Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sexta-feira, 31 de março de 2017

Geração cabisbaixa e não é à procura de moedas

Assiste-se a um elevado número de pessoas que caminham de cabeça baixa. Se antes era uma prova de reflexão, dizia-se estar metida nos seus pensamentos, hoje a razão é bem diferente, não é um acto de introspecção, mas sim um acto de comunicação ou, tão somente, estar em sintonia com o mundo ignorando um momento não à sua volta.

Caminhamos, futuramente, para uma geração de mulheres girafas ou corcundas pelo simples facto de que o pescoço vai desenvolver um bócio traseiro que vamos querer olhar o céu e será, de todo, impossível!

O uso do telemóvel tornou-se num vício, numa droga social que relegamos as tarefas do dia a dia, banimos as conversas em grupo, as saídas e encontros sociais devido ao apego ao telemóvel....E não é para telefonar.... Infelizmente!
Podemos, até, passear nus na rua que só alguns se dão conta porque a larga maioria está de cabeça baixa, olhando para o telemóvel.

Ver crianças coladas a tablets e telemóveis nem falo ou melhor falarei noutra altura...

15 comentários:

  1. Eu acho que pode ser algo muito positivo. Posso combinar coisas, posso falar com os meus pais noutro país, posso ler as notícias... Acho que ninguém deixa de sair com amigos para ficar ao telemóvel. Quanto muito para fazerem algo no telemóvel, como ver um filme ou ler coisas. Na altura dos meus pais também se descombinava coisas para ver televisão, ou ler, ou porque não apetecia. Não creio que as novas gerações seam mais antisociais, até o contrário. Encontrei grandes amigos com quem só falei virtualmente - estão no outro lado do mundo mas partilhamos muito em comum. Acho as coisas, diferentes, não piores. Quanto aisso das crianças, concordo - até porque normalmente só estão a jogar a jogos completamente patetas e sem conteúdo nenhum, e não a aprender ou a falar com alguém. Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo...
      Há sempre excepções à regra. Ainda há dias estava num já ter com mais umas quantas pessoas e num momento dei de conta que a maioria estava de telemóvel na mão ignorando por conta porto os que partilhavam a mesma mesa. Seria para falar com alguém distante e comunicar que estava num jantar? Não daria tempo depois de estar em casa ? Seria uma mensagem tão importante que despreza os presentes e dá atenção aos ausentes?
      Há dias num café onde vou colocar orar pão estavam duas moças uma em frente da outra casa uma com o seu telemóvel na mão a ver o feicebuque. Conversavam entre si? Foram tomar café para estarem ao telemóvel no feicebuque? Nao entendo
      Kis :=}

      Obrigada pelo comentário pena não ter nome para que eu individualizasse a resposta.

      Eliminar
  2. Prima, o pior desta situação é que atravessam a rua sem desviarem o olhar do telemóvel e fico muito preocupada quando vejo um condutor a fazer o mesmo, põem em perigo a sua vida e a dos outros.

    Um beijinho e bom fim de semana :D

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prima Fê...
      Viste um vídeo de uma moça que cai num buraco da estrada e teve morte imediata porque ia a olhar para o telemóvel?
      Kis :=}

      Eliminar
  3. De fato comenta-se muito sobre a nova modalidade de comunicação_ nas mãos o celular a procura de mensagens ,fotos etc Sabemos até de casos de jovens caírem de locais perigosos por fazer selfies distraidamente.O mundo inteiro ligado digitalmente _estamos ficando mais perto dos que estão longe do que aqueles que estão do nosso lado. rs
    Sabe-se lá o que mais vem por aí...
    Abraços e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Amiga... e não é só o espírito que afeta ... os ossinhos do pescoço também vão sofrer!!!bjoca

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente assim é
    e o apego à religião já não é como era
    que quando se sai da Igreja
    nota-se um sorriso largo em tudo que seja
    gente...~_````

    Bom e feliz fim de Semana
    beijinhos de aqui da Serra.

    ResponderEliminar
  6. Este tema, é um tema que me transcende... chamem-me antiquada, chamem o que quiserem. Não permito que os meus filhos joguem no tablet nem no telemóvel e tenho imensas chatices todos os dias com os avós que lhes deixam fazer tudo e com os pais dos colegas, que miudos com 7 anos já têm telemóvel(what???). Crianças com meses a fazer scroll e os pais acham o máximo que bebe tão inteligente... mas têm noção dos problemas gerais que lhes estão a provocar?

    Isto é amar um filho, ou é a lei do menor esforço, dar um "tela" a uma criança para pura e simplesmente estar quieta e calada??
    Ser mãe nos dias de hoje não é tareafa fácil é um facto... mas a responsabilidade da educação é nossa, não é dos tablets e dos smartphones...

    Desculpem o longo comentário, mas é de facto uma luta diária que passo, sinto-me remar sozinha contra a maré, mas sei que todo o meu esforço vai valer a pena! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alex...
      Não temas sozinha a minha filha rema contigo. Os meus netos não têm nem telemóvel: uma tem onze, outra nove e um oito.
      Eu pé só da mesma forma que tu.
      Admiro-me como crianças da idade da minha pulga Maiveilha como se anos têm Feicebuque uma vez que só é permitido a maiores de treze. São os pais que aldrabão a idade dos filhos.
      Kis:=}

      Eliminar
  7. São os tempos modernos! Cada vez menos comunica-se olhos nos olhos. É como se já não conseguissem falar pessoalmente mas ao telemovel a coisa muda de figura. Vai-se lá entender!
    Kiss

    ResponderEliminar
  8. bom dia
    antigamente em qualquer sala de espera via-se mulheres a fazer renda ou croché e os homens a lerem o jornal, agora é o que se vê , todos NÓS entretidos com os télélés.
    B.F.S.
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou seja, na mesma cada um na sua e ninguem falava. Qual e a diferença entao?

      Eliminar
  9. Eu confesso que na rua não uso o telemóvel, só se estiver perdida ou necessitar de alguma informação, mas ai paro e consulto o telemóvel. No fim volta para dentro da mala! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  10. Que saudades dos tempos, em que os telefones só telefonavam...
    Aliás... nem deixo que o meu faça muito mais que isso!...
    Hoje em dia, até estradas se atravessam de cabeça baixa... Há acidentes, inacreditáveis, por conta destas novas tecnologias, tão viciantes!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  11. Enerva-me tanto ver, por aí, as crianças entregues aos tablets/telemóveis...


    Ms. Telita | Telita LifeStyleFacebookinstagramTwitterbloglovin'

    • passatempo no blog: giveaway

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...