Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Ameijoas à Bulhão Pato

Faz hoje oito dias que comi uma dose delas e, "palavra donra" ainda lhes sinto o sabor. Que maravilha e, ainda por cima ali, na Costa Nova, na marisqueira com o mesmo nome. "Vaiam" lá e saboreiem...
E, hoje, sabia-me bem para tirar este amargo que tenho na boca.

6 comentários:

  1. Uiiiiiii que me abriste o apetite...e o único restaurante do género que havia aqui...fechou! Outros há muito mais longe...e com a cguvada que se abate, o tal do "Joaquin" diz para termos cuidado:)

    Um bom sábado e beijos extensíveis a todos os teus

    ResponderEliminar
  2. É um pecado pôr uma foto destas e trazer esse assunto à baila.
    Adoro ameijoas à Bolhão Pato.
    Porquê esse amargo de boca?
    Bom fim de semana.
    Bj.
    D.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. D.' por causa da chuva,'irraaaaaaaaaa, como detesto. E lembro-me do vinte de fevereiro e esta data é o aniversário de quemjá foi e muita falta faz.
      Kis :=>)

      Eliminar
  3. eheeheh... Há dias fiz o mesmo, mas não lá ! ... :( Só é pena ter tanta "casca" ! rsrs ... Come-se num instante e fica o prato cheio ! rsrs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui, a casa tem uma função, serve de colher para o molho. Lol
      Foi isso que fiz
      Kis :=>)

      Eliminar

Como? O que disse?
Não ouvi nada.
É melhor escrever...