Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 25 de outubro de 2015

Estou aqui viva e sadia

Eu sei que venho atrasada, mas caramba, eu sou uma rapariga do rural, ocupada, com família, com Pulgas, com trabalho até dizer ináfe.
Daí que, ontem, foi dia de receber família e amigos (e saibam que a chuva só me aborreceu, porque churrasco não se faz dentro de casa, não é?). E hoje a mana quis ir até à banda do norte ou melhor, até ao Porto Moniz e, vai daí, este meu humilde casebre ficou a modos que abandonado.
Amanhã a mana (de 75 anos) regressa ao sítio de onde veio e eu regresso à rotina.
Abençoada rotina!
Fotografias: Porto Moniz, hoje, domingo

5 comentários:

  1. Por acaso, hoje não a invejo
    Estive à beira Tejo
    (lá onde ele é mais Rio)

    ResponderEliminar
  2. Pelas imagens está-se aí muito bem.
    Boa semana
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Que lugar encantador ,bom regresso ás rotinas :)

    ResponderEliminar
  4. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...