Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eu confesso-me...

...Também aderi ao botox.
Sim confesso. Aderi à moda. Tenho botox. Localizado na barriga. Onde todas as mulheres (e também alguns homens) tiram eu coloco. Tenho um pneu , uma auréola, um bocado de botox em volta da cintura. Nasceu normalmente. Estou na moda. E não gastei um cêntimo. Tenho de engordar mais para ficar com as bochechas cheias. Rás parta a comida do Norte. Rás parta esta camada de gordura que me envolve as entranhas e me tapa os ossos.

Gordura é formosura?

Este dito antigo aplica-se na íntegra actualmente. Quantas mulheres já colocaram gordura na cara para suavizar as rugas? E de onde se retira a gordura?
Pois é...retira-se litros de gordura do rabo e coloca-se nas bochechas. (Se minha avó fosse viva.... diria que o mundo está a acabar.)
A propósito a minha sogra é gorda, cara de lua cheia e olhando para ela a sua pele está esticada, plana, rosada (efeito da gordura natural.)
E by the way quando alguém emagrece o que se diz? "Tás velha!"
Antigamente se víamos alguém gordo dizíamos: "Tás bonita! Tás gorda."
Mais nada certo:"gordura é formosura."
(Isto veio a propósito do programa que estou a ver: Dr. 90210. Há cada pancada, cruzes!)

Dialecto madeirense

Se já a nossa pronúncia é difícil de se entender, imagine-se quando se acrescenta uma tradução ingleso-madeirense.
Ouvido hoje no Tele-Jornal da Madeira. O jornalista estava a falar de um projecto desenvolvido ou a desenvolver pela Junta de Santo António chamado: Xpress Xmas. Ora vamos lá à tradução fonética do projecto: acompanhem-me a silabar:Chis-pre-sse chis-mas.
Hã? Não perceberam? Eu também não estava a perceber. Nem ele o jornalista. Não se apercebendo que era inglês toca a ler em madeirense.: chispresse chismas em vez de :ecs-press christ-mas.
Não há nada como ler sem se preocupar com a fonética correcta. Mas vá lá ele percebeu e rectificou.

Há duas coisas na vida

Diz a quadra que:
"Há duas coisas na vida
que para a mulher é um tormento
ter os sapatos apertados
e o marido ciumento"

Só me lembrava desta quadra todo o tempo em que vi as pequenas em cima de uns andaimes chamados sapatos. Elas já não podiam. Além de serem altos eram novos. Ora" piquienas" que geralmente andam de sapatilhas; hoje para a bênção das capas calçaram sapatos de salto bem alto e não os usaram antes para não esfolarem a biqueira. Resultado: pernas tortas, joelhos flectidos e dores muitas dores.
Uma das minhas antigas alunas estava contorcida de cara e pés. Até lhe disse: "na igreja tira os sapatos."
Era a cara empoada cheia de brilhantes e pó de arroz com maquilhagem pesada, os cabelos arranjados no alto num carrapito.
De certeza que por esta hora já jogaram os filha da mãe dos sapatos e calçaram as sapatilhas. E fizeram bem. "Olarilha"

Quando se quer passar despercebida não se consegue

Estava eu a ver o cortejo dos finalistas a passar quando ao longe vejo uma antiga colega (bem chata por sinal) a aparecer.
Olho para trás a fim de evitar cruzar o olhar, tentando que ela não me visse. Até que alguém atrás de mim chama por ela.
"Bonito serviço" pensei eu. Calhou que ela não ouviu.
Volto a olhar para a frente a ver o cortejo quando alguém me empurra tentando colocar-se à minha frente.
Fiquei fula. Detesto que me empurrem e se ponham à minha frente sem respeitar o espaço. Olho para a intrusa a fim de lhe dizer algo , mas a boca ficou aberta e....
- Olá colega!-diz-me ela.
"Jesus". Não me safo agora. Nunca mais descolou do meu lado. "Deu-me o gancho" (meteu o braço dela no meu) e ficámos de braço dado.
Claro já não foi a mesma coisa! Falou dos netos (que são espertos, que têm boas notas, que estão na faculdade com médias altas). Falou dos filhos, das noras (tudo boa gente) e só depois é que perguntou por mim: O que fazia, onde estava a leccionar, se tinha netos. Depois despediu-se e.... fiquei aliviada. Chiça, há cada melga.

Benção das Capas

Hoje de tarde fui à Sé Catedral à bênção das capas de um grupo de antigos alunos.
Antigamente era um acto solene. As ruas fechavam ao trânsito. Hoje em dia não. Os alunos tiveram de subir a Rua Fernão de Ornelas apinhados em cima do passeio.
Eu quase que não os reconhecia. Entre o crescimento próprio da idade, as borbulhas na cara, também o facto de estarem de fato preto, com cabelos levantados, cara maquilhada faz com seja difícil o reconhecimento das carinhas de há 10 anos atrás.
Até que ouvi:"Professora" e claro, soube que era para mim.
Entre os beijinhos, abracinhos e miminhos o "obrigada" ouvi bem. "Obrigada por tudo".
Até houve uma que me beijou a mão. Imaginem!
São tão, mas tão queridas estas pequenas!

domingo, 29 de novembro de 2009

Faz o que eu digo não faças o que eu faço

Todos os domingos vamos em peso jantar a casa da minha sogra. Eu costumo dizer que é ao CDS (Casa Da Sogra). Hoje não foi excepção. Depois do jantar é hora de rumar até casa.
À saída a minha filha manda que as Pulgas dêem beijinhos a todos: "vai dar beijinhos ao tio. Vai dar beijinhos à tia, beijinhos à prima, à avó, ao avô, à bi, à outra tia, à outra prima, a mais uma prima
Certo que as Pulgas bem ensinadas dão beijos a todos conforme é exigido. Mas a minha filha esquece-se ela própria de dar beijos. Eu sou a vítima. Esquece-se sempre de mim. Não recebo um beijinhos dela. (também não reparei se ela deu aos outros e se foi a mim que não deu).
"Paciência" dirá ela ao ler este post.

Pensamento meu

"O nosso país progrediu em todos os parâmetros, progrediu em toda a linha", disse Isabel Alçada, que hoje participou numa reunião com os seus homólogos da União Europeia (UE).
Senhora ministra pergunto eu: que linha?
Hummmm , será que confundiu com o tema do seu novo livro?
A criação do programa Novas Oportunidades - que permite o regresso à escola de pessoas que a tinham abandonado precocemente - e a generalização da educação pré-escolar foram medidas destacadas pela governante.
Será esta a linha? A aposta nas Novas Oportunidades (adultos já com empregos) e na Pré-Escolar (crianças de 5 anos)?
Pelo meio ficam os jovens que estão nas universidades sem hipótese de emprego...
(in Público)

Pensamento meu

Lembrei que para piorar a coisa (a tal magia do Natal) pela primeira vez no meu dia de anos (que é uma semana antes da "Festa") não tenho o meu bisalho!
Ele só chega dia 23 de Dezembro! Ainda vem a tempo da "Noite do Mercado."
Pronto, pronto, vou ali encharcar um lenço de papel. E fungar um pedacinho.

A propósito

Ainda há pouco um nadinha antes de escrever este post estive na rua, no "terreiro", na "fazenda" a plantar as alfaces, as couves, os tomateiros e as ervas aromáticas. Ao sol de Outono! Com calções, mangas curtas, chinelas.
Como posso lembrar-me do Natal? Natal para mim simboliza frio, neve, geada, lareira acesa (como "aquintrodia" na casa do projecto-nora). Mas aqui no meu rural... ainda andamos de mangas-cava, de calções, de canela ao léu...
Se calhar quando o frio chegar... se eu estivesse no "contenente"...se estivesse em Londres, (junto dos meus irmãos que me dizem que está um frio de rachar), se....acertasse nos números do totoloto, ou do euro milhões poderia ir para a Lapónia e pedia ao Pai-Natal para me trazer no trenó. Ah! Aí sim! No frio, na neve sentiria o Natal.
Talvez se já fizesse a "lapinha"...
Bem... vou começar a mentalizar-me (já é o início).... vou ver as montras decoradas... as iluminações das ruas...vou começar a gastar dinheiro...
Depois digo "alcoisa."

sábado, 28 de novembro de 2009

Natal? Quando?

Onde é que se pode comprar os pozinhos de perlimpimpim?
Eu preciso que penetre em mim o espírito natalício! E só com um pouco de magia...um pouco de pozinhos... só assim...
O que se passa comigo? Será por estar jubilada? Será a falta de alunos? (Credo cruzes gafanhoto). Espero bem que não, mas é que...nada me faz lembrar a época que se avizinha.

Bilhardeira esta Pulga!

