Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Este pai de Pulga...

O pai das Pulgas é muito brincalhão. E gosta de "tirar minha tia a terreiro".
Dizia ela, referindo-se à tal festa de anos da Pulga.
- Amanhã vai haver festa?
- Vai - responde ele .-  Eu faço anos.
- Ah sim.... é de Julho. Não estamos em Julho?
- Sim. Mas faço anos em Março.

2 comentários:

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...