Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

domingo, 31 de janeiro de 2010

Em fatigas ou em feitias?

E que tal um pão fatigado? Ah, também não são todos os madeirenses que dizem "assem"(assim). Alguns pedem um pão "feitiado". Mas são só alguns...
Não sei qual será melhor forma de comer pão: se em "feitias" ou em "fatigas".
Ahhhhh, também não são todos os madeirenses que dizem desta forma. Repito, se for o caso de não terem lido no inicio do poste....
(E antes que venham alguns anónimos dizerem que nem todos falam "assem" já digo logo. Não são todos, ok? Poça!

O Dulxeveita

Há muito tempo que não ia ao centro comercial "Dúl xeveita". Aliás foi a segunda vez que lá entrei. Não gosto de shopping´s.
O "Dulxeveita" é recente. Não sabem? Ah, a tradução: Dolce Vita. Mas é como os madeirenses... alguns madeirenses...muito poucos madeirenses dizem, aliás só 1/4 da população que 2/4 dizem: "duxeivita". Ai, vou esperar por dizerem: que me enganei, que nós nã dizemos "assem" (dizemos a duzentos em vez de a cem). Mas pronto é como eu oiço muitos dizerem...

sábado, 30 de janeiro de 2010

Quatro anos


Na praia, na serra, na rede, no carrinho , acordada ou a dormir.... Onde quer que estejas (aqui, ali ou acolá) serás sempre a nossa Pulga.
PARABÉNS!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Se a burra nã...

(Esta foi mandada pelo João, madeirense errante que não esquece as suas origens. Obrigada)

Certa ocasião havia temporal no Porto Santo e, quer as lenhas quer os combustíveis escasseavam. Na ilha usavam uns fogareiros a que chamavam de ciganos. Eram atacados de serradura ou bosta de burro e, depois pegavam fogo para poderem cozinhar. Acontece que naquela casa não havia nada para queimar e, o velho da casa disse para o filho.
- Óh piquene, vai ver se a burra cagou?
O piquene chigou e disse que "nã". Atão o pai responde logue:
- Olha piquene se a burra nã caga agente nã coume...
(Claro que o pobre homem se estava a referir que não tinha combustível para atacar o cigano e pegar fogo.)

A prenda

A Pulga faz anos. A pergunta da praxe é: o que queres que te ofereça? (Escusado será dizer que já esperava por esta resposta.)
- Umas botas como as tuas, mas de verdade!
Entendi, não umas botas grandes (como as minhas) que lhe caem dos pés, mas umas do tamanho certo.

Desejo profundo da Pulga

Quando eu for grande vou ter sempre batom nos lábios como tu.
Mas esta Pulga vai imita-me em tudo.
E a outra também já usa, bem, não usa correctamente, mas dá bâton: nas bochechas, nariz, em volta dos lábios.
Não importa, o que conta é a intenção!

A agendar

Hoje fui buscar as Pulgas. E geralmente vou primeiro à sala da Pulguinha e logo de seguida à da Pulga. Não sei porque o faço, mas vou ter de repensar agora nas minhas prioridades.
- Porque não me vais buscar primeiro? - perguntava-me a Pulga.
Lá tive de inventar umas desculpas: "que procurei por ela e como não a vi fui à sala da mana; "que olhei para o baloiço e como não estava fui primeiro buscar a Pulguinha" e outras que agora não me recordo...
- Mas tu vais sempre buscar primeiro a ela.
Resumindo e abreviando que vou fazer o jantar para não queimar outra vez: a mão tem de ser a mesma para as duas, a perna ambas querem a mesma, o colo é dividido, e agora até o "ir buscar" ?
A relembrar:
Na agenda tenho de escrever quem vou buscar primeiro para não haver "cozido de beiças."

Não sejas má pra mim!

Meio dia. Fui chamar a tia-velha para tomar café. Sim, esta mulher que antes pelas sete da manhã já andava lavar panelas e o chão da casa, hoje ao meio dia ainda dorme e bem. Mudam-se os tempos...e a idade também muda. A esta hora ainda ressonava.
Acordei-a. Ao chegar à cozinha já vem com cara de enfado. "Tenho dores nas costas". Digo-lhe: Pudera!De estar tanto tempo na cama.
-Tou mal disposta. Posso me encostar um bocadinho?
-Nem pensar...
- Ainda é cedo...posso me deitar?
- Não.
- Não quero comer! Posso me encostar? - referindo-se à cama.
- Encoste-se à cadeira. E se começa a pedir para se deitar vou levá-la para o hospital . Aí pode estar sempre deitada. (fez-me lembrar as mães que dizem aos filhos: "se nã te portas bem vais ao hospital levar um pica")
- Não sejas má p´ra mim...Tu és reles...não és boa enfermeira.
Ai pois sou... um dia apanha-me reles e... vai de corça pelo caminho chão abaixo...e então vai ver o que é ser reles e má...(God make good...)

Braço de ferro

Tem sido um braço de ferro por causa dos "remédios" como diz ela. Se por um lado sei que seria melhor ser eu a tirar das caixas, colocar na mesa e ela só fazer o favor de abrir a "goela" e engolir, por outro continuo a deixar que seja ela e só supervisiono a toma dos medicamentos. Mas a confusão é grande.
- Tire uma caixa de cada vez. (do recipiente onde tem todos). De cada caixinha tire a pastilha. Leia (que ela sabe ler) o que está escrito na caixa (se é tomado de manhã ou à noite).
Ela lá tira um por um do recipiente lê, se for para tomar tira a pastilha, se não deixa de fora( é que se deixa dentro, não sabe se já tomou e faz nova ingestão porque volta a pegar, a ler e a tirar a pastilha) para poder controlar os que já tomou dos que ainda faltam tomar(se estão no recipiente é que não tomou).

Eu digo-lhe que o recipiente tem de ficar vazio sem nenhuma caixa.
Hoje ela estava novamente a confundir. Tira, olha, (irra, leva meia hora nesta tarefa) e vendo eu que estava a colocar sem tirar a pastilha digo:
-O recipiente tem de ficar vazio. - E soletro bem as palavras para que perceba.-Ainda tem duas caixas.
Ela logo tira-as e segura-as. Olha p´ra mim e diz .
- Já tá.- (Claro tirou a caixa e não o comprimido!) "Desvaziou" (como se diz em madeirense) e estava como o Camões a salvar os Lusíadas.
E satisfeita olhava para mim à espera de um cumprimento por ter feito tudo certo. Ai titia titia não sei onde isto vai parar!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Bacalhau? Cadêle?" ( tradução: bacalhau que é dele?)

Agarrei em duas postas de bacalhau (do bom da Noruega), preparei com muito amor e carinho. Coloquei no tabuleiro, cortei cebola (chorei), pimentos, alho, cegurelha, salsa. Reguei com azeite (de Monte do Bispo-caseiro feito pelos compadres). Estava um primor. Uma delícia para os olhos um regalo para o paladar.

Regulo o temporizador do forno e enquanto vou ao supermercado.
Ao chegar a casa fumo, muito fumo a sair da cozinha, o vapor a escorrer pelas janelas.

A tia-velha dormindo o sono dos anjos. A cozinha com um smell adorável!

"O meu bacalhau" - pensei logo. Aquele que preparei com tanto amor e carinho....esturricado! Negro como uma noite de trovões.
Nem sobrou uma pele para provar.

Os cachorros adoraram. E rezaram para que outro dia queime novamente. ("Não é todos os dias que se come bacalhau....esturricado!"- pensaram eles.)
E então para consolo da vista, do coração e do estômago imprimi estas fotos e colei no tabuleiro!

Boa noite. Até amanhã

Foi desta forma que minha tia se despediu de mim. Eram 19:00.
- Boa noite, até amanhã!
- Onde vai?- perguntei admirada.
- Vou-me deitar. Já está de noite.
- Mas ainda não jantou! E são 7 horas.
- Ainda?
Ser velho, sem nada para fazer o dia rende e a hora não passa!