A Pulga saiu-me uma bilhardeira. Pior que isso...nem sei como se chama, se calhar bilhardeirona ou bilhardeirão.
Tudo o que se passa quando está comigo vai bilhardar para casa. É que é mesmo tudo!
Então não é que hoje a Pulguinha dormia quando fomos à padaria e ficou no carro? A Pulga que não guarda segredo, bumba, foi logo contar à mãe.
Imaginem se fosse alguma coisa de pior? Já não me atrevo! Qualquer dia "aconchego-lhe o rabo" ou melhor "aqueço-lhe o pêlo" e que vá de "carreira" dizer à mãe.
Já sei, da próxima vez, de castigo, ela fica dentro do carro. E que berre que eu não oiço...
Vai ver o que é bom para a tosse!
Vai levar um xarope de "correia". Enquanto se alembrar não vai "chibar".
E vem a mami tirar perguntas (estou-me a rir, alto lá). Da próxima levam as duas.
Hã? Tás-me a ouvir? Da próxima levas. Atreve-te a ir contar tudo "tim tim por tim tim" (ai ai o que a avó sofre...com estas bilhardices...)
Tou a caçoar. Nem fico zangada...aliás, até sei que a minha filha diz-me porque sabe que eu não fico com "fraima."
E depois...quem sai aos seus... não bebe genebra( hihihi)

Cores de Outono

Decididamente, Outono é fora do meu rural. Galiza, Londres, Portugal Continental (sei que há mais sítios, mas foi nestes que constatei, falo com conhecimento de causa) é onde se pode observar as tonalidades das árvores, as cores de Outono, as folhas secas no chão, amontoadas.

Ver mais . 

Ultimamente...

...a palavra de ordem é "paciência...paciência paciência"...
Tinha dado uma hora da manhã no relógio da cozinha da casa da cunhada. Disse eu ao mê senhor: São horas de irmos. Temos as "piquienas" para deitar.
No carro, à vinda a mais" piquiena" "pegou no sono" já perto de casa. A mais velha com as "bagalhonças" bem abertas, a conversar.
Eu a "dar corda" a ver se a coisa aguentava até casa.
O avô fazia conversa de circunstância...
Mostrava a rua, falava da festa. Olhou para trás, para as cadeiras delas e disse:
- Oh...a Pulguinha já dorme!
- Paciência! - responde a Pulga.
Pois, pois, paciência para levar as duas, "passadas" (degraus) acima.
Mas agora a palavra "paciência" é usada em tudo.
-"Não comes mais?" -" Não, não me apetece. Paciência".
-"Arruma os brinquedos".- "Agora não posso. Paciência".
- "Não jogues os brinquedos para o chão."- "Cairam. Paciencia"

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

No meu rural

 No meu rural, na minha lha da Madeira, o Outono não fica com as tonalidades vistas noutras cidades.
A minha ilha é sempre verde e as árvores estão constantemente floridas. No Outono há sempre flores.

E não é que...

...tenho andado a catalogar, separar, seleccionar fotografias (antes da era digital) e num instantinho (enquanto escrevia o post sobre o Natal) a Pulguinha (que está comigo por que está doente) me baralhou, escangalhou e "trompicou-me" isto tudo?
"Mal injusto!"
Tenho uma "gavela" de fotos todas espalhadas pelo chão. "Que consciência!"
Toca a fazer tudo de novo!
Ai Pulguinha Pulguinha, vou-te dar "tau-tau" no "rabichol".
E não é que eu zango-me com ela e ela ri-se? De mim? Como se eu não falasse a sério!!
Olha ela... que também não me leva em conta!!

Natal

Menos de um mês nos separa do Natal.
E eu estou vazia, oca, sem conteúdo. Nem as decorações, nem as árvores gigantescas, nem os laços, as bolas, os pais-Natal, nada rien de rien.
Só pode ser efeitos do Marketing. É que decorar as lojas, os super e afins em Setembro, esquecendo que ainda há o Pão-por-Deus e o São Martinho faz-me chegar a esta altura e olhar com desagrado para toda aquela decoração natalícia.
Pronto, não gosto. Estes atropelos deviam de acabar.
Deixemos o espírito natalício para o mês de Dezembro. Aí sim.
É que chegando a Dezembro ficamos todos fartos de árvores, bolas, enfeites.
E os lojistas em Dezembro já vão colocar nas prateleiras objectos de...Carnaval? Ou o cabrito e ovos de Páscoa?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Orio-porto

Como alguém que também adora estes regionalismos (Thank U Mrs Noris) me deixou num comentário, também há madeirenses que dizem "orioporto". É verdade Mrs Noris, mas esses são os que falam "à política".

Avergar as arcas

Sempre que as Pulgas ficam de tarde comigo brincam com os "brincos" delas. Assim que saem toca à avó "avergar as arcas" e "ajuntar" tudo o que ficou espalhado. Elas ajudam, mas só "ajuntam" o maior. A "cisqueira" fica toda. Atão não é qu´elas andam sempre a "refundiar"?

Dar a saber

Esta expressão de cariz madeirense significa quando um(a) jovem namora e é coisa séria por isso apresenta à família o seu namorado(a). Há geralmente um jantar e o novo membro apresenta-se e formaliza o pedido.
"Dar a saber" é mostar o noivo e dizer que vai casar. Às vezes pode até já dizer o dia.

Ponte aérea,, precisa-se

À despedida pergunta o meu bisalho.
-E quando é que vêm? Vêm antes do Natal?
Ó meu bisalho!! Se houvesse uma ponte aérea... se houvesse um aereo-porto, ou até mesmo um porto aéreo... estaria sempre aí!

Manuel

Dois homens encontram-se.
Um diz para o outro.
- Olá Manuel! Mas...tás diferente: mudaste de penteado...tás mais magro ..até pareces mais alto... Mudaste de visual.
- Mas eu não me chamo Manuel!!!
- Incrível! Também mudaste de nome.

Em Lamas d' Olo

Credo, o que me ia acontecendo em Lamas de Olo!
Já tinha caído a noite e ainda uma velhota (até se calhar era nova, mas vestida daquela maneira...) estava no poço a lavar a roupa. Naqueles poços naturais com água a correr, com pedras onde se põe a roupa a corar.
Dizia eu que a noite já ia dentro quando nós fomos dar uma vista pela povoação. ao passar pelo poço o meu amigo lembrou-se de descer até lá a ver se a água estava fria.
Engraçado! A temperatura do ar era mais fria pelo que se via o vapor de água a subir para a atmosfera.
Vou eu até ao poço (era um poço de água corrente, fresca, cristalina), agacho-me para tocar na água quando "esvarei" numa pedra.
Baloicei para a frente e já ouvia os gritos dos outros três. É que eu ia de cabeça abaixo, caía na água se "não me aguentasse às orelhas" como se diz em madeirense. Calha bem que o meu rabo é mais pesado que a cabeça "canão" lá ia!
Só pensei que ia mesmo tombar naquela água fria e sem roupa para mudar e além disso aproveitava para apanhar uma constipação.

Aereo-porto?

Um termo bem madeirense, aliás usado por alguns madeirenses é o "aereoporto". Quando deviam dizer aeroporto.
Ainda ouvi no autocarro que nos leva ao avião alguém a dizer que estava no "aereoporto". Ou orioporto...
Será que alguns madeirenses apanham um avião num aeroporto aéreo?

Prendas poucas

Ao chegar a casa da minha filha (foi ela que nos foi buscar ao aeroporto) para jantar as Pulgas estavam à nossa espera. E então é logo olhar para a mala para os sacos à espera de prendas. E desta vez trouxe tão pouco!!! Estava "embeiçada". Só uns collants e uns joguinhos! Mas o que a Pulga gostou foi mesmo do...chocolate. Uma caixa de chocolate que eu trouxe para nós, mas que ela agarrou-se e serviu-se como se o mundo fosse acabar.
Mas o mais engraçado é vê-las mostrar as suas habilidades como se não nos víssemos há meses.
Uma arrasta-se no chão, outra grita, sempre chamando: "avó". Depois já gritam as duas. E a mãe também grita para elas não gritarem.
É que elas ficam "destravadas", "asneironas" e "abicam-se" para mim.
Então "assento-me" no chão enquanto elas vão "fossando" na mala à procura de mais prendas.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

No meu rural é que é bom

Saí do Porto pelas 13 horas: chuva, frio, vento, nevoeiro. Chego a Lisboa pelas 17 horas: chuva, frio, vento, nevoeiro. Um tempo "forrado" com alguns "esteios".
Chego ao meu rural às 19:30 minutos: nem chuva nem vento, nem frio nem nevoeiro. Marcava 20 graus Celsius.
É por isto que eu gosto do meu rural.

Hoje...

..é hoje que regresso ao meu rural.
Em Dezembro o mê bisalho vai à terra.
Dezembro é o mês da Festa.
É o mês em que faço anos. Sou Sagitário, sim senhora.
Quando era pequena não gostava do meu dia de anos. Era por ser uma semana antes da Festa.
A minha mãe dizia: "se te der uma prenda nos anos não te dou no Natal. Queres nos anos ou no Natal ?"
Pedir que uma criança escolha o dia é o pior que se pode dizer. Pois todas as crianças anseiam receber prendas no dia de anos e na "Festa". Mas sempre havia mais do que uma prenda tanto no dia de anos como no Natal. Mas eu ficava triste, muito triste.
Hoje 54 anos depois ainda não me esqueci!

O que se faz para garantir um lugar na escola

Para conseguir a matrícula dos filhos na escola que querem e a qual não é a da sua residência, os pais inventam mentiras e fazem trinta por uma linha.
Alugam casas por semanas, simulam divórcios, pedem à avó que fique como encarregada de educação. São várias as manobras a que os pais recorrem para matricular os filhos numa escola que não a da respectiva área de residência.
Este ano, em Inglaterra, uma mãe foi processada por dar uma morada falsa. Em Portugal, a prática vigora impune há anos. A tese de que os pais devem poder escolher livremente as escolas está a ganhar terreno.
Mentir para conseguir a melhor escola para um filho é crime?
Melhor seria se os pais pudessem matricular na escola pretendida sem a obrigatoriedade da sua residência ou da área de trabalho, nas escolas públicas, uma vez que nas privadas há liberdade de escolha. E toca a pagar e bem.
Porque não simplificar o sistema?

