência de dez meses. (Chiça, caramba! Nem me dei conta do tempo!)
Tenho viajado. Certo? Tenho brincado mais e jogado...aquele Candy Crush, jogo do demo daí que o blogue ficou a um canto. E pensava: recomeço ou não?!?
Moi-Même, aquela bicha danada da minha empregada coreana, enchia-me a cabeça de ideias, eu refutava-as todas, dizendo" tu namatentes com isso"! Mas ela não parava de m' atormentar!... E foi ficando o bichinho....E Moi-Même que não se cansava de dizer para recomeçar...
Mas sabem, não tinha uma ponta de saudade...
tMas agora "ou vai ou racha"...E tanta coisa se passou ementes eu hibernava!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

É difícil recomeçar

Seja em que situação for o recomeço custa um pouco, até mesmo na vida virtual. Refiro-me ao blogue. Parece que não é meu. Tenho a sensação que estou a escrever em algo que não me pertence. Eu que tinha está vida tão entranhada em mim agora só to-me como se fosse colocada aqui num sítio estranho. Imagino que os casais que se separam sentem-se exactamente como eu. Pegar em algo nosso e tentar de novo.
Mas vou superar sta sensação de intrusa num espaço que é meu e que em tempo amei mais do que tudo no mundo.
Tempo, preciso de tempo para me habituar.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

E isso quer dizer o quê?

Sonhei com aspiradores. Estava a escolher de entre tantos um adequado para casa. Isto significa o quê? Que o meu subconsciente sabe que hoje é sexta, dia de limpezas!? O que ele não sabe é que todos os dias luto (com ele) para não me lembrar cenas e trabalhos a executar. O que ele não sabe é que já fiz o que ainda não tinha feito embora não inclua aspirações. Por isso meu subconsciente aquieta-te que como se dizia antigamente "o que é para ti os ratos não roem" e, agora, pára de me lembrar que ainda não aspirei a casa. Pára, já! É uma ordem não há lugar a negociação!
"Dilhemas", como se diz em bom madeirense, cheia de " dilhemas" esta minha vida!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Às vezes penso qual será a melhor maneira de morrer

Embora fique assente aqui neste pedaço de céu que toda a gente lê, não é bem "toda a gente" mas é meio mundo que eu, AvoGi Bettencourt da Silveira Mortágua e Passos de Coelho Costa não quero morrer e quando isso acontecer vou contrariada, com uma cara de poucos amigos e com o esgar 48, aquele de raiva, na minha linda face rosada mas, por vezes, estes pensamentos saltam-me da cabeça. E porquê estes pensamentos a ferver devem estar a pensar vocês meus e minhas...
Ora porque eu assim que me deito ferro no sono e pode cair pedras, podem tocar bateria acompanhada de tampas de panela bem ao meu lado que não há forma de acordar. Atão pensei que realmente a melhor maneira de partir, já que tenho de partir arrastada pela Morte embora contrariada, é a dormir. Assim a modos que acordar morta lá nas bandas de cima.
Ai queredo, Zazuze, estes pensamentos matam-me! E logo eu que "não quero morrer nem morta".
Trágico!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O que me mete mais nojo é ter amigos destes

Ora minhas e meus amigos que aqui entram, tenho uma pergunta para vos fazer.
Digam o que mete mais nojo, que seja caso para franzir a testa e com aquela cara de "mete nojo" dizer que repugna e, pegar nela como se fosse um escarro verde: uma mola do cabelo em cima de uma mesa ou os tapetes do chão em cima de sofás colocados lá para varrer o chão?
É que, a pessoa que me disse para tirar a mola de cima da mesa que lhe metia nojo é a mesma que coloca os tapetes em cima dos sofás, e atravessa a cidade com um saco de fezes acabadas de fazer para deitar num balde de lixo.
Acontece-me cada uma!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Virgens, deixam de ser virgens!

Atão não dá que agora temos treze signos em vez de doze?
Pois não sabiam. Agora já sabem e o novo situa-se antes de sagitário e chama-se Sepentário. Eu, como sagitariana, mulher fiel, fico no mesmo. Continuo sagitariana. Agora os  carneiros, num de repente passam a peixes...
O pior é para os meus aqueles e as minhas aquelas que fizeram uma tatuagem do seu signo na nádega esquerda, agora vão ter de fazer uma nova na nádega direita.
Cada loucura! Até os signos?!
E sabem, quando a minha filha nasceu a família ofereceu uma medalha em ouro com o signo carneiro, e agora?, prontus, vou derreter e mandar fazer uns peixes.
O pior são as virgens! De repente deixam de ser!

domingo, 24 de janeiro de 2016

E vocês, já fizeram a boa acção de hoje?