Esta tá boa!

Há um aluno que não frequenta a escola esta semana. Está doente com laranjite.
Coitado, deve ter engolido a laranja inteira e ficou entalada na laringe. Daí a ...LARANJITE.

Ainda...

...Não coloquei na cama o edredão este Inverno! E vivam as calorias e os maridos quentes. E a temperatura no meu rural...

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Doenças

Esta foi cedida gentilmente pela minha cunhada que é: carapeta...triopeta...perpetua...trepetolia... torpeta...triptolina...teta...tropiata...fisotraputa (esta adoro).
Mas na realidade ela é: fisioterapeuta.
Estes são os epítetos que os doentes chamam quando vão ser tratados da: coluna vertical... utero dislhatado... da dor asiática... sinite...ataque cardoso...da doença de usaime...da hérna de escada...e do tendão dos quilhos.

Lá se foi!

O meu verniz... o meu verniz casco de cavalo .... Bem, o meu rico verniz que custou alguns euros, a Pulguinha derramou-o todo. Estava ela a pintar as unhas quando ao virar a mão para melhor pintar sem chegar aos sabugos entornou-o.
Meu rico verniz!
Ai Pulguinha tu dás cabo de tudo! É o verniz, é o batom. Até o meu rolone (desodorizante) está cheio de uma tinta azul que só agora descobri o que é. Calhou que antes de usar olhei para ele, canão ficava com os sovacos azuis, e vi. Vi-o todo azul, azul meia noite. Era rimel (do tempo do rei XV). Do tempo em que queria eu ter as pestanas maiores que um "piaçá" (piaçaba).
Onde foste descobrir esta preciosidade?

Esta noite!

Sonhei com "mangos" ou mangas, nunca sei como se diz... Que lindos. Grandes. Não eram manguitos (salvo seja). Dependurados na árvore e eu esticadinha feita tonta a dar saltinhos para apanhar um . Um só que fosse. Mas não consegui. Não chegava lá.
Mais caricato é que eu estava num cemitério, quer dizer o mangueiro ou mangueira (esta palavra soa-me a utensílio de regar as plantas e não a árvore) estava lá e para roubar os mangos entrei. E caía cada um! Mas não os apanhava. Seria falta de pontaria (do mango) ou mau jeito de apanhador(eu)? Mas que coisa!
"Credo em cruz, vá de restro, Santanás" dizia eu, rezando para afugentar o demónio.
E penso...
Que significado terá o sonho? (Hummmm, alguém prometeu-me comprar uma árvore e ainda não a recebi. Será isso?)
Vou já comprar uma. Deve ser um bom presságio.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Coisas antigas ainda são as que têm durabilidade

Os electrodomésticos antigos ainda são o que eram. A torradeira que eu tive na corbeille (nome usado por nós para significar o altar das ofertas num casamento) ainda funciona. Já tem 33 anos. Tive uma moderna branca, durante 6 meses, linda, com tantas funções, mas no ano velho achou de avariar( foi a tal que ao ir para reparações foi necessário pagar 2,50€ só para desmontar, claro que perdi o dinheiro). E a velhinha do casamento que só tem uma função (subir e cuspir as torradas) ainda está no auge.
Mas....agora as torrada saem um pouco pretas... já não as deixa subir...(de tanto ser usada nestes dias enquanto a outra foi ao mestre).
Bem...ontem fui comprar uma novinha em folha, linda, branca com tantas funções.
Hummmmm será que vai levar descaminho?

Ora esta!

Ontem o jantar foi mais tarde do que o costume. Passei pela casa da Família Pulguedo ainda fui ao super comprar espada para assar no forno com "semilha" miúda. Bem, adiante, acabámos de jantar pelas 22:30 e digo à tia-velha para vestir a camisa da noite.
- É já p´ra se deitar?
Respondo que se quiser pode, mas também pode ir até ao sofá um pouco.
- Mesmo com a barriga cheia não me deito!
Mas vá lá entender estes idosos. No fim de semana passou o dia enfiada na cama. Comia e deitava-se. Hoje mudou os hábitos. Antes assim.

Nódoas negras

Ao ver a Pulguinha na banheira sentada, na hora do banho a brincar com os seus brinquedos apercebi-me da quantidade de nódoas negras que tem nas pernas. Só numa tem 4 bem grandes. E não se queixa. Que estrepela é esta gasguita!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Um dia tiro-lhe o fôlego, não hoje

Esta minha tia está a pôr-me à prova, não sei a qual, mas está. Ontem e anteontem não saiu da cama. "Estou mal-disposta" dizia-me com uma cara de dor que eu ate fiquei com pena. Mas hoje... Mas hoje não me convenceu. Depois do pequeno almoço olha para mim e diz: "vou descansar mais um bocadinho."
- Não senhora, vai é tomar banho e sentar-se no sofá.
 Resmunga. Mas foi, ai dela se não fosse. Ameacei-a de ir pô-la à porta ao hospital (venham os fundamentalistas dos direitos dos idosos. Venham que eu estou-me borrando de medo). Tem pavor de ser abandonada no hospital como o diabo da cruz. No banho deito o champô na cabeça, peço para esfregar, dá um volta com a mão na cabeça e "já tá." Bem, aí é que a porca torceu o rabo. Dei-lhe uma esfregadela de esfregão (não foi, mas podia ter sido) e logo de seguida roupa e...
-  Vá sentar-se no sofá. Hoje não se mete na cama. Vou desarmá-la.
- Vais? - perguntou.
Esteve no sofá um pouco. Desci. Disse-lhe para vir comigo. "Vou pensar."  Como há demasiado tempo que pensava...(leva muito tempo porque adormece a meio do pensamento) fui à sua procura. E ...surpraise! Estava metida na cama vestida com roupa de sair. "Ai esta velha, mata-me!"
A rezonda que eu lhe dei.... "Levante-se já!" Credo - responde ela. "Já" - reforcei .
E vejo-me aqui com um sentimento de culpa por ter falado com ela tão bruscamente.
Meu Deus porque tenho de ser reles pra ela? Mas só assim é que obedece.

Mesmo...

...Tendo duas mãos (e duas netas) quando é para descer a escada, tenho de negociar pois elas querem a mesma. Será possível? E por mais que eu diga que é uma para cada há sempre choro. A solução muitas vezes passa por dar uma mão às duas.

Aliás...

...A mesma coisa passa-se com o colo quando estou sentada. Digo que tenho duas pernas. É uma para cada. Mas ao sentá-las querem sempre trocar. Se já está uma sentada na direita quer a esquerda assim que a irmã vem. Mas estas duas...

domingo, 24 de janeiro de 2010

Pensamento meu: Ai as hormonas!

Ou é das hormonas (ou harmonas, em madeirense foleiro), ou é da idade, ou das emoções, ultimamente ando com a lágrima a bailar nos olhos. Se vejo uma notícia choro, se penso na morte de familiares choro. Se vejo ou sinto (pelas fungadelas) que alguém chora, choro, mesmo sem saber o motivo. Quando chego à cama se vem à mente toda a minha vida dá-me um aperto no coração (e aperta tanto que as lágrimas teimam em cair) e choro. Mas não pensei que fosse tão grave até ontem quando mostrava as fotografias da mãe, do tio, minhas de quando era criança, enfim da família (mesmo a que já partiu), às Pulgas (fotos ainda em papel) e dá-me o tal aperto no estômago e choro.

Choro por ver uma vida em meio século, choro por ver o que já passei e o que já vivi. Choro por ver os meus filhos quando pequenos sempre agarrados um ao outro, de mão dada, de cabeça encostada e hoje tão afastados. Choro ao ver fotos de nós os quatro sempre sorridentes, sempre juntos. Choro por saber que o meu filho está longe da família e só. Choro por ter irmãos tão longe de mim. Choro pela tia. Choro por isto, choro por aquilo. Choro. Choro. Choro.
E mais caricato choro ao escrever estas linhas. Mas que coisa! Bem, sai um lenço de papel? Tenho de ir limpar a cara e o nariz senão...

