Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Tudo pronto

Finalmente. Agora é esperar pelo Dia de Natal...
Tudo comprado, tudo embrulhado, sim, c' agora ninguém embrulha nada em loja nenhuma, calha que no super abasteci-me de papel, canão andava aqui a subir paredes por não ter uma grama.
Agora jazo prostrada no canapé sem forças para ir beber um licor de tangerina. E ele ali a olhar para mim. Ingrato!

5 comentários:

  1. O licor devia ir ter contigo :)
    Feliz Natal!

    ResponderEliminar
  2. Pois não é... ninguém que não vai as compras consegue mensurar o cansaço que isso nos causa...
    Mas o prazer de ver tudo pronto compensa!

    ResponderEliminar
  3. Para a próxima, tens que colocar umas rodinhas no fundo da garrafa e uma trela no gargalo! :)
    Feliz Natal! :)

    ResponderEliminar
  4. li cor?
    logo ali
    nem tu vais lá
    nem ele vai a ti!

    que maldade
    que falta de caridade

    ResponderEliminar
  5. Espero que já tenhas a energia para o licor! Tem um belo de um Natal! Por aqui não há embrulhos há já uns anos! Bj

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...