Eu ainda não.
Estou a modos que sem paciência para fazer o que quer que seja. Ai está moleza do caracol....
Até parece que vivo no Porto Santo!
Não sei se vá ou se não vá. Só "dilhemas" esta minha vida, só "dilemas"...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Sento-me e sinto-me aliviada. Tiraram-me um peso das costas

Uma "amiga" do feicebook ofendeu-me durante uns tempos, nada se passou com ela mas, a relação de amizade que eu tinha com os pais dela simplenamente acabou, por cenas, atitudes e comportamentos que não são admissíveis em pessoas ditas "amigas". Ela, por ser filha do casal, achou de defender os seus, sabendo só e tomando conhecimento das cenas passadas pela parte deles, portanto, só ouviu, se assim se pode dizer, uma parte e tomou logo partido.
O feicebook era o lugar comum onde me ofendia sendo as Minhas Pulgas, o mote de escárnio, como se elas tivessem algo a ver com o que se passou. Eram frases, fotografias, tudo com uma baixeza de atitudes, mas também, conhecendo, agora, os seus progenitores como os conheço, acredito que tem a quem sair.
Mas continuámos " amigas" no feice e porque não?, não é por isso que se estraga uma amizade. Ela agiu de forma incorrecta, é certo, mas, para ficar a bem os pais tomou a iniciativa de partir para a ofensa barata e sem conteúdo com alguém que sempre a defendeu quando os seus pais diziam cobras e lagartos da sua própria filha, numa época em que não se falavam. Mas é assim, não é!?
Ontem bloqueou-me. Agora sim estou serena, sei contudo e seguramente que da parte dela não verei mais nada no feice a me ofender.
Obrigada, amiga, estimei. Agora posso abrir o feicebook sem ser bombardeada com palavras e atitudes que tornam um ser humano abjecto. Fica bem

domingo, 17 de janeiro de 2016

Digam-me só uma coisinha!

É, a modos que, uma dúvida que m'atormenta!
Ora aqui vai disto...Quando vocês por um motivo qualquer que para aqui pouco importa, deixam de se relacionar com alguém, chegando ao ponto de cortar com a relação, cortam também com os membros da família ou esses ficam isentos do corte?
É que, pelo que me apercebi há pessoas que deixam de falar com todos os membros da família, quando cortam o elo de amizade com um.
É assim?
É, sem dúvida, uma dúvida que m' assola o espírito.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Estou num dilema

Aliás é mais que isso, poderia dizer num decilema, uma vez que são dez os candidatos à Presidência da República, um leque tão diversificado de nomes, profissões, idades e ando aqui à espera que surja o ideal. Tipo el rei Dom Sebastião-o Desejado.
Não sei em quem votar, quiçá a mistura de todos, desse o perfeito mas, para isso, teria de os meter todos no liquidificador e aproveitar o que de lá saísse.
Ingrato, não?

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Saiam da frente se faz favor!

Estou com um humor de cão, nada pode tirar este irritamento que tenho em todo o corpo. Hoje estou a modos que "para o diabo me levar" de tanta raiva. Por isso saíam da frente que vou começar a ser agressiva, vai a soco e pontapé, logo eu que sou lave pice ande rapinesse (em inglês, pelise).
Uma raiva poderosa que se alastra minuto após minuto e sempre que olho para a rua.
Atão não é que hoje, aqui, neste pedaço de céu, chove facas e canivetes? E vocês, minhas darlingues, sabem do meu (mau) relacionamento com a estúpida da chuva. Esta parva cai do céu sem um esteio pelo meio. E o meu (mau) humor aumenta consoante a carga d' água que cai das nuvens.
Rásparta, como detesto chuva! E nevoeiro e frio!
Dilemas de quem se acostumou a viver ao sol e assim que vê uma gota de chuva fica possessa como o demo.
Mas isto não fica assim! Ai não não...Vai piorar...o mau humor e a chuva!