Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Quero ser como tu, mas nem tanto

Quando for velhinha (eu, velhinha!? uóte?) quero ser como tu, avó! - diz a Pulginha, quatro anos cheios de sabedoria.
- Ai sim? - digo eu com a crista no ar e inchada que nem um pavão por a rapariga ter bom gosto e faço aquele sorriso, o 43, de canto a canto, mas que logo desvanece ao concluir a frase...
- Sim, mas sem óculos e se aparelhos nos ouvidos - acrescenta ela.
Eu concluo que de resto fica tudo, a bóia na barriga, as rugas (de expressão  quiçá, por eu ser uma rapariga muito sorridente), os joanetes também podem ficar, a espondilose, a artrose e mais "oses" os bicos de papagaio, isto tudo pode ficar. Digo eu.

15 comentários:

  1. Heheheh, tem mesmo pinta essa pulguita!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Pelo menos não apelida avó de elefanta, como a minha filha me apelidou!

    ResponderEliminar
  3. Essa da elefanta tem imensa piada, MAriposa!
    kis .=)

    ResponderEliminar
  4. Que fôfinha! :)
    Mas a tua neta ainda não sabe o que são essas coisas todas acabadas em "oses"... e felizmente ainda vai demorar muito até poder vir a saber.

    :)

    ResponderEliminar
  5. ahahah, o resto não está à vista :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Há um ano atrás, não vi nenhuma OSE, nem os auricolares !...



    Um beijo

    ResponderEliminar
  7. Olá.
    Adorei passar por aqui e conhecer seu cantinho.
    seu blog é muito bom, parabéns.
    Sempre que possível estarei passando pra ver as novidades.
    Até mais

    ResponderEliminar
  8. Dizem que as crianças falam sempre a verdade, mas nem sempre medem as suas frases.

    Eu tambem queria muita coisas quando era novo, criança.
    Agora apenas peço:
    -Deixem-me viver em paz e deixem de me roubar...na saúde, nas finanças, nos transportes e até na sopa de cada dia pois a caridade tem limites...

    ResponderEliminar
  9. Tão querida. Os miúdos dizem cada coisa mais interessante.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  10. Fica tranquila, porque se tivesses 40, a pulguinha pensaria (e diria) exactamente o mesmo ! eheheh

    ResponderEliminar
  11. Avogi mas isso tudo é dito com muito Amor.
    O mais velho também me diz ....vó tás mesmo velhota e pequenina.
    Bjs :)))))

    ResponderEliminar
  12. Amiga, é bom ter-te de volta. Já tinha saudades.Beijinhos

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...