Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 28 de junho de 2015

Não te metas com ela. Eu avisei-te

Depois de um pequeno-almoço cheio de cereais, leite, café para os adultos, fruta e, assim que a oportunidade surgiu, vestimo-nos para um leve passeio até à padaria do costume a fim de comprar pão, beber uma bica bem forte e ler as notícias.
À saída de casa a Baixinha alertou que, assim que chegasse à padaria ia comer um pãozinho. O avô fez-lhe ver que já tinha tomado o pequeno-almoço.
"Ora, avô, tu também já tomaste café ao pequeno-almoço e vai tomar mais um."
Por isso, meu-zamigos, com esta há que medir as palavras antes de falar.

3 comentários:

  1. As crianças são espertalhonas e muito atentas! Já tem acontecido com a sopa, perguntar porque só eles têm de comer a sopa e nós não.

    ResponderEliminar
  2. Essa baixinha, é um encanto de espevitada.
    Kis e boa semana.
    D.

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...