Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Na Madeira é assim...

Ainda há dias um casal de turistas andava meio perdido pelas subidas e descidas do Funchal (sim, que eles olham para o mapa e vêem um ponto no oceano pensam quisto é tudo perto), e perguntaram ao mê senhor onde ficava o Jardim Botânico, ora como o mê senhor nao é homem entendido em línguas - é mais em gestos - vai daí convida-os a entrar no jipinho e "ala cardoso" até ao jardim Botânico.
Pelo caminho entabula conversa com eles e diz que na Madeira é tudo up and down up and down acompanhado de gesto de subir e descer, ao que reponde o turista que ia agarrado ao tablier do carro, cheio de medo, na subida íngreme que "não, não é up and down é up up up up.
Riram e, no fim da viagem, uma nota de 20 euros brilhava na mão em modo agradecimento...
O mê senhor, homem pobre mas honrado, não aceitou.
Quando chegou a casa ouviu uma reprimenda daquelas que nunca mais se vai esquecer pois cá se fosse comigo agarrava logo antes que o turista retirasse a mão.

15 comentários:

  1. Chapelada para o marido e essa atitude.
    Nós devemos ser os primeiros a gostar da nossa terra e a mostrá-la a quem a quer visitar.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E em relação aos vinte eritos, hã?
      Kis :=}

      Eliminar
  2. Não me importava nada de voltar a visitar a Madeira!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  3. Muito bom! Já fui à Madeira e adorei!
    Um marido bem simpático que só quis ajudar sem nada em troca.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que sim. E ainda há dias queria fazer o mesmo.
      Até eu faço Tb. É mais fácil ir do que explicar....
      Kis :=}

      Eliminar
  4. Anónima, não acredite em tudo o que escrevo, oquei? Já ouviu falar de humor? E sátira também? Ainda bem. Claro que brinco na última frase (tive de ler para saber qual era)
    Todo o resto é real. Caramba, tenho de explicar tudo?
    Kis :=}

    ResponderEliminar
  5. Bem humorada esta sua forma de narrar. Gosto muito da Madeira.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  6. Da última vez que estive na Madeira também visitei o Jardim Botânico. O guia foi o meu cunhado. Mas essa de arranjar um guia assim, do género voluntário, é fantástico. À falta de nota de Euros vai uma nota de Vinte valores para ele. :)

    ResponderEliminar
  7. Ah!Ah!Ah!
    E pagamento em géneros -tipo , sei lá, uns sapatos -também eu aceitava!
    Os homens não percebem nada do riscado😁😁😁😁😁😁😁😁
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Quando/se ai for já sei a quem recorrer...
    :)
    Boa semana
    Pinta

    ResponderEliminar
  9. O que eu ri com este "post". Fui a madeira há dois anos nas minhas bodas de prata e adorei. O problema foi andar de avião...Lá soltei uns palavrões lá no ar mas pensei estas pessoas são quase tds estrangeiros e não me entendem. Dou lhe os parabéns pelo seu blogue que descobri este fim de semana. Um beijinho para si

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada a uva Odete (julgo poder tratar por amiga, certo?), Pois o aeroporto mete um pouco de medo. Eu própria tenho...Mas lá vou indo, tipo caixeiro viajante.
      Obrigada por estares desse lado e rir das minhas parvoíces
      Kis :=}

      Eliminar
  10. Ajudar sem pedir nada em troca ;) O seu marido deve ser muito simpático e uma pessoa do bem! Ele estava orgulhoso de poder mostrar a beleza encantadora que a Madeira tem.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Madeira tudo a pique
    Com a planta de Funchal na mão visitávamos o velho centro com a intenção para irmos a Fortaleza de São João Baptista.Vindo de um país onde a metade fica abaixo do nível do mar não era evidente que subir aquela rua a pique seria fácil.Perguntando a um homenzinho o caminho certo respondeu nos "follow me" . Apenas podemos -o seguir e sempre dizia nos " ainda um pouco " .
    Mais morto que viva chegámos no castelo.Não me lembro muito da vista espetacular que o castelo tem de oferecer aos visitantes mas nunca esquecerei porque o castelo também se chama Fortaleza de São João do Pico.
    Abraço

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...