Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Poncha de tomate inglês

Este fruto é uma delícia, agora imaginem uma poncha feita com esta maravilha. Delícia reforçada.
Esta que aqui está foi feita por mim, servida nestes copos do meu casamento - por isso têm 38 anos e só saem à rua nas datas festivas.
Estão fora do armário isto quer dizer que houve festa.

7 comentários:

  1. Duas questões
    (às quais pode responder-me depois)

    - como se faz tão bela maravilha
    - o que se festejava com ela

    (off the record: dá piela?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Começo pela última: dá pela se for ingerida muita quantidade. Tem álcool, caramba.

      38 anos de casamento.

      Ora bem, a primeira pergunta...
      Vou fazer um poste com a receita, ttá?
      Kis:=>

      Eliminar
  2. Nunca bebi, não me posso pronunciar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. A próxima vez que aí for havemos de tomar uma.

    ResponderEliminar
  4. Neste novo ano estou a tentar visitar todos os amigos da Verdade Em Poesia afim de lhes desejar um 2016 muito feliz cheio de grandes vitórias e muita saúde e Paz.
    António.
    Ps. Tive de seguir novamente pois estava a seguir sem foto.

    ResponderEliminar
  5. Muitos parabéns! Parece-me muito bem para a comemoração. Beijinho

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...