Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 28 de maio de 2009

A cantar em Pulgarês

olare...laré..iu

Tês dadinhas a tantá
tão u tanto tateá
a da tente é a pimeia
totô a outa eu tadeia
tês dadinhas a tantá....

E outra


Tatadaio ôiôu
bita tá iéto
tata ua maumada


papagaio loiro
de bico amarelo (não diz)
quem não está quieto
leva de chinelo (ela diz "leva uma palmada")

Sem comentários:

Enviar um comentário

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...