Filha da...outra Pulga

Outra Pulga mãe das Pulgas. AvoGi
Pulga olha para esta foto e....
-Avó, esta sou eu?
- Não. É a tua mãe.
- Mas parece eu!?

De verdade lá parecer parece, mas não é.

Pensamento meu: Dormir ou não dormir eis a questão

Estou indecisa.
 Não sei como é melhor dormir: se com o marido que ao deitar-se começa logo a fazer uns...ruídos (digo ruídos para o meu senhor não ficar ofendido, senão dizia roncos ) enquanto eu ainda estou a pensar se durmo se rezo...  mas que dorme paralelamente a mim; ou se com uma Pulga que assim que se deita salta para cima de mim, dá-me pontapés, mete os cotovelos pelas "aduelas" (costas) adentro e que dorme perpendicularmente a mim e com a cabeça em cima da minha. Difícil a escolha!

Mikado

Pulguinha estava tão absorta nas suas brincadeiras que até me admirei. Silêncio. Preparava eu o pequeno almoço na cozinha. Ela atrás de mim, mexendo onde gosta: armários, latas. De repente,apercebo-me que está há muito tempo nesta absorção. Demasiado. Vou ver a razão de tamanha distracção. Mikado. O jogo. Aquele em que se coloca as varetas na mão, abre-se e deixa-se cair. Claro, estava a jogar ao Mikado...com esparguete.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Amizades

Nunca desvalorizes ninguém...
Guarda cada pessoa perto do teu coração...
Porque um dia podes acordar...
E perceber que perdeste um diamante....
Enquanto estavas muito ocupado(a) coleccionando pedras.

Recebi do amigo João Sousa .

Eu e a balança: um amor impossível

Hoje fui com a tia-velha à clínica fazer uma eco ao coração. Depois de despi-la e deitá-la olho para o lado e o que vejo. Hã? Uma balança. "Uau", pensei cá cús meus botões, "vou ver quanto emagreci". Em casa não tenho balança. Enferrujou e foi à vida juntamente com o ano velho. E ainda não "merquei"(comprei) outra.
Voltando ao assunto antes que fuja... Feliz, com um sorriso de orelha a orelha, coloco os pés bem juntinhos em cima da balança e...
Poça! Só pode ser como a balança do aeroporto que dá sempre peso a mais...Tenho evitado comer porcarias ( só bolo dos reis como diz a Pulga), faço exercício físico (sentada no PC), bebo água (na sopa), deito-me cedo ( aí pelas 2 da matina)...faço caminhadas (de carro). Que mais hei-de fazer para tirar esta gordura que me cobre os ossos? Este pneu Michelin em torno da cintura, este botoquesse natural que se introduz mesmo que não o queira?
E dei por mim a pensar "Ainda bem que não tenho balança em casa! Já tinha voado pela janela fora por não marcar o peso certo.

adivinha

"Ter a cara favada das bexigas loucas".
Tradução: Tem a cara marcada da varicela.
A palavra "favada" vem dos favos (de mel). Quando a pessoa tem varicela há a tendência para coçar e se o faz fica com a cara aos buraquinhos como favos de mel. (Eu não resisti à tentação de coçar quando tive varicela e a prova é que tenho a testa favada). É isso a cara favada.
Bexigas loucas é a varicela.
Obrigada.

Ser avó

Obrigada pelos belos textos. Não saberia escolher o melhor. Por isso coloquei algumas frases da beleza do que foi dito. A sério, adorei. Se quiserem ler na integra, façam-se de casa e leiam os comentários.
Aproveitando as palavras de Ogden Nash: "quando os netos entram na nossa casa, a disciplina voa pela janela."
E outro que adoro: "Nunca tenhas filhos, só netos." Gore Vidal

"Ser avós é uma forma de se desinibir. Já não criam tantas regras como quando eram pais, porque agora já não têm que se preocupar tanto com a educação dos netos, para isso é que servem os pais." MADEIRENSE

"O papel dos avós é mesmo dar os mimos todos aos netos, reviver um pouco a infância dos filhos que já não volta, mas desta vez com menos regras do que quando eram eles os pais." ÂNGELA

"Já não basta sentir-me entre a espada e parede, temendo (mais) problemas neurológicos futuros, ainda tenho de pensar em como pode reagir a minha mãe."NORIS

"Porque os avós servem para estragar de mimos e amor, resmas de paciência com histórias, pinturas, brincadeiras e a educação que seja tarefa deles." FATYLY

"Há regras que têm que ser aplicadas pelos pais e pelos avós."OBSERVADOR

"Os pais andam normalmente sempre cheios de afazeres, a casa, os filhos, o trabalho, pois normalmente trabalham os dois fora de casa, enquanto os avós dão aos netos aquilo que gostariam de poder dar aos filhos. Mudam-se os tempos mudam-se as vontades." JOÃO

"Às vezes interrogo-me não seremos nós (pais) demasiado herméticos na educação dos nossos filhos? Ser criança é poder se expressar com educação, mas sem opressão." RSM

"Os avós são a melhor coisa do mundo!
Os pais impõem regras... os avós mostram que as regras, por vezes podem ser quebradas!
Os pais vivem a correr...os avós saboreiam cada momento!" RAQUEL

"Fazem-lhes as vontadinhas quase quase todas!!!Mas também dão educação, dão-lhes a conhecer saberes dos tempos antigos têm paciência com eles... mas também a perdem quando eles exageram... Não gostam quando chamamos a atenção com cara de maus aos pequenos mas esquecem-se como eram comigo e com o meu irmão..." MARIA & COMPANHIA

A querida Mina como" não tem curso nem de neta nem de avó" deu o seu contributo, "desejando bom fim de semana, para avós e netos e saboreiem cada momento". Obrigada


(Desculpem-me Mina, João e Maria & companhia, por lapso apaguei o post onde já tinham comentado, não sem antes passar o que de melhor escreveram sobre este tema. Peço desculpa por isso.)

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Adivinha

"Ele tem a cara favada dai bexiga lhoucas."
Vamos lá a adivinhar esta.
Fácil...
Começar...1...2...3...
"Maidaquianadinha" eu digo.

Hoje...

...Contribuí para a ingestão de calorias no meu corpo (já com calorias a mais). Ele agradece. A boca também. É que me soube como se não houvesse melhor iguaria.
Comi uma pêra abacate. Mas.....não foi só a pêra abacate.E aqui é "que a porca torce o rabo"...Um papo-seco com manteiga, e lá dentro?
A pêra abacate. Sim, eu sei, não devia ter posta a manteiga. Mas não seria a mesma coisa, pois não?

Pensamento meu: Só as mães é que sabem cuidar dos filhos?

Será que os avós não sabem cuidar dos netos? Será que só as mães é que sabem cuidar dos filhos? Eu como mãe desenrasquei-me. E como avó? Ou eu quando era jovem mãe pensava da mesma forma e já me esqueci de como era. Os jovens são uns insatisfeitos? Nada do que os avós fazem está correcto? É que se faço uma coisa assim devia fazer assado, mas se faço assado devia fazer assim.
"Não devias ter feito", "não devias ter tirado", "não devias dar" " não deves ..."
Não...não..não..não...
Às vezes interrogo-me se sou mesmo desmiolada ou só desnaturada.
Será por isto mesmo que os netos gostam dos avós?
Os avós não deseducam simplesmente .... tornam-se crianças como elas...
Olha, já nem sei se é um pensamento se um fundamento!

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Porventura...