Sabia que

O bispo do Porto, D. Manuel Clemente, defendeu na segunda-feira que questões como o casamento entre homossexuais “não podem ser resolvidas rapidamente, exigem reflexão”.
Eu acrescento: qualquer casamento exige reflexão. E mesmo assim é ver a quantidade de mal casados que por aqui andam.
Será que foi falta de reflexão??? Ou reflexão a mais???

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Lamas d' Olo

Ao chegarmos a Lamas de Olo tínhamos um guisado de vaca à nossa espera para o almoço. Depois do almoço a volta pela cercania para conhecer a aldeia. Muita bosta de vaca pelo caminho, muitas vacas que não se afastam quando passa um carro. Raça "Maronesa" com uns belos cornos pontiagudos que metem respeito a todos os bois cornudos que andam por aí.
Ao jantar um entrecosto no forno, um jogo da "bisca" e vinho para aquecer. Poça! Estavam 1.3º na rua. Casacos e cachecóis, meias e gorros e mais calças, tudo emprestado que eu cá não levei nada pois não ia pernoitar.
Perto das 23 horas ligo ao meu bisalho.- Eu já sabia- diz ele. Já calculava que não viessem.
- Dás autorização? Podemos ficar? Eu compenso-te quando te vir.
Duas da manhã.
Fazer a cama transformar a sala de estar da auto caravana em dormitório.
"Jisus Craiste!" Frio. Frio. Frio.
Dormi de meias, collants, casaco cachecol, calças. Tudo da dona que nos cedeu as roupas.
Pijama? Quero lá saber de me despir para vestir o pijama! O frio era tanto que nem me importei.
Um edredão de penas, um casaco em cima do edredão e mesmo assim não aquecia os pés.
Mas diga-se em abono da verdade. Paisagem virgem, frio a cortar as entranhas, uma paisagem soberba, mulheres (ainda) a lavar roupa na nascente, vacas no caminho... nada de poluição... de nenhuma espécie.

Credo! É que eu não páro!

Domingo à noite chegámos a Ponte de Lima para descarregar a encomenda (o projecto-nora).
Jantámos (uma feijoadinha, levezinha), depois de termos comido uma paella de marisco com entrada de camarão e sangria para arrefecer o calor das queixadas. Mas a comadre também tinha preparado para entrada uns camaroezinhos e mexilhões. Bem, não ficou nada.
Lá se fez o obséquio de comer já que a comadre tinha tido a maçada de fazer todo aquele manjar.
À chegada ao Porto, foi só nanar que o "João Pestana" tanbém veio com a gente.
Na segunda-feira telefonam uns amigos nossos (do rural) que estão cá no "Contenente" e que têm uma auto caravana.
- Venham cá. isto é linnnnndo! É Natureza pura. Vacas, casas de pedra- dizia ele , sabendo que é a paisagem que eu aprecio.- Venham e ficam cá.
- Não. Não. Podemos ir até aí, mas não ficamos.
-Pelo sim pelo não tragam roupa.- Continuava ele.
Estavam em Lamas de Olo, Vila Real, em plena serra do Alvão.
E lá fomos. Duas horas de viagem (ida) com paragens para fotografar. Com a promessa ao meu bisalho que regressaríamos.
Para abreviar....ficámos lá. Sem uma muda de roupa. Sem nada.

Cheguei....

...À Invicta. E tantas novidades! Um padre foge com uma jovem. A "Face Oculta" continua ocultada. A gasolina vai aumentar (na Galiza era a 1,09€ ao litro). Os impostos vão manter-se (não acredito, mas enfim). Não sei nada sobre a avaliação dos professores.
No meu rural, os netos doentes, a filha atarracada de trabalho, o genro que nem pode...
Credo! Uma pessoa sai por 6 dias e fica tudo em pantanas.
Amanhã já regresso. Ai, a mãe faz tanta falta!
Na mala levo .... não digo, pronto.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Olha, ouvi dizer...

...que o nosso Presidente, Albert Johnny Garden, não conhece o processo "Face Oculta" porque vive na Madeira?
Mas dá na televisão! E na Madeira ninguém tem a "Face Oculta"? Andam todos de "Face Negada".

Pensamento meu

Se já tínhamos um Secretário da Educação que se dedica à escrita e publicação de livros temos também uma Ministra escritora. A quem está entregue a Educação? Será que vão secretariar e ministrar bem cada um a sua pasta? Ou somente o que importa são os livros vendidos?
Não concordo que sejam outros a não ser professores nestas pastas, mas muita ocupação deixa algo mal feito. Que não seja a Educação.

Olha, ouvi dizer...

...Que o Figo também tem a "Face Oculta"?
Então? Já não se pode tomar o pequeno-almoço com o Primeiro Ministro na manhã do último dia da campanha? Ou o nosso primeiro não come? Ou não há encontros casuais? Ai este nosso Portugal... vamos todos "pôr as barbas de molho"...

Aqui vou eu...ou melhor,'vamos nós

É hoje. É hoje que vamos para a Ria de Arosa.
Já "afretei o" "bingalou", o carro de "remissa" já tá atestado e lá vamos nós.
Mas... primeiro vamos jantar na casa dos compadres de Fornelos (também já se leva o depósito atestado).
O Parque de campismo tem piscina. (Deus me cuide e me guarde de meter os meus sensíveis pés na água). Mas o mê bisalho vai molhar as penas e a crista. A Madame (projecto-nora) também.
Eu e o mê senhor preferimos vigiar o casalinho. Não vá o Diacho atentar...
Domingo vamos a Santiago de Compostela (e porque não?) juntando assim o profano ao sagrado.
Esqueci-me de salientar que a Ria de Arosa fica na Corunha-Galícia.

Noite escura

Mê senhor em "Lisbaua" pôs as mãos no "guiador" da "abelha" e não nás tirou. Viemos "embalados".
Chegou-se ao Porto pelas 18:30, mas já pareciam 21:30.
Às 6 da tarde é noite cerrada e só" ma lembrou" que no meu rural à mesma hora ainda o sol está no céu.
Fiz jantar: entrada-dose de lapas. ESpada de "sabolada" com "semilha frita em palhetes" e "selada" de alfaces com uma "gavela" de tomate "Bubuida": brisol e laranjada.
"Ind´agora" acabou-se de "meter na jaca."
Soube-me bem. Agora tou aqui que nem posso, "melancona"...

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Alguém me viu?

E eu a julgar que sim!
Pensei que ia receber muitos telefonemas, pensei que ia receber algumas propostas das televisões, Pensei que toda a gente da Madeira me ia ver e dizer:"olha ela!" Pensei....e pensei...mal.
Estive na RTP, na SIC, na TVI e na SPORTTV . E ninguém me viu?.
Cheguei a Lisboa ao mesmo tempo que a Seleccção Nacional. E sem querer (mentirosa!) coloquei-me num lugar bem bom para aplaudir a chegada dos nossos jogadores. Deram-me uma bandeira e com as malas no carrinho esperei pela descida da Selecção.
O telefone do mê senhor toca.
- Eu? Estou no aeroporto da Madeira! Vou agora para o Porto. A minha senhora? Tá em casa. Hã? Viste-a no aeroporto de Lisboa? Na SIC?
Telefonei aos meus filhos.
- Olhem, a mami é uma star. Tou na Tv. Liguem-na . Tou em todas. Gravem. Telefonem aos amigos para ligarem a tv.
"Tou-te a ver... tou-te a ver... e o dadi também..." Ah, ah, ah, ah, ah
Gargalhadas e mais gargalhadas no outro lado do telemóvel...
"Olha a minha mãe" ouvia o meu bisalho a dizer a um colega.
A minha filha dizia"Mais para a direita, olha em frente, à tua direita, ri".
Eu ria-me e dizia adeus.
Quando descem, sou espezinhada, embolachada, qual bolacha Maria, empurrada, atirada ao ar, ao chão, enrolada num cabo de uma câmara de filmar.
Ainda tirei fotos, veio a polícia por causa do cabo, corri pela porta fora atrás da comitiva. Estive ao lado do carro e fui falar com um comprido dum segurança que me tinha empurrado e dei-lhe uma lição de boas maneiras.
No fim... o Carlos Queirós disse-me adeus. E eu... ainda não baixei o braço...continuo a acenar...

Devo ter azougue

É verdade devo ter "azougue". Entro no café, procuro uma mesa estratégica para ver a entrada e saída de modas e bordados. Café vazio. Escolho a melhor mesa. Fico perto de alguém que está a ler o Diário. Para logo a seguir pedir.
Eis que ...
Vem uma senhora com a chávena de chinesa na mão e com largo sorriso senta-se na minha mesa.
Eu olho e não digo nada, mas fiquei a pensar: poça....tanta mesa...porquê esta?
Atrás dela ...outra senhora....uma chávena de garoto na mão e...
Bumba...embuseira-se em frente à outra madama. Grande sorriso para mim.
Pensei : serão lésbicas, parvas ou ainda vesgolhas pois não vêem que o café tem mesas vazias?
Ao sentar-se coloca logo a mala na cadeira em frente a mim.
-Olhe lá faxavor estou à espera do meu marido.
Pedido de desculpas de cada vez que eu levantava os olhos do diário.
Irra, tenho azougue.
Mas o melhor é que elas acabaram de beber o café, saíram e o meu senhor não chegou.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Até fiquei alcançada!!

