Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 6 de dezembro de 2015

Consegui

Ui, parecia que nunca mais acabava está treta de enfeitar a casa para a Festa. E depois, eu gosto de colocar um enfeite em todos os cantinhos.. Comecei com a ajuda das Pulgas e acabei sozinha. Deu-me uma febre alta, um febrão e ementes não acabei não descansei.
E foi o pinheiro, a lapinha, a lareira, e foi o corrimão da escada, a entrada, a saída, a casa de banho, pontes, eu sabia que iam franzir o sobrolho quando falei "casa de banho", mas que querem?, até lá tem um arranjo de natal e é tão agradável estar ali e olhar os berloques.
Mas finalizado o trabalho estou aqui empalamada e cansada c' as aduelas a ranger...

4 comentários:

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...