...Sabem onde se escondem durante o dia, os lagartos que roem as folhas tenrinhas das couves durante a noite?
 Escondem-se? Onde? É que procuro e não os encontro. Ontem fiz-lhes uma espera de "olho-de-boi". Nem vislumbre de um. Jogámos aos "encondarelos". Não vi nenhum. Mas hoje deitei um xarope bem forte para eles. Vão ver o que é bom para a tosse!

Adivinha

 E como dizem as crianças: quem sabe não diz.
O que é "ir a butes"?
Palavra do vocabulário madeirense.
A ver se ainda há gente de cá a saber o que significa...que os de lá julgo que não sabem. Ou sabem?
Vamos lá: 1...2...3...pensar...pensar...

Simão, o grade

AvoGi e as Pulgas na rede

E o grade roeu a rede que tenho na varanda, onde costumo descansar e ler um livro. As Pulgas adoram o baloiçar nos domingos de manhã! Malvado cachorro. Vou-te esganar!!!

Na foto pode ver-se Simão o autor do grande buraco e a rede além das Pulgas e eu.

3 vezes por dia durante 15 dias é muito tempo?

De cada vez que eu lhe dava o aparelho a mesma pergunta:
- É muito tempo?
- Enquanto estiver a sair fumo.
- Ai Mê Dês!
A minha tia e o aerossol.
Mas, entretanto, acabou.

Caminhei de casa...

...melhor dizendo, saí de casa com uma meia clara e uma escura. Valeu serem ambas pretas. Uma de vidro outra de mousse..

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Olha, ouvi dizer...

...Que o Ministério da Educação ainda não explicou porque é que os alunos e professores do primeiro ciclo da Madeira e Açores foram excluídos do concurso público internacional para o fornecimento de computadores Magalhães, no âmbito do programa 'e-escolinhas'?


Novamente nós madeirenses sofremos pela insularidade! Ou por o nosso 1º de lá (Sócrates) não amar o nosso 1º de cá (Albert Johnny Garden)

É este o tal

É este o bolo-rei que adoro e que me faz comer sem parar. Pequenino, fofo, cheio de frutos secos.
Caramba! Quando é que o deixam de fabricar?

Os Reis já foram a caminho de casa. Será que distribuem palas (como a dos cavalos) ou terei de pôr as mãos nos olhos ao entrar na padaria? Mas eu uso óculos! não há remédio. Tenho de olhar para eles. Resistir? Não consigo.

Esta gula que me entranha não me é estranha!

Deseja mais das profundezas da Pulga

Pulga com colares da avó. Avogi
Quando eu for grande se calhar vou ser uma ... montra de bijutaria...ou manequim de pechisbeque...ou...

Vou continuar a usar os colares da minha avó todos ao mesmo tempo...ou... vou ter vergonha de ter sido fotografada com os "pendurilhos" todos.
Mas entretanto divirto-me!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Não consigo parar de chorar!

Cada vez que eu corto cebola choro feita Maria Madalena. E fico com os olhos inchados que mais parece que eu levei um sopapo em cada olho. Já pus uma rolha na ponta da faca, já molhei a faca. Cada moda que me dizem eu experimento. Nada. Não há solução. Choro.
Ontem disseram-me que a cebola roxa não faz chorar. Engano. Cortei e chorei.Verti as lágrimas todas que secaram os olhos e tenho-os cheios de "ramelas".
Desisti.
Já tomei uma solução: Vou usar as de pacote do Continente: às rodelas e em cubos.
Não choro mais a cortar cebola. Vão para o raio que as parta!

Haiti

Esta imagem comove-me e arrepia-me. As crianças, sempre as crianças as mais vulneráveis e as mais expostas ao perigo.

Pensamento meu: este mês de Janeiro!

Este mês de Janeiro é tããããaãooooo compriiiiiiiiiido. Parece que não tem fim.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Pensamento meu: A Inveja

"As pessoas invejam o que os outros têm, não o que tiveram de fazer para ter aquilo que os outros invejam."

Muitos trabalhos

Pulguinha acabou de chegar. Pergunto-lhe o que fez na escola.
-Abaios, ieinhos, mão, inta, dido xujo - Diz tudo duma enfiada.
(desenhos, trabalhos, mão, tinta, dedo sujo)
- Óia. - E mostra-me as mãos calejadas de trabalho!
Dá para perceber, não dá?

Porque...

...É que assim que acaba o Natal as manhãs de Páscoa ou Estrelas de Natal ficam murchas, sem folhas, sem flores. Tristes!
Terá sido pelos excessos da Festa? Ou por que estão programadas para viverem só durante o mês da Festa?
 E fazer gastar uns eurozitos devido à careza que custam!

Na padaria

- Olhe, eu queria aquele pão de ló.
- O de lá?
- Não. O de ló.

Desejo profundo da Pulga

Quando eu for grande quero ter umas botas como as tuas.
 Sim, Pulga, espero que ainda haja destas!

O zidles dos madeirenses

O zidles é um programa veisto pore muintos madeirenses. Estes sãon os seu zídles: Filhipi, Sulânge, Carles ou Carlinhes, Einês e a Deâna.
Ônte aquasi que saaia a Sulânge.
E s´ o Carles nã ganhare é por invejidade.

Olha, ouvi dizer...

...Que quando o Benfica ganha o país produz mais.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Enovelado

-Vais "caminhar" (sair) com esse lenço todo enovelado? - perguntava minha tia ao ver-me pronta para sair.
É que a écharpe estava enxovalhada.

Desejo profundo da Pulga

Quando eu for grande quero ter o cabelo como o teu. E mastigar pastilhas como tu.

Porque...

...É que se dá o nome de Sofia a uma pessoa para depois chamá-la de "Sufúia". É como o nome Emília (que eu gosto muito e no livro de registo está assim escrito), por cá diz-se "Imílhia"?

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Só eu e mais ninguém!

Estava eu no chão de rabo para o ar, assim como os alemães quando perderam a guerra, a recolher todos os brinquedos espalhados e pergunto cantarolando.
- Quem vai ajudar a avó?
- A mana - responde logo a Pulga.
- E mais ? - A ver se dizia que ajudava também.
- Mais ninguém!

Seguindo a recomendação da mãe

A mãe das Pulgas ainda há pouco ao sair de minha casa (quando veio cá pô-las para passarem noite) recomendou às filhas, imperativamente: "Vão cedo para a cama".
E olhando para mim com cara séria diz-me. "Olha, mete-as na cama cedo!"
Eu obedeço sempre à minha filha.
E cá estamos: as Pulgas, a tia-velha, este avô e eu no espaço onde elas mais gostam...o salão.
A Pulguinha a pedir música ao avô (e ele a dar) e a dançar. A tia-velha a espremer as bolinhas de ar do plástico que serve para embalar frágeis. A Pulga de bebé ao colo e botas de cano alto nos pés. E eu? A observá-las estarrecida.
Ai se ela (a minha filha) nos visse...
Ai se ela soubesse que horas são...
Se ela soubesse a energia que ainda têm...

Sabia que

Mulher russa dá à luz bebé gigante
O peso médio de um bebé recém-nascido é de 3 quilos. O caso que relatamos a seguir não é de todo normal, mas aconteceu. Uma mulher russa deu à luz Nadia, uma menina de 7,75 quilos.

Dado o tamanho desproporcional da criança, Tatyana Khalina, de 43 anos, teve de fazer uma cesariana no hospital na região de Altai, na Sibéria. Quando nasceu, a 17 de Setembro, olhou para ela e ficou "em estado de choque", reconheceu a mãe em declarações à Reuters.
O pai nem conseguiu expressar por palavras o que sentia - "Não conseguiu dizer nada - ficou pasmado", reconheceu a parturiente.
Explicações para o sucedido?
Tatyana reconheceu apenas que durante a gravidez usava e abusava "de batatas, massas e tomates", devido à falta de dinheiro para comprar alimentos mais variados.