Hoje uma vizinha da minha tia-velha ligou para saber quando é que ela ia para casa.
Conversa puxa conversa lá a mulher começou a cramar do marido. E eu a ouvir e a dar atenção. Quem não gosta de saber intrigas? De saber que o marido dela andou a pular a cerca e foi ao galinheiro buscar uma bisalhinha mais nova que a esposa? (Até as orelhas ferveram de estarem coladas para não perder pitada. Sim, que eu não goste de jurar falso.)
Até que ela diz que não gosta que a façam passar por tonta. E dizia-me: "Eles só são felizes até eu saber; a partir daí acabou".
-Acabou o caso?
-Ah sim, começo eu a fazer-lhe a vida negra que ele até chora!
Ui Matilde"! És de ferro e brasa.
Até fiquei alcançada com o palavreado que ela usou a adjectivar o marido.
De cornudo até filho da sua santa mãezinha "aquilho" é que foi, estepilha.

Sabia que

Uma mulher francesa casou este sábado com o namorado que tinha morrido há mais de um ano. Diz a lei que o casamento póstumo é possível, desde que a pessoa falecida tenha oficialmente dado início ao processo de casamento em vida.

Em Novembro de 2008, Magali Jaskiewicz e Jonathan Goerge deram entrada para os papéis da união, que deveria realizar-se em Janeiro deste ano. Porém, um fatal acidente de automóvel tirou a vida a Jonathan dois dias depois do início do processo, conta a BBC.

A noiva não desistiu do seu "grande e único amor" e fez uso da lei francesa, que permite o matrimónio com alguém já falecido quando a sua vontade de oficializar a união foi manifestada em vida.
Magali teve de esperar um ano para que o processo fosse autorizado, mas este sábado realizou o desejo do casal: vestida de branco, casou numa pequena vila no leste de França, ao lado de uma grande foto de Jonathan, suportada por um cavalete.
No final da cerimónia, o dia não foi de festa: "Não tenho ânimo suficiente para festejar. Vou apenas tomar um chá e agradecer àqueles que me apoiaram nesta fase da minha vida", concluiu a noiva.

O casal, que vivia junto há seis anos, tinha duas filhas em comum.

Eu vou mais alguém vai?

Vou uns dias à Sicilia Hispânica. Não sabes onde fica? Palermo!
Será que lá andam todos de "Face Oculta"?
Ainda vejo o "Armando" e levo com uma "Vara" nas arcas. Vou passar por "Penedos", apanhar "cogumelos" não "venenosos". Ao "Mário" peço para ir à "nogueira" apanhar um novo modelo de avaliação dos professores. Pelo caminho vou rezando a São "Francisco de Assis" pois sei que ele "escuta" a nossa prece e não dá "cavaco " a ninguém.

Aida ou Costa?

Ontem o avô foi buscar as Pulgas ao infantário.
A voltinha dos pobres tem de ser dada. Então o avô vai pela Pontinha para verem os barcos.
Questiona a Pulga muito sabedora do assunto.
- Hoje não está o Aida?- referindo-se ao navio Aida Luna que escala todas as segundas feiras no Funchal.
Responde o avô:- Não. Ele esteve ontem.
- E o Costa? pergunta, fazendo referência ao navios da Costa Crucieri.
Mas já se viu um gorgomilho falar assim? Como se entendesse e fosse frequentadora de cruzeiros? Ela já fez dois, mas ...
Será que o bichinho já rói?
Tenho companhia.

Na minha mala tem de tudo

Já tenho as lapas, as brisas, as laranjadas, as broas, as anonas, as espadas, os brisois, as areias, os palitos de cerveja. E o mais importante: a passagem.
Sacode as asas meu bisalho, limpa as penas e o galinheiro. A mãe galinha já vai.
Até amanhã.
Bendita easyjet! A 18,90€ cada viagem quem não vai?
TAP? Vai-te aos quintos dos infernos. E põe-te a "besoirar" para outro canto.

Mas que cheiro!

Hoje no hospital estava uma senhora de campo. Credo Abrenuncia. Ela mexia-se e o odor também.
Mas é que não sossegava o rabo, a mulher! E não havia cadeiras vagas. A páginas tantas ela mexe, remexe e eu dei-lhe uma cotovelada. Sem querer (atão não foi!)
Mais umas voltas na cadeira e novo cheiro (das entranhas, dos entrefolhos). Novamente eu mexo e remexo e abro os braços como se os tivesse colado com cola.
De repente.
- Olhe é de vidro?- pergunta ela olhando para mim.
Jesus, acudam!!!! Ai o cheiro da boca!!! Bhlac, a azedo, a vinho, a sujidade. Que nojo!!!
Eu simplesmente disse-lhe.
-Oiça lá, a senhora ainda não parou de se mexer. Porque é que não posso eu me mexer?
-Ah, parece que é de vidro!
Levantei-me assim que ficou uma cadeira vazia.
E não é que depois a mulher veio sentar-se novamente ao meu pé?

Falastrona

É como diz a minha tia-velha quando se refere à Pulguinha.
-"Ela é uma falastrona".
Mas já ouvi alguém dizer: "falastroa"

Sabia que

Portuguesa é Mulher do Ano nos Emirados Árabes Unidos.

Maria da Conceição, uma portuguesa de 32 anos que vive e trabalha há seis anos no Dubai como assistente de bordo da Emirates Airlines, venceu esta noite o prémio de Mulher do Ano nos Emirados Árabes Unidos (EAU).
A jovem portuguesa criou o Dhaka Project depois de, em Abril de 2005, ter realizado uma escala de 24 horas na capital do Bangladesh e ter regressado ao Dubai chocada com a miséria humana que encontrou. Nascida poucos meses depois dessa viagem, a obra de solidariedade procura dar uma segunda oportunidade de vida a mais de meio milhar de crianças carenciadas da comunidade de Gawair, nos arredores de Daca, onde meio milhão de pessoas tenta sobreviver com menos de um euro por dia.Em 2007, a jovem portuguesa havia já vencido a categoria de "Mulheres Excepcionalmente Inovadoras e Criativas" dos prémios da Rede de Mulheres Inovadoras e Inventoras da União Europeia.

(in expresso)

Se vivesse em Portugal não receberia nada. Também porque não faria nada devido à falta de incentivos.
Foi preciso saíres do teu país para receberes um prémio. Se estivesses na TAP receberias era... uma carta de despedida. É nestas ocasiões que me sinto portuguesa, e não quando oiço" face oculta", pedofilia, maus tratos, etc...
Português: Se queres ser conhecido e ganhar nome sai de Portugal. Aqui só os chineses levantam cabeça, contra ventos e marés.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Pensamento meu: alunos doentes

A propósito dos alunos em casa a recuperar da gripe A.
"Pais querem filhos a estudar em casa durante a recuperação."
Se calhar só querem nestes dias (durante a recuperação) que nos outros, os profs nem se atrevam a mandar trabalhos.
Fico apreensiva com esta notícia. É que há tanta polémica por causa dos TPC´S, uns a favor outros contra. (E os profs que se amanhem com estes queres).
Agora que os pais querem toca a satisfazer. Os profs enviam por correio electrónico, ou telefonam. E na sala só fazem revisão da matéria.
Onde está a coerência? É que sempre faltaram alunos à escola e os profs nunca atrasaram devido à doença dos seus alunos. Agora só fazem revisões?
Que justificação recebem os pais dos alunos que não faltam? Sabendo que a gripe não atingie todos ao mesmo tempo. Como ficamos? Os alunos só vão rever matéria?
E as metas a atingir?
Já sei, no final do ano a justificação para os manuais não terem sido usados e manuseados vai ser. "Olhe, foi por causa da Gripe A".
Pelo menos agora vai ser verdadeira a justificação.

Só a mim e a mais ninguém

Hoje foi dia de pôr as "domingas " a espremer. Ou melhor, dia de mamografia.
Para mim é um momento de puro stress. Entre o despir, colocar a "dominga" na máquina, espremer, olhar de lado tudo me incomoda. É esta volta e a volta do ginecologista. Aquela posição de frango no supermercado, não gosto.
Mas voltando ao assunto, antes que me perca...lá tirei a roupa: o casaquito, a blusa e o corpete(ou soutião em madeirense). Depois de espremida era a vez da ecografia mamária: "Vista só a blusa". E eu vesti o casaco, hehehe. "Agora espere que vão chamá-la"
Depois da eco o" senhor dactor" manda vestir e eu obedeci.
Começo por procurar o soutião, e procuro e não te encontro (como dizia o Tony de Matos.)
- Perdeu algo?- pergunta o médico
- Sim .... entabulei , glup, glup, engulo em seco, e eu não sou de vergonhas mas... - não encontro o soutien.
Eu procuro dentro da bolssa enquanto o médico procura no chão. Ambos de rabo para o ar a procurar ...e as "domingas" ao léu a arrefecer. Não encontrámos. Ah, lembrei-me. Deixei no gabinete de mamografia.
Pergunto à funcionária.
- Está na cabine- e pensei deve ter trazido do gabinete.
Procuro...nada, Porra (ai o palavrão) e as mamas dependuradas sem segurança. Vou à entrada e pergunto se deixaram algo para mim.
- O quê?
- Um soutien- digo já esbaforida. e elas riem-se ...da situação , de mim, da minha figura a segurar as "domingas".
Bem, nem digo que pus toda gente a procurar o coisinho. Trazem-me um branco- Não é esse. O meu é preto.
Dai a pouco chega a funcionária com o meu querido "soutião" preto no braço. - Estava debaixo da cadeira. Ninguém o podia ver - disse ela.
Estava escondido de vergonha... como eu se tivesse (vergonha), mas como não tenho andei com elas ao léu. "Porta-me lá"

Olha, ouvi dizer..

