Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Sindroma de Estocolmo

Sou incapaz de gostar de alguém que me maltrate. Não posso ter simpatia por um governo que me roubou. Fui submetida a um desgaste psicológico, a intimidação da parte do agressor. Este governo que agora caíu agrediu-me, por isso, não sei o que virá, mas uma certeza eu tenho: a esperança é a última a morrer. Eu estou com esperança que este dia histórico fique para sempre lembrado como o dia em que "o povo saiu à rua com a alegria que costumava ter"

9 comentários:

  1. Gi... estás enganada... o dia de hoje não foi um 25 de Abril!
    Foi o dia em que os pilares mais básicos da Democracia foram derrubados pela elite política que após eleições livres, num golpe de secretaria, decidiu subverter as regras do jogo.
    Queria tanto acreditar que todo este nº de circo vai ser bom para o país... só que não acredito! :(
    Desejo do fundo do coração poder vir dar-te razão daqui a uns meses ou a uns anos...

    Beijos cépticos e sem alegria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deusa, como disse tenho esperança. Dizes "Democracia"? Para quem? Para os secretários de estado, para os ministros que tiveram carro topo de gama enquanto os portugueses , alguns, tiveram de vender o caro porque não tinham dinheiro para a prestação? Ou aos jovens que foram obrigados a emigrar? Aos aposentados aue durante um ou dois anso foram roubados, como se a solução fosse roubar aos pobres para dar aos ricos? Deusa, não sei o que virá, mas acredito na reconstrução da Democracia.
      Kis :=>)

      Eliminar

    2. Que "os deuses" te ouçam...

      Termino com a cantiga do post anterior... "pra melhor está bem está bem..."

      Beijinhos

      Eliminar
  2. AvoGi.
    Como hoje escrevi, começou um tempo novo na política em Portugal.
    Um tempo em que o partido/coligação mais votado não governa.
    Veremos o que daí vai resultar.
    E como é que três gatos fechados no mesmo saco não andam à pancada.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Este governo trouxe gente triste, gente com sonhos cortados ,gente sem esperança, gente com fome.
    Fizeram de nós, num país cheio de sol, um país de gente cinzenta.
    Mudar, poderá ser um renovar de esperanças
    Kis, D.

    ResponderEliminar
  4. Ainda assim, tenho a fé tão fraquinha...

    ResponderEliminar
  5. AvoGi o que me incomoda nisto tudo é a fraca memoria de alguns portugueses, invocam a democracia mas em 2001 a direita fez precisamente a mesma coisa ao Engº António Guterres, mas com certeza aí não foi um golpe de secretaria, nem o partido que mais foi votado que governou.
    Eu estou como a AvoGi que venham outros, que a cor partidária deles pouco me importa, quero reaver aquilo que me roubaram indecentemente, quero as 35h, e os feriados de volta, pois eu ao contrario dos nossos governantes nunca vivi acima das minhas possibilidades.
    Mas com toda a certeza o parvalhão do PR não dá posse ao governo de esquerda, pois está lá incluído o PCP. O PR odeia o PCP, senão repare condecorou o Carlos do Carmo, não! mas condecorou o costureiro da Maria, foi ao Brasil em visita de estado inaugurar a feira do Livro no Rio de Janeiro falou no nosso prémio Nobel, não!
    Enfim é o país que temos.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dulce, obrigada. Como já disse estou esperançada, eu tb levei no corpo todas as chicotadas dadas aos pensionistas, como se, eles fossem os causadores e ao mesmo tempo a solução. O governo deixou de comprar e viver acima da média? Não. Mas eu sim. Deixei de visitar o meu filho por falta de verbas...e isto mágoa.
      Kis:>}

      Eliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...