Khalina não foi a única mulher a dar à luz um bebé gigante.
Em Janeiro de 2005, uma brasileira teve um rapaz com 7,73 quilos. Porém, há a registar casos inéditos como o do rapaz italiano que nasceu em 1955 com 10.2kg e um outro de um menino com 10.8kg, que nasceu nos Estados Unidos em 1879, mas acabou por falecer 11 horas depois.

Pensamento meu: neto

Hoje fiquei desde as 11:30 até às 16 horas com o Pulguito. O rapaz tem de se ambientar pois a partir de Março ficará comigo quando a mãe regressar ao serviço. Parece que gostou da minha companhia. Aliás foi recíproco. É que antes o "Pestanas" nem ria para mim, mas hoje, que remédio, fartou-se de rir. E ainda teve tempo para me presentear com um ...já se sabe o quê. Vamo-nos dar bem.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Sabia que

Empregada furtou, foi filmada, mas foi o patrão que foi condenado a pagar 940 euros.Desconfiado de que uma sua colaboradora de 46 anos, empregada de balcão, andava a roubar, a gerência instalou câmaras de filmar e apanhou a empregada em flagrante delito. Está tudo filmado.Para além do desvio de dinheiro da caixa registadora também desconfiou de desvio de bens da padaria (pão, queijo, fiambre, manteiga e até garrafas de whisky), com a suposta cumplicidade do marido da empregada.O patrão verificou, através das imagens de vídeo-vigilância, que a colaboradora, que já teria antecedentes do género num restaurante e numa creche pública, cometeu ilícitos criminais (furto) e confrontou-a com as imagens.
Em Agosto de 2009 encostou a empregada à parede: Ou apresentava a carta de demissão (o que acabou por fazer a 13 de Agosto de 2009) ou movia-lhe um processo disciplinar e apresentava queixa-crime à PSP.

Abrasei-me

Poça, ando sempre à pressa faço tudo à pressa e por isso ando aqui com a mão abrasada.
Estava a fazer a janta. A tampa da panela salta ao colocá-la na panela, respinga para todo o sítio o molho da massa guisada que estava a fazer. Se respingasse só para a parede...mas não. Além da parede, fogão, balcão, o pior foi a minha rica mão ....esquerda. É que eu sou canhota...esta é o meu amparo, a minha mão direita e o braço direito. Caramba.

Porque sim, eu faço tudo à pressa

Logo de manhã de pois de vestir a Pulguinha para ir Para a escola, abro o frasco de perfume "Nenuco" (directamente vindo de Valência - Espanha).
O meu brader foi lá e como sabe que gosto desta marca de perfume para bebé, sabendo que a mãe e tio das Pulgas usavam quando crianças, ofereceu pelo natal.
Abro, desenrosco e não consigo que saia uma gotinha para deitar na cabeça da "piquena". Não sei se é do conhecimento de muita gente, mas umas gotinhas na cabeça dos bebés previne a proliferação de bicharada (piolhos e lêndeas).
Ela prepara-se com a cabeça para trás para as tais gotículas, mas....o que saiu foi um dilúvio de colónia.
"Ai Jesus!" "Meu Deus!" "E agora?"
Vou logo para a casa de banho e lavo a cabeça da rapariga e enxugo com a toalha.
E como dizem alguns madeirenses"enjoava a perfume" quando saiu de casa.
E a minha casa? Pela tarde ainda estava perfumada!
Pudera! Se eu emborquei um quarto de frasco na cabeça da Pulguinha!!!!
(Fiquei descansada quando contei à minha filha e antes que ela cheirasse a cabeça e lêsse este post...que a ela acontecera-lhe a mesma coisa).
Ufa!!!
Ufa! Tirou-me um peso das costas...

Quando...

...Eu mentalizo-me de que vou "apertar o bico" ou seja não comer porcarias, eis que o meu senhor entra com um bolo-rei pela porta adentro!
Ainda bem que ele deu um quarto de bolo à minha filha...

Na TV/cabo

O meu senhor é o responsável pelas relações humanas/sociais cá do rural. É ele quem trata dos assuntos exteriores à casa. (Idas ao banco, pagamentos e outros...)
Nestes dias reparou que a factura da TV/cabo vinha com prestação superior ao que costumava vir no ano transacto.
Dirigiu-se ao posto e perguntou a razão da subida de 10 €euros na factura.
A "menina" faz uma busca no processo e diz que no ano passado tínhamos a promoção (de menos 10 euros) por termos um determinado pacote, mas só por um ano.
- Mas não pode voltar à prestação antiga?
- Não. Posso é dar-lhe mais dois canais.
- "Menina" mas eu não quero mais canais . Eu quero é menos dinheiro para pagar.
- Não se pode - diz ela meio combalida. - Posso aumentar a velocidade da net.
- Menina, eu não quero mais velocidade, a que tenho dá para mim. Eu quero é pagar menos.
- Pois...o senhor já tem tudo...
Foi falar com a chefe.
- Olhe, a chefe disse que como o senhor é um cliente antigo e nunca houve problemas, então dá mais um ano de promoção.
- Sabes, eu fui o segundo cliente a quem colocaram a TV por cabo. O primeiro foi o Alberto João Jardim. - Respondeu o meu senhor. (Lá isto foi verdade)
E eu ao escrever isto penso que: "quem não chora não mama."

Hoje...

...O berço nem arrefeceu. Levantou-se a Pulguinha pelas 10 horas, deitou-se o Pulguito pelas 10:30.

Chimeca

O Pulguito é um chimequinha (é). Mas tão pestanudo e sorridente.

Chimeca
Diz-se que tem origem na palavra inglesa shoemaker (sapateiro), outrora inscrita numa sapataria da cidade do Funchal, cujo dono era de estatura relativamente pequena. Assim, na linguagem popular madeirense, por corrupção, ficou chimeco para caracterizar um homem de pequena estatura.

A primeira colheita


Hoje colhi as primeiras alfaces nadas e criadas aqui no meu rural.
E soube tãããããããããããão bem trincá-las!
Mhan... mhan...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Mexer em cocó

Dizem que mexer em cocó é sinal de muito dinheiro.
Não sei não. Se entrasse a quantidade de dinheiro quanto a quantidade de cocó que sai do rabinho da Pulguinha e que eu limpo e mexo quando lhe lavo o"rabiosque" estava na lista da Forbes como a mulher mais rica de Portugal.

Ontem fui a Rabat

Ou melhor dizendo: ontem fui en rabade. Aliás aldrabada. "Aquintrodia" fui entregar a biopsia para analise no centro de patologia da mama. Ao entregar a funcionaria pede-me 10 euros. Não tinha na mão (pois só levara o frasquinho) e fui ao carro buscar a carteira. Saquei da nota e entrego.
Ontem fui levantar o resultado.
- Tem o "papelinho"?
- Que papelinho?
- O que lhe dei para depois apresentar no acto da entrega.
Irra, procuro e não encontro. Tiro tudo do porta-moedas e nada nem sinal dele. Eram recibos para trocas de roupa do natal. Eram os talões do pagamento das roupas, a carta de condução, o cartão de cidadão, as fotografias da Família Pulguedo.
E ela a olhar para mim com a mão a apoiar o queixo.
- Olhe, não encontro. Deu-me?
- Sim senhora (lá educada era ela).
Lá se dignou a procura só com o cartão e a requisição médica e ...encontrou.
- São 10 euros.
- Mas eu já paguei!
- Não pagou, não, senhora.
E para evitar escândalos...e escandaleiras...
Paguei mais 10 euros e nem recibo pelos primeiros10 nem pelos segundos. Lá "escarrei" 20 euros por um exame que custa 10...
Por isso digo e repito. FUI A RABAT.

Mas é sempre...