..Que "O que se passa na Sicília hispânica é problema deles."
Onde fica a Sicília hispânica?
Albert Johnnny Jarden mostrou-se ontem pouco preocupado com o que se passa na «Sicília hispânica»...
Alvissaras, alvissaras, dá-se a quem souber a resposta, um beijo no carrolo ou na pior das hipóteses um carrolaço.

Casamento homossexual

Diz que vai haver referendo?
E discute-se tanto?
Os "homensexuais" (como dizia uma antiga aluna) não se meteram no meu casamento porque hei-de eu me meter no deles? E se querem adoptar, adoptem. Mais vale uma criança estimada que uma maltratada. E se tirarem uma criança do orfanato porque não?
Eu digo que se fala muito no relacionamento entre pessoas do mesmo sexo porque não nos afecta, mas quando a coisa chega perto de nós na pessoa de um familiar já muda de figura.
Qual mãe não gosta de ver um(a) filho(a) feliz? E se ele(a) for homossexual? Deixa de amá-lo? Abandona-o? Não, creio que não.
Ninguém deixa de gostar de um(a) filho(a) por amar alguém do mesmo sexo.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Olha, ouvi dizer...

..."Que cerca de 60 adeptos da Bósnia-Herzegovina receberam hoje a selecção de Portugal no aeroporto de Sarajevo em ambiente de clara hostilidade, insultado e cuspindo elementos da delegação lusa.
Os portugueses chegaram a Sarajevo cerca das 21h30 horas (20h30 de Lisboa) e foram logo ameaçados pelos adeptos locais, que gritavam insultos em inglês e cuspiam os elementos da comitiva, o que motivou a intervenção do coordenador de segurança da Federação Portuguesa de Futebol (FPF)".
(in Expresso)
Que mal fizeram os portugueses? Será inveja?
(Uma piada nossa, cá da casa é: que o invejume é pior que a invejidade). Aplica-se aqu.

Só novelas

À noite o meu serão resume-se às novelas. Mesmo que eu não queira, lá vem a tia-velha e pergunta se está na 4 (TVI). Ao fim de semana é o Panda quando tenho as netas.
Ai Meu Deus! Que rica coisa! Estas novelas são um must. Acaba uma, começa outra e logo outra. Não me perguntem nomes. Não sei . Só oiço.
Se fosse a Gabriela Cravo e Canela ainda "deitava o olhinho". Não me digam que o que é nacional é bom.
Adoro um filme. Um bom filme. Começa e acaba duas horas depois, se não for antes.
Agora ter de esperar diariamente para ver um bocadinho, não tenho pachorra. Mas há quem goste... tenho a prova aqui bem perto de mim.

Olha, ouvi dizer...

....Que a deputada quer os velhos à porta? De quem? Dela?
"A deputada do PSD que deu nas vistas esta semana (há c'anos não se ouvia falar dela) foi Nivalda Gonçalves. Depois de tratar da JSD deu-lhe para se meter com os velhinhos. Então não é que a rapariga disse que não preciso dar um passe gratuito aos idosos porque eles não têm que andar para baixo e para cima de camioneta?!. Deve querer dizer a senhora deputada que os velhinhos devem ficar em casa a ler o Madeira Livre e o JM, esses sim, gratuitos como deve ser..."
(in Diário de Notícias da Madeira)
Credo, mas há cada uma! E vota-se para estas mentes brilhantes olharem por nós! Votou? Agora que se lixe. Bem fiz eu que não votei, mas devia!
Velhos à porta, para não incomodarem os senhores deputados. Valha-nos Santa Ingnorância.
Quanta soberba!
Vais chegar a velha... e quando lá chegares há-de haver alguém a pensar da mesma forma que tu. Ó menina mimada e incoerente.

Mas que grande bolo!!

Hoje fui buscar as Pulgas. O "meu senhor " também foi. A Pulga ia ao ballet. A Pulguinha ficaria connosco "entrementes". Para mim foi reviver os tempos em que a minha filha (mãe das Pulgas) frequentava esta modalidade.
Chego lá, dispo e visto o fato,e eis que a Pulguinha diz: "cocó". Bem, não havia fraldas. Eu não tinha levado! Fui à casa de banho mas o "bolo" era mole. Não poderia simplesmente deitar fora e usar a fralda até ter outra. Vai daí tirei a suja e a rapariga vai sem fralda para o super, devidamente recomendada."Se fizeres outro bolo, levas...no rabo até ao super.
Novo dilema: escolher o tamanho.
Sempre a pensar que ela me podia presentear com uma "mijadela", abro o pacote das fraldas, tiro uma, saio do super, com a pequena ao colo e fralda na mão. Vou ao fraldário colocar.
Como? Saí sem pagar? Sim. É verdade não paguei. É isso que estão a pensar? Que eu abri o pacote e deixei lá o resto?
Ai mentes perversas...mal intencionadas...
Mudei a fralda, saí do fraldário, coloquei-me em frente à caixa onde o avô estava na "bicha" (salvo seja) para pagar o pacote.
Mas que me apetecia não pagar ...lá isso é verdade! Pronto dou a mão à palmatória... Fiquei pelo "apetecia-me" pois a Pulguinha já tinha a fralda no rabinho era só sair... também que mal fazia se o Pingo Doce me oferecesse uma fralda no natal?

Sabia que a Organização Holandesa...


...pró-Suicídio apresentou, quinta-feira, uma página de Internet com informação sobre como é que as pessoas que querem pôr termo à vida podem usar medicamentos para o fazer.
Na Holanda, ajudar ao suicídio é proibido mas o Ministério da Justiça sublinhou quinta-feira que a mera colocação de informação na Internet não pode ser castigada legalmente.

Em declarações ao diário "De Volkskrant", a directora da Organização Holandesa Pró-Suicídio, Petra de Jong, indicou que um dos objectivos da página é "evitar que as pessoas recorram a métodos horríveis, como atirar-se para a frente de um comboio, enforcar-se ou imolar-se".

Eu devo ser retrógrada, mas não aceito isto. Nem imagino que possa haver uma "Organização Pró- Suicídio."
Quer dizer: tomar comprimidos não é um método horrível? Não é morte? É rápido? Não sofre? Não morre? A que ponto chegámos! É isto o progresso? É o século XXI ? Direito a morrer? Qualquer dia até é medicamento de venda livre.
"Olhe faxavór,venda-me aquela pastilhinha para morrer. Aquela. Não sabe? Olhe, tou farto desta vida. Vou dar uma volta até ao ao fundo da terra".

Blá...Blá...Blá...Blá...

"O PSD juntou-se aos restantes partidos da oposição e divulgou hoje o seu projecto de resolução visando o fim da divisão da carreira docente em duas categorias e a elaboração de um novo modelo de avaliação de desempenho dos professores, sem quotas para a atribuição das classificações mais elevadas
Quanto ao sistema de avaliação dos professores, os sociais-democratas defendem um novo modelo que "premeie o mérito e a excelência" e que permita a melhoria do desempenho dos docentes.
Mas será também na próxima semana que a ministra da Educação, Isabel Alçada, deverá apresentar um primeiro "esboço" de um novo modelo."
( in expresso)
Blá...blá...blá...blá..
.não passa de... blá...blá...blá...blá...blá...blá...
um novo modelo...blá...blá...blá...
já mudou a ministra blá...blá...blá...
e continua... blá...blá...blá...
e vêm os ministros...blá...blá..blá....
e juntam-se os partidos...blá...blá...blá...
com os sindicatos...blá...blá..blá...
e...
Até quando?

domingo, 15 de novembro de 2009

7 Maravilhas Naturais de Portugal

Em antecipação ao concurso das 'Sete Novas Maravilhas da Natureza', a nível mundial que se irá realizar em 2011, Portugal procederá já no próximo ano à escolha das suas maravilhas da natureza. O primeiro passo do projecto '7 Maravilhas Naturais de Portugal foi dado esta semana, nos Açores, onde se irá realizar a cerimónia, em Setembro de 2010.

Locais específicos como o Cabo Girão, Jardim do Mar, Ponta de São Lourenço, Curral das Freiras, Ponta do Pargo, Véu da Noiva, Pico do Arieiro, Pico do Castelo (Porto Santo), ou mais abrangentes como o Parque Natural da Madeira, Ilhas Desertas, Ilhas Selvagens, Reserva Natural Parcial do Garajau, Reserva Natural do Sítio da Rocha do Navio ou Floresta Laurissilva, ou ainda zonas conhecidas pelos amantes da natureza, como a cascata das 25 Fontes, cascata do Risco, Zona do Rabaçal (que inclui as duas primeiras), os Ilhéus da Ribeira da Janela, o Fanal, Ilhéu Mole, Lombo dos Cedros e vários no Porto Santo (Ilhéu da Cal, Pico do Facho, Ilhéu das Cenouras, Ilhéus de Ferro, Ilhéu de Cima), já estão incluídas.

