Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sábado, 6 de fevereiro de 2016

A minha tia é que tinha razão

Há uns tempos tenho me lembrado da minha tia-velha que faleceu há quase cinco anos e que faz-me tanta falta.
Ela e o marido tinham um casamento à maneira antiga, ora o que é um casamento à maneira antiga, perguntam vocês meus amigos, e eu respondo com toda a sinceridade. É um casamento que prima pela longevidade, onde os intervenientes não se falam ou falam muito pouco. O meu tio era um homem reservado, de poucas falas, pouco comunicativo até mesmo para a mulher.
A minha tia dizia que se davam bem e eu, na brincadeira, dizia: "pudera, se vocês pouco ou nada falam!"
Hoje, acho que o segredo de um casamemto duradoiro não é a comunicação mas sim a falta dela. O silêncio. Quanto menos se falar um com o outro menos nos magoamos mutuamente.
Não sei se são as "minhas armonas", ou a falta delas, ou a entrada nos sessenta que me deixa nostálgica!

4 comentários:

  1. Então AvoGi, o que é isso? Anima-te :) Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Olá Avogi,

    Ao ler o seu texto lembrei-me disto que partilhei no meu facebook http://www.facebook.com/felizespt/posts/211596915854192

    Beijinhos,
    Anabela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anabela
      Segui a ligação mas não!pude ler. Diz que só para amigos...
      Gostaria de ler...pede-me amizade, procura
      Gi avogi

      Kis :=)

      Eliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...