Acontece imensas vezes. Desaparece alguma coisa. Procura-se em todo o sítio (excepto no sítio onde está, obviamente). Compra-se um outro para substituir. E logo de seguida aparece o desaparecido.É tão engraçado ou como dizem os franceses itessse sau fani...
Foi o que aconteceu com o bálsamo do nariz e boca da Pulguinha. Desapareceu. Julguei que estava nos "pendurilhos" (obrigada Noris) de Natal.
Cá nada! Hoje Pulguinha olhava para mim e dizia: iiiiiisssssssss (nariz) e apontava com o seu dedo em riste para debaixo do sofá. Eu disse-lhe :"Agacha-te e tira".
- Não. Avó. (poça que bem que sabe mandar). Era o bendito do dito que "havera" desaparecido!
(hei, alto lá...não pensem que eu não procurei debaixo do sofá...procurei mal...)

Dedo em riste ...e ris-te

A Pulguinha é cá uma "mandona". Agora é vê-la de dedo esticado em posição de mandar e em alta voz: NÃO. Logo de seguida com o batimento de mão fechada na mesa acompanhado de um sonoro: NÃO.
Poça pequena...sais à tua avó...

Coisa estrambólica!

Hoje vi um guarda-chuva ou regedor como se diz cá na Madeira rural, quadrado. Até aqui só conhecia redondos. Estranho.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Hã? O quê?

Quando estou no PC tenho sempre a TV ligada. Hoje estava tão embrenhada na minha escrita e como "aquintrodia" o meu senhor entrou, falou comigo e não lhe dei "trela" hoje assim que ouvi alguém que não eu a falar respondi: Hã? O quê?
Engano. Alguém falava, sim, mas não para mim...Era a publicidade na televisão!
Tenho de me convencer: "ando de pernas para o ar...", "a minha cabeça já deu o que tinha a dar..." ou como diz a etiqueta: a minha cabeça já não é o que era.

Hoje...

...Logo quando acordei olhei pela janela. Hummmm, não estou a ver bem? Tenho os olhos ainda com sono? Fui buscar os óculos. Coloquei no nariz e orelhas, claro. Continuei sem ver nada. Olho para eles. Estarão embaciados? Limpo-os.
Nada. Continuo sem ver nada na rua.
Ah...pois...."navoeiro" é o que é...a entrar pela janela dentro...

Até...

...Quando é que se deseja "Bom Ano" às pessoas que nos cruzamos na rua ou que nos telefonam? Até o Carnaval? Ou já acabou?

Miguel

Meu cunhado. AVoGi
Era hoje que farias 51 anos.

Ultimamente...



...Tenho andado assim. De cabeça para baixo. Ou como dizem os ingleses up side down.

Hora do banho

Ao chegar a casa vinda da Família Pulguedo, pelas 20 horas a tia-velha dormia. Acordo-a para cortar o cabelo, banhar-se e jantar.
- Mas que horas são?
- São 8 horas. Vamos levantar.
- Da manhã? - Pergunta ela.
E começa a ladaínha e os queixumes."Não quero", "Já tou deitada", "fica para amanhã".
- Não. É hoje. Toca a levantar.
- E depois posso deitar-me?
- Claro, depois de jantar.
- Ainda não jantei?
- Não. É logo que acabe de tomar banho. E depois pode vir deitar-se
- Não me deito com a cabeça molhada. "Lavar e deitar-se é o mesmo que matar-se"- remata ela.

Assim...

...Que eu tenha muito dinheiro contrato um Ambrósio, não para me dar Ferrero Rocher, mas para conduzir por mim num dia de chuva e nevoeiro como o de hoje!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Acaso...

....Alguém sabe onde minha tia pôs os dentes?

É que eu não. Já procurei e não os encontro.
Será que estão dentro das caixas das arrumações? O protector dos lábios e nariz das Pulgas também desapareceu...no dia de ontem... desmanchar o pinheiro... caixas abertas... montes de espiguilha...bolas...fios... gambiarras...laços...
Hummmmm...não sei não...

Ao jantar

À noite, estava na cozinha a preparar o jantar...
- Queres salmão, pescada, atum...
- Pode ser salmão- responde o meu senhor.
- Não estou a falar contigo. Estou a falar com o Fuscas. Para nós é sopa.
Fuscas é o gato.

Por que...

...É que o Senhor Manuel (jurado) dos Ídolos não esteve presente ontem? Alguém sabe? Logo na gala em que os Anjos foram convidados!
Quem sabe divulgue...

GripÁ

A propagação da gripÁ não se faz pela saliva também?
É que continuo a ver as pessoas mudando a página do diário, com o dedo ensopado de saliva!
Bharc...

Desculpas

Estávamos a arrumar os materiais de Natal nas caixas. Eu e o avô. As Pulgas saltavam e brincavam.
A Pulga maior com uma boneca ao colo, a ninar, bem agasalhada (embrulhada numa manta minha) preparada para dormir. Embalava o bebé.
Antes que eu pedisse ajuda, diz-me:
-Avó, não te posso ajudar. Tenho o bebé ao colo e vai dormir.
- Então deita-o.
- Daqui a pouco!
Desculpas, só desculpas para não me ajudar. Bem percebi. Quem não te conhece que te compre...em saldos... por metade do preço...

A festa acabou

Por aqui as Festas chegaram ao fim com o desmontar do pinheiro e de toda a decoração referente à época.
Ainda ontem com as Pulgas cá em casa disse.
-Hoje vamos desmontar o pinheiro.
Ao longe oiço: Plimmmmmmm... plonc... plonc... plonc.
Para o ano tenho mais bolas (mais pequenas).
A Pulguinha foi à árvore... ajudar...e logo uma bola caiu...e desfez-se em muitas....bolinhas...minúsculas.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Desejo Profundo da Pulga

...Quando eu for grande como tu também vou pôr pastilhas na boca e fazer bolas. Dizia a Pulga extasiada com as bolas de gâmesse que eu fazia...

Pela tarde

Toda a tarde a Pulga namorou as botas que eu tinha nos pés.
- Avó. Avó. Quando eu chegar à casa da avó vou calçar essas botas.. (É que nem pergunta se pode...)
- Estas são muito altas!
- Não são. Eu gosto assim.
Pelo caminho adormeceu, mas assim que chegou a casa, ainda com o sono nos olhos já pedia as botas. E eu ainda as tinha nos pés...
-Toma lá. Calça. Mas são muito altas.
Calçou. Tirou e diz-me:
- Agora eu acho, mas daqui a pouco eu não achia.
(Agora eu acho, mas ainda há pouco eu não achava)
Andando e aprendendo...a acreditar nos adultos.

Velhas

No café pedi um galão e o meu senhor um garoto. Vieram dois rebuçados.
Diz logo a Pulga:
- Estes bombons são para as velhas.- Pois ela sabe que não deve chupar.
- Hã? Para quem?
- Para as velhas.- Reforça ela com aqueles olhos cor de azeitona verde muito abertos e expressivos.
- E quem são as velhas?
- A bi e a titia.- E logo me mete ao bolso os rebuçados.
E eu o que serei na boca desta pequena? É que ela já me chama "avozinha"!

Parece uma entravadinha!

A minha tia está cada vez pior. Não quer andar, comer, se levantar. Passa o dia sentada no sofá ou na cama. A eterna desculpa:"As minhas pernas".
Já tenho falado a bem já tenho dado "rezonda". De nada serve. "Não posso" é o que mais se ouve. Ainda hoje tinha uma eco para fazer, mas como não anda (somente arrasta as pernas) desmarquei.
Saí de casa deixei-a sentada na cama. Chego e estava na mesma posição.
Já anda cambada(com as pernas tortas)
Mas como digo só falta ""entrevar"

entrevado (è)

Paralítico; aquele que, por doença, está impossibilitado de sair de casa ou da cama; tolhido.

entrevar - Conjugar

1. Cobrir ou rodear de trevas.
2. Tolher os movimentos das articulações; tornar paralítico.

3. Perder o movimento das articulações; ficar entrevado.

Olha, ouvi dizer...