Estas terão de concorrer com centenas de outras localizações por todo o País, que vão do Norte ao Algarve, do Centro ao Alentejo e de Lisboa e Vale do Tejo aos Açores. Há sete categorias à escolha, desde as Grutas e Cavernas, Florestas e Matas, Grandes Relevos, Zonas Marinhas, Praias e Falésias, Zonas Aquáticas Não Marinhas e Áreas Protegidas.
(In Diário de Notícias da Madeira)

Mas que sonho estrambólico

Esta noite sonhei que estava no aeroporto de Lisboa. Até aqui nada de anormal. Tinha acabado de ser publicada uma lei que exigia:" todos os pedófilos têm de andar com a cabeça iluminada, quer seja uma vela quer seja uma lâmpada".
A minha admiração é que o aeroporto estava cheio de luz.

Pensamento meu

E não me venham dizer que já tinham saudades do Outono! Que dia mais chato! Chuva!
Eu gosto é do Verão. Passear. Saltar. E rir na praia ou no campo.
Sem chuva, sem vento, sem nevoeiro.
Sem poder sair de casa? Chega!
Venham os dias de sol. Os entardeceres com nuvens, com raios de sol escondidos, envergonhados.
Outono? Mais parece um dia de Inverno.
Não gosto! E pronto!

Entardecer à beira-mar

Se há momentos do dia que me põem nostálgica é o entardecer.
É o fim de um dia, o começo da noite e a esperança do ver o nascer de um novo dia.

Apreciar o entardecer à beira-mar é o melhor que se pode ter. Sol, praia, areia e Esperança.
Ver mais.

Há mulheres que nasceram para ser mães

É o caso de Michelle Duggar, que aos 42 anos está grávida da 19ª criança. O nascimento do benjamim da família está previsto para Março de 2010.

O nome da próxima criança ainda não foi escolhido, mas uma coisa é já ponto assente: começará por "J", tal como os restantes 18 filhos de Michelle e Jim Duggar. O mais velho do clã chama-se Josh e tem 21 anos, seguindo-se mais 17 irmãos, quase sempre com diferenças de idades de apenas um ano: Jana e John-David, 19; Jill, 18; Jessa, 16; Jinger, 15; Joseph, 14; Josiah, 13; Joy-Anna, 11; Jeremiah e Jedidiah, 10; Jason, 9; James, 8; Justin, 6; Jackson, 5; Johannah, 3; Jennifer, 2 e Jordyn-Grace, 8 meses.

Com um site e um livro publicado, a história da família Duggar é famosa nos Estados Unidos, tendo sido já levada à televisão. Embora surpreendidos com mais uma gravidez, o clã de Tonitow, no Arkansas, ficou emocionado com a novidade: "Agradeço a deus", diz a mãe. "Pensava que os meus dias com bebés estavam acabados e fui abençoada com mais um".

Sabia que um empresário de etnia zulu...


...vai casar-se domingo com quatro mulheres, numa cerimónia que vai durar dois dias. As noivas, que têm entre 22 e 35 anos, dizem-se apaixonadas e não se importam em partilhar o futuro marido.
O noivo e as suas quatro mulheres vão morar na vila Ntlane, na província de KwaZulu-Natal, no leste da África do Sul, onde vai decorrer o casamento.
Curioso é também o preço que Mbele pagou pelas mulheres. Nada mais nada menos do que 33 vacas em ilobolo, palavra que designa a quantia desembolsada 'por noivas'.

Com isso, o empresário - então proprietário de 100 vacas e 250 cabras, um rebanho que é já considerado um sinal de riqueza nas comunidades tradicionais zulu - ficou mais pobre.

De acordo com o jornal, o noivo pagou 10 vacas por Thobile Vilakazi, sete por Zenele Langa e oito pelas outras duas (Smangele Cele e Baqunisile Mdlolo). Não explica, porém, quais foram os critérios para umas valerem mais que outras.
O mais famoso sul-africano casado adepto da poligamia é o próprio Presidente da África do Sul. Jacob Zuma , também de etnia zulu, tem três esposas.
in Expresso
(Um país onde as mulheres são transaccionadas por vacas. Em Portugal seria uma esposa e 3 amantes.)

sábado, 14 de novembro de 2009

Gardadeira, eu?

A propósito da Pulga ter pedido para "gardar" (guardar) o resto lembrei-me de uma anedota.
Duas mulheres de Câmara de Lobos discutiam. Elas gesticulam muito e fazem gestos impróprios, mas que nelas é bem característico. Basicamente ao falarem batem constantemente no rabo.
Ora elas discutiam por causa de maridos. Porque uma andava com o marido da outra.
Depois de muitos ditos e gestos uma diz para a outra.
- Póóóóós tu és gardadeira.
- Gardadeira? Eu?
- Saaaaaaaim. Tu usas o das outras e "gardas" o teu.

Esparguete todo o dia

Ontem depois de comer a esparguete da avó, a Pulga sai-se com esta ao olhar a travessa que ainda tinha um restinho.
- Avó, guarda para Sábado.
(A rapariga só vem de sábado a sábado daí o querer guardar o restinho. Gulosa? Não. Só que lhe soube pela vida...e como tal queria saborear. De hoje a oito dias).

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Uma forma de entretenimento

Sabe como entreter velhos e novos ao mesmo tempo?
É dar-lhes legos para as mãos...
Ficam quietos que só se ouve as moscas a zunir. Zum...zum...zum...
A tia-velha faz um avião, a criança uma casa.
Benditos legos que aparecem ao fim de alguns anos no sótão. Mais cedo devia ter dado à tia-velha. Legos...muitos legos...

Constatação

Ao fazer o jantar a pequena quis certificar que o jantar era realmente esparguete.
- Avó, colo.
- Colo? E como faço o jantar?
- Quero vê-lhe (ver) o que tá na panela.
Segurei nela ao colo e destapei a panela.
Certificou-se que sim. Era esparguete!
Ao colocá-la no chão pergunta-me.
- Eu sou bebé ?
- Não. Tu já és criança.
-Ah...! Eu na casa da avó uso a tesoura.
Esclarecida a dúvida. Só os bebés não mexem na tesoura e como ela mexe...
-E a tua mãe sabe que tu usas a tesoura?
- NÃO! -Peremptória a resposta.
- E vais dizer à mãe?- perguntei.
- Não!
Ai se tua mãe soubesse... o que fazes aqui que não fazes em casa. Inda bem que a mãe não lê o post. Canão quem ficava de castigo era eu. UI!

Pulga à lá carte

Afnal a Pulga veio um dia mais cedo para a casa da avó.
E pergunta-me :" O que é o jantar."
- Ainda não sei- disse eu.
-Eu quero esparguete.
- Hã? És exigente. E se não for esparguete?
- Mas é.
Toma e embrullha. A Pulga sabe com quem lida. E deu-me a volta. E o que ia ser não foi. Com a certeza porém que esparguete não combinou nada com o resto.
Mas já lá se comeu!
E a pequena só dizia: Tá bom! Tá muito bom.

Sabia que ao longo dos anos...

...a composição do leite materno tem vindo a mudar e contém menos DHA* e mais ácidos gordos ómega-6**.

* DHA- um nutriente ómega-3 de origem animal muito importante e necessário para as estruturas das células nervosas e, em particular, para a saúde dos olhos e do cérebro. Desempenha um papel fundamental na formação da membrana e no desenvolvimento do cérebro.

**ómega-6-nutriente de origem vegetal necessário para a manutenção do equilíbrio hormonal e a conservação da estrutura saudável da pele.

E eu penso e não me atrevo a dizer que: "não há mulheres como antigamente nem mamas de leite como as de antanho."
Afinal atrevi-me e disse, mas não me matem, mães de hoje.

"O corno é sempre o último a saber"

Frase muito usada cá no rural madeirense quando o marido tem uma bela duma "cangalha" a enfeitar a cabeça. Toda a gente sabe menos ele.
A minha neta Pulga ontem fazia-me o relato da programação para o fim de semana. Sim que esta pulga tem uma agenda completa.
"Amanhã, Sexta- feira vou à escola. Sábado é dia de ficar a dormir na casa da avó. Domingo dia de ir à casa da Bi.
É assim que eu me sinto: como um corno. Sou a última a saber desta programação. E inclui ficar na casa da avó. Hã? Como? E eu? Não se diz nada? Hã, filha? Tás-ma ouvir? E eu que tinha agenda cheia....
Cá nada! Venham as Pulgas me morder as pernas que eu gosto.

Flor

Porque razão se chama "flor" à gordura da carne?
Isto a propósito do talhante me ter perguntado se queria com muita ou pouca flor. Bem sei que ele era de campo (como se costuma dizer por aqui).
Será um termo madeirense? Ou também se usa em Portugal Continental?
Elucidem-me.

Sabia que consumir álcool dá direito a vergastadas?...

"Stephen Worgu, futebolista nigeriano a jogar no al-Merreikh d' Omdurman, do Sudão, foi condenado esta semana a 40 vergastadas por ter consumido álcool, anunciaram fontes judiciais.
Worgu, 20 anos, foi considerado culpado de consumir álcool e ter conduzido em estado de embriagues por um tribunal do Cartum.
O tribunal condenou o jovem jogador nigeriano a 40 vergastadas e a uma multa de 50 libras sudanesas (13,3 euros) por ter ingerido álcool, e a 200 libras sudanesas (53,39 euros) por conduzir embriagado."

