Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 30 de agosto de 2015

É um erudito

O meu neto de cinco anos -  o mê Gu-gu - é um rapazinho que fala bem, usando as palavras finas - as do domingo e feriado.
Ora, o meu Gu-gu não diz "morreu", "azougou", "finou"... Ele diz somente "faleceu". E aplica-a em todas as situações em que algo deixou de existir.
E eu rio-me sempre que diz que uma planta "faleceu" em vez de murchou.
Vai ser padre ou na pior das hipóteses, político. Tem queda.

3 comentários:

  1. Por acaso têm piada ele usar essa palavra no contexto da planta... eu com a idade dele dizia que foi para o céu... acho que os meus pais tinham medo da palavra morrer ou falecer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É dificil dizer "morrer" principalmente se se referir a pessoas. Mais vale dizer "partir". É um eufemismo muito usado.
      Mas ele usa a palavra certa e ainda há dias me dizia que "o corpo vai para a terra mas a alma vai para o céu".
      Acho tamanha graça estes comentarios vinde de uma criança de cinco anos .
      Kis :=>)

      Eliminar
  2. Que seja um bom político, bem precisamos ;)

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...