....Que há homens que urinam sentados como as mulheres?
Sempre pensei que uma das diferenças de sexo fosse mesmo isso. O fazer chichi. Homens de pé mulheres sentadas. Afinal não. Até nisto os homens imitam-nos. Alguns.
Hummmmm, vou experimentar fazer de pé a ver como me saio.

Arrotechoques

Arrotos chocos

Qual a causa de ter arroto choco? 

É ocasionado por uma má digestão dos alimentos.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Não sei porquê?

...Mas hoje tou com "arrotechoques".

Agradeço à minha filha

É sempre bom.
Quando fizemos 25 anos anos de casamento a minha filha mobilizou toda a família para participar monetariamente. Juntou o dinheiro para fazermos um cruzeiro.
Lá fomos ao nosso primeiro.
Gostámos e retribuímos quatro anos depois.
Daqui a um ano faremos 33 anos. Vamos jantar? Ou cruzeirar?

Jantar de 32 anos

E lá fomos para o jantar de comemoração dos 32 anos cá do rural.
Espaço fino e pequeno, muito acolhedor. Alguns estrangeiros a jantar; poucos porque o espaço não permite aglomerados. Silêncio. Sim, que os estrangeiros não fazem o estardalhaço que os portugueses fazem (alguns) quando se juntam para festejar. Feitios!
Na sala só ouvíamos os talheres a tilintar...
Digo eu ao meu senhor....
- Daqui a pouco chegam as Pulgas e com elas o barulho...
Não estavam crianças, só velhos, perdão, casalinhos da minha idade. Não, nós éramos o casalinho mais jovem até chegar a Família Pulguedo.
Na rua já as Pulgas "tão a açanar"...
- Prepara-te para a alegria...- digo eu.
E o meu senhor que é dado também à educação na mesa diz já preocupado porque o Pulguito quando quer comer faz birra.
-Bem, o Gugu já vem mamado...
Desatei a rir pois a expressão "mamado " refere-se quando alguém vem "inspirado", com o "morango inchado" em suma ...bêbedo.

Quem sai aos seus

Quando eu pensava que era a única...descubro que a minha filha também é louca como a mãe!
Ontem estávamos a conversar a propósito do frasco de café e da mijadela da minha tia e diz-me ela.
- Não era melhor teres posto um funil? Assim já caía direito no frasquinho!
Bem...eu comecei a imaginar... a tia-velha... escancarada... de pernas abertas... como a porta da Sé...no poliban...com um funil verde... que eu tenho...bem grande...na"boca do corpo"...e o frasquinho minúsculo....na ponta do funil....

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Uma grande diferença

A minha tia é uma "mijona" compulsiva. Levanta-se para fazer chichi e senta-se para fazer chichi. Passa o dia nisto. Ontem que era necessário a análise de urina não tinha vontade. Só visto! Mas mesmo assim levei-a à casa de banho com um frasquinho minúsculo para fazer um chichizinho.
Coloca o frasco no sítio por onde havia de sair a urina claro, mas treme das mãos, abana para frente abana para trás...
Et voilá! As poucas gotas não entram! Mas ficam no chão, nas cuecas e na manga da minha camisola.
Na rua falo com o enfermeiro e dá-me um frasco igual para fazer em casa e entregar à posteriori.
Fiz-lhe umas perguntas...
E hoje coloquei-a no poliban com um frasco de café (Mokambo, dos grandes) e...lá fez (por fora e por dentro). Transladei então para o minúsculo e... já foi para análise.

Homónimas

Alice Rodrigues. Nome da minha tia e de uma senhora amiga minha de longa data. Ambas residem na mesma freguesia, ambas frequentam a mesma clínica. Uma tem 84 a outra 77 anos.
Por acaso hoje e como sou curiosa reparei nas requisições e admirei-me de ver escrito que Alice Rodrigues tinha ido às urgências no dia 31 de Dezembro.
"Ó diacho!  Veio sozinha?" Reparo na idade e morada. Claro. Não era a minha tia!
Desfeita a falsa identidade toca a fazer novo processo.
Eram 2 (pessoas homónimas) em 1(processo).

Já sabia que ia dar bota!

Devido à constipação, tosse e cansaço lá levei a tia-velha à clínica de Santa Luzia às Urgências, porque ir ao Hospital era sinal de...vai-e-vem-para-casa-com-ben-uron-e-brufen.
O médico resolve pedir um raio X ao tórax.
Lá vamos cantando bem calados, para a sala de radiologia.
A técnica olha para mim e pede-me para sair. "A titia vai ficar aqui sozinha!? - pensei eu - Vai dar merdalhoca.
Saí.
Na rua ouço-a pedir: "dona Alice levante os braços". Ora pedir a uma velhota com desequilibro e ajuda de bengala que não dá um passo sem ela, levantar e estar quieta de braços no ar como a fazer a onda, só pode dar bota.
- "Dona Alice esteja quieta e levante os braços"
- Ai qu´eu vô caire....!
- Não cai - dizia ela.
- Vou-me sentar. E senta-se.
- Nãoooooo.

Bem. Entrei para o quarto contíguo. Olho pelo postigo e vejo a técnica já a revirar os olhos. Arfava como um cachorro. De cada vez que ela saía do pé da minha tia ela baixava os braços.
Tive de intervir.
- Não posso ficar aqui e ajudar a segurar?- perguntei.
- Vista esta bata - ordenou. Obedeci. Quase que ia ao chão com o peso dela. Era de chumbo.
Então coloquei-me de frente para minha tia, ela colocou as mãos nos meus ombros e lá se fez o exame.
Ufa...
E depois houve necessidade de repetir...

Olha, ouvi dizer...

...Que há campanha a favor e campanha contra o Carlos dos Ídolos? Haja consenso.
E também há processo dos autores da musica dos Anjos ao senhor Manuel? Haja justiça.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

E mais...

Com calma contarei as últimas cá da tia.
É que são tantas que nem sei por onde começar!
Neste momento está sentada na sala e daqui oiço-a a falar ....sozinha.

Última descoberta

Depois de ter passado uma tarde (das 14:30 às 21:00) na clínica por conta da tia-velha, eis que se descobre ao fim de 84 anos, que ela tem o coração ao contrário.
Em vez de estar virado para a esquerda está para a direita.

Neve a cair


Minha irmã mandou-me uma fotografia tirada hoje na casa do meu sobrinho, em Purfleet, nas margens do Thames.

A minha sobrinha na rua a fumar um cigarrinho.

A mensagem dizia: "vê a neve a cair".
Mas não vi.

Porque...

...razão vou jantar fora (nem sei onde, é surpresa da família Pulguedo) amanhã dia 7 de Janeiro?
Hã? Como?
Sim...sim...vou jantar fora. Não...não é pôr a mesa no "torreiro" (quintal) que tá frio. É mesmo ...fora.
 Como dizem as crianças: quem sabe não diz.
Não fiquem assim... de beiças...
Eu digo....
Mas não hoje....
Eu rebento... se não digo...não aguento mais....
Pronto...é que...faço 32 anos...

Não disse esta, mas também é mania

Se há coisas que detesto é ser convidada para jantar na casa de alguém e os da casa, neste caso, os filhos, ainda nem todos acabaram a refeição e já andam pelo ar, se levantam da mesa e embuseiram-se no sofá, ficando à mesa os que ainda não concluíram (neste caso eu e o meu senhor) e os que têm educação.
Detesto, mas detesto mesmo. Apetece-me chamá-los à razão e fazer um estardalhaço.
Que falta de educação não esperarem que todos tenham acabado!
Na minha casa, aliás na minha família, ninguém nem as Pulgas se levantam da mesa se ainda houver gente a comer...
Ai delas! Não é com a filha mais nova da minha mãe (eu) nem com a neta mais nova da minha mãe (Mãe Pulga).