Se a Europa adoptasse esta medida, teríamos muitos condutores a não se encostarem ao banco do seu carrinho devido à inflamação nas suas costinhas. Nem a conseguir esticar os braços até ao volante. Ai doí, doí. Lá isso é que doí. Dói aqui e dói ali.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A arte de bem escrever

Lido num cartaz colocado numa casa. Um T0, mobilado, para alugar a ingleses

Está escrito em "engles" e quem "let", "spiking engles".
O T0 está "fulo faniga".

Não precisam de levar nada, só o dicionário de engles/madeirense.

Tia-velha é família do Duque de Clarence

Durante a tarde a minha tia-velha contava que em pequena foi metida no mosto e no vinho. A razão foi que já tinha 4 anos e não andava, só se arrastava.
Será por isto que há uma grande incidência de alcoólicos?
Será que mantinham a boca aberta enquanto estavam mergulhados no mosto e vinho?
Havia assim tantas crianças que não andavam com 4 anos?
Ou não há relação com o número de alcoólicos.
E...
Lembrei-me da lenda do Duque de Clarence que condenado a morte por traição (e por ser nobre tinha direito de opção), escolheu morrer afogado numa pipa de Vinho Madeira.

Há cada panca...não é de agora...também no século XV já havia.

A arte de bem escrever

Lido hoje no Diário de Noticias num cartaz.

Hã? Tens enveiza? Vai...

Atao vai trabahar..
sou vadiu.


Pelo menos é sincero: sou vadio.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Olha ouvi dizer...

...que "Os açorianos são uns atrasadinhos."
Albert Johnny Garden

Olha, ouvi dizer...

...Que houve outro suicídio? Desta vez um médico? Ontem foi um engenheiro, na semana anterior outro engenheiro. Meu Deus! E porquê?

Espetada às quatro da tarde

Depois da vinda do hospital resolvi fazer a via-sacra das compras. para a horta. A Madeira é pequena é uma constatação, mas demora tempo a ir de um lado a outro. Resolvemos ir até à Ribeira Brava comprar as árvores de fruto. pelo caminh diz o "mê senhor".
- Vamos fazer uma loucura!
Fiquei preocupada. Com esta onde de suicidios nem sei o que pensei (humor negro, sem piada). Mas não.
- Bem, diz lá que loucura é essa?
-Vamos comer uma espetada.
- Olha, mas são 4 horas...!
Acabámos por parar num sítio rústico onde a carne é pedida no outro lado da rua no talho.
Mas soube bem. Acompanhámos a carne com vinho, pão, salada e milho frito.

Ai que cheirinho

-Hummmm! Tá cheirando bem! Tás fazendo outro jantar?- É o que oiço da tia-velha quando estávamos na cozinha pelas 19:00 e eu preparava o jantar.
- Outro jantar?- pergunto admirada.
- Sim. Vamos comer outra vez? Ainda há pouco comemos!
Ai esta tia... tinha lanchado pelas 17 horas, realmente... duas horas depois ia comer outra vez? É que pensava que o lanche tinha sido o jantar disse-me ela.

Pensamento meu

Mas este mundo está louco! Ou as pessoas! Tantos suicídios! Que desespero leva alguém a cometer suicídio?
Medo? Dívidas? Encargos? Ou simplesmente... porque sim. "Porque a vida é minha e faço dela o que bem entender". Sendo assim, também pode ser um acto de egoísmo.

Rezando e andando para não perder tempo

Hoje foi dia de consulta no Hospital. Lá carreguei a tia-velha sempre atrelada ao meu braço porque não via bem do olho. Naturalmente que tem a ajuda da bengala, mas nao é o suficiente.
No final, telefonei ao "meu senhor" para a respectiva boleia (eu sei conduzir, mas estacionar no parque do hospital leva-nos couro e cabelo, poça!).
Começo a andar e combinei um pouco afastado do lugar onde estávamos mesmo de propósito para pô-la a andar . É que se não for assim não mexe as pernas. Encetámos a corrida.
- Ainda falta muito?- perguntou arefando de cansada.
- Não. Fata um bocadinho assim. E fiz como no reclame do Danoninho.
-Ah Mê DÊs! - cramava e andava.
Ao fim de três passos mais...
-Já tá quase?
- Sim é acolá.
-Acolálém?-perguntava olhando para o fim da rua - Ai MÊ DÊS!!
- Ande, vamos, se não fôr assim não anda nada. Já sabe que comigo tem de andar.
-Mas eu ando! Tu é que não vês! - e começou na ladaínha: Quando chegares a velha vais ver o que é! A idade não perdoa". Falta muito?
- Não.
- Ai Mê Dês!
Uf...uf...

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Também ouvi dizer que...

..."Cristiano Ronaldo lamentou nesta terça-feira não poder dar o seu contributo à selecção nacional e garantiu que no sábado estará no Estádio da Luz para assistir ao jogo frente à Bósnia."

Ele deve estar é satisfeito. A julgar pelos jogos em que participa e não marca golos. Pelo menos ali sentado no banco só pode ir marcando golos em pensamento.

Olha, ouvi dizer...

... Que esta ministra da educação é tesa! A Senhora Ministra "garante que a avaliação é para cumprir." Tesa ela!

"Não há suspensão do actual ciclo avaliativo. Quanto ao próximo, o Ministério da Educação vai comunicar com as escolas para que “não haja trabalho que não corresponda às necessidades efectivas".

Retirado do Publico

Sis Ariete


"Olá, tudo Baimmmmmmmmmm?"
Era isso que me perguntarias ao atenderes o telefone.
Quis
Deus que fosses até à Sua presença do dia 15 de Fevereiro.
Dia de São Martinho é o teu dia de anos. Farias 71.
Descansa em Paz, mana.
Nada é como antes. Nunca mais.
A nossa cumplicidade, a nossa amizade nada mudará.
A nossa família já não é o que era. Tu eras a locomotiva que nos ponha em movimento.
Tens lugar cativo no meu coração.
Até um dia mana Ariete.

Fome não passam

As Pulgas depois das brincadeiras pediram cereais com leite. Lá vai avó fazer uma pratada para cada uma. Enquanto elas comiam preparei a sopa (feita com a água da papinha do dia anterior. Mham, mham). Oiço a Pulga.
- Quero sopa, avó!
Outra voz mais fininha.
- Sopa. Sopa.
E lá avançou uma pratada de sopa para cada uma.
Eram 18:30 da tarde.
O pai quando chegou para as levar estavam a meio da refeição.

Novo começo

Hoje e porque me levantei cedo das palhinhas o dia pareceu looooonnnnnngo. Mas tive tanta coisa para fazer e acabei por não fazer nada. (Já pareço as bilhardeiras da vizinhança). Em contrapartida fiz algo de tamanha importância: comprei árvores de fruto para o meu rural. A terra está preparada para as culturas. Falta-me comprar as couves, os tomateiros, os pimenteiros. Pareço uma mulher do campo. Daqui a dias começo a olhar o céu, o tempo e a saber que plantar e quando. E... se vai chover... se vai nevar... (aqui nevar?).
Comprei uma laranjeira, uma figueira e uma goiabeira. (Já sinto o sabor dos frutos, principalmente goiabas. E as beiças a arregoar dos figos).
Anoneira já a tenho e que belas anonas dá (há quem diga nonas. Espero poder vir a comer a ...nona ...a décima...a vigésima... etc,).
O mais caricato é que a minha filha tem uma horta...virtual. Poça filha, anda para cá, aqui nada é virtual. É tudo real. E assim deitavas água nas couves, alfaces, tomates. Era mais concreto. E biológico também.

Alteia a televisão

A Pulga ao lanche pedia para aumentar o volume da televisão ou como se diz em madeirense "altear a televisão"
Digo-lhe eu .
- Tás surda?
- Não. Tá baixo.

Credo

E amanhã lá vou ter de "cair da cama abaixo" outra vez. Consulta pelas 8:30. Bem, o olho da minha tia está tão vermelho que mais parece um pimentão (vermelho). Por mais que se diga: "Não abra o olho" ela está sempre com ele aberto. Até parece que vejo a lente que lhe colocaram. Será possível? É que não pára de mexer no olho.
Esta tarde as Pulgas estiveram aqui. A Pulguinha correu logo para os meus braços quando viu a tia com o olho de pirata. A Pulga mais comedida lá lhe deu um beijinho.
Passaram a tarde a montar legos. E a minha tia além de os montar estava a contar as bolinhas das placas. E era para estar de olho fechado.
A propósito, anteontem, de 4 em 4 horas deitei gotas no olho que ia ser operado. Claro que se sabe que depois de deitar as gotas devemos manter os ollhos fechados. Acham que é possível? Não, então sentei praça ao lado dela e não permiti que o abrisse.
Deitei gotas e saí para comprar pão. Disse-lhe: "Daqui a pouco, abra". E lá fui....
Estava no carro quando me lembrei de algo que me havia esquecido. Volto atrás. Estava ainda de olho fechado e perguntou: "Já posso abrir?
Bem, se eu não voltasse atrás, ia ficar de olho fechado até eu voltar? Ficaria?
Ou fechou assim que me ouviu entrar?
Deu-me cá uma tentação de rir... E fiquei sem saber...

Decididamente...

