Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Olha, ouvi dizer...

...que, hoje, é o dia mais triste do ano. É verdade, sim senhora. Já olhei para a conta do banco e ainda não caiu nada lá. Além de ser triste é um dia de tesos, de mal-humorados e ansiosos que caia lá no sítio do costume a dita coisa que faz os ânimos levantar, dá alegrias e faz sorrir.
Eu estou com um humor de cachorro, não por ser o dia depressivo mas por não ter cacau...
Ai como me sabia bem um cacau! Quente, espumoso e docinho!

2 comentários:

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...