Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Eu também já fui criança

Falando da infância...
Eu também fui criança. Embora pareça que ainda sou e tenho um grande prazer em ser/parecer uma criança embora crescida - pois que, com o meu pequeno metro e noventa, ninguém diria - esta situação agrada-me, porque para as crianças há desculpa assim a mim desculpam-me nestes meus desvarios.

Adorei ser criança. Daí que não queira deixar de ser...ou parecer vá lá...
Como costumo dizer às minhas Pulgas quando tentam me passar a perna "sabem, eu já fui criança, também tentei enganar a minha avó, mas ela também tinha tentado enganar a avó dela e não conseguiu. Por isso não vale a pena porque quando vocês iam eu já vinha".

Fotografia: numa excursão pela ilha eu a dançar com a minha madrinha. Se há memórias que não fogem do pensamento esta é uma delas.

16 comentários:

  1. Um olhar lindo e cheio de recordação!
    Também fui uma criança muito feliz pois meus pais dedicaram_me muito do seu tempo e sempre respeitaram o meu lado mais irreverente! Bj

    ResponderEliminar
  2. Os anos de juventude sem cuidades davam as mais lindas memórias .
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Oh...que linda criança!!
    E já eras tão loirinha...
    Gostei. Muito!!
    Venham mais recordações, adoro ver fotos do antigamente. :)

    Beijinhos nas bochechas dessa criança adorável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mana.. guapa de mi coraçon...
      Eu era ruça...e era assim chamada na escola Olá. Depois na adolescência passei a ser a lourinha...na idade adulta amigas chamava-se "loira"...agora sou a grisalha, digo eu
      Mana lembras-te do senhor João o excursionista? Marido da senhora celeste?
      Hihihihhhh
      Kis :=}

      Eliminar
  4. Todos antes de terem são criança,
    como AvoGi, de altura um metro e noventa
    de que não te esqueças tenho esperança
    para a jantar prepares uma boa ementa!

    Eu também já fui criança,
    agora dizem que sou idoso
    qual idoso qual carapuça
    eu sou mas é um velhorro!

    Quase, mesmo, no fim da vida,
    ninguém me diga ao contrário
    AvoGi, se é que tu não acredita
    devolve à procedência o comentário!

    Para todas as crianças deste mundo desejo muita saúde, paz, amor e carinho!
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  5. Móh, foste e continuas a ser linda, mais linda só a Graziela.

    ResponderEliminar
  6. Que bela foto e que bom e recordar os nossos tempos de crianca. xx

    ResponderEliminar
  7. Aprender a dançar
    e sem Birrinha
    ó Loilinha...~_`````Brinco

    e deixo o desejo de uma boa e feliz tarde
    Beijinhos de aqui da Serra.

    ResponderEliminar
  8. Também eu e dentro de mim ainda ela ainda vive.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. É bonito ser criança. Ainda resta um pouco dentro de mim. Também tenho recordações de infância, algumas bem presentes !

    ResponderEliminar
  10. Tão bonita. Eu solto a minha criança, quando a neta me visita.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  11. Eu ainda continuo a ser uma criança e sempre irei ser! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  12. :) só um metro e noventa? :)
    um beijinho

    ResponderEliminar
  13. Um metro e noventa?...
    Ah! Gaaaaaanda mulher!!!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  14. Bom dia,

    Cheguei aqui vinda de outros blogues que gosto de visitar. Não me recordo bem de qual.

    Agora, visito regularmente.

    Este post emocionou-me porque tenho dois afilhados que adoro e com os quais tento estabelecer uma relação muito próxima.

    Só espero que daqui a uns anos me aconteça o que a AvoGi diz: que eles falem das recordações.

    Votos de bom fim - de - semana e bem haja.

    Sandra Martins

    ResponderEliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...