...O meu organismo não está preparado para acordar cedo. O meu cérebro não está programado para "acender" ao som do despertador. Hoje "caí da cama abaixo" metaforicamente falando.
Pelas 7:21 lá levantei este corpo que está mal habituado a levantar cedo e fui deixar a tia-velha para a cirurgia do olho.-"Qual olho?" - perguntava ela ao sair de casa. Teve de ir em jejum, isso já sabia desde ontem, mas antes de entrar no carro diz-me-" sequer tomei um poucochinho de café."
E estou aqui prostrada com uma ânsia no corpo e o estômago embrulhado por ter saído da cama cedo. Não há o direito! Até os cheiros me incomodam.
Estou apagada! Tenho de ir acender uma vela a ver se a coisa melhora.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Papinha

Fiz "papinha" para o jantar. E lembrei-me do trabalho de equipa que tínhamos quando os meus filhos eram crianças dependentes de nós.
Eu cozinhava, o dadi amassava os ingredientes e os olhos deles cresciam juntamente com o apetite. E recordei-os ainda pequenos e aqui junto a mim.
Há dias assim...
E ainda hoje pessoas adultas como eles são ainda pedem ao dadi para amassar a papinha.
Há coisas fantásticas, não há!
"Papinha" agora só na "Festa".

Boston Legal

Estive a ver, de tarde a série "Boston Legal"*. Acompanho-a quando estou em casa. ("Raquel, esta é nossa. Grande Shirley!") E hoje nem a propósito oiço esta frase na série, dita por uma idosa que tem todas as suas capacidades mentais, com um cérebro afiado e a língua também, mas que por ter mais de 65 anos não pode trabalhar e cansa-se de nada fazer."Inventam medicamentos para nos prolongar a vida e depois não sabem o que fazer connosco. Acham que estamos mortos, mas não estamos."
Ela processava os canais de televisão por não passarem programas adequado aos idosos.
É verdade. Até eu pus-me a pensar na quantidade de canais "baby TV" e para jovens.
Realmente para os velhos que passam o dia em casa, nada. Nada, não é bem assim, passam as novelas brasileiras, "As tardes da Júlia" a "Fátima Lopes." Isto sem falar na RTP Memória onde os saudosistas podem relembrar os filmes, as séries , os programas do passado , passados tantas vezes que até perdem qualidade.
*Boston Legal é uma série de advogados onde inclui um com Síndroma de Asperger, um outro com Alzheimer. Além disso retrata uma amizade incondicional entre os dois protagonistas.

Frase do dia

"Quem é velho só dá maçada a quem é novo."
Não, não sou a autora da frase. Mas tenho-a ouvido algumas vezes nestes dias.

E hoje...Porque hoje...O dia fez-me reflectir...

...E estou triste! Muito triste! Também tenho dias assim! Dias em que penso no futuro e não imagino como será. Tenho saudade do meu filho, e isso deixa-me deprimida. Será por ter as emoções à flor da pele? Ou por saber que vou para a idade? E olho para a minha tia-velha e que não teve filhos, mas tem-me a mim. E eu? Terei alguém? Alguém a olhar por mim?
A velhice é um atrapalho.
Porque...
Olho para os velhos da família e vejo-os tão abandonados. Sentados numa cadeira já ninguém conversa com eles. Em qualquer sítio onde se sentam, atrapalham sempre.
Mas o que me custa mesmo é o desprezo, a falta de conversa e a forma como os jovens olham para eles. O ignorar a sua presença. As perguntas feitas e não respondidas.
E eu antevejo o meu futuro.
Esquecem-se que também vão chegar a idosos, se Deus assim o permitir. Os jovens esquecem-se das noites perdidas e mal dormidas para cuidar desses jovens que os ignoram.
"Gente da minha família por favor vamos dar as mãos e não marginalizar os idosos."
Será que são trapos velhos? Usados e deitados fora? Será que tiveram uso e já não têm? Meu Deus! A que tempo se chega! Mas por favor jovens da minha família não marginalizem os idosos. Um pouco de compreensão e gratidão. Eles podem ter algum esquecimento do presente mas do passado lembram-se bem.
E ficam magoados com tanta ingratidão!

Pensamento meu

Hoje senti tanta saudade do "meu bisalho".
Adorava que estivesses aqui.
Há dias assim!
Principalmente quando a família se reune.
Adoro-te "meu bisalho".

Órfãos na 3ª idade

"O ritmo de vida actual afasta a família dos idosos que, por sua vez, se sentem mais marginalizados"

Nesta bela Europa, o velho é um empecilho de cabelo oleoso no meio da lavadinha família modernaça. Por isso, ninguém nota que a gripe normal mata, todos os anos, uma multidão de velhos. Ano após ano, estas mortes não causam qualquer emoção mediática.
Nós, os modernaços europeus, damos 100% de atenção às crianças, e 0% de carinho aos velhos. Depois, no dia-a-dia, esta aritmética afectiva provoca vilanias. Em 2003, por exemplo, centenas de velhos morreram de calor por essa Europa fora. Não havia ninguém para lhes dar um copo de água. Um copo de água. Estas mortes não geraram uma discussão 'europeia'. A tal discussão só surgiu quando, anos depois, uma menina - uma só - desapareceu no Algarve. Aí, sim, toda a Europa, em histeria continental, reflectiu sobre a pedofilia.

Dentro desta assimetria dos afectos, comum a toda a Europa, Portugal destaca-se com afinco. Em Paris, foi descoberto o corpo de um velho que estava morto há dois anos na sua própria casa. O velho era português, mas isto não causou um cêntimo de indignação entre nós. Em Portugal, só se pode falar de outra menina, coitadinha, que foi para a Rússia. No nosso mercado da indignação, uma menina retirada aos pais 'afectivos' vale mais do que um velho abandonado a uma morte desumana.

Quando olham para a forma como tratamos os velhos, os chineses sentem um justo nojo. Por uma vez, os chineses têm razão.
Texto publicado na edição do Expresso de 31 de Outubro de 2009Henrique Raposo (www.expresso.pt)


sábado, 7 de novembro de 2009

Já faz um ano

O amor não consiste em olhar um para o outro, mas sim em olhar juntos para a mesma direcção.
(Antoine de Saint-Exupéry)




Faz um ano que se casaram.
Fotos no:http://omeurural.blogspot.com/

Ora bem...

Depois de os pais saírem começou a festa. O Pulguito que dormia de barriga cheia acordou quando as manas estavam a meio do jantar. (Será que o "inção" percebeu que a mãe tinha saído e por conseguinte levado a mama?) Pronto. Levantei-o da cama. Era colinho e galhofa o que queria. As manas acabaram de comer e ... alá para a brincadeira.(Acho que nem comeram bem só pensar nisso).Tento colocar o Pulguito a dormir(ao colo, claro). Canto, canto, canto, bato no rabinho, abano e ....olho para o lado e sabem quem já dormia afundado como o Titanic? Sabem? Se responderam: avô, acertaram.
Comecei por ordem inversa ao nascimento para adormecer. Pulguito depois de tanto abano, tanta palmadinha, tanta cantoria lá aterrou na cama.
Logo se seguida a Pulguinha:"Não, não, não"- respondia sem parar, mas acabou por cair de cabeça no ombro como um pato na água.
Só faltava a Pulga! E lá fui para a cama com ela que já não usava a nana para dormir, mas deu-lhe uma recaída e pedia:"A nana só".
Eram 23:55! Silêncio na casa.
Sentei a ver TV. E pisco os olhos. Acordo com uma cotovelada do mê senhor. "Tá a choramingar"- diz ele. "Oh diabo! Este avô ainda não perdeu o hábito de me chamar quando ouve um chorinho!?- penso eu. "Alevantei-me". Fui buscar o bebé. Sento-me no puf. Daí a pouco chegaram os Pulguedo´s (pais).

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Hoje

Grande noite que se aproxima. A família Pulguedo (pai e mãe) vão ao cinema. Primeira saída a sós depois do Pulguito nascer. E quem vai fazer de ama-seca? Quem? Eu e Moi-Même também. Eu com muito gosto ela- Moi-Même com umas trpombas de chegar ao chão, mas vai-lhe passar, oura se vai! Vou ficar pela primeira vez a sós com o membro mais novo do clã.
Preparada? Para ficar com três? Sim, claro.
A ver vamos como se vão portar. A Pulga começou por dizer que vou dormir na cama dela.
A Pulguinha ainda não se apercebe, mas vai pedir, ai vai.
O Pulguito, esse vai ficar esperando que venha a mama. O leite quentinho.
Daqui a pouco lá vou.
"Indo eu indo eu..."

Previsão


Tempo: chuva durante o fim-de-semana, neve na Serra da Estrela
O tempo outonal aproxima-se. O vento sopraMas ainda está quente. Muito quente. Como dizemos antigos: "É sinal de doença". Não é o tempo próprio desta estação. Não é não.
Por aqui, no meu rural, ainda se anda de mangas curtas. Ontem, pelas 20:30 estive sentada numa esplanada em plena Rua Fernão de Ornelas, com um top sem mangas. Realmente não sei se vai chover. Era bom, para regar as hortas e as minha alfaces. Há quem peça chuva, frio, neve. Nada disso. Venha o sol, o tempo quente, as saídas à noite sem mangas. Isso sim eu gosto. E no fim de semana que se mantenha este sol doirado, cores lindas de Outono, mas nada de chuva, nem frio. Segundo o Instituto é esta a previsão.