Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

E ontem vi: "A porta no chão"

 Título original: The Door in the Floor
Realização: Tod Williams
Intérpretes: Jeff Bridges, Kim Basinger, Jon Foster, Mimi Rogers, Bijou Phillips, Elle Fanning
EUA, 2004
 

Já há muito que havia lido o livro e ontem tive oportunidade de televisionar o que há muito estava gravado.
Jeff Bridges e Kim Basinger  dão uma grande consistência aos seus papéis e, aliado à fotografia que é simplesmente fascinante, são os principais trunfos deste filme. 

Sinopse:
" Os segredos mais perigosos são aqueles que temos medo de contar a nós próprios"
O famoso escritor de histórias infantis Ted Coles e a sua bela mulher Marion tinham um casamento perfeito. Mas que começa a desmoronar após uma tragédia, a morte dos dois filhos num acidente. O desânimo de Marion e as consequentes infidelidades de Ted impediram o casal de enfrentar os problemas da relação. Os estímulos vão voltar a estar presentes em Marion quando Ted contrata Eddie para seu assistente pessoal. Eddie faz despertar os mais profundos desejos sexuais que Marion achava perdidos, refazendo a imagem que ela tem de si própria como mãe e como mulher.

8 comentários:

  1. Tenho de ver isso, a sinopse deixou-me curiosa.

    ResponderEliminar
  2. nunca ouvi falar, mas fiquei com curiosidade ;)

    ResponderEliminar
  3. Parece-me interessante!
    E Pelos vistos conseguiu levantar-se do Chão :)
    E em que canal, passou para ver a repetição rsss
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Parece ser muito interessante. Boa dica.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  5. Faz o meu género...
    Obrigada pela dika.
    Beijinhos :))))

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...