Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

"O rapaz do pijama às riscas"

Um filme onde o pano de fundo é o Holocausto. Onde a curiosidade e inocência de uma criança leva a um fim trágico. Onde a lei do homem castiga quem mais ama.
Porque todos os dias a sociedade constrói vedações para separar as pessoas: porque são judeus, porque são ciganos, pobres, homossexuais, lésbicas, porque têm uma deficiência...
Setenta anos apenas uma coisa mudou: as vedações.

4 comentários:

  1. Vi esse filme sobre uma realidade horrível e subscrevo o que dizes. Ninguém aprendeu nada e setenta anos depois...apenas as "vedações".

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. É lamentável, mas tenho que admitir: tens razão! Nada mudou, a não ser a forma de proibir...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. avóGi: sintético e certeiro na conclusão. boa noite!

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...