Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Quem não lhes apertasse o pescoço!

Ora bem, há notícias que me transcendem, esta é uma delas.
Só desejo que as esposas destes senhores juízes leiam a notícia e aprendam e, na próxima lhes apertem o pescoço. Não uma mas várias vezes sem deixar marcas...Lentamente...Sem afectar a sua dignidade...A ver se eles na próxima entendam o papel de vítima!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...