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Whisky de golinho a golinho dá carraspana

A tia-velha adora beber um copinho de whisky. Logo de manhã, para aquecer, lá emborca um pela goela abaixo.
Nestes dias tem estado doente, tosse, frio, e alguma expectoração.
Claro o hábito de beber um cálice aumenta devido à tosse ao frio.
Eu fui aviar a receita do xarope para a tosse e pastilhas.
Ontem a vizinha liga-me a dizer que a tia não está bem.
- Não está bem?- Fiquei a pensar no pior.
- Nãoooo. Ela tá baralhada. A "variar" (delirar). Ainda há pouco não me conhecia, confundiu-me com a sua sogra. Não se levanta da cama...
- Espere. Vá ver se a garrafa do whisky está na mesma medida. Será que ela anda a beber e a tomar as pastilhas?
- Ai menina...deve ser isso....

Reparação

A torradeira cá do rural bifou, quer dizer... deu o berro ou deu à costa.
Lá foi o meu senhor com ela debaixo da sovaqueira, (perdão, do braço na zona junto à axila, naquela curvatura entre o ...bem já se sabe...).
Ao chegar à loja das reparações coloca a dita em cima do balcão e diz de que mal se queixa ela.
- Ah, são dois euros e meio- diz a funcionária.
- Para consertar?- pergunta o meu senhor que também é torto como um cajado.
- Não...o conserto não sei quanto é ...só depois...
- Então para que são os 2,50€?
- Para desmontar. É o pagamento da mão de obra...O mestre abre...e vê se tem conserto...
- E se não tiver conserto?- voltou à carga com a triste que já nem sabia o que dizer...
- Se...não tiver conserto perde os 2,50€...
- E se tiver?
- Desconta-se no total do conserto.
- Bom negócio....Vou abrir uma loja de reparações. E nada vai ter conserto. É só para desmontar...
E se fosse eu que também sou torta, mais torta, perguntar-lhe-ia se para voltar a montar mesmo sem ter conserto se teria de pagar mais dois euros e meio. Aí é que ela ia cair de cu...

Idosos são todos iguais

Esta não se passou com minha tia mas com a mãe de um amigo meu que por sinal tem as mesmas teimosias e atitudes que a minha tia-velha, embora tenha menos 10 anos.
A mãe dele diz que só vê a SIC. Ele admirava-se pois os comentários que ela fazia eram de programas da TVI.
Resolve ir a casa da mãe e constata que a tv está na TVI. E diz-lhe:"a mãe diz que só vê a SIC, mas este canal é a TVI!
- Então eu não sei ?
Ele pergunta.
- Mãe, que canal é este que está ver?
- A SIC.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Esperteza a mais

A Pulguinha no café gosta de limpara a mesa e por consequência agarra no suporte dos guardanapos e puxa. Algumas vezes saem alguns e como sei disso, logo que entro dou-lhe dois ou três para se entreter a limpar a mesa.
Mas hoje a "gasguita" limpa a mesa e deita os dois guardanapos fora, assim logo que limpa.
Disse-lhe:"Não há mais. Acabou. Agora a mesa está limpa".
Bem, a madame mete o dedo na boca, roda, roda, ensopa de cuspo e esfrega na mesa.
Olha para mim e....
-Tá xujo - e apontava para os guardanapos...

Entre churrica e rabiço lá foi

O meu bisalho, nestes dias, mais precisamente na véspera de ir, deu-lhe uma chorrica valente e rabiçou muito.
Ia semenos e enfezado!
Coitado! Tinha o pandulho que mais parecia um tambor.

Não entendo. Ou sou burra ou sou estúpida

O que procura um programa como o "Ídolos? Não é um ídolo pop?
Não entendo aquele jurado: o Manuel. Ele no início disse que o Carlos era o protótipo dum ídolo: mexia-se, ponha o público a participar...
Ontem disse o oposto.
No princípio o senhor Manuel disse que ele era bom enquanto que a opinião do Pedro era que" se mexia muito" agora é o inverso?
Senhor Manuel pode dizer tudo o que lhe apetecer pois como disse e bem "há 35 anos que existe liberdade de expressão" não deve é ser rude e mal educado e convém manter os seus gostos. A liberdade, sua, começa quando a dos outros acaba; estas são as suas palavras.
So what?
Você diz barbaridades...o público apupa.Falou da má educação do público? E a sua? Oh diabo! Não entendo. Os outros é que são mal educados?
Os Anjos não são pimba, o Carlos não é pimba. E quanto à forma de falar ...sim o Carlos diz muito "ya" mas você diz e muito "os gajos"," pá" e "tou-me nas tintas".
E mais... num concurso há que ter cuidado com as palavras escolhidas... e ditas..."espero que não ganhes este concurso".
Oh senhor Manuel o que esperam os 7 concorrentes? Não será ganhar?

Ainda dizem que sou lésbica

A minha tia tem a língua muito solta e agora deu-lhe para implicar com a vizinha que dorme lá em casa dela e na mesma cama (porque tem medo da chuva).
É certo que há mais camas vagas (as dos meus filhos quando lá vivi. Ainda estão armadas.)
Num destes dias a minha tia queixava-se que "a outra" como a chama está sempre lá (em casa) não se tira de lá, blá blá..." e qualquer dia ainda dizem que somos lésbicas".
Ora o diabo da velha soltou-lhe a língua depois dos 84 anos!

Mama mama mama

Por estes dias foi o que mais se ouviu.
- Bebé, mama.
A Pulguinha devido à sua vivência (pois vê a mãe todo o dia com a mama de fora), também dá mama ao bebé. Então agarra na cadeira, leva para um determinado sítio senta-se e....
1ª dificuldade- tem o body vestido. Não pode pôr a mama de fora.
Vem para mim e pede para tirá-lo. (Claro que tiro e anda com ponta de fora).
Senta-se, levanta a roupa, põe a mama de fora e bebé a mamar.
Descanso! Pelo menos fica um bocado sentada. É que esta "destravada" não pára um instante.

Barrigudo

Teve imensa piada quando eu disse ao Sobrinho - o amigo de Peniche que esteve cá para a passagem do ano...
- Come mais. Serve-te.
Estávamos sentados à mesa na hora do almoço.
- Não posso mais. Tenho comido tanto! - E acariciava a barriga já com uma leve proeminência.- Não posso mais, a sério! Ainda saio daqui com uma barriga igual à do pai do Bisalho!
Risos. E o pai do Bisalho:o meu senhor.....a rir, mas para dentro.

Tás tontinha?

Adoro falar madeirense já toda a gente constatou, mas chamarem-me "tontinha" ao usar palavras nossas isso nunca tinha acontecido. E veio da boca duma "gasguita" de 3 anos e 11 meses- a Pulga.
Subíamos as escadas e digo eu.
- Ai.. ai... tou a rebentar... tenho de ir ao quarto de banho.
- Não é quarto de banho. É casa de banho - emenda ela.
- Ui... ui... vou ao quarto de banho fazer pipi e pupu.
- Pipi e pupu? Não é pipi e pupu. É chichi e cocó.
- Eu vou fazer pipi e pupu...
- Avó? Tás tontinha?!
Esta já fala à política...(diz-se quando alguém fala sem a pronúncia madeirense)

Voltei

Depois de alguma ausência (desde o ano velho) regresso ao este mundo. Fiquei encegueirada com os foguetes, com os óculos embaciados e surda dos ouvidos (hihi), mas o pior foi ter-me transformado em gata borralheira. Não larguei o borralho nem por um instante.
No primeiro dia do ano tive um molhe de gente para o jantar (família e amigos). No dia 2 novamente gente, mas desta vez só família mais chegada e amigos do meu bisalho.
Espetada com semilhas, e sarralhas, perdão alface.
No dia 3, dia de ir ao aeroporto despedir do bisalho pelas 17 horas e novamente às 23 deixar o amigo que ficou cá em casa.
Por isso o ano novo trouxe uma Gata Borralheira. Mas o feitiço acabou. Voltei a ser a AvoGi.
Já tinha saudades.