Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sábado, 23 de janeiro de 2016

Estou em retiro

Incontactável. Estou em preparação para a grande Picanha na casa de amigos e em repouso absoluto. Até almocei "mal e porcamente" como se diz no meu rural a guardar o estômago para o jantar.
E se há coisas que gosto é isso mesmo: picanha.
Aquieta-te estômago, pára de resmungar, daqui a pouco já te alimentas. Ca roeza, mê dês!
E segue-se, daqui a dias, uma sopa de trigo feita pelas mãos habilidosas de uma jovem com oitenta anos.
Ainda são Festas, não são?

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Com carne de porco ou cabra, uma delícia
      Kis:>}

      Eliminar
  2. (Não querem lá ver?
    Por aqui só se fala em comer?)

    E, já agora, venha de lá a receita
    porque quem a comenta a muito se ajeita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parecebe boa ideia Rogerio.
      Venha de lá a receita AvoGi !

      Eliminar
    2. Oquei oquei, assim que ameta no bucho peço a receita à senhora de oitenta anos (mas que só tem vinte porque nasceu a 29 de fevereiro e faz anos de quatro en quatro, mas quando comemora é quatro de uma vez)
      Kis:=)

      Eliminar
  3. Não tivesses tu o desgaste que tens com as tuas " pulgas " a comer assim estavas uma baleia.
    Mas cuidado com o colesterol e afins.
    Boa semana.
    Bj. D.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DiDi
      Uma vez sereia sempre sereia nunca baleia. Lol
      Kis:=)

      Eliminar
    2. Boa GiGi sempre pronta e certeira a responderes.
      Um abraço.
      D